1. Spirit Fanfics >
  2. Placar Decisivo - Kim Doyoung >
  3. Píloto

História Placar Decisivo - Kim Doyoung - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Uma fanfic do Dodo

B
O
A

L
E
I
T
U
R
A

Capítulo 1 - Píloto


Fanfic / Fanfiction Placar Decisivo - Kim Doyoung - Capítulo 1 - Píloto


  A multidão gritava animada, não conseguiam conter a emoção por estarem presenciando um campeonato como aquele a tensão e adrenalina os deixavam aflitos para saber quem ganharia aquele set. Na quadra Lucas tentava controlar sua respiração estava cansado e seu joelho que ainda não havia se curado totalmente de uma lesão doía porém não deixava aquilo o abalar em seus pensamentos ganhar aquele jogo era tudo que precisava fazer assim deixaria a equipe em boa posição para os campeonatos futuros.


   Com os olhos no placar lembrou o quão acirrada estava aquele game, preocupado voltou o olhar  para a bola seu oponente havia sacado, correndo na direção dela virou seu corpo com força com a raquete lhe devolveu ao adversário que adiantou indo para frente, apesar de ter usado bastante força  não foi o suficiente para mandar a bola ao fundo da quadra, sem opção Lucas correu novamente ela voltava na sua direção com um salto deu um perfeito smash, porém ao retornar ao chão acabou tendo uma feia queda, seu joelho não conseguiu suportar o esforço. 


   Do lado de fora da quadra Taeyong agora de pé se encontrava preocupado com seu parceiro, ele sabia que a lesão de Lucas não estava totalmente curada e como capitão se sentiu indigno de tal posição por ter deixado aquela partida acontecer, encarando os outros membros da equipe correu até a quadra em direção ao amigo que agonizava no chão. 


  — Sinto muito. — O loiro desabafou agachado enquanto via os paramédicos tentando ajudar Lucas, queria dizer mais que uma simples "desculpa" mas não tinha como fazê- lo no momento, não podia baixar a guarda como capitão pelo menos não em público. 


  — Não… — Lucas disse tentando respirar fundo.  —  Eu não me arrependo de nada...não se preocupe capitão. — Disse num sussurro antes de ser colocado em uma maca.


   — Taeyong! — Chamando atenção do loiro o treinador se aproximou. — Fique aqui para a cerimônia final, vou acompanhar Lucas até o hospital.


    Foi tudo o que o treinador Park disse antes de correr para fora da quadra deixando Taeyong sozinho, este que respirou fundo e foi até o adversário de Lucas, conhecido como JB o rapaz era o preferido da liga de torneios, famoso pela aparência e habilidade não se surpreendia vendo ele dar trabalho a Lucas o rapaz era muito bom em quadra.


   — Parabéns pela partida, você jogou muito bem. — Estendeu a mão para JB que a pegou com uma expressão séria no rosto.


   — Infelizmente ela não foi do jeito que eu queria. — O rapaz tinha a raquete apoiada no braço e olhava para os lados com desdém. — Imagine eu derrotando Lucas Wong o menino de sorte ou pelo menos era... não creio que ele tenha tanta depois do jogo de hoje.


  Irredutível foi assim que Taeyong se manteve enquanto escutava a frase do outro mesmo que por dentro quisesse xingá- lo ou até mesmo enchê- lo de soco não poderia como líder demonstrar fraqueza, tinha que dar exemplo ainda mais dentro de uma quadra sendo olhado pelos companheiros de equipes e profissionais do tênis. 


 — Se conseguir passar da próxima rodada e voltar a competição talvez nos encontremos novamente. Espero que até lá você melhore suas habilidades, seus voleios precisam de um bom treino. — Taeyong soltou a mão do outro e se curvou brevemente em respeito antes de sair dali deixando um JB completamente irritado. Apesar de JB ter ganhado a última partida de um modo inesperado, ainda não era o suficiente para mudar o resultado final já que seu time no total havia conseguido vitória em duas simples e uma dupla.


  De frente para os companheiros de equipe, Taeyong suavizou melhor sua expressão olhando para os seis deu um sorriso a cerimônia para receber as medalhas logo aconteceria não poderia deixar os garotos mais preocupados. 



    

                             [...]



 Kim Doyoung apenas queria aproveitar aquela manhã de sábado longe do colégio, já havia passado boa parte da semana estudando, agora aproveitaria o os dias livres praticando seu esporte predileto em uma quadra não muito longe de casa. 


  Enquanto caminhava com a mochila apoiada em um de seus ombros recitava alguns versos de End This (L.O.V.E) de Hailee Steinfeld que ecoava em seus fones, ali de repente foi abordado por uma moça preta dos cabelos crespos cacheados que parecia bastante aflita, confuso apenas a encarou por alguns segundos prevendo que ela era estrangeira ficou nervoso seu inglês não era dos melhores. 


   — My english is very bed. — Nem sequer esperou a garota dizer algo apenas alertou sobre sua dificuldade.     


   —  O quê? Não, não precisa disso. —  A garota disse em coreano com uma ótima pronúncia deixando Doyoung envergonhado.  — Você pode me fazer um favor? É urgente.


   O garoto olhou para os lados incertos mas não via motivos para negar.


  — Acho que posso. — Respondeu tirando os fones do ouvido.     


 — Olha eu... meu ex está me perseguindo, você pode fingir ser meu namorado para ele apenas me deixar em paz? — Perguntou deixando o rapaz perplexo ele não imaginava que o pedido seria aquilo.


 — Quem? Eu? — Apontou pra si mesmo e a garota assentiu com a cabeça sua face transmitia medo. Doyoung não era o tipo de garoto que se metia em confusão mas também não era do tipo que abandonaria alguém em apuros assim. — E se ele me bater? 


     Encarando o rapaz a garota sorriu ele iria ajudá- la estava feliz, olhando para os lados usou a cabeça para indicar um local seguindo seu olhar Doyoung pôde ver as câmeras o iria contestar sobre remédios mas a garota logo agarrou em seu braço olhando para baixo percebeu a diferença de altura dos dois ela era baixinha provavelmente tendo por volta dos 1,60. 


   — Ele está vindo me chame de Jagiya e sorria. — Ela sussurrou e o rapaz concordou com a cabeça.


   — Doyoung é o meu nome. — Disse rápido e a garota segurou sua mão entrelaçando seus dedos, foi estranho ele não estava acostumado com a aquele tipo de contato ainda mais vindo de uma garota desconhecida, porém não tinha tempo pra pensar naquilo havia aceitado ajudá- la ele sabia como exs namorados poderiam ser babacas viu muitos casos na tv e também relatos na internet se pudesse ajudar alguém a se livrar de um ficaria muito feliz. 


   — YÁ! — Escutou uma voz grave não muito longe de onde estavam, levantando a cabeça pôde ver um rapaz em sua direção, naquele momento Doyoung engoliu seco aquele cara que vinha não parecia nada amigável parecia marrento e agressivo, ele era alto e tinha os cabelos tingidos de azul. — Sabia que iria achar você.


   Olhou para as mãos da garota que estavam agarradas em Doyoung mas não deu muita atenção apenas segurou seu braço e a puxou para si, não gostando nada daquilo ela tentou se defender, indignado DoYoung também interviu ficando a frente  de Jeno dando brecha para a cacheada se soltar do ex.


  — Quem é esse babaca Débora? — Perguntou encarando sua ex que estava atrás de Doyoung.


   — O único babaca aqui é você Lee Jeno. — A garota segurou no braço do "namorado" novamente. — Esse é o meu namorado… Dodô


    A garota encarou Doyoung admirada e Jeno riu debochado negando com a cabeça, coçando o nariz ele encarou o atual de sua ex.


  — A dois meses atrás me chamava de Neno e agora chama esse imbecíl de Dodô? — Ergueu uma sobrancelha e estalou a língua ficando mais próximo de Doyoung percebendo a pequena diferença de altura deles dois o tal Dodô seria alguns sentimentos mais alto. — Você é realmente uma vadia louca.


   — YÁ! — Pela primeira vez naquela discussão o Kim se manifestou. — Quem pensa que é pra falar assim dela? 


   Perguntou num tom irritadiço, ele não havia gostado nada do tom que o outro usara para se referir a garota. Desde jovem Doyoung fora ensinado a respeitar as mulheres, sabia que devido a convivência com a sua tia que era considerada louca por sua mãe foi uma das principais influências, a mulher era sem vergonha e destemida tendo sempre os melhores conselhos. 


   — Eu sou… — Jeno diria algo mas foi interrompido pelo moreno.


  — Ninguém! — Firme Doyoung deu um passo a frente encarando o Lee que estava indignado.


 —  O que você gosta nela? O que viu nela? — Jeno indagou e Doyoung abraçou a garota de lado. 


  — Ah uma diferença de altura fofa entre nós, além disso ela é bem corajosa. — Sorriu se lembrando de minutos atrás quando Débora  fizera a louca proposta. — Agora se me der licença estamos num encontro e você está atrapalhando.


     Com uma coragem a qual não sabia que tinha Doyoung encarou o Lee com uma expressão séria e segurando a mão da então namorada a puxou para longe dali, estava farto de ver aquele cara tratando a garota daquela forma por isso  levou para longe dele e assim que percebeu que já estava longe suficiente entrou em uma cafeteria qualquer com a garota e se sentaram um de frente para o outro.


  — Muito obrigada. — Débora disse pressionando o botão na mesa chamando um garçom. — Posso te pagar uma bebida? 


   Ela sabia do jeito coreano de agradecerem uns aos outros por favores e não era como se comprando um café tudo se resolvesse mas de certa forma seria o modo que ela lhe retribuiria pelo favor.

 

  — Não precisa. — O moreno respondeu e ela negou com a cabeça segundo depois um garçom estava ali para os atender.


   — Por favor peça algo preciso me redimir o que fez por mim não foi fácil. — Inclinando seu corpo para frente buscou atenção do garoto que mesmo incerto respirou fundo e encarou o garçom. 


  — Um Caramel Franpuccino por favor. — O mais alto pronunciou e a garota sorriu observando o rapaz.

  

  — Dois por favor. — Fazendo dois com as mãos Débora sorriu para o atendente que os deixou a sós. — Eu também gosto de coisas doces. 


 — Coisas doces são ótimas para diminuir o estresse. — Foi tudo que conseguiu dizer para a preta, ele queria perguntar sobre Jeno mas ela parecia animada e feliz não queria estragar seu momento de alívio com tais perguntas.


  — Acho que temos o mesmo tipo de pensamento. — Ainda observando o garoto percebeu que ele não havia retirado a mochila das costas desde que chegara. — Vai ficar com a mochila o tempo todo? 


      Naquele momento Doyoung levou os olhos até os próprios ombros e sorriu envergonhado retirando a mochila e a colocando no chão apoiada em sua cadeira.

  

  —  Desculpe. —  Pediu e a garota negou com a cabeça, afinal não era nada demais e ali naquela cafeteria receberam seus pedidos e conversaram descontraidamente por um tempo, já na saída  Doyoung resolveu tocar no assunto sobre Jeno.


  — Olha,por favor, seja cuidadosa ao escolher seus namorados e se esse cara continuar te importunando conte aos seus pais e chame a polícia. — Aconselhou tocando o ombro da garota como forma de consolo e despedida. —  Fique bem, preciso ir.


   Colocando as mãos no bolso da calça Doyoung seguiu seu caminho deixando Débora na frente da cafeteria, ela queria ao menos ter seu número de telefone mas o garoto nem sequer lhe deu tempo, a estrangeira compreendia bem aquele comportamento era o modo dos coreanos de agir, ele já havia ajudado- a além disso não era próximos então não havia motivo para despedidas mais romanescas.

  

    Com o celular em mãos mandava uma mensagem para o irmão avisando que logo chegaria no seu compromisso logo, mas fora pega de surpresa pela atendente que corria em sua direção. 


 — Hey! Acho que seu namorado esqueceu isso. — Com as mãos estendidas a garçonete mostrou a  Maria um dos fones de ouvido do garoto, ela queria dizer a ela que não eram um casal entretanto naquele momento não era relevante então apenas pegou o fone e sorriu para moça guardando o objeto em sua pequena bolsa, não tinha idéia de como devolveria ao garoto mas guardaria para esse momento. 




                             [...]




  Atrasado, Doyoung chegava no club de tênis sendo repreendido pelos amigos  que não estavam nada contentes com a demora do moreno, o qual tentava tapear os amigos dizendo que havia tido contratempos e nem sequer havia lembrado de pegar o telefone e mandar mensagem para avisar. 


    — Vá se trocar logo! Ainda da tempo de jogar uma partida, de três sets. — Taeil disse e Doyoung assentiu com a cabeça indo para o vestiário colocando suas roupas de treino, pegando uma das raquetes disponibilizadas pelo club voltou a quadra, encontrando Taeil na rede e sua amiga Soyeon na cadeira do juiz, ela contaria os pontos do jogo e também cuidaria das regras.


  — É melhor ganhar dele Oppa! — Soyeon disse para o mais alto que fez um joinha para a garota e foi até a rede para cumprimentar Taeil, por mais que fossem amigos, precisavam seguir algumas mínimas formalidades, apertaram as mãos e fizeram pedra, papel, tesoura  para decidir quem iniciaria o jogo e Taeil havia conseguido tal proeza.


   O mais baixo era amigo de Doyoung desde o fundamental e por isso se conheciam muito bem um ao outro assim também como tinham uma paixão pelo tênis de quadra, esporte que amavam desde que tinham dez anos de idade e que agora com dezoito se mantinha da mesma forma.


   Jogando a bola ao alto Taeil deu o primeiro saque iniciando o primeiro set o qual ganhou com muita facilidade, entretanto não tivera a mesma sorte nos sets seguintes e perdera a partida contra Doyoung.

   

    — Fez muito bem oppa, sabe pode entrar na equipe oficial da escola não é? — Soyeon disse sentando ao lado dos dois  garotos.


  — Não sou bom o suficiente você sabe. — Respondeu levando a garrafa de água até sua boca, tomando um gole.


   —  É o que você acha. — A garota foi dura no seu comentário fazendo Taeil concordar com a cabeça, Soyeon  fazia parte da equipe feminina de tênis da escola e por ter uma ótima visão para bons jogadores sabia que Doyoung faria bem estando na equipe masculina.


   — Soyeon tem razão, você que não quer acreditar. — Taeil disse deitando no chão.

 

  — Vocês são chatos sabia? — O mais alto soltou também se jogando no chão.


  — Sim! — O casal respondeu e Soyeon se jogou em cima de Taeil abraçando o namorado.


   — Parem de me fazer segurar vela por favor. — Tapou os olhos fingindo indignação. 


           

                             [...] 



    Na escola Daehwi o clima era tenso entre os membros equipe masculina de tênis, os rapazes estavam bastante agitados agora que o capitão finalmente daria notícias sobre a situação de Lucas. Eles temiam que fosse algo ruim visto que o garoto mal havia se recuperado da lesão antes daquele jogo na última sexta.


   — Você acha que ele está bem? — Jungwoo perguntou a um colega que estava ao seu lado.


   — Tem que estar Lucas é forte o time de Daewhi precisa dele. — Haechan responde encarando a porta que logo é aberta revelando Taeyong junto ao treinador, no mesmo momento todos os cinco rapazes ficam enfileirados a frente dos dois.


   — Bom dia meninos. — O treinador diz sério e em sincronia os garotos respondem  um "bom dia" em coro. —  O capitão tem algo a dizer.


   — Bom...como todos sabem um dos nossos amigos se machucou na última partida e sua lesão acabou piorando, Lucas está no hospital sob cuidados de um bom médico mas apesar disso, nosso amigo ainda vai precisar de um longo tratamento para melhorar e não vai ser capaz de jogar as regionais com a gente. — Taeyong iniciou seu discurso deixando os rapazes ainda mais eufóricos. 


 — Isso significa que… — Haechan começava mas não foi capaz de terminar.


— Na próxima quarta feira começaremos com o recrutamento para o novo membro da equipe de Daewhi. —  O Capitão deu o veredito final deixando todos na sala nervosos. 


   



  


  

   


  


              


                    

      



    


    



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...