História Plastic Memories - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nino, Personagens Originais, Plagg, Tikki
Tags Adrien, Adrienette, Marinette, Miraculousladybug
Visualizações 4
Palavras 1.147
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Heyyy. O que estão achando de Plastic Memories? 🌌 Gostam? Então...

Boa Leitura. 💗

Capítulo 2 - Chapter II


Entramos no carro da corporação. Plagg assumiu a direção e Tikki foi no banco passageiro. Enquanto eu e Marinette ficamos no banco de trás.

- Então...qual sua idade? - perguntou Tikki.

- Tenho 18 anos. - respondi.

- É que Tikki tem 17 anos, sabe. - comentou Plagg

- Ei! Não fique espalhando! - indagou ela. - Ja deixo bem claro que sou mais experiente. Deve obedecer minhas instruções.

- Está bem. - concordei

- Ela diz isso mas Tikki começou a um ano. Até pouco tempo ela ainda recebia bronca da Alya.

- Ei! Não precisa dizer coisas desnecessárias.

Enquanto os dois discutiam, eu resolvi perguntar alguma coisa a Marinette que estava ao meu lado.

- Por acaso humanos e Kwamis trabalham juntos nesse serviço?

- Cada um tem seu papel de atuante e observador. Como kwamis é nosso papel negociar os outros kwamis com seus proprietários. - respondeu

- Você é observador Adrien - Plagg disse - seu trabalho é observar sua parceria para ver se ela está fazendo seu trabalho.

- Então...eu só fico olhando?

- Mais ou menos isso. Se juntou a nós sem saber nada disso?

- Não parece nada talentoso. - disse Tikki

Eu não tinha a menor ideia de como fazer isso.

- Marinette, você não teria um manual ou algo parecido? Não tenho a menor ideia de como fazer esse trabalho. - sussurro para ela

- Aqui. Pegue.

Ela me entregou um livro rosa.

- Isso é mesmo um manual?

- Só tem que saber uma coisa, você nunca vai ser recompensado. Nosso trabalho é arrancar memórias.

- Arrancar memórias?

Não obtive resposta.

Comecei a folhear o livro rosa e parei em uma página qualquer.
O que estava escrito me surpreendeu.

- "Diário, hoje eu brinquei de casinha com meu alvo de coleta, a Nenci. Ela era minha filha e eu era o papai. Ela insistiu para que eu fosse o papai então..."

Fechei rapidamente o livro e surtei.

- Isso não é um manual! É o seu diário! Não posso ficar com isso!

- Vocês dois aí atrás! - exclamou Tikki. - Já chegamos. Plagg, faça o que tem que fazer.

A casa em que paramos era algo rústico e delicado.

- Nosso alvo é Edward. Seus proprietários são o casal Hajime e Mari Iwai. Nosso tempo limite é as 18:00.

- Podemos deixar Plagg com todo o trabalho?

- É claro! Nossos kwamis têm habilidades de negociação aprimoradas.

Plagg tocou a campainha e a porta se abriu. Eu e Tikki nos silenciamos rapidamente.

Da casa saíram um casal e um jovem que aparenta ter mais ou menos a minha idade.

- Olá! Viemos buscar o meu irmão Edward. - disse o loiro.

- Olá Plagg. Que bom te ver de novo. Cuide bem do Eddie, está bem? - cumprimentou o casal.

- Sim, deixem meu irmão comigo.

Eles sorriam e se divertiam durante uma despedida. Plagg sabe mesmo persuadir alguém. Ou isso se conecta apenas por ser um kwami?

Isso me deixou surpreso e boquiaberto. Foi...fácil.

O chamado Eddie estava parado atrás de seus proprietários.

Tikki abriu um compartimento do carro para o recolhimento.

O kwami se posicionou delicadamente na máquina enquanto seus proprietários observavam o processo se despedindo do mesmo

- Obrigado por tudo, de verdade. - disse o kwami

- Nós que agradecemos Eddie.

- Você sempre será o nosso filho.

- Durante a coleta de um kwami, há leis que devem ser seguidas. - disse Tikki. - Primeiro ter a assinatura do proprietário em um termo se acordo prévio. E ter certeza da presença dos proprietários durante a coleta.

Fiquei definitivamente sem reação. Foi doloroso ver tal imagem. Um membro da família indo embora. Eles se abraçavam e choravam juntos. Até que, chegou a hora do Adeus categórico.

Plagg colocou um anel em seu dedo e no dedo de Eddie. Ele juntaram as mãos e, no pescoço do alvo, apareceu colar.

- O anel serve para apagar a mente dos Kwamis. Mas tem outras coisas, anéis, brincos,  pulseiras...mas os anéis são mais eficientes.
E o colar que você está vendo - suspirou a ruiva - É uma prova que o sistema dele ja foi apagado. Só falta a confirmação.

Pude notar a expressão de tristeza no rosto de Plagg enquanto executava o serviço.
Ele deitou Eddie, já não mais consciente, na cabine que se fechou e voltou para dentro do carro.

Nós nos despedimos do casal e voltamos a estrada.

- Por que há necessidade de estar presente? - perguntei

- Para garantir a privacidade. A memória de kwami está cheia de informações pessoais dos proprietários que poderiam violar sua privacidade, não é mesmo? - respondeu a ruiva - Para prevenir qualquer vazamento, os proprietários devem presenciar tudo até o fim.

Nós voltamos ao Terminal e deixamos a cabine que continha o kwami com o outro pessoal.

- Mas...o Edward aparentemente não tinha nenhum problema. - comentei

- Não julgue pela aparência. Tenho certeza que havia sinais de discrepância na memória. Se o deixamos de lado, provavelmente em cerca de doze horas perderia sua própria personalidade. - respondeu a ruiva

- É mesmo...

- Bom, Já que entendeu como funciona nossa linha de trabalho, se tivermos coletas por semana é muito.

-  Então quer dizer que temos muito tempo livre? 

Ela bateu a mão na testa e a deslizou pelo rosto

- Por isso eu odeio amadores. Você está muito enganado se acha que todos os proprietários aceitam facilmente a devolução do kwami. Nem todos são como Edward e o casal Iwai.

Fiquei sem falar nada por um tempo e ela continuou.

- Por hoje, eu vou deixar passar. Já está ficando tarde, volte amanhã bem cedo. Trabalho aqui não falta.

- Entendido. - respondi

Me despedi do pessoal e fui para casa.
Fiz minha higienização e me deitei na cama para refletir sobre o dia de hoje.

Afinal, foi um entardecer com muitas coisas a se pensar. Como seria se minhas memórias fossem apagadas? Como minha família reagiria a isso?

Como será formar uma dupla com a Marinette daqui para frente?

E foram com esses pensamentos que meus olhos foram fechando lentamente e o sono se penetrou em mim.

~*~


Tell (telefone)

- Alya querida, eu soube que tem um novato na companhia.

- Você nunca está aqui a maior parte do seu tempo, se sabe de alguma coisa é porque Juleka contou a você.

- Aaah não seja assim! Então quem é?

- Se fizesse seu trabalho direito e ficasse no Terminal iria saber.

- Você é tão fria! Quem é a dupla?

- Marinette.

- Humm, temos uma história interessante vindo pela frente.

- Pode até ser. E vá ao Terminal está bem?! Seu trabalho é executa-lo com seu Kwami! Não preciso de um empregado preguiçoso. Está me ouvindo Luka?

- Tudo bem, tudo bem. Eu apareço. Quero dar boas vindas ao novo integrante da companhia.
Pessoalmente


Notas Finais


Nhaaa, até a próxima 💗

~kitty 🍀


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...