História Piu! O Jimin quer pintinho. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Park Jimin (Jimin)
Tags Fluffy, Jikook, Kookmin
Visualizações 142
Palavras 1.922
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Uma one meio comédia e curta para vocês, espero que gostem.

Capítulo 1 - Piu! Jimin sem pintinho


Fanfic / Fanfiction Piu! O Jimin quer pintinho. - Capítulo 1 - Piu! Jimin sem pintinho

Se você por um acaso tem um esposo grávido ou esposa até, te desejo sorte, porque pra mim me desejaram azar.

Casei com um peste fofo, amoroso e não vou mentir não, gostosão. Uma relação maravilhosa, sem querer me gabar. Só que ai aconteceu, tipo, só aconteceu:

Um intruso brotou no meu homem e pior, fui eu quem o coloquei ali. É, isso ai mesmo. Meu amorzinho tá grávido e o baixinho é inusitado. Assim, os desejos são peculiares, seu emocional é como uma bomba relógio e ai, ele me vem com a idéia.

Quase amanhecendo, Park Jimin, está me balançando na cama para que eu acorde logo. Cristo, eu mereço!

ー Jin-ah! Acorde se não te jogo pela janela, embuste! ー abri os olhos quase instantaneamente e vago até aquela criaturinha de cabelos pro ar, com os bracinhos cruzados e um bico nos lábios.

ー Amor? Desejo de novo? ー ele emburrou mais a cara e eu entendi que sim. ー Quer que eu traga pão banhado de mel, novamente? ー ele balançou a cabeça.

ー Não! Não quero comer.. ー arregalei os olhos.

ー Não? Certeza? ー ele assentiu irritado.

ー Tô com desejo de outra coisa. ー aumentou o bico e ai eu ri sacana.

Ri sacana porque essa outra coisa ai eu tô gostando, até levar uma cotovelada no peito.

ー Caralho! ー xinguei sem ar e ele bateu no meu ombro.

ー Presta atenção, Jin! ー me sentei na cama recuperado e olhei para aquele projeto de pessoa marrenta.

ー O que você quer, amor? ー perguntei mansinho.

ー Um pintinho! ー engasguei.

ー Ué, mas pensei.. ー levei um chute.

ー Um pintinho! Amarelo! Não um pintão. ー carai, precisei morder a língua pra não rir. Juro, meu ego foi lá encima.

ー Hmmm, você gosta do pintão?

ー Se aquieta! Eu quero o pintinho!

ー Não tá feliz com o meu? ー ele revirou os olhos.

ー Jin! Eu tô querendo do filhote de galinha! Entendeu, besta lerda? ー franzi o cenho.

ー Como vou conseguir um filhote de galinha agora?

ー Te vira! ー virou o rosto. Te vira é a caceta, não moro em fazenda.

ー Amor, amanhã a gente vê isso... ー seu olhar veio para mim de novo e ai eu soube que tava ferrado.

Preciso do pinto! Cade o pinto?

ー Quer dormir do outro lado da porta, Jin? ー iria até abrir a boca para rebater, mas os olhinhos se enchendo d'água me fizeram voltar a trás.

ー Eu é que não vou limpar o cocô. ー vi o biquinho se tranformar em um sorriso ladino discreto. Me levantei procurando umas roupas e quando eu tava pronto, olhei pro meu baixinho que se arrastou na cama até mim.

ー Brigado' Jin-ah... ー me abraçou fungando no meu pescoço. Carai, até eu agora quero esse pintinho. Apertei meu pequenininho e o beijei na testa.

ー Cuida do nosso baby. ー beijei sua boca gordinha e sai o vendo assentir.

[ . . . ]

Seria mil vezes mais fácil se fosse algo de comer que ai eu podia ir naquelas lojas 24 horas, mas gente, aonde que eu vou arrumar um pinto? Ele não quer o meu e eu não sou uma galinha! Tô fodido.

Parei o carro no acostamento e decidi aguardar um pouco para pensar, peguei meu celular e vi que já fez meia hora que tô nessa, duvido que aquele zé estaria acordado quando eu voltar, mas não posso desistir, pois eu sei que sofro quando acordo, porque o desejo não passa não, enquanto não tem o que quer, o bagulho é doido.

O jeito é ligar pro Namjoon, mas ligar pro meu amigo desastrado adiantaria? Sei lá, mas tô ligando. O Kim destruidor atendeu depois de alguns minutos.

Alô? ー falou com a voz claramente de quem acabou de acordar agora.

ー Namjoon, preciso de um pinto!

Pinto? Cade o Jimin?

ー Pinto! Quero dizer o filhote de galinha, animal!

Filhote de galinha? Então, um pintinho?

ー Namjoon, me ajuda, caralho.

Carai, aonde que eu vou arrumar um pinto, filho de cruz credo. Tu me acordou pra isso?

ー Namjoon.

Tá, vem aqui em casa.. ー e eu dirigi até lá.

Dei dois toques e fui correspondido, ali brotou um demônio que me tirou o ar de tanto susto.

ー Cê tava dormindo ou tava lutando com o diabo? ー falei assutado, ele sonolento, bocejou, dando de ombros. Entrei na casa e vi um Hoseok jogado no sofá.

ー Fala ae. ー o loiro acenou.

ー Mano, que pinto é esse ai? ー Namjoon se jogou perto do Jung e eu aproveitei para fazer o mesmo.

ー Cara, coisa de grávido, sei lá. Sabe como é, né? O bagulho é doido quando não dou o que ele quer.

ー Ele quer comer um pinto? ー Hoseok perguntou confuso.

ー Ele quer criar um, quero ver quando o bixo crescer e virar uma galinha cagadora.

ー Ou um galo. ー o Kim respondeu.

ー Tanto faz, preciso de ajuda. Aonde vou achar um pintinho?

ー Cara, na boa, vou te ajudar. ー levei minha atenção pro Hoseok. ー Meu tio tem um sítio e se precisa do pinto, vamo ver se as galinhas chocaram. ー mordi o lábio.

ー Tá, não custa tentar. Cês vêm?

ー Nós? ー Namjoon iria até rir, mas olhou minha expressão e já levantou em busca das chaves.

ー Vou pegar uma jaqueta. ー Hoseok comentou.

[ . . . ]

ー Carai, tá mó' escuro, cuidado pra não cairem. ー Hoseok falou, a gente tinha chegado no tal sítio e a estradinha que levava até a casa era longa e muito escura.

ー As luzes estão apagadas, tem certeza que ele tá ai? ー comentou Namjoon e eu precisei parar para respirar fundo.

ー Besta, já olhou as horas? Se ele tiver ai, tá dormindo carai.

ー Era o que eu devia tá fazendo.. ー disse Hoseok.

ー UM BIXO ME MORDEU! ー Namjoon gritou assustado e quando íamos o dar uma bronca, uma lanterna foi acesa em nós.

ー Tio Lee! ー o loiro acenou pro tio.

ー Hoseok? O que cê tá fazendo aqui a essa hora? Quem são esses ai?

ー Tio, te explico ai na sua casa. Pode ser?

O tal tio Lee assentiu e conseguimos andar melhor sobre a estrada que agora era iluminada pela luz da lanterna. Quando chegamos, reverenciamos o mais velho e entramos na casa. Sentamos no sofá.

ー O que trazem vocês aqui? Já viram as horas? Eu tava dormindo até ouvir vozes.

ー Ah, tio. Foi mal, mas precisamos da sua ajuda. O Jin pra ser exato. ー apontou pra mim e eu acenei pro velho.

ー Se tiver no meu alcance, deve ser urgente.

ー Ah, então... O marido dele tá grávido e ele teve um desejo peculiar dessa vez. Ele quer um pinto..

ー Uai... ー o velho ficou confuso.

ー Um filhote de galinha! ー falei rápido para afastar qualquer maliciosidade dessas cabeças ocas ai.

ー Ah... Pintinhos são muito novos para ser comidos..

ー Não é pra comer.. ー cocei a cabeça envergonhado. ー Ele quer criar um, sei lá. Tá querendo um pinto de estimação...

ー Ah, a gente pode olhar no galinheiro então, ai eu te dou um. Só não sei se tem.

ー Como assim não sabe se tem, tio? Não é você que cuida daqui?

ー Ué, eu também tenho férias. Voltei faz algumas horas, tô cansado. ー vou mentir não, fiquei mal. ー Sua prima tava cuidando daqui, não sei se as galinhas estavam chocando, ela não falou.

ー Talvez ela falaria amanhã, já que o senhor chegou algumas horas atrás. ー argumentei.

ー É, pode ser. Cês vêm comigo. ー ele pegou quatro lanternas, três para a gente e uma pra ele.

E ai a gente começou a andar pela estradinha do galinheiro, quando a gente entrou, fudeu tudo. O galo não gostou, mas não gostou foi do Namjoon.

ー J-Jin ele tá olhando pra mim...

ー Eu tenho certeza que não tá. ー mentira que tá sim, mas se agora acontecer um showzinho, meus dias de vida estarão contados. ー Larga de medo, é um galo!

ー O Tetulho é um amor, mas ele tem fama de não gostar de algumas pessoas, qualquer um pode ser uma ameaça, talvez hoje seja o alto ai. ー tenho certeza que Namjoon trancou o cu e eu tive que pensar em uma solução rápida.

ー Fica na porta, Namjoon! ー ele assentiu rápido e eu e o Hoseok entramos com o Lee.

ー A galinha chocou, mas não tem pinto... ー fiz um bico insatisfeito. ー Não tem, ah, sinto muito..

Fiquei desgostoso, não tenho outra opção do que chegar em casa com as mãos vazias.

ー Ué, cade o Tetulho? ー perguntou o Lee. Nem tive tempo de raciocinar e já escutei uma gasela gritando.

ー AAAAAA! ー caralho, o galo tá correndo atrás do Namjoon.

ー TETULHO! ー o Lee começou a correr atrás deles. ー VOLTE AQUI!

ー A gente devia ajudar... ー Hoseok falou.

ー Cara, eu tô fodido... ー Jimin vai me matar. ー TETULHO, VOLTA AQUI, TETULHO! ー tô tão fodido que minha noite tá terminando em eu correndo atrás de um velho, um galo e uma besta. Bom, atrás de mim agora tem um Hoseok.

ー COCORICÓ!

[ . . . ]

Entrei em casa, fedendo cara. Tava tudo muito quieto e provavelmente Jimin está dormindo, então, de mãos vazias entrei no quarto e ai eu vi um baixinho sentado e pior, emburrado.

ー Você demorou... ー sua voz estava embargada e eu quis me matar. Olhei pro chão.

ー Eu... Eu tentei de tudo para achar o pintinho, mas não consegui... Me perdoe amor. ー esperei uma bronca, mas ai veio uma risadinha. Franzi o cenho, levantando o olhar constatando o mal agradecido rindo. ー O que foi? Do que cê tá rindo?

ー Me mandaram um video... Do Hoseok correndo atrás de você, você atrás de um velho lá, o velho lá correndo atrás de um galo e o galo correndo atrás do Namjoon.. ー ele gargalhou mais alto e eu arregalei os olhos.

ー Pera ai, o que?! ー ele mostrou o celular para mim e eu vi o video, maldito seja quem gravou.

ー Eu fiquei preocupado com você, cheguei a duvidar que você tinha saído só pra achar um pintinho, só que ai a minha amiga falou que você tava na fazenda do pai dela, procurando um pinto! Ai amor, eu te amo, vem cá. ー ele me chamou para um abraço, mas eu tava puto.

ー Tu não me encosta! Nem era desejo seu idiota! Só quer um pintinho por ter! ー falei irritado.

ー Eu tava com mais vontade antes, como um desejo, mas como não é nada de comer, passou. Você fez isso tudo por mim, amor.. ー ele veio chegando mansinho e eu emburrado, mas não sai daquela posição, porque no fundo, eu queria um mimo dele.

Veio envolvendo meu pescoço e ai me abraçando, mas quando fui retribuir, ele se afastou bruscamente.

ー Que foi?

ー Cê tá fedendo... ー ai eu fiquei puto de verdade, me afastei dele, fui pegando minhas roupas e sai pisando duro pro banheiro.

Ouvi de longe uma gargalhada alta dele, maldito seja!

Ah, mas no fim, eu não fiquei tão puto assim, já que não se passou 5 minutos e ele veio se juntar a mim no banho e ai, a gente foi brincar com o querido pintão. Já que, né? Pra que pintinho se já tem o pintão.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...