1. Spirit Fanfics >
  2. Pink Drink - One Shot Yeji (Itzy) >
  3. Labirinto

História Pink Drink - One Shot Yeji (Itzy) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá gays do meu coração, como vão? Espero que estejam bebendo água, é melhor uma pedra no caminho do que duas no rim.

Enfim, queria anunciar essa One que eu não tiro da cabeça dês de que Wannabe saiu, então fui escrevendo e tá ai.

Ela também serve pra "destrair" vocês um pouco enquanto eu preparo o final da fic do Woo.

É isto, aproveitem 💖

Capítulo 1 - Labirinto


Fanfic / Fanfiction Pink Drink - One Shot Yeji (Itzy) - Capítulo 1 - Labirinto

Sexta-feira, por volta de umas quatro da tarde, um horário gostoso para tirar um cochilo ou fazer qualquer outra coisa.

Mas eu estava chorando enquanto me afogava em sorvete.

Meu namorado…ex namorado, havia terminado comigo, e ainda foi por mensagem. “Onde eu errei?”, “Será que fiz algo que ele não gostou?” eram perguntas constantes que rodavam minha cabeça. O filho da puta apenas me chamou e disse um “terminamos” e me bloqueou depois, daí fui olhar em seu Instagram e vi que ele havia apagado tudo, as fotos, os destaques que me envolviam e sua foto mais recente era ele e outra garota, nem aguentei ler a legenda e desabei alí mesmo.

Eu estava sem chão, Yongyuk era tudo pra mim. Agora meus únicos apoios eram: filmes extremamente clichês, sorvete e Ashley, minha melhor amiga.

— O que esse filho da puta fez?! — Gritou após eu contar toda a história, havia ligado para ela há alguns minutos e agora Ash estava aqui, surtando — Eu juro que se eu encontro esse desgraçado na rua, faço questão de cortar o pinto dele e dar de comida pros cachorros. — Passou a mão pelos cabelos, nitidamente nervosa.

— Se acalma, isso não vai fazer bem pra você. 

— Muito menos pra você! S/n você já olhou pro seu estado?! — Realmente, eu estava uma bagunça — Não faz nem três horas que ele terminou contigo e você já tá ai, se entupindo de sorvete enquanto chora assistindo um romance mixuruca da Netflix. Você precisa sair dessa, já passou. — Se sentou ao meu lado com uma expressão preocupada. Ela tinha razão, mas…

— Eu não sei…

— Você precisa se valorizar mais, o desgraçado não te merecia, olha pra você, uma gostosa pra porra, inteligente, engraçada e tudo de mais chorando por macho? Não, comigo não rola. — Deixei uma risada nasal escapar pela sua fala — Olha, mês passado uma balada foi inaugurada, a gente — Lá vem ela.

— Não, não tô com cabeça pra isso. — Levei uma colher de sorvete até a boca e percebi a mesma se levantar e ficar de frente pra mim, olhei para seu rosto e percebi que ela estava olhando no fundo dos meus olhos, céus.

— S/n, agora você vai largar esse pote de sorvete, escolher a melhor roupa do seu guarda-roupa e se arrumar. Hoje a noite é sua garota, não se abale por causa do desgraçado do Lee, ele não merece suas lágrimas, ele não te merece. — Ela estava certa, não posso chorar pelo leite derramado.

— Quer saber? Foda-se esta merda. — Fechei o pote do sorvete e guardei na geladeira, em seguida fui até meu guarda-roupa, procurando uma roupa pra hoje.

— É assim que se faz. — Sorriu — Bem, acho melhor eu ir me arrumar também, me manda mensagem quando for me buscar. — Falou e foi saindo de meu apartamento, ouvi a porta ser fechada e peguei um vestido preto que nunca tinha usado, coloquei ele em cima da cama e fui escolher um calçado, peguei um salto prateado e dei um sorriso, ele combinava perfeitamente com o vestido. Tirei as roupas que estavam em meu corpo e entrei no banheiro.

Depois de tomar um banho relaxante, voltei ao quarto e peguei minha bolsa de maquiagem e assim, logo começando a fazer qualquer coisa que me dava na cabeça, estava inspirada hoje.

Depois de pronta, passei um gloss avermelhado e fui arrumar meu cabelo, não fiz nenhum penteado, apenas estava arrumando um pouquinho mais. Ao abrir a gaveta para pegar algo, me deparei com a escova de dente de Yongyuk, encarei o objeto por alguns segundos e peguei, jogando no lixo do banheiro. Eu realmente queria começar a esquecer o desgraçado, ele só fodeu com a minha vida dês de que começamos a namorar, há cerca de 5 meses atrás.

No primeiro mês ele era um amor, sempre me levando pra sair e me dando coisas, mesmo que eu não pedisse, mas não demorou muito para sua máscara cair. Depois, ele não deixava eu colocar a roupa que eu queria, ficava com ciúmes até do vento, fazia críticas sobre tudo, meu corpo, amigos e até minha personalidade. Conforme o tempo ia passando ele ficava menos amoroso, e da última vez que eu o vi, foi quando tivemos outra briga, eu dei um tapa em seu rosto e ele ficou espumando de raiva, “Você vai se arrepender disso, ah se vai.” foram as últimas palavras que eu ouvi dele.

Bem, S/n, concentração, Lee Yongyuk já era.

Quando terminei de dar uns retoques em meu cabelo, fui direto para o quarto e me vesti, olhei para meu corpo que encaixava perfeitamente naquela peça e sorri satisfeita com tudo aquilo, depois de muito tempo eu realmente estava me sentindo bem comigo mesma, tenho certeza que se ele estivesse aqui, estaria surtando por eu usar uma roupa assim.

Ai ai Yongyuk, você é um belo idiota.

Fui até meu porta jóias e peguei um cordão do tipo chocker e coloquei dois brincos, apenas. Passei perfume, creme nas pernas e braços e peguei minha bolsa que estava ali perto e coloquei umas coisas importantes nela, identidade, cartão, essas coisas. Olhei para meu celular que estava carregando, fui até ele pegando o mesmo, liguei e vi que já estava bem carregado então tirei do carregador. Desbloqueei o aparelho, indo logo até minha conversa com Ashley, enviei um “Já estou indo” e sai, mas quando passei pelo espelho do corredor, paralisei ao ver meu reflexo.

— Parabéns S/n, você é uma grande gostosa. — Ditei em voz alta e com um sorriso enquanto analisava meu corpo pelo reflexo. Sai dali e fui direto pra porta, desliguei as luzes e sai de meu apartamento, seguindo até o elevador, entrei e percebi que Sra.Kwan também estava lá.

— Boa noite Sra.Kwan. — Falei com um sorriso. Sra.Kwan era uma mulher de 63 anos, era minha vizinha de cinco apartamentos, ela era bem gentil e fofa e isso fez com que criassemos uma leve amizade.

— Boa noite filha, está tão linda, vai à uma festa? — Sorriu pra mim enquanto eu apertava o botão para o estacionamento.

— Sim. 

— Ah sim, a propósito, esses dias depois que seu namorado saiu de sua casa com raiva você não saiu mais, está tudo bem?

— Sim, tudo ótimo na verdade, eu e Yongyuk terminamos, fiquei abalada no começo mas já estou de bem de novo.

— Eu nunca gostei dele, sentia uma áurea negativa sempre que ele chegava perto. Parece que terminar com ele fez muito bem pra você.

— Sim, fez sim.

— Oh, já é meu andar. Querida, aproveite bastante essa festa. — Falou sorrindo e saiu. 

Ela era um amor.

Assim que o elevador chegou, sai dele e fui até meu carro, entrei e liguei o automóvel, logo dirigindo até a casa de Ash.




[…]




— Caralho como tu tá gostosa. — Falou ela assim que entrou no carro — Deixava você me comer numa boa. — Brincou, arrancando minhas risadas — Vamos, eu vou falando o caminho e você dirige, é bem perto daqui. — Pegou o celular e colocou no Google Maps e ligou o som do carro colocando qualquer música aleatória. 

Dirigi até a balada, e quando estava perto já avistei muitas pessoas. Estacionei o carro ali perto e saímos dele, seguindo até a entrada.

— Não acha que tem muita gente não? — Olhei para minha amiga e ela tinha apenas um sorriso convencido no rosto.

— Relaxa. — Ela foi até a entrada vip e mostrou algo em seu celular ao segurança, esse que logo nos deixou passar.

— Ashley?! — Exclamei surpresa pelo que acabará de acontecer.

— Eu tenho meus contatos. — Subimos a escada e quando chegamos lá, olhamos tudo em volta, tinha “áreas” específicas, em uma parte ficavam as mesas e na outra a pista de dança — Legal, vem, vamos no bar. — Me arrastou até o grande balcão e pediu uma bebida — Você que paga. — Falou e deu um gole em seu coquetel verde e eu apenas murmurei um “hm” em afirmação.

Sentamos nos bancos dali e fiquei olhando em volta, era realmente tudo muito bonito.

— Experimenta esse, não é tão forte. — Me estendeu uma taça que continha um líquido meio rosa. Olhei melhor e percebi ter uma cereja dentro.

— Tem certeza? — Falei meio insegura.

— Só se vive uma vez gata. — Outro gole em seu coquetel. 

Olhei para a bebida rosa e peguei a taça, levando até a boca, dei um gole sentindo um gosto docê, mas não era enjoativo, e no final uma ardênciazinha na garganta.

— E aí? Gostou?

— É gostoso até. — Tomei outro gole, me virando para ver a balada novamente. Aparentemente aqui era um lugar chique, muitas pessoas bem vestidas com roupas e sapatos de marca.

— Na pista de dança, quase no centro.

— O quê? 

— Olhe. — Falou sorrindo enquanto olhava sua bebida. Me virei um pouco perdida e percebi que havia um par de olhos me encarando, imediatamente senti um calafrio na espinha quando a dona dos olhos deu um sorriso de lado, ela me olhava como se eu fosse sua presa — Diria que ela quer ficar com você, já tem um tempinho que ela te olha.

Me virei novamente e olhei para Ash.

— Não viaja, provavelmente ela estaria olhando outra pessoa. — Dei um gole em minha bebida.

— Hm, bem, eu vou pra pista ver se encontro um gatinho. — Tomou o resto do coquetel verde e saiu.

Dei uma risada pela sua personalidade e fiquei ali, apenas desfrutando de minha bebida e ouvindo a música que tocava.

— O de sempre, por favor. — Falou uma voz feminina desconhecida por mim, olhei discretamente e percebi ser a dona do par de olhos, ela se sentou e esperou o barman entregar seu pedido — Primeira vez aqui? — Olhei para ela e percebi que a pergunta estava sendo direcionada pra mim.

— Sim, nunca havia vindo aqui. — Falei olhando em seus olhos.

— Está gostando? — Perguntou enquanto pegava o copo que o barman entregou e levando até a boca, em seguida bebendo um pouco, mas não tirando seus olhos de mim.

— Aqui é bem legal. — Dei um gole na bebida rosa.

— A propósito, meu nome é Yeji, Hwang Yeji, mas pode me chamar só de Yeji mesmo.

— Meu nome é S/n.

— Não é daqui, acertei?

— Sim, eu vim do Brasil pra morar e trabalhar aqui.

— Hm, legal. — Me analisou dos pés a cabeça e ficou me encarando com um sorriso pequeno — Você é bem bonita, S/n. — Seus olhos eram profundos e misteriosos como um labirinto complicado de escapar, me vi perdida neles e quando percebi, estávamos nos beijando loucamente em uma das cabines do banheiro.

Yeji tinha uma pegada forte e meio suave ao mesmo tempo, ela mantinha uma de suas mãos em minha cintura e a outra em minha nuca, me puxando para si. Seus lábios eram macios e tinham um gosto docê de hortelã, provavelmente pela bebida que havia pedido.

Ela parou o beijo e ficou distribuindo selinhos molhados pelo meu pescoço, coloquei a cabeça pro lado para facilitar seu trabalho e gemi baixo quando ela deu uma mordidinha ali.

Afundei minhas mãos em seu cabelo, aproveitando aquilo. Um tempinho depois senti sua mão ir até a alça do meu vestido, abaixando a mesma enquanto trilhava beijos pela minha clavícula.

— Hmm…Yeji… — Praticamente gemi seu nome.

— Sim, docinho? — Falou rente ao meu ouvido e deixando um beijo na área, fazendo meu corpo se arrepiar inteiro.

— Não acha melhor…Hm…Irmos para outro lugar? — Ela parou o que estava fazendo e me deu um selinho meio demorado enquanto subia a alça de meu vestido novamente.

— Vamos. — Peguei sua mão e fomos em direção ao grande balcão do bar. De longe pude ver a cabeleireira curta de Ashley conversando com um cara e me aproximei dos dois.

— Estou indo. — Falei próximo ao seu ouvido já que a música estava bem alta.

— Mas já?! — Se virou pra mim confusa e deu um sorriso ao ver que Yeji estava comigo — Ah, podem ir, Hyunim vai me levar pra casa. — Sorri pra ela e saimos dali, guiei ela em direção ao meu carro e entramos, liguei o mesmo e saímos em direção a minha casa que não era tão distante dali, mas agora parecia que o tempo estava passando devegar, bem devagar.

Quando paramos em um sinal, senti sua mão ir até minha coxa e apertar a mesma, arrancando um suspiro pesado de minha parte.

Quando o sinal abriu, tentei ir o mais rápido possível para casa, eu já conseguia sentir minha calcinha ficar úmida, mas logo fiquei aliviada por ver meu prédio.

Estacionei o carro e saímos, andei com pressa até o elevador sentindo um grande incômodo entre as pernas. Assim que Yeji entrou, imediatamente apertei o botão de fechar as portas e o de trava, que servia para o elevador não parar em nenhum outro andar, a não ser o meu.

— Está excitada? Uh? — Com um sorriso de matar qualquer um, Yeji puxou meu corpo para si e não aguentando mais toda aquela tensão, começamos a nos beijar como loucas, mas tivemos que parar quando o elevador apitou, alertando que já chegamos, peguei em sua mão e fui até minha porta. Assim que destranquei, apenas esperei Yeji entrar e tranquei novamente, começamos a nos beijar, entre o ósculo, fui guiando seu corpo até meu quarto e calmante fiz ela sentar em minha cama, separei o beijo para tirar meu vestido e meus saltos e sentei em cima dela, vendo seu sorriso e voltando a beijar sua boca enquanto tirava seu blazer branco.

O beijo dela era cativante, milhões de vezes melhor que o do Yongyuk, na verdade, acho que ela em si era bem melhor que ele, qualquer pessoa consegue facilmente ser melhor que esse babaca.

Paramos o beijo e Yeji me pegou em seus braços, deitou meu corpo na cama e ficou de pé na minha frente e começou a se despir enquanto me olhava profundamente, eu já sentia minha intimidade pulsar em expectativa. Céus, eu iria enlouquecer assim.

Quando ela já estava completamente nua, colocou seu corpo em cima do meu, ficando a centímetros do meu rosto.

— Você é linda. — Falei olhando sua boca pela falta de proximidade e o desejo.

— Você também, mas não precisa disso. — Levou uma de suas mãos até o fecho de meu sutiã e em segundos ela abriu, e jogou a peça em um canto aleatório do quarto — Bem melhor. — Sorriu pra mim antes de começar a se concentrar em meus seios, alternando entre chupar um e usar sua mão no outro, me levando à loucura.

Depois ela foi descendo e descendo, até chegar em meu íntimo, onde passou o dedo em minha fenda por cima do tecido da calcinha.

Yeji puxou minha calcinha e afastou minhas coxas, em seguida colocando seu rosto no meio das minhas pernas 

— Apenas relaxe.

Gemi ao sentir sua respiração quente ali.

É, parece que a noite iria ser longa.




[…]




No dia seguinte, acordei e ainda deitada me remexi na cama e despertei ao não sentir o corpo de Yeji ali. Fiquei confusa mas logo fui lembrando da noite passada e acabei por deixar um sorriso bobo escapar. Suspirei e olhei pro lado, percebendo um bilhete ali. Rapidamente peguei e sentei na cama, começando a ler. 

“Bom dia docinho, deve estar se perguntando o porquê de eu não estar aí, bem, eu tive que sair mais cedo por causa de uns imprevistos. 

 Agora sobre nós, eu realmente gostei de você e não queria que isto passasse apenas como uma noite, queria sair com você, me liga ♡ (XXX-XX-XXX)”


Sorri completamente boba ao terminar de ler o bilhete deixado por ela, quando fui pegar o celular para salvar seu número, Ashley me ligou.

— Detalhes S/n, eu quero detalhes. — Falou assim que atendi.

— Ela saiu mas deixou um bilhete falando que queria sair comigo junto do número de telefone...Ash…Eu nunca achei que poderia gozar mais de três vezes em uma única noite. — Falei me deitando no colchão e ouvindo seu silêncio do outro lado da linha.

— …S/N NÉRA HÉTERO?!


Notas Finais


O que acharam?

Eu gostei bastante de escrever alguma coisa diferente, pretendo trazer mais assim pra cá.

Beijinhos 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...