História Plantinha do E'Dawnie - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias 4Minute, K.A.R.D, Pentagon (PTG)
Personagens E'Dawn, Hong-seok, Hui, Hyun A, Jin-ho, Kino, Personagens Originais, Shin-won, Somin, Woo-seok, Yan An, Yeo One, Yuto
Tags 4minute, Crack, E'dawn, Hongseok, Hui, Hyuna, Jinho, Kard, Kino, Kpop, Pentagon, Shinwon, Somin, Triple H, Wooseok, Yanan, Yeo One, Yuto
Visualizações 6
Palavras 1.627
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


»LEIAM POOOR FAVOOOR«
MIL DESCULPAS PELA DEMORA
agora que eu já tô chegando nas férias eu não vou demorar tanto pra postar.
esse capítulo extremamente viajado que provavelmente vai ser longo é um especial já que eu passei tanto tempo sem atualizar a fanfic.
eu não fazia a mínima ideia de que eu transbordaria tantas boas ideias pra esse capítulo e espero que seja assim para os outros também.
ESSE CAPÍTULO TAMBÉM VAI TER UM PEQUENO ESPECIAL DO ANIVERSÁRIO DO SHINWON

Capítulo 2 - 50 centavos para o Yanan que lhe satisfaz


Fanfic / Fanfiction Plantinha do E'Dawnie - Capítulo 2 - 50 centavos para o Yanan que lhe satisfaz

Eu acordei com a luz do sol batendo em meu rosto. Mais um dia lindo.

Eu me levantei e fui em direção ao banheiro. Eu coloquei uma música que definia meu humor naquele momento.

“Hoje o sol apareceu e sorriu para mim

Disse que o dia ia ser bom, do começo ao fim

Eu pulei da cama e corri para fora

Nunca estive tão feliz quanto estou agora

É o melhor dia de todos (o melhor dia de todos)”

Depois de fazer minhas higienes matinais, eu me dirigi ao guarda-roupas no quarto e vesti a primeira roupa que vi pela frente , fiz uma make básica, um coque frouxo e segui em direção às cozinha e encontrei Shinwon sentado na mesa em meio a balões em tons pastéis, ursinhos de pelúcia destruídos, as cortinas pegavam fogo e havia um bolo de aniversário em vários tons de azul destruído.

Ele usava maria-chiquinhas com uma franja e vestia um vestido cor-de-rosa. Um chapéu de aniversário em forma de cone se destacava em sua cabeça.

Ele chorava escandalosamente.

— Shinwon, por que chora escandalosamente? – eu o questionei.

— É A MINHA FESTA E EU CHORO SE EU QUISER! – aquele desequilibrado mental berrava como se estivesse possuído pela Melanie Martinez.

Ele me assustou.

— VOCÊ ME ASSUSTOU! – eu gritei de volta.

Meus batimentos cardíacos estavam se normalizando quando eu ouvi um estouro de uma bomba e voltou tudo a mesma bosta que tava.

Eu procurei a origem do barulho e vi um outro Shinwon com o cabelo de quem foi eletrocutado, todo pintado com roupa de palhaço estourando cachorrinhos de balanço de balão inocentes com a boca enquanto tinha um ataque de raiva.

— AAAH, EU SAQUEI! – eu disse totalmente esclarecida o olhando sorridente.

— Você se lembrou?! – eles disseram me olhando com cara de cachorro abandonado.

— Sim! O aniversário do Minho do Shinee! Foi dia nove, né? – eu disse rindo do meu esquecimento.

Os Shinwons me olhavam paralisados e eu me perguntava o que se passava pelas cabeças deles.

Dibidibidis, my name is Minho… – eu disse rindo um pouco.

— AAAAAAAAAAAAAAAAAAA – eles gritaram ao mesmo tempo.

Eu peguei uma maçã, me dando conta de que estava atrasada, e saí daquele manicômio antes que o Shinwon Martinez, ou um deles, me sequestrasse com um sorvete envenenado (fazer biscoitos com melatonina para escapar é tão trabalhoso).

Assim que eu cruzei a porta dei de cara com Yuto, colidindo meu vaso com seus pés gigantes.

— Yutoda! – ele disse surpreso com sua voz sexy.

— Olha por onde anda, grandalhão! – eu exclamei.

— Yutoda… – ele disse, triste com a minha grosseria.

— Eu não entraria aí se fosse você. – eu disse indicando a porta.

— Yutoda. – ele disse sem emoção.

Depois de todo aquele DRAMA eu segui até o Starbucks para mais um dia de trabalho.

Uma verdade que vocês não sabem é que na verdade o Starbucks é uma empresa de acolhimento às plantas que são totalmente desprezadas na sociedade opressora em que vivemos.

Você já parou pra pensar que uma planta tem vida? Ela respira, vive, toma sol, se apaixona, plantas são seres vivos até mais inteligentes que vocês, seres humanos, por mais que os cientistas não acreditem. A real é que somos tão inteligentes e superiores que quando tentaram nos estudar e fazer testes em nós, não mostramos reações e nos mantemos imóveis para não descobrirem nem desconfiarem de nada.

Nós somos quem produz o SEU oxigênio, você sabe transformar gás carbônico em gás oxigênio? E a pessoa mais inteligente que você conhece? Acho que não né, eu por exemplo, sei desde que eu era uma mudinha.

Enfim, somos seres passivos demais para nos vingarmos dos animais e seres humanos, só por isso vocês estão vivos.

Nós só não entramos em guerra com Portugal por terem contribuído com a CHACINA da Mata Atlântica que hoje quase não existe porque a religião predominante entre as plantas é o budismo e somos contra a violência.

Sim, as plantas são budistas. Sabe o arbusto de onde você arrancava florzinhas quando pequeno ou pequena? Ele só não te deu uma pedrada porque é budista e isso vai contra os seus princípios.

Enfim, voltando ao Starbucks, temos alguns funcionários humanos pra disfarçar, né, mas a maior parte da mão-de-obra do Starbucks são plantas. Plantas nunca conseguiriam empregos até nosso divinissimo criador, Gordon o Coqueiro, abrir o Starbucks.

Nossos grãos de café são dados por cafezais que trabalharam no lugar de fazendeiros, eles recebem o próprio dinheiro por isso, são cafezais independentes. Nunca estudou isso em história? São Paulo tinha vários cafezais autônomos na época em que o Starbucks começou a fazer sucesso.

Hoje eu seria promovida no meu lindo emprego.

— Estou pronto, promoção! – eu cantarolava a caminho do Starbucks mais famoso

Seul (recebemos vários idols todos os dias).

Logo eu cheguei à caríssima cafeteria.

Bom dia Sr. Manjericão! – eu disse alegre ao meu chefe.

Mais um dia esplêndido na minha vida!

***

É o pior dia de todos.

Adivinha o que aconteceu? O vagabundo do Lula Arbusto, aquele ladrãozinho de meia tigela sem um dedo que nem pra falar direito serve, só sabe esbanjar aquele Triplex no Guarujá, que foi promovido, ao invés de EU ser promovida, EU merecia aquilo, não ele.

Eu fiquei tão triste que precisava urgentemente de um abraço do E'Dawn, meu amor, minha paixão, só ele me entendia.

— Se hoje é quarta-feira, então ele deve estar no futebol com o Lu Han, aquele veado. – eu pensei em voz alta ainda em frente à cafeteria depois de um longo dia de trabalho.

Eu apressei o passo e fui até o campo do futebol em que o Lu Han e o E'Dawn jogavam.

Assim que eu cheguei no local encontrei um Lu Han solitário e deprimido sentando num banco tocando uma flauta.

Ele tocava um canto suave e doce, porém triste.

“tururu turururu tu tururururuuuuuruuuuu

— Ué. – eu disse perplexa.

Provavelmente o Lu Han tava triste porque o E'Dawn não apareceu no futebol.

Eu peguei meu celular e abri o aplicativo do rastreador que eu instalei no E'Dawn. Ele não estava muito estava em um… MOTEL?

ELE ESTAVA ME TRAINDO?

Eu fui correndo até o local, não muito longe dali. Assim que cheguei olhei bem para a construção à minha frente. “Apego” estava escrito em um letreiro grande e brilhante.

Agora era só encontrar o E'Dawn em um daqueles quartos sujos e impuros.

Eu abri a primeira porta e vi uma maluca bêbada abraçando um cara lindo e musculoso como se ele fosse o bem mais precioso dela.

Naui neon nae kkeo my everything… – ela cantava para o mesmo.

Eu fiquei com um leve medo e fechei a porta. Andei mais algum tempo pelo corredor e arrisquei uma das portas.

Ao abrir eu me deparei com dois malucos vestidos com trajes chiques, um cara sentado na mesa – levemente morto – e a garota o abraçava por trás como uma maluca obcecada que mataria por ele, bem estilo Gasai Yuno.

Neo wae nal MIREONAAAAAAEEEERYEO HAE
MALHAEBWAYO! – a menina dava uns high note enquanto protegia o cadáver gato dos seres inexistentes que os rodeavam como se ele fosse a última coxinha da festa ou algo do tipo.

Eu dei o fora dali e não abri mais nenhuma porta com medo de encontrar a bêbada fazendo a barba do gostosão dentro de uma banheira, mas quando eu cheguei em uma das últimas portas do longo corredor meu celular apitou várias vezes seguidas o que me fez olhar para ele. O aplicativo do rastreador. O E'Dawn estava ali.

Eu abri a porta no mesmo instante, sem pensar duas vezes e vi uma cena HORRÍVEL. O E'Dawn e o Yanan assistindo Ben 10 juntos!

— Que bonito, hein! – eu disse olhando enojada para E'Dawn, eu nunca pensaria que ele estivesse me traindo.

— CANNABIS?! – o E'Dawn deu um grito ao me ver, assustado.

— Que cena mais linda, será que eu estou atrapalhando o casalzinho aí? – eu disse olhando Yanan de cima abaixo. Eu sempre desconfiei dele.

— E-eu posso explicar! – E'Dawn disse desesperado me olhando.

Por algum motivo Yanan o olhava como se ele fosse maluco.

— Que lixo! – eu disse fazendo cara de deboche.

Yanan POV

Por que caralhos o E'Dawn tá falando com a planta que tá parada na frente da porta?

Cannabis POV

— Cê tá de brincadeira? Então é aqui o seu futebol toda quarta-feira?! – eu disse incrédula.

— Sério! Foi só dessa vez e… – ele se levantando da cama e tentando explicar, aflito.

Eu me lembrei da nossa lua-de-mel, quando eu pedi para virmos aqui especialmente por ser Hidden Kard!

— E por acaso esse motel é o mesmo que me trouxe na lua-de-mel, é o mesmo que você me prometeu o céu e agora me tirou o chão? – eu disse com os galhos no coração (ou onde era para ele estar), comovida.

— Calma, eu vou te explicar tudo se você deixar! – ele disse tentando vestir um moletom por cima das roupas do Hora de Aventura que usávamos JUNTOS!

— Não precisa se vestir! Eu já vi tudo o que eu tinha que ver aqui. – eu disse desviando o olhar dele para disfarçar as lágrimas – Que decepção! Um a zero pra minha intuição!

Ele tentou vir em minha direção me acalmar mas eu explodi.

— NÃO SEI SE DOU NA CARA DELA OU BATO EM VOCÊ! – eu disse fazendo E'Dawn se assustar e parar onde estava.

— O Yanan não tem nada a ver com isso. Ele não sabia do nosso relacionamento! – ele disse com sofrimento em seu rosto… MAS EU NÃO ME DEIXEI COMOVER!

— Hyojong, cara, com quem você tá falando? – o Yanan disse. Ele e aquela sua carinha de chinês bonitinho, santo e puro, mas na realidade ele amava destruir sonhos de plantas inocentes.

— MAS EU NÃO VIM ATRAPALHAR SUA NOITE DE PRAZER! – eu disse avançando pra cima do E'Dawn como se fosse o estrangular – E PRA AJUDAR A PAGAR O YANAN QUE LHE SATISFAZ, TOMA AQUI OS CINQUENTA CENTAVOS! – eu disse estendendo minha folha com uma moeda de cinquenta centavos. E'Dawn me olhava confuso – Eu sou pobre, ué, você não esperou que eu fosse te dar cinquenta reais, esperou?


Notas Finais


como vocês podem ver, teve clichê de fanfic, referência a bob esponja, melanie martinez, teve viajem, a flauta do han, lula ladrão, cinquenta reais, kard e tudo o que vcs podem imaginar


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...