História P.I.R.A.T.E.S - Capítulo 26


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ação, Ally Brooke, Aventura, Camila Cabello, Camren, Dinah Jane, Lauren Jauregui, Mistério, Normani Kordei, Outros, Personagens Originais, Piratas
Visualizações 95
Palavras 2.762
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), LGBT, Luta, Magia, Mistério, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 26 - A Festa


— Ah mamãe chega! Assim a Camila vai pensar besteira de mim! — Disse a princesa ficando vermelha.

— Mas filha não tem nada demais. É fofo, não é Camila? — Perguntou a senhora sorrindo.

— É sim! É fofíssimo

— Ah vocês me pagam! — Sorriu Lauren apertando a coxa de Camila por baixo da mesa.

— Ah vocês duas... — Suspirou Clara. — Bom o tempo voa quando está se divertindo, mas ainda é cedo. Essa hora eu estaria me levantando ainda. Esse seu hábito é bom Camila.

— É sim, dá pra aproveitar mais o dia. — Sorriu Camila.

— Bom se vocês me dão licença, eu vou ver como andam os preparativos para a festa. — Falou Clara se levantando da mesa. — Vocês, por favor, aproveitem o dia, Lauren você pode mostrar a Camila um pouco dos arredores. Eu posso chamar alguns criados para...

— Tudo bem mãe, eu me viro com a Camila. — Falou Lauren.

— Hum... Se você tem certeza... Bom eu vou começar as preparações. Até mais tarde meninas, se comportem!

— Vamos nos comportar. — Responderam Lauren e Camila ao mesmo tempo antes de caírem na gargalhada.

— Ela é sempre assim? Meio...

— Inocente?

— Eu ia dizer "bobinha", mas inocente também serve. — Sorriu Camila.

— Deus a abençoe, às vezes eu tenho pena.

— Já seu pai é mais...

— Podemos falar sobre outra coisa? O dia ta lindo, a gente podia dar uma volta.

— Ou a gente podia ficar aqui mesmo. — Sugeriu Camila abraçando Lauren pela cintura.

—bAmor você sabe que eu estou com tanta vontade quanto você, tudo que eu quero é fazer amor em cima da mesa do café e servir de prato pra você comer moranguinhos. — Disse rindo. — Mas estamos na casa do meu pai, e já está na hora do resto da casa acordar, e eu não acho que a idéia de eu me servir de prato seja assim tão atraente pra eles. — Galou se levantando da mesa.

— Snif... Eu acho.

— Eu sei amor, mas é a casa dos meus pais. Você tem que ser uma pirata comportada.

— Piratas comportadas não existem! — Resmungou Camila se levantando. — Eu não virei Rainha dos Piratas sendo comportada. Mas sim sendo audaciosa, cruel, roubando, pirateando, saqueando, deflorando mocinhas virgens! — Camila falou fazendo cócegas na mais nova.

— Oh que pirata terrível você é! — Riu Lauren tentando se livrar das cócegas.

— "você" nada! É Rainha dos Piratas pra você! HAHAHA! — Riu Camila correndo atrás de Lauren ao redor da mesa.

— Piedade Rainha dos Piratas! — Riu a mais nova abrindo a janela e pulando pra fora.

— Volte aqui mocinha!

As duas correram para fora da casa na direção dos jardins entre gargalhadas e brincadeiras bobas.

— Peguei! — Exclamou Camila derrubando Lauren na grama.

As duas caíram rindo.

— Bobinha. — Riu Lauren salpicando um beijo na bochecha de Camila.

— Olha quem fala! — Disse apertando a cintura da princesa.

— Ah eu me lembro daquela árvore! — Falou Lauren se levantando num pulo e correndo em direção à árvore.

Camila observou cada movimento da mais nova antes de se levantar e segui-la lentamente até tal árvore. Ainda admirando cada movimento que sua namorada fazia ela sentou-se recostada no tronco.

— Eu costumava me esconder aqui nessa árvore, principalmente quando queriam me obrigar a ter aquelas aulas insuportáveis de etiqueta. — Falou alisando o tronco da árvore. — Eu sentava aí onde você está e sonhava com um capitão valente que viria me buscar e me levar pra longe em seu navio. Acho que sonhei certo, só errei no capitão.

— Que interessante. — Sorriu Camila puxando a princesa para sentar em seu colo.

— Aí eu sentava e imaginava que o tronco era ele sabe? Me protegendo.

Camila a envolveu em seus braços e lhe beijou o pescoço.

— Espero que uma capitã de um navio pirata satisfaça seus sonhos. — Sorriu Camila dando uma mordida no pescoço de Lauren.

— Hum... Dá pro gasto..

— Dá pro gasto né? — Perguntou Camila a cutucando.

— Ah amor, você sabe que eu nunca fui tão feliz como sou agora ao seu lado. — Respondeu se virando para olhar nos olhos da pirata.

— Eu também nunca fui tão feliz meu amor. — Falou beijando os lábios da mais nova.

Lauren suspirou e se recostou em Camila.

— Amor ta sendo um saco pra você ficar aqui na casa dos meus pais né?

— Você sabe que eu vim mais pra te acompanhar do que por vontade de ver sua família. Mas se está sendo bom pra você amor, eu sinceramente não me importo em ficar, mesmo porque sua mãe tem sido bem legal comigo. E você ta gostando?

— Ah amor, eu fiquei feliz de ver todo mundo. Só queria que eles te tratassem melhor, principalmente meu pai. Fico triste com isso sabe?

— Eu nem ligo, deixa eles pra lá. No fundo eles só querem teu bem. — Falou incrementando a massagem com beijos na nuca.

— Hum... Eu sei, mas seria tão bom se eles gostassem de você.

— É amor. Como também seria legal se o governo entendesse que se as leis marítimas fossem mais justas talvez nem houvesse piratas. Mas talvez com o tempo, sei lá... — Suspirou dando uma mordida na nuca da namorada e descendo suas mãos para o colo dela.

— É... Talvez com o tempo... Hum... Que massagem é essa amor? — Perguntou Lauren ao Camila desabotoar os botões da sua camisa e fazer carinho em seus seios.

— É uma massagem relaxante amor. — Respondeu envolvendo os seios da pirata mais jovem na palma da mão e massageando os biquinhos entre os dedos.

Ela apenas gemeu se entregando as carícias.

— Ta relaxando? — Perguntou Camila em seu ouvido.

— Muito...

— Que bom. — Disse dando leves apertões nos biquinhos dos seios dela.

— Mas aprendi a lição já... — Falou Lauren segurando uma mão da pirata e descendo para o meio das suas pernas.

— Gostosa... — A pirata falou sentindo o quanto a boceta da mais nova estava molhado. Fácil de deslizar os dedos..

— Sou mesmo. Sua. — Gemeu alisando o braço de Camila.

— Isso tudo é pra mim minha? Ta molhada assim pra mim? — Perguntou enquanto massageava o ponto sensível da namorada.

— Tudo pra você amor, tudo, tudinho. — Gemeu Lauren enquanto abria sua calça.

— Delícia. — Suspirou sentindo o quanto seus dedos estavam molhados.

— Lauren? — Chamou uma voz familiar vindo um pouco de longe.

— Ally... — Resmungou Laurenentre os dentes.

— Ah não! Se a gente fizer sem gemer talvez ela nem escute... — Falou Camila sem parar de massagear o sexo da mais usando a ponta dos dedos.

E então escorregou os dedos a penetrando.

— Hmmm.. — Gemeu manhosa. — Você ta brincando né?

— Lauren você ta aí? — Perguntou Ally.

Sua voz ainda estava longe.

A respiração de Lauren ficou pesada, e a cada estocada em sua boceta ela soltava um gemido baixinho, que Camila fez questão de abafar com beijos.

— Camila..

Ally já se aproximava da tão árvore, quando chamou uma última vez.

— Oooi! — Sorriu Camila saindo de trás da árvore com um sorriso serelepe.

— Ah! Oi senhora pirata. — Exclamou Ally levando a mão ao peito com o susto.

— Olá, "Ally" não é? — Perguntou Camila achando graça.

— É sim. Você viu Lauren por aí?

— Oi Ally! — Sorriu Lauren saindo de trás da árvore.

— Ah! — Exclamou Ally novamente levando a mão ao peito. — Por favor não façam disso uma moda!

— Não é nossa culpa se você é uma medrosa. — Sorriu Lauren marota.

— Não sou medrosa! — Respondeu Ally correndo atrás de Lauren que corria para longe dela rindo.

As duas correram em volta da árvore até se cansarem e correrem ao redor de Camila no sentido horário e depois anti-horário deixando a pirata tonta. Lauren pulou se agarrando num galho da árvore fora do alcance de Ally.

— Ei! Isso não vale! — Reclamou Ally observando-a se pendurar pelas pernas no galho.

— Ah vale sim! — Sorriu Lauren de cabeça pra baixo acima das cabeças de Camila e Ally.

Camila sorriu observando sua namorada de cabeça para baixo, os cabelos e trancinhas soltas e um sorriso maroto na face.

— Como você fez isso? — Perguntou Ally olhando abobada para a amiga.

— Ah é mais fácil sem toda essa roupa. — Explicou Lauren balançando-se no galho. —E também sem o espartilho, porque você respira melhor.

— Aaah... — Falou Ally observando a amiga pendular.

— Não que ela tenha aprendido isso rapidinho sabe? Precisava vê-la tentar fazer tudo com esses vestidos frufrus que vocês usam. — Riu Camila olhando para Ally e puxando Lauren pelos braços que girou no ar e caiu em pé no chão.

— Muito bem. — Sorriu Camila olhando nos olhos verdes.

— Ah eu estive treinando. — Lauren sorriu sentindo as mãos de Camila nas suas, seus dedos entrelaçados, seus olhos no castanho daqueles olhos. Seus lábios se tocaram gentilmente enquanto seus narizes se roçaram num carinho gostoso.

— Ahn... — Tossiu Ally confusa.

— Leigh! Bom... — Começou Ally que havia se esquecido da presença da amiga no momento em que seus olhos encontraram o castanho dos olhos de Camila.

— Bom, eu acho que tem uma... Coisa que você precisa saber.

___________

Por mais que Camila insistisse que elas deveriam fazer aquilo juntas, Lauren achou que devia contar só à amiga, sentia que devia aquilo a ela. Camila observava afastada enquanto Lauren e Ally conversavam na sombra da árvore. A expressão facial de Ally mudava do riso a surpresa entre outras expressões que Camila não conseguia ler. Após uma longa conversa as duas finalmente caminharam na direção de Camila de braços dados.

— Bom, a Laur me explicou sobre vocês. — Falou Ally sorrindo para Camila. — Eu... Eu quero que você saiba que pra mim você é outra irmã que ganhei. Seja bem vinda à família.

As três sorriram enquanto Ally segurava a mão das duas juntas.

— Obrigada Ally. — Sorriu Camila.

— De nada Mila. — Sorriu a baixinha abraçando Camila carinhosamente deixando a pirata um pouco sem graça antes de retribuir o abraço.

— Gente eu não vou mentir, eu acho isso tudo meio estranho, sinceramente não entendo bem, mas... Eu nunca vi a Laur tão feliz nem a rainha dos piratas tão calminha e isso não pode ser ruim. Pra ter esse efeito só pode ser uma coisa boa, um amor do bem. E como amiga e irmã de coração eu abençôo esse amor.

Camila sorriu para Ally e depois para Lauren que estava com lágrimas nos olhos.

— Ah Ally... — Sorriu Lauren abraçando a amiga enquanto lágrimas caiam de seus olhos verdes.

Ally abraçou Lauren com um braço e com o outro puxou Camila para um abraço em grupo. Quando se afastaram, tanto Lauren quanto Ally ainda tinham resto de lágrimas nos olhos.

— Vocês são dois bebês chorões.

— Olha quem fala! — Falaram Ally e Lauren cutucando a pirata que limpou o canto dos olhos.

Logo estavam as 3 se cutucando e brincando nos jardins como melhores amigas.

_________

— Eu não vou. — Afirmou Camila com veemência.

— Por que não? — Perguntou Lauren.

— Porque não faz o menor sentido eu ir neste jantar. É para a "família e amigos íntimos". — Explicou fazendo aspas no ar.

— Besteira, metade da elite da cidade foi convidada e eu não conheço metade dos nomes deles, nem muito menos a própria Tay conhece.

— Lauren, não vejo pra que eu ir. Sua irmã nem mesmo faria questão da minha presença, pelo contrário. Ela parece que tem um chilique toda vez que eu me aproximo. O combinado era eu vir só pra acompanhar, nada d'eu ir pra jantar ou casamento. Não mesmo.

— Camila...

— Amor... Desculpa, mas dessa eu passo. Vim aqui só te acompanhar, nem roupa eu tenho pra essas coisas.

— Você podia usar uns dos vestidos da...

— Oi? Camila, pirata, vestido, queimar, onde?

Lauren deu um longo suspiro, se abanando com o leque que segurava.

— Nem adianta dar esses suspiros que... — Começou Camila.

— Não era pra ser longo assim, é que esse espartilho está me matando. — Explicou fazendo uma careta.

— Quer que eu folgue um pouco? — Perguntou compadecida do sofrimento da namorada.

— Por favor, amor. — Pediu ficando de costas para a pirata.

— Tenho que admitir... — Falou folgando o espartilho de Lauren, a boca perto da nuca, que estava exposta pelo coque em que seus cabelos loiros estavam presos. — Que você fica linda dentro desses vestidos.

— Ah é? — Perguntou sentindo os lábios da pirata tocarem seu pescoço.

— Aham. — Confirmou Camila, que já havia folgado o espartilho e agora acariciava os seios dela por cima do vestido. — Me dá uma vontade louca de arrancar essa roupa e te deixar completamente nua. Por que isso, hein?

— Horas, você não sabia que "esconder" é o novo "mostrar"?

— Ah é mesmo?

— É sim. Deixa as pessoas loucas, querendo saber o que tem por baixo de tanto pano, tanto babado...

— Sério?

— Sério. Olha só. — Falou Lauren se virando para a pirata. — Você não pode ver quase nada além do meu pescoço e parte do colo, né?

— É.

— Você mal pode ver meu colo, mas se, por um descuido, eu abaixar um pouco a parte da frente do vestido... — Falou Lauren puxando para baixo a parte da frente do seu vestido enquanto se abanava com o leque. — Afinal está calor, não é?

Camila paralisou seu olhar nos poucos centímetros de pele que apareciam, hipnotizada com o bronze, a textura, lembrando-se da cor rosada dos mamilos cobertos.

— E digamos que está mais calor e eu realmente esteja até querendo mostrar a alguém alguma pinta que possa ter em algum dos seios. — Falou baixando ainda mais a parte da frente do vestido e se abanando cada vez mais rápido com seu leque branco. — Você não sente uma enorme vontade de passar a ponta do dedo no contorno do tecido?

Camila esticou o braço, dedo indicador pronto para tocar a pele exposta, roçando na barra do tecido quando Lauren fechou o leque de supetão e a golpeou no dedo.

— Não pode, eu sou moça de família.

Camila a empurrou contra a parede, comprimindo seus lábios, invadindo a boca de Lauren com a sua língua, beijos por todo pescoço da mais nova, língua enfiada entre seus seios, por baixo do tecido, as mãos ávidas se enfiando frenéticas por baixo do vestido.

— Lauren — Chamou Clara batendo na porta. — Você está ai?

— Por favor... Eu preciso... — Gemeu Camila no ouvido de Lauren.

— Não posso. Também quero, mas não posso. — Suspirou Lauren empurrando a pirata suavemente. — Estou aqui mamãe, pode entrar.

— Ah, aí está você querida. Já está na hora de descer. — Sorriu Clara. — Você não vai, Camila?

— Não senhora eu...

— Podíamos dar um jeito em uma roupa. Tenho uma amiga que é mais ou menos do seu tamanho. — Falou medindo a pirata com os olhos. — Eu creio que poderia arranjar alguma coisa.

— Camila de vestido. — Sorriu Lauren conseguindo conter sua crise de riso histérico em uma crise de riso muda, atrás do leque.

— É gentil de sua parte, Clara.. Mas não estou me sentindo bem.

— Ah... Sendo assim, é melhor que descanse para que esteja bem para o casamento. — sorriu segurando as mãos de Camila. — Vamos Laur? Deixe-a descansar.

— Claro, mamãe, claro. — Concordou se virando.

— Ora, seu espartilho está folgado. — Constatou a senhora puxando as duas pontas da corda do espartilho.

— Uf! — Exclamou Lauren parando de andar, sem ar.

— Agora sim. — Sorriu Clara já saindo do quarto.

Lauren tentou se recompor, abanou-se diversas vezes antes de sair do quarto e mostrar a língua para Camila, que imitava alguém sendo esganado e morrendo dramaticamente sufocado.

_________

— Não estou gostando nada disso. — Resmungou Tay ao lado de Lauren.

— Hm? — Perguntou Lauren distraída. Do momento em que descera as escadas e notou que seria a fofoca da noite, resolveu abstrair. Ignorar os olhares, os sussurros e até os dedos sendo apontados, preferindo deixar seus pensamentos voarem até Camila.

— Olhe que desastre. Olhe! — Exclamou Tay inquieta.

— O quê?

— Não tem garçons o suficiente. Está demorando para servir os comes e bebes. Oh, Deus e é apenas o jantar, imagine no dia do casamento. Não sei o que farei se não houver criados o suficiente para servir os convidados.

— Não se preocupe, tenho certeza de que papai dará um jeito, afinal ele é o rei. — Falou a irmã.

___________

Broc observava as luzes acesas da casa e suspirava. Imaginava que bela festa não estaria acontecendo naquele momento, com belas pessoas, em belas roupas, belas músicas... Ele deu mais corda na caixa de música e cantarolou a melodia pela enésima vez.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...