História Play with fire - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Tags Itachi Uchiha, Itaino, Sasuke Uchiha, Sasusaku, Vaahferreira
Visualizações 108
Palavras 1.314
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Romance e Novela, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - Um Momento Pra Variar


Fanfic / Fanfiction Play with fire - Capítulo 9 - Um Momento Pra Variar

A semana passou tão desesperadora e devagar, que uma certa rapariga de madeixas rosas se perguntava se era apenas pra ela, ou se todos estavam passando pelo mesmo. Duas semanas inteira passaram-se em uma lentidão. Na tarde seguinte já seria o evento, e tudo corria conforme o planejado. Coisas e mais coisas para resolver pelo Lar Konoha, e não podia se permitir falhar. O lance do evento beneficente estava a todo vapor. Apesar do medo e do prazo apertado, não foi tão impossível, visto que não estava só. 

Ino realmente estava disposta a ajudar com a organização, e montou uma bloco de notas com tudo que precisariam. E  Ainda ajudou a distribuir alguns convites importantes, garantindo até a presença de Neji Hyuuga, um grande amigo de Itachi. Agora Mikoto não seria a presença mais importante do evento, e sim, uma delas. O que era bom. Quanto mais pessoas, melhor. O orfanato precisava mesmo de ajuda financeira. E a Haruno de um descanso

O barulho avisco das dobradiças sendo movidas acordou-a de seu transe. 

— Atrapalho? — uma voz masculina tomara conta do lugar. Sakura voltara de seus pensamentos, encontou a figura a sua frente e surpreendeu-se: Itachi. 

— Algum problema com a Ino? — perguntou preocupada. Não via motivo algum corrente para Itachi a procurar, sem ser a amiga escandalosa. 

— Não, ela está bem — respondeu a deixando confusa — Vim por outro motivo. 

Sua mente tentava ao todo manter a linha de raciocínio mental, mas o caso era que nada mudava o fato de que: o namorado de sua melhor amiga estivesse em pé na sua frente nesse exato momento. Porém, ponderou ser profissional. 

— Sente-se. — sugeriu, e esperou que ele o fizesse — Pode começar a falar. 

 

.oOo. — .oOo. 

 

A noite chegou mais rápido que o normal para um certo Uchiha. Havia mais de trinta minutos que Sasuke estava se remoendo de vontade de voltar pra sua casa e dormir, levando em conta que estava muito cansado. A única coisa que o mantinha ali, era a mulher a sua frente. Não que qualquer mulher fosse capaz de lhe prender, porém essa em especial tinha um olhar fuzilante. Pensar em fugir, seria pensar em assinar seu atestado de óbito. 

Porém, era inevitável. Seus olhos correram novamente para a entrada do lugar, que embora estivesse lotado ainda tinha vista privilegiada por estarem no camarote. Camarote, um lugar cheio —  assim como a área normal. Que tinha bebidas. Na área normal também. Mulheres, homens, pegação, falação, e tinha também uns poucos que estava ali obrigados, como ele. Mas mesmo assim, chamava-se "Área vip". E a única diferença era o dinheiro mole que ganhavam dos idiotas que frequentavam estes lugares. Ele era um destes idiotas.  Porém não hoje. Hoje ele sò queria ir embora, se jogar na cama e dormir. Mas não. Ele tinha que ter sido arrastado desgostosamente por seu irmão, e a namorada. 

— Espero que não esteja pensando em correr. — disse Ino chamando sua atenção — Eu tacaria meus saltos em você. 

— Nem cogitei a ideia. — mentiu. 

— Ficaremos bem enquanto continuar assim. 

— Espero não ter demorado. — disse Itachi ao se encostar ao seu lado no balcão. 

— Demorou... — Sasuke pretendia despejar seu discurso desgostoso sobre o irmão, porém não o fez. 

Mas uma vez aquela imagem o conteve: os cabelos rosados soltos caindo sobre o ombro, as esmeraldas brilhantes cativando os que a vissem, e nesse momento viam ele. Ônix e esmeraldas.  

— Não acredito que também te arrastaram pra isso. — sussura Sasuke assim que a rosada se senta ao seu lado no balcão, e Sakura lhe sorri de lado, e ele logo nota o desconforto naquele gesto. 

— Hoje você está bebendo, Ino? — Sakura questiona jogando lenha na fogueira, sabendo que Itachi já havia dito que não. 

— É claro que... 

— Não. — Itachi completa a frase de Ino, e antes que pudessem falar mais alguma coisa a Yamanaka já estava reclamando. 

Fazia exatamente duas semanas que tinham se visto, e duas semanas que Sakura mantinha o ocorrido no apartamento do Uchiha guardado a sete chaves. Ela nem mesmo sabia se ele sabia o que tinha acontecido, levando em conta o álcool e o deboche excessivo. Mas também não havia feito questão de contar, ou tentar descobrir se ele de fato sabia. 

— Como foi arrastada pra cá? — Sasuke não era de puxar assunto, mas ainda sim, vê-la quieta era demais pra ele. 

— Itachi me disse que Ino o mataria. E conheço minha amiga o suficiente pra saber que não era um blefe. 

— Vindo de Ino, nunca é. — riu, dando uma olhada no casal que ainda discutia  

— Vai beber alguma coisa, Sakura?  — a voz de Itachi a despertou. 

— Um Palermo, por favor. — disse ela se dirigindo diretamente ao barman. 

— Então, você conhece bebidas? — Sasuke se manteve curioso. 

— Fiz um curso durante a faculdade. Passamos três meses estudando vinhedos. 

— Você não estudou psicologia? — perguntou Ino. 

— Atividade extracurricular. 

— Estudar bebidas? — Foi a vez de Itachi ficar curioso. 

— Não ficar atoa. 

Em seguida o silêncio tomou conta dos quatro. Ino cutucara o namorado, e ele franziu a sombracelhas recebendo um segundo cutuque. 

— Ino, você não quer dançar? — perguntou ele ao entender. 

— Claro, amor. 

E os dois se arrastaram pra longe de Sasuke e Sakura. Seu Palermo chegou, e Sakura bebia devagar enquanto sentia o gosto descer pela garganta. 

Sasuke por outro lado, estava interessado até mesmo no movimento da clavícula enquanto o vinho traçava o caminho pela boca da Haruno. Não que fosse uma cena agradável, mas tudo nela era sexy demais. E ele duvidava que não conseguiria beija-la esta noite. Tudo bem que não planejou estar aqui, mas agora que estava aqui, e Sakura também, não podia deixar de pensar se aqueles lábios rosas, eram tão doces quanto pareciam em seu sonho, duas semanas atrás. 

E somente a lembrança daquele sonho tão real, já o fez sorrir sozinho, encarando Sakura e imaginando o que se passava em sua mente, em relação a ele. 

— Sasuke, você está me deixando sem graça. — falou sem o olhar. E o Uchiha não conseguiu evitar a risada que escapou. 

— Tem problemas em ser desejada? — já devia estar acostumada com a direção que Sasuke sempre levava as conversas. 

— Eu não sei. Nunca estive em determinada situação. — respondeu e se virou com um sorriso de canto. 

— Duvido muito. 

— Não devia duvidar. — respondeu, e sorriu. — Não sou o tipo de mulher que os caras cobiçam. 

— Acha mesmo isso? — debochou. Ou Sakura era louca, ou cega. 

— Minha beleza está muito além disso aqui. — apontou seu rosto. — Eu sou inteligente, Sasuke. O suficiente para não cair na sua lábia. 

— Mesmo que eu me esforce? 

— Mesmo assim. 

— Isso quer dizer, querida Sakura, que você não me acha atraente. — Sasuke logo concluiu, mas não era o que queria dizer. 

— Mentir não é meu maior forte. 

— Então me deixe beijar você agora. 

Ok. Até aqui me ajudou o senhor, pensou. Sorriu. Sasuke era tentação demais. E bonito, com certeza bonito. Não sabia o quanto podia aguentar suas provocações sem ceder a seus encantos. Mas também não esperava precisar. 

— Ino e Itachi estão logo ali. — usou os amigos como desculpa. 

— Vamos pra outro lugar. — sugeriu. Sakura sorriu. Não sabia sobre esse efeito que tinha possuído. 

— Está na cara que me deseja, mas isso não muda o fato de que eu não sou mulher pra você.  

Coragem o vulgaridade? O que sabia era que estava fugindo de Sasuke Uchiha, e ou ele não havia percebido o quanto a deixava nervosa, ou então estava fingindo não notar. 

— Por que acha isso? — questionou o Uchiha com as sombracelhas unidas. 

Porém, ao invés de sua resposta ganhou um balançar de ombros. Sakura se levantou, e antes de dar-lhe as costas, colou seus lábios gelados na bochecha dele. Sasuke hesitou se devia ou não se movimentar e tentar um avanço, mas sua bochecha geralmente não era um alvo. Nem mesmo o choque seguinte quando a Haruno enfim, se virou pra sair. Antes sorriu gentil, e disse: 

Carpen die,  Sasuke Uchiha.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...