História Pior Pecado - (JEON JUNGKOOK ) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink, Got7, Stray Kids
Personagens Hwang Hyun-jin, Jackson, JB, Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Kim Woo-jin, Lee Felix, Lee Min-ho, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rosé, Seo Chang-bin
Visualizações 31
Palavras 2.928
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Jungkook = 23 anos
Hanna = 22 anos
S/n = 18 anos
Luana = 18 anos







Fanfic totalmente feita para a melhor M.A do mundo, a Luana. Minha melhor amiga virtual, o único ser humano que eu confio e sei que posso contar sempre. Aqui está a sua fanfic, que você tanto queria ler. Espero que goste, e, eu te amo❤✊🏻

Capítulo 1 - 01


                                           *
                                                      S/N


Fura olho, puta, ou vagabunda. eu sempre fui chamada assim pela minha família e colegas. Mas fazer o quê né? Eu amo fazer as coisas erradas e aproveitar a vida no perigo. Isso é totalmente prazeroso para mim.

Já a minha irmã, sempre foi aquela garotinha fofinha e delicada que todos são apaixonados. Ainda era virgem com 22 anos e só queria fazer algo depois do casamento. E eu aqui, perdi a conta de quantos garotos ou garotas já fudi com apenas 18. Eu sou a verdadeira puta. Mas eu queria mesmo é ser a putinha do Jeon, o noivo da minha irmã. Imagina que perfeito! Ah, que pecado de homem.

Mas, se não for pra ser assim eu nem quero. Imagina viver sem putaria, impossível. Nem gosto, eu amo fuder, seja com homem ou com mulher, no tanto que ambos saiam com as pernas bambas, já vale a pena.

- S/n, o Jungkook vai vim pra cá, eu não quero você rolando nem o olho nele, entendeu? - Minha mãe disse enquanto arrumava a mesa.

- Nossa, tem tanto medo de me ver pegar o Jungkook também? - Arqueio a sobrancelha

- Para com isso, ele é noivo da sua irmã! Para de ser tão puta garota. - Ela aumentou o tom de voz.

- Eu sou puta mamãe? - Disse e ela bufou. A campainha tinha tocado - Eu atendo. - Poderia ser o Jungkook, mas também podia ser a Hanna, não sei. Fui até a porta e destranquei a mesma e logo a abri. E lá estava Jeon. De terno, com a gravata meio frouxa, cabelo arrumadinho e todo cheiroso, meu Deus!

- Oi S/n - Ele abriu um sorriso para mim.

- Oi Jungkook, pode entrar - Dei espaço para ele entrar e ele logo fez. Que homem!

- Oi sogrinha. - Abraçou minha mãe.

- Oi Jungkook, trabalhou muito hoje?

- Sim, eu sempre trabalho muito. - Ele se sentou no sofá. - Onde está a Hanna?

- Ainda não chegou. - Disse e me sentei ao lado dele, mas a minha mãe me afastou do mesmo. - O quê? - Sussurrei

- Não quero você perto dele, sei bem qual é o seu truque menina. - Sussurrou e se sentou entre nós dois.

- Nossa mãe, relaxa. Eu não vou comer o Jungkook, ok?

- Do jeito que você é puta eu não garanto nada.

- Gente, sem brigar por favor. - Ele tirou seu terno e colocou sobre suas pernas - Sogra, não se preocupe. Eu não sinto atração por ninguém além da Hanna, e pare de chamar a S/n de puta, sei que ela fez coisas erradas mas voces são uma família. - Ele disse e eu ri

- Você ainda não entendeu Jungkook? - Me levantei do sofá. - Eu não faço parte dessa família. - Fui para o meu quarto e me joguei na cama. Peguei meu celular e vi que tinha 4 mensagens da minha melhor amiga, Luana.



                                   = Conversa via Whatsapp =



@Quenga: AMIGAAAAAAAA

@Quenga: O Ryan vai fazer uma festa hoje

@Quenga: Vamos??

@Quenga: ME RESPONDE LOGO

@Quenga: VAGABUNDA


Você: MENINA, QUÊ QUE FOI?



@Quenga: ATÉ Q ENFIM

@Quenga: VAMOS SAIR E PEGAR UNS BOY

@Quenga: NECESSITO TRANSAR HOJE, VAMOS, ANDA.



Você: Meu cunhado está aqui, Luana.

Você: Não sei se a minha mãe vai deixar por causa do almoço e da janta em família que eu sou obrigada a participar.

Você: Desculpa :(




@Quenga: Tô indo te buscar.

@Quenga: Nem que eu precise dar na cara da sua mãe para te tirar daí, eu arrumo uma desculpa.

@Quenga: Se arruma, beijos, chego logo.



Me levantei da cama e já fui direto pro banho. Lavei meu cabelo com o meu shampoo de lavanda, escovei meus dentes e assim que acabei, fui pegar uma roupa no armário. Botei uma lingerie preta e um vestinho preto bem curtinho, com uma botinha também preta. Sequei o cabelo bem rápido e mandei uma mensagem para Luana avisando que já estava pronta.

Sai do meu quarto e fui até a sala para avisar a minha mãe que eu iria sair, mas só encontrei o Jungkook.

- Uau, está linda. - Ele sorriu e segurou na minha mão, mas eu soltei.

- Cadê a minha mãe?

- Saiu.

- Onde?

- Mercado, você vai sair? - Assenti - Hoje tem almoço e janta em família, vai mesmo sair?

- Sim, eu não aguento mais ver você e a minha irmã se beijando na minha frente. - Revirei os olhos. - E a bosta dessa família - Penso.

- Queria que eu beijasse você? - Arqueou a sobrancelha e se aproximou de mim

- Queria, mas você não pode né. Tem que ser 100% fiel a minha irmãzinha - Debochei e ele riu

- Fiel? - Ele se aproximou ate me fazer encostar na parede - Eu não sou um homem fiel - Ele me puxou pela nuca e iniciou um beijo, bem calmo. Nossas bocas entraram em uma sincronia perfeita. A boca do Jungkook tinha um leve gosto de menta, talvez pela fato de ele ter comido uma bala desse mesmo sabor minutos atrás. Separei o beijo assim que escutei a buzina do carro da Luana tocar.

- Pensei que tinha dito que só tinha atração pela minha irmã. - Sussurrei.

- É meio impossível quando ela tem uma irmã tão gostosa como você. E também, essa roupa valoriza muito bem seu corpo - Ele sorriu de lado e apertou minha cintura querendo me puxar para mais perto de si, mas Luana estava super impaciente lá fora.

- Fala pra a minha mãe que eu saí para uma festa. - Me afastei do mesmo mas ele segurou meu pulso e me olhou como se pudesse falar com os olhos - Relaxa, eu não vou contar pra ninguém sobre o que aconteceu. - Talvez eu diga pra Luana, mas só pra ela - Vou indo.

Abri a porta e sai correndo até a o carro da Luana. Ela estava linda, meu Deus, calma. Não posso me apaixonar. Entrei no carro e me sentei no banco.

- Oi amig... - Ela me puxou para um beijo assim que me virei pra ela. Eu hesitei um pouco mas logo correspondi. A boca dela tinha gostinho de morango por comer sempre o chiclete do mesmo sabor. Que incrível, fui beijada duas vezes sem nem pedirem minha permissão.

- Oi amiga, que saudade. - Luana disse assim que nos separamos do beijo.

- Tá mas, me beijou?

- NÃO S/N, IMAGINA.

- Mas, por quê?

- Por quê, o quê? É uma nova forma da gente se comunicar e foi porquê eu queria te beijar quando vi você com essa roupa. Na verdade não só beijar...

- Essa roupa, também me fez beijar uma boca que eu não deveria ter beijado. - Luana deu partida no carro.

- Beijou quem hein?

- Meu cunhado. - Ela me olhou e ficou de boca aberta.

- Aquele gostosão do Jungkook? Sério? Poxa amiga, eu também quero beijar ele. - fez biquinho. Por um instante eu fiquei afim de beijar ela novamente.

- Tá louca? Ele tá noivo.

- Mas você beijou ele.

- Na verdade foi ele que me beijou. - Ela riu

- Porra S/n, você é muito galinha.

- Ue, eu não tive culpa, foi ele que me beijou.

- Que feio S/n, colocando chifre na própria irmã. Se ele já tá louco por ti com roupa, imagina sem. Aiai, que errado. - Ela olhou para mim. - Só tome cuidado pra ninguém da sua família descobrir, se não você está literalmente fudida.

Que pena, eu amo fazer coisas no sigilo. Vai ser uma diversão e tanta.



[...]




- Chegamos! - Luana disse assim que estacionou o carro.

Era evidente que sim. Havia pessoas bêbadas pelo lado de fora da casa, casais literalmente se comendo, copos e garrafas jogadas no chão, som no último volume. Daqui a pouco a polícia para isso aqui.

Mas essa era a graça nas festas do Ryan. Ela nunca ligou para as regras.

- Vamos entrar logo. - Ela me puxou para dentro da casa. Pegou bebidas para nós duas, e fomos para a área da piscina. Que era onde tudo ficava melhor.

- Você viu o Ryan? - Disse gritando por conta do som alto.

- Eu também acabei de chegar aqui, esqueceu? Além do mais, o que quer com o Ryan?

- Eu preciso pedir pra ele abaixar um pouco esse som, pode chegar polícia aqui a qualquer momento.

- Eae garotas. - O Garoto envolveu seu braço no meu pescoço e no da Luana também, quando fui ver, era o Ryan. Bêbado!

- Só foi falar do Diabo. - Disse Luana.

- Então quer dizer que estavam falando de mim? - Ele se sentou em um banco que tinha em frente a piscina.

- Sim Ryan. Esse som está muito alto, a polícia pode te multar.

- Dane-se a polícia, tenho cara de quem liga para multas? - Ele franziu a testa 

- Ah claro, cagado de rico você né. Se fosse comigo eu diria a mesma coisa. - Luana sendo Luana.

- Então tá bom, faz o que quiser. - Me sentei do lado da Luana no banco.

- Obrigado, mamãe. - Dei o dedo do meio pra ele e ele riu. - Vou pegar alguma bebida pra gente, esperem aqui meninas. - Ele se levantou da cadeira, mas antes que pudesse andar até a geladeira, surgiu um garoto de não sei de onde e empurrou o Ryan com brutalidade dentro da piscina, com o copo e tudo e logo o mesmo caiu na gargalhada junto com a Luana. Sério gente, qual é a graça disso? Ele poderia ter se machucado.

- Oi meninas, acho que não nos conhecemos. Sou o Taehyung, melhor amigo desse bocó aí. - Apontou pro Ryan que saía da piscina quase caindo dentro dela de novo - Prazer. - Estendeu a mão para mim e a Luana.

- Luana. - Apertou a mão do mesmo, e ele logo se direcionou até mim, mas eu o ignorei. - E essa mal educada aí é a S/n, minha melhor amiga.

- Oi S/n, eu não sou um cara ruim então não tem problema tocar minha mão. - Ele estendeu a mão novamente.

- Não sei nem onde você botou essa mão. - Luana olhou pra mim e limpou a mão na blusa, super debochada.

- Ah, qual é. - Ele fez beicinho e eu ri. Peguei na sua mão e ele sorriu

- Prazer, S/n.


[...]


Minha cabeça estava girando e doendo. O som alto não ajudou também e já era tarde da noite, eu e a Luana bebemos demais e ninguém aqui estava em condições de dirigir. A polícia não veio até a casa do Ryan, mas passou perto. Por pura sorte os polícias eram legais e só pediram para abaixar um pouquinho o volume, mas não adiantou nada porquê o Ryan não abaixou e conseguiu se safar da multa.

- Ei, você pegou alguém? - Luana disse tudo embolado.

- Peguei 17... 19? Eu não lembro, mas tenho certeza que eu beijei quase todos dessa festa. - Falei mais embolado ainda

- Eu peguei o dobro do que você pegou.

- Estamos competindo? - Ela assentiu - Sério mesmo? Eu não sabia disso.

- Preciso ir pra casa. - Disse - Mas não estamos em condições de dirigir. - Me joguei no colo da Luana que estava sentada no sofá da sala.

- Eita meninas, vocês vão ficar com uma ressaca de matar. - Disse Taehyung, se sentando ao nosso lado. - Como vão pra casa? Ambas estão péssimas e não podem dirigir.

- É só chamar um uber. - Digo

- Do jeito que estão, é provável que sejam estupradas pelo motorista.

- Nossa Taehyung. - Luana franziu a testa. - Que pensamento negativo.

- Mas eu estou falando sério. Não tem ninguém que possa vim buscar vocês?

- Tem o meu cunhado, mas ele deve estar dormindo agarradinho com a minha irmã, então não quero atrapalhar.

- Me dá seu celular aqui. - Ele mexeu na minha bolsa e tirou o mesmo de lá.

- Ei, não ligue para minha mãe nem ao meu pai. - Ele assentiu e foi pra fora da casa, longe de toda aquela barulheira.


                                                      *
                                                   JEON




Acordei com o meu celular tocando. Peguei ele e olhei para ver quem era, ia dar quase 3 horas da manhã e S/n nem havia chegado em casa. Me sentei na cama e atendi o mesmo.


__Alô?


__Boa noite, cunhado da S/n.



Era um garoto.


__O quê você quer? E Por quê está com o celular dela?


__Bem, a S/n e a melhor amiga dela estão em péssimas condições para dirigir, será que você poderia pegar essas duas? 



__Sabe que horas são? Por quê não bota elas em um uber?


__Elas estão muito bêbadas, quer mesmo que sejam estupradas? Ainda mais nessas condições?



__Ah, meu Deus, essa garota só trás problema.

__ Vou te mandar o endereço da casa, okay? 


__Ta bem.



Ele desligou. Logo recebi a mensagem do endereço. Me levantei da cama e fui até o banheiro, lavei meu rosto para espantar o sono e depois desci pra a sala e peguei a chave do carro. Coloquei um casaco e sai até a garagem. Estava muito frio, e eu ainda estava com sono.

Entrei no carro e dei partida, indo em direção aquela festinha. Não demorou muito para chegar. O som estava muito alto! Eu não sei como a polícia não parou isso aqui ainda.

Entrei dentro da casa e avistei a S/n, em cima de uma mesa, sem roupa nenhuma, apenas de lingerie. Ah, que incrível, meu dia não poderia ser pior.

- S/n desce daí. - Parei em sua frente

- Olha, meu cunhado veio me buscar. - Ela disse cambaleando em cima da mesa. Meu medo era dela cair dali e machucar a cabeça.

- Vamos pra casa. - Estendi minha mão para ela

- Não quero ir pra casa.

- Mas você disse que queria ir pra casa garota. - Um garoto disse, a voz dele era parecida com a do garoto do telefone. - Oi, eu sou o Taehyung, eu que te chamei aqui. - Suspirei. Puxei a S/n pelo braço, fazendo ela descer da mesa. Tirei meu casaco e cobri seu corpo.

- Vamos pra casa e para de graça.

- Não quero ir pra casa! - Gritou mas eu botei a mão na boca dela

- Não grita, vamos pra casa e ponto. Anda. - Envolvi seu braço em meu pescoço e a peguei no colo estilo noiva.

- Tem que esperar a Luana. - Ela fez bico.

- E onde está a Luana? - Perguntei.

- No banheiro. - Assim que ela disse, a garota saiu do banheiro. Provavelmente estava vomitando. 



Meu Deus, o que eu fiz para merecer isso?


- Oi Jungkook gostosão. - Ela agarrou meu braço.

- Consegue andar sem cair até o carro?

- Consigo, claro. - Sorriu.



Levei elas até o carro. Luana deitou no banco de trás e a S/n no banco da carona. 



- Luana, qual é o seu endereço? Vou te deixar em casa.

- Meu endereço? Sua cama!

- Não estou pra brincadeiras, agora, fala logo. - Ela resmungou um pouco mas logo me passou o local. Levei ela até a porta de sua casa e ainda conversei com a mãe dela, que por sinal, gostou bem de mim.

Voltei pro carro e a S/n ficou olhando pra mim com aquela carinha de quem queria alguma coisa, mas era tão fofa quando estava bêbada, as bochechas rosadinhas e os lábios também.

- O que foi? - Perguntei olhando pra ela mas prestando atenção na estrada.

- Não quero voltar pra casa, tá bom aqui. Só eu e você! - falou mais calma que o normal.

- Temos que voltar pra casa, ninguém sabe que eu saí, e ninguém sabe que você ainda está na rua a essa hora. E falando nisso, sua mãe não gostou de você ter saído hoje.

- Dane-se, não ligo. Ela não gosta de nada que faço mesmo.

- Toma essa água. - Dei um garrafinha de água que tinha dentro do carro para deixá-la mais sóbria.

- Toma - Me deu a garrafa

- Bebe mais um pouco.

- Jungkook eu... - A Interrompi

- Bebe mais um pouco! - Ela deu outro gole. - Bebe logo tudo. - Resmungou mais uma vez mas logo bebeu.

- Satisfeito?

- Se sente melhor? Menos... bêbada?

- Queria continuar bêbada. - Resmungou

- Por quê?

- Porquê assim eu teria uma desculpa para dar se eu tivesse te atacado dentro do carro. - Eu ri.

- Chegamos, vamos entrar. - Eu ia sair do carro mas ela segurou minha blusa. - O que foi? - abriu os braços, pedindo colo. Como se fosse uma criança de 3 anos. - Você tem pernas!

- Mas elas estão bambas. - Fez bico.

Af, droga! Fechei a porta do carro e fui pro outro lado, abri a porta e a peguei no colo depois fechei o mesmo com o pé. A porta de casa estava aberta então não foi difícil abrir. Fui em direção a Sala com a S/n no colo e vi a Hanna, andando de um lado para o outro, mas parou assim que nos viu.

- O que vocês dois estão fazendo juntos?


Notas Finais


Afsss, não gostei dessa fanfic :(

(Novo capítulo na próxima sexta😉)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...