1. Spirit Fanfics >
  2. Pintando em paris. >
  3. Deux - Flores que cantam.

História Pintando em paris. - Capítulo 2


Escrita por: sisitwz

Notas do Autor


boa leitura!

Capítulo 2 - Deux - Flores que cantam.


"Cada qual sabe amar a seu modo; o modo, pouco importa; o essencial é que saiba amar."


Machado de Assis.


Tudo era encantador para Nayeon naquele lugar, principalmente a visão que tinha de Myoui Mina. 


As flores dançavam conforme o vento ia e vinha, o cheiro de ar puro entrava nas narinas das duas e flutuavam junto as flores. O lugar que a mais nova havia lhe trazido era um campo, um campo florido cheio de vida, de tanto plantas tanto de animais. 


Várias árvores ao redor davam uma aparência mágica. 


Nayeon pensaria estar sonhando, mas viu um pequeno veadinho um pouco longe das duas junto de sua mamãe, provavelmente se alimentando da grama fresca. 


— É lindo, não é? — Mína disse ainda olhando para a paisagem. Im concordou balançando a cabeça, sem palavras. — Vem! 


Saiu correndo em direção a uma árvore de tamanho grande, provavelmente um metro menor que uma casa. 


Im seguia a loira por aquela direção, sentindo novamente o vento lhe deixar um beijo entre seus cabelos. 


Quando chegou embaixo da árvore, observou que os objetos de pintura de Mina estavam ali. Aproveitou que a japonesa sentou-se em um pano que continha ali, que provavelmente usava toda vez que vinha para o lugar, e se sentou ao seu lado. 


— Então é aqui seu lugar de concentro quando quer pintar? — Perguntou Im. 


Mina assentiu, se encostando no tronco de árvore atrás das duas. 


— Encontrei quando quis andar sem rumo, esse lugar me traz paz. — Suspirou. — Assim como você, Nayeonie! 


Sorriu em sua direção, com suas bochechas em um tom vermelho fraquinho. 


Nayeon riu envergonhada e abaixou a cabeça enquanto brincava com os dedos. 


— Mina - ya! Você tem bom gosto. — brincou, tendo uma risada da mais nova como resposta. 


E, Im, jurou ser a risada mais bela e gostosa de se ouvir. 


Myoui se sentou mais próxima da garota, podendo sentir o calor da outra em sua pele exposta. Aproveitou o contato e deixou sua cabeça se deleitar no ombro de Nayeon, como uma forma de carinho. 


Observaram um grupo de borboletas voarem por cima das flores, pareciam felizes. 


O sol já não estava aparecendo, agora só existia sombra para todo lado. 


Conversaram por algum tempo mais sobre aquele lugar, mina lhe contava tudo que descobriu sobre o campo, os animais, as plantas que vira. 


Nayeon ouviu com tanta ternura e atenção, que Myoui não queria estar em outro lugar a não ser ali, ao lado de Nayeon. 


— Minari! Olhe! — Nayeon sussurou, fazendo um movimento com a cabeça na direção de trás de Myoui. 


A loira virou o rosto devagar e viu que a mamãe veado e seu filhote se aproximavam das duas. 


A coreana mais velha viu a garota sorrir genuinamente na direção dos animais. Era realmente uma surpresa para as duas verem um animal selvagem tão perto, e pela sua expressão, dócil. 


Segundos foram feitos e os dois animais se deitaram em suas frentes, bem perto das duas mulheres. O pequeno veadinho ficou com sua cabeça deitada no colo de Mina, fechando os olhos em seguida, oque ela constatou que estaria pronto para dormir. 


A mãe prefiriu ficar alguns centímetros longe, gostaria de tirar um cochilo por ali junto do filho. 


As duas apreciaram isso e sorriram uma para a outra. 


— Que tal nós darmos um nome para eles? — A de cabelos castanhos sugeriu, passando sua mão direita na pele do animalzinho deitado. 


Com a pergunta, a de cabelos loiros se animou. 


— Acho que irei chamar esse aqui de, Purks! — Sussurou, não gostaria de acordar o pequeno. 


Nayeon achava aquela voz suave perfeita demais para existir, pisava em pequenas nuvens brancas toda vez que a mesma falava algo. 


Era encantador. 


— A mãe irá se chamar... — Im pensou um pouco. — Sra. V! 


Falou no mesmo tom. 


Mina riu. 


— Bons nomes, Yeonie! 


Olhou a mais velha, ficaria assim por horas. 


— Posso te pintar um dia desses, Nayeonie? — Brincou com os dedos de forma tímida. 


Mina não era muito de pintar as amigas, suas paisagens eram sua maior obra principal, mas nayeon despertou essa vontade. 


Podia-se dizer que, Im, era a própria afrodite. 


A sua, Afrodite


Nunca mudaria essa percepção. 


— S-seria um prazer, Mina - ya! 


suas bochechas rosadas demonstravam vergonha, Myoui achou fofo demais para si. 


— Você fica bonitinha toda envergonhada, Myoui! — Nayeon brincou. 


Seus dentes de coelho apareceram e as borboletas de mina se remecheram novamente. 


— Não sou eu que está gaguejando aqui, Im! — Devolveu no mesmo tom. Imediatamente a acastanhada fechou a cara e cruzou os braços de forma emburrada com um bico nos lábios. 


Mina começou a rir mesmo achando aquela cena fofa. 


Dependendo da situação, Nayeon era uma pequena criança. 


A criança que se apaixonou. 


Colocou agora o nomeado de Purks mais perto de sua mãe, o mais confortável possível. 


Chegou perto do ouvido da coreana e deixou um sorriso por ali. 


— Prends moi dans tes bras! — Sussurando, Myoui começou a correr por entre as flores. 


Naquele momento, Nayeon, sentiu um arrepio em sua pele e sorriu mais que sua face pode aguentar, para finalmente se levantar e correr atrás da amada. 



| Prends moi dans tes bras – Me pegue (prenda - me) em seus braços. 





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...