História Pitangueiras - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Turma da Mônica, Turma da Mônica Jovem
Personagens Cascão, Cebola, Denise, Do Contra, Magali, Mônica, Penha, Xaveco
Visualizações 21
Palavras 2.545
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Saga, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


(Ola! Hj qro deixar um agradecimento especial a Ingrid_Silvs que muito fofa veio me falar sobre sua opinião e temores com relação a Monica e como esta o rumo das coisas. E levando os pedidos dela em conta vou por mais detalhes do que ouve com a Penha nos próximos capítulo entre outras coisas que vou arrumar no anterior. Mais uma vez obrigada por todo o carinho. ^-^”)

Capítulo 31 - Inimiga? Não!


Fanfic / Fanfiction Pitangueiras - Capítulo 31 - Inimiga? Não!

Eu estava deixando vários recados para a pessoa que iria trocar comigo todos os domingos.

Já iria chegar o terceiro e ate agora eu não tinha trocado.

Bem talvez fosse uma pegadinha e ninguém estivesse trocando mesmo. Fosse uma loucura da nossa cabeça e não tinha um desafio da morte coisa alguma, mas eu não tinha como saber.
E o pior de tudo...!

...não conseguia imaginar quem seria minha maior inimiga.

 

                                                                                                                     E se fosse um garoto?

                                  Meu deus trocar de corpo com um cara!

                                                                     Nãaaaaooooo!

E o pior e que nem podia desabafar muito com minha melhor amiga se não ela iria perceber a ordem e ate descobrir tudo perdendo a aposta com a “Dona Morte”!.

De todo jeito eu não consegui dormir. Os últimos domingos foram assim eu morri do coração desesperada ate apagar em algum canto e passar a segunda feira exausta.

E rezava para que este domingo e o próximo fossem iguais e eu só tivesse bancado a trouxa por estar tão nervosa.


 

                     Mas acordei em outro lugar que não pude reconhecer de imediato.

---- Ai meu deuzu! ---- levantei correndo querendo olhar no espelho, mas acabei me enrolado na cama e cai de cara no chão. ---- Ain... Por queee?

Me levantei ainda zonza e olhei o quarto.

Estava arrumado e zoneado ao mesmo tempo.         Meu deus eu sou um garoto?

Não reconheci o quarto pelo nervoso, mas sabia que já tinha o visto antes.
Cebolinha? Ele me odiava por ficar do lado do Do Contra?

                                                                               Estava tendo um treco ali caída no meio do chão.
 

Me levantei respirando fundo um mantra que sempre usava para me acalmar. Mas logo uma musica muito familiar toca e reconheço ser o celular. Atendo correndo sem saber o que esperar nem sequer vi o nome da tela. [---- Chego ai em um minuto amor. Tive de passar na casa do Careca. Ele não anda nada bem mesmo. ---- ] ouço a voz e a reconheço mas não consigo dizer nada. Travei ali [---- Amor? ok já to chegando beijos.]

Olho em volta novamente e me encontro um quarto demasiadamente organizado; com vários livros e anotações dobre uma escrivaninha. Estava com um comportado pijama e me atrevo a checar as varias fotos de um casal muito conhecido que estava a emoldurar o espelho.
 Vários momentos da vida desde crianças ate os dias atuais de Cascuda e Cascão juntos.

---- Ai... ---- murmuro baixinho perdendo minha respiração em um surto de pânico. ---- Mas eu não odeio ela... Odeio?

Afim de espantar os pensamentos ruins de minha mente eu corro para me trocar já que o Cascão estava vindo; assim que termino avisto um caderninho que lembrava ver sempre nas mãos dela, o abrindo e percebo ser uma agenda recheada de tarefas e deveres, coisa que me alegra muito mesmo. E assim me levantando e se pondo a ir fazer todos eles.

{---- Que bom que ela é tão organizada! Assim vai ser fácil!} ---- penso animada ao sair do quarto e ir ate a cozinha preparando o café da manha. ---- Vamos ver...Qual a primeira tarefa? ---- murmuro ao passar o dedo sobre as paginas. Faria de tudo para deixar de pensar que ela seria minha inimiga. ---- Comprar as coisas da casa na lojinha do seu Juca/ Devolver os livros na biblioteca/ Encontro com o Cascão/ fazer o trabalho do cursinhos e... Encontro com o Cascão?

Meu coração gela com as palavras tão simples escritas de modo corriqueiro.

                                             Cogitei mil idéias.

Fingir estar doente era uma delas. Mas ela era a namorada dele e uma hora iriam se ver. Teria de ser a Cascuda por uma semana inteira...


 

Sim eu estava surtando muito.

                                    Enrolava ate meus pensamentos e assim.......
 

---- E ai amor! ---- eu quase morro por que um infarto eu tive.

O cara me surge do nada e já da “aquele agarrão” todo por trás me erguendo e sacando aquele beijão no pescoço de arrepiar ate o dedão do pé.

Ai não dá.

Não faz isso não cara!
 

---- N-não faz isso Cascão. ---- tentei falar firme, mas minha voz saiu toda tremula. Nunca que o Quinzinho faria uma coisa destas comigo.

Ele era tímido e todo retraído, mal me beijava se tivesse alguém perto ou o risco de sermos vistos; e eu estava muito bem acostumada com isso.

---- O que ouve? ---- ele questiona visivelmente confuso e eu dou lógica. Afinal se eles estavam acostumados a serem “assim”... ---- Fiz algo errado?

---- Não eu só... Estava distraída. ---- digo ao pegar as coisas e por na mochila. ---- Vamos? ---- comento e ele me segue me olhando curioso e eu temo por ele adivinhar algo.

Eu podia fazer qualquer coisa.

Para mim ser e fingir ser ela seria fácil se não fosse por ele.
Só de imaginar que teria de... Ser a namorada dele por uma semana me deixava aflita! Teria que o beijar? Ai meu deus! Eu ia saber como... E se eles... Ai! Não meu deus!
 

---- Você esta bem? Daqui a pouco vai arrancar os cabelos. ---- ele comenta ao pegar a mochila de mim e caminhar ao meu lado. ---- O que esta te preocupando tanto?

Era lógico ele ficar preocupado, afinal... Mas eu não podia contar e não tinha uma desculpa pronta.

---- Gabriela? ---- ele entona a voz e eu me assusto. ---- Você não acha que ta...

Mas antes que ele pudesse terminar a frase vejo “eu mesma” parada longe (do outro lado da rua para ser mais exata) a nos olhar de um jeito assustador e travo. Era ela... E ela já me odiava o suficiente, sem eu ter feito nada. Imagina fazendo o que eu teria de fazer?

---- Me da um segundo? ---- me esquivei dele e sai em direção dela respirando fundo e com as pernas tremendo.

---- Uma semana. ---- ela afirma antes mesmo de eu chegar. ---- Vai poder aproveitar não é?

---- Não é isso. Não é nada disso! Eu não... Eu nunca.

---- Nem vem com esta Magali. Agora mais do que nunca eu sei bem que tipo de pessoa você é! ---- e dizendo isso ela sai andando me dando o maior gelo de todos os tempos.
Mas se não desse.                           O que eu ia dizer?
 

Entrei na sala de aula ainda atordoada.

                                               Ela não era minha inimiga!

Não mesmo!

E por que seria?

Por namorar o Cascão?

Mas eu não gosto dele!

                                                                                   Será que ela me odiava tanto a este ponto?

Olhei para ela sentada junto da Monica a conversar e fiquei pensando o que podia ter feito para que ela me odiasse tanto assim. Eu nunca fiz nada com ela ou com ele.

---- Para de encarar a Magali. ---- a voz dele soa do meu lado com tom de bronca, já deixando a mochila ali e indo para junto dos seus amigos.

Não consegui evitar notar como o tom dele mudou comigo por causa de eu estar olhando meu corpo ali e pensando no caso, de quando estávamos sozinhos.

Mas logo tirei isso da cabeça por que queria aproveitar este tempo para provar a ela que não tínhamos nada. E seria fácil! Era só ela continuar ali uma semana e pronto! Tudo se resolveria por que eu e ele não temos nada a esconder e ela iria ver isso!
 

E assim a aula continuou normalmente, conversei sobre os trabalhos e era incrível como todas do grupo me ouviam quando eu falava sobre o que era melhor como se eu fosse a Monica. Ela era muito respeitada quando o assunto era notas, e isso era ótimo.

Chequei de novo a agenda e fui logo fazer tudo o que estava ali anotado. Devolvi os livros e adiantei o trabalho do cursinho com o que vi na internet mesmo, só comprar coisas na loja que não deu por que passei muito tempo tendo um surto quando descobri com quem tinha trocado.

Eu realmente nem vi quando a aula acabou e sai andando como um zumbi de tão introspectiva que eu estava. Não entendia por que fui trocar logo com ela. Será que eu realmente não tinha ninguém que me odiasse mais? Mas eu não tinha de odiar ela de volta?

---- Gabriela? ---- a voz dele veio atrás de mim. ---- O que você tem hoje? Ta tão aérea que ta parecendo eu.

---- Desculpa. Eu... eu realmente não estou muito bem. Vou direto pra casa tudo bem.

---- T-tudo. ---- diz todo confuso ao pegar minha mochila novamente. ---- O que esta sentindo? Esta se sentindo mal? Zonza? Anciã ou dor de cabeça?

---- Eu só vou pra casa. Relaxa eu não vou explodir. ---- me irritou e ao mesmo tempo achei fofo ele insistir em vir comigo e ficar perguntando se eu estava bem ou o que estava sentindo.

---- Ta bom... ---- diz se silenciando. Mas continua a andar do meu lado calado.

Eu nunca me perguntei como era a relação deles.

Era estranho pois sempre namoraram assim como eu e o Quinzinho, devíamos ter tanto assunto em comum... Mas não. Éramos muito diferentes como casais.

Mesmo assim não conseguia imaginar. Era algo que não me chamava atenção e agora não saia da minha cabeça por motivos óbvios.

---- Qualquer coisa me liga. Tudo bem? ---- ele diz ao parar na porta e me devolver a mochila. Parecia suspeitar de algo mas não dizer.               E eu quase perguntei.                             Juro.
Mas eu queria muito me livrar dele, e fazer isso era exatamente o oposto.

Apenas me despedi com um aceno de cabeça, mas ele se aproximou e me roubou um selinho.

Pra ele foi algo natural, já pra mim né... Mas pra mim não. Meu coração ate falhou uma batida quando senti seus lábios contra os meus, era uma sensação que eu não iria esquecer tão fácil.

---- Esta tudo bem? ---- questiona depositando outro beijo na minha testa.

Respondi que sim e fechei aporta antes que ganhasse outro beijo.

Meu coração estava na garganta e ate me faltava ar.
 

Corri e fui tomar um banho para ver se relaxava e conseguia por a cabeça em ordem.
                                        Eu estava certa.

Era só ficar na minha e deixar a semana passar que tudo se resolveria.

Sai do banho descobrindo que cuidar de cabelos cacheados era muito mais difícil que o meu lizinho. Tive ate que procurar na internet como passar o creme livin!

Quando consegui terminar de me arrumar sai e fui no mercado e já fiz as compras, depois fui ver as tais roupas de banho da lista e parecia que ela também queria compra roupas de baixo. E assim que chego em casa meu telefone toca.

[---- Oi gata to chegando ai. Borá? ---- era a voz de Denise e só respondi que sim.]

Corri para o quarto dela e passei aquela mayke básica e pus uns brincos lindos que ela tinha.

Serio o cabelo curtinho dela com os brincões e os colares arrasavam de mais. Fiquei ate me olhando no espelho um pouco e pensando se eu cortaria o meu também ou não.

---- Se namorando gata? Ta linda. Borá. ---- ela chega já abrindo a porta e vejo que esta acompanhada de Carmem.

Sorrio pegando uma bolsa a tira colo, muito linda por sinal, marrom e com pouco adornos para se combinar com qualquer roupa, hiper pratica com várias divisórias. Tinha que perguntar onde ela comprou aquilo quando fizéssemos as pazes.

---- Trouxe sua listinha? ---- a loura comenta meio no deboche, mas esperando que tivesse mesmo trazido. E logo olho na bolsa a achando. ---- Vamos passar um fim de semana todo na praia é isso? Será que a Monica vai ir desta vez de novo? Na ultima aquela piriguete estragou tudo. E o esquizistranho do Dc não é chegado em sol, praia ou qualquer coisa normal.

---- Eu não sei. Ela ainda não respondeu. Acho que eles iam viajar juntos para outro lugar. Não sei. ---- respondi por intuito mesmo sem saber se a Cascuda tinha esta informação e engoli seco.

---- Aff. Prefiro que ela não va! ---- Denise se pronuncia vociferando forte. ---- Depois do que ela aprontou não quero ver ela nunca mais!

---- Verdade. Foi tenso. O que será que deu nela?

---- E eu sei lá! Ficou doida. Pegou a doença do namorado.

Eu queria mesmo defender a minha amiga. Mas não tinha como... Por um lado o que ela fez foi sim do nada e sem a menor explicação e por outro não imagino que a Cascuda a defenderia como eu faria.
Então me calei.

Logo senti um vibrar e vi que era o celular.

*Onk* --- Esta melhor?

Dei risada do apelidinho no celular dela,e achei mega fofo da parte dele. Que namorado mais lindinho! Como ela podia reclamar tanto dele? Tudo bem que ele era descabeçado e perdia a hora das coisas mas... ate que compensava.
Ninguém é perfeito né?

---- More. Da atenção aqui. ---- nada discreta Denise tira o celular da minha mão e põe na minha bolsa novamente antes que eu pudesse o responder; ficou no escrevendo... ---- Vamos pegar umas coisas para deixar o boy morrendo do coração. Anda!

Ela brinca ao me empurrar para dentro da loja e me apontar uma peça mais sexy que a outra. Oi? Pra que tudo isso minha gente!

Acho que foi o dia mais constrangedor da minha vida.

---- Ai! O que deu em você hoje? ---- a loira comenta depois de perder a paciência com a minha timidez. ---- Nem parece você mesma. Que bicho te possuiu?

Travei com isso, mas tinha de responder. ---- Só não estou me sentindo muito bem hoje. Nada de mais. Mas acho que vou ficar com este aqui.

---- Esse de vovó? Serio nem parece você. Ta parecendo ate a Magali. ---- a outra ri da minha cara. ---- Este conjuntinho de frutinhas é muito a cara dela. Suuuuper a cara dela eu diria. Coisa fofa de criancinhas e a cara das duas e deve ser o fetiche do Dc também. Mas sejamos honestas né. Que te deu hoje?

Eu só conseguia pensar:                Que tipo de lingerie ela comprava?

---- Aff amiga. Pega logo estas que olhamos da ultima vez e você ficou morrendo do coração. ---- a loura põe umas peças na minha mão que eu sou incapaz de narrar imagina usar. ---- E eu vou pegar estas aqui. E você Denise?

---- Vou com estas. ---- confirma alegre e eu morro de vergonha só de olhar o que cada uma tinha escolhido. ---- Não me leve a mal. Mas você ta me olhando igual a Magali. Credo! Para com isso. Me sinto uma depravada tarada. Não tem nada de mais gostar de usar algo bonito por baixo e se sentir sexy! Credo para já! Por isso que não venho comprar com elas duas. Não imita!

---- Desculpa. ---- abaixei o rosto e virei a cara. Não imaginava que as incomodava tanto. Mas... eram tão...! Ai deus! ---- Eu não to legal. Vou pra casa depois daqui tudo bem.

---- Claro amore. ---- ela comenta ao me acompanhar ao caixa e a loura vem junto. ---- Tu não ta grávida né?


 

Oi?

 

Ass: Magali Fernandes de Lima Moraesღ(≧▽≦ ღ)

 


Notas Finais


(já tava na cara ne? Ava kkkk tava tudo indicando. Kkkk mas ela não ta não é só o chilike e o povo ta assustado. Ah Ingrid_Silvs sua linda. No próximo cap ponho tudo q te prometi e já vou ver o cap anterior hj mesmo. Só já quis postar este pq tava atrasado e n tinha onde por nada ok N esqueci minha promessa ^_^ )


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...