1. Spirit Fanfics >
  2. Playa con pecas - jikook >
  3. Cartas de pêssegos;

História Playa con pecas - jikook - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


essa é uma twoshot jikook bem fofinha. o primeiro capítulo é meio bléh mas o segundo é melhor prometo

espero que gostem!

boa leitura💜

Capítulo 1 - Cartas de pêssegos;



{💌}


Era sempre assim. As cinco da tarde, com o pôr do sol atravessando a parede de vidro, o cheiro de praia que chegava junto com o seu aroma de pêssegos sempre que abria a porta da local. Ele vinha com uma mochila pequena e shorts e sempra comprava dois pacotes de marshmallow acompanhado de um leite de banana.

Eu vivia o observando de longe quando ele andava no corredor da aquela pequena loja pra pegar o seus queridos doces de sempre.


Aquele ômega ruivo mas conhecido como Park Jimin me conquistou faz três meses atrás, desde quando eu começei a trabalhar nessa mercearia. Ele era baixinho e fofo a beleza dele era com certeza de outro mundo, os cabelos em um laranja fraco pareciam macios, e eu sonhava em fazer um cafuné ali e ter o prazer de ouvir seus ronronares. As sardas que era oque eu mais gostava de admirar, as bochechas coradas naturalmente dando um tom avermelhado nos pontinhos em seu rosto. Pra mim, tudo na aquele ômega era de se admira. Me perguntava todos os dias como poderia existir um ser tão lindo quanto ele.

Quando ele passava por entre aquelas portas sempre sinto meu coração falha as batidas, completamente viciado em seu cheiro de pêssegos.

Perfeito.

Todos o dias eu tenho a sorte de ter sua presença e seu cheiro no mesmo lugar que eu, exceto nos finais de semana que é os meus dias de folga.

Os finais de semana são os dias que eu faço o meu segundo trabalho de fotógrafo e cinegrafista. Eu costumo tirar fotos para: casamentos, festa de aniversário, bufês e várias outras coisas que exija da minhas habilidades. Além da paixão que eu tenho por aquele ruivo baixinho, eu também tenho uma paixão pela fotográfia. Gosto de registrar momentos importantes para as pessoas, e trago a elas uma lembrança boa de cada momento feliz em suas vidas. Desde de pequeno eu sempre sonhei em ser fotógrafo ou cinegrafistas, e quando eu ainda não tinha uma câmera eu tirava com o meu celular mesmo, a qualidade do meu aparelho não era perfeita mas eu era tão bom que parecia que estava com uma câmera profissional.

Depois de ter conhecido aquele ômega,  oque mais quero fazer é poder tirar fotos dele todo os dias, a toda hora, a todo minuto. Poder registrar todos os seus sorrisos todos os seus momentos felizes cada traço delicado do seu rosto. O seu rosto de sardas os seus olhos castanhos que me faz lembrar do lindo pôr do sol. Afinal ele era o meu momento feliz e precisa ser registrado.

Eu sou apenas um bobo apaixonado.

Queria poder tomar um chá de coragem para poder o chamar pra sair. Mas sempre que o vejo automaticamente viro um maria mole que não consegue dizer nada além de um "obrigado, volte sempre". Tenho vontade de espancar o meu rosto sempre que o vejo sair da loja sem eu ao menos ter falado algo com o mesmo.

Meu peito se aquece no momento que o ouço dizer um gentil "obrigado" com a sua voz doce e delicada. Sinto uma grande vontade o pegar no colo e lhe encher de beijinhos e dizer que ele é a coisa mais fofa e perfeita do mundo, e ninar ele até poder ouvir o seu ressonar.

Na maioria das vezes, era tedioso ficar o dia todo atrás de um balcão. A parede de vidro ao meu lado dava uma visão maravilhosa do mar, que ficava do outro lado de uma pista pequena e pouco movimentada com uma calçada feita de pedras. Mas quando ele chegava, eu sequer podia tirar os meus olhos do seu belíssimo rosto e das suas sardas fofas.

Hoje é sexta-feira e eu disse para mim mesmo que teria coragem e disposição para conquistar aquele ômega.

Mas não era oque estava acontecendo no momento.

Depois da conversa séria que tive com meu querido amigo Hoseok, eu só queria poder arrancar os meus próprios cabelos depois de seguir um dos conselhos dele.

- Escreva uma carta _ ouvir hoseok falar normalmente do outro lado da linha. E eu só rir desacreditado da aquele comentário.

- Uma carta? eu não sou uma criança da sexta série que escreve cartas para os namoradinhos, hoseok _ Rir achando que ele só queria zoar com a minha cara mesmo

- Sim, uma carta. Você não tem coragem pra falar com ele, então escreva _ ele falou e eu franzir a testa quando percebir que ele falava sério_ Como você acha que eu conquistei meu gatinho? Se bem que ele não leu a minha primeira carta, mas é o yoongi né _ ouvir a voz do yoongi mandando o alfa ir se fuder mas logo rindo depois _ Como você pode vê. Deu certo.

Pensei bastante tentando me convencer que não seria ruim escrever algo. Ruim seria vê o ruivinho na minha frente e eu tenta dizer alguma coisa e falhando vergonhosamente.

Demorei duas semanas para concluir a minha carta. A primeira versão parecia uma autobiografia pois tinha oito páginas, escrevi o dia do meu nascimento de parto prematuro, dizendo das escolas que  frequentei, minhas dificuldades com matemática, meus amigos de infância, nome do meus pais, só faltou eu escrever qual era meu cpf e a senha do cartão de débito.

A segunda versão reduzir para cinco páginas depois de decidir executar todas as passagens da minha vida, que com certeza não interessa. Por que o jimin gostaria de saber que aos seis anos de idade ganhei uma cicatriz abaixo do olho, depois de ter brigado com o meu irmão por causar de um computador?

A terceira versão caiu para três páginas. Resolvi retirar as frases românticas dos autores famosos tais como " as paixões são pensamentos do coração" de Pual morand. Copiei todas essas frases do google e as coloquei na carta para dizer que foi eu que inventei, só para passar uma boa impressão para o ruivo.

A quarta versão foi a que eu achei mais agradável. Falei de quando o conheci e de como o seu cheiro me agradou. Elogiei o se rosto luminoso e suas sardas avermelhadas, o seu sorriso pequeno e tímido os seu olhos castanhos como o por do sol.
Disse também do meu desejo em o fotógrafa-lo e do meu trabalho profissional com a câmera. Fiz uma série de perguntas sobre o mesmo e do que ele gosta de fazer, falei um pouco mais de mim mesmo e enfim o disse que qualquer dia teria coragem para o chamar pra sair. Isso em apenas uma folha.

Quando acabei de digitar a carta no meu computador a imprimir e assinei o meu nome completo com uma caneta verde.

No momento estou suando e sentindo que minha alma vai sair do meu corpo ao vê que já se aproximava das cinco horas. Fui verificar pela sexta vez se a carta continuava na minha mochila preocupado com as minhas habilidade de perder as coisa sem ter as tirado do lugar.

Deu cinco e dez da tarde e eu sentir meu coração frear quando ouvir o sino da porta tocar e uma cabeleira ruiva passar pela mesma. Respirei fundo e sentir o cheiro de pêssegos misturado com a brisa da praia lá fora entrar pelas minhas narinas.

- Boa tarde!_ ele disse sorrindo depois de fechar a porta com delicadeza mesmo que não precisasse pós ela se fechava sozinha.

- B-boa tarde _ depois de muito esforço conseguir o responder e como sempre gaguejando feito um bobo. Eu só queria bater a minha cabeça bem forte na parede.

Ele consertou - fofamente - a alça da mochila pequena que estava em sua costa, suas bochechas estavam rubras, parecia ser natural pois sempre que eu o via estavam assim oque eu achava super fofo. Caminhou até as prateleiras e sumindo lá.

Aproveitei que ele estava pegando os seus produtos de sempre, para pegar a carta que estava em minha mochila. Verifiquei se estava amassada tomando um maior cuidado para não suja o papel branco. A coloquei em baixo do balcão perto do caixa eletrônico. Respirei fundo me apoiando na bancada quase desistindo, o vi se aproximar já com os dois pacotes de mashmalow e o leite de banana.

- ann... Só tem dessa marca?_ ele falou apontando para o leite de banana e vi era realmente de outra marca diferente do que ele costumava comprar. Me lembrei que não avisei ao meu patrão que tinha acabado algumas coisa da mercearia.

- Sim, ainda vamos encher as despensas desse mês, então está acabando os produtos _ me surpreendi comigo mesmo por ter conseguido o responder normalmente mesmo coberto de nervosismo e com o coração quase tendo um ataque cardíaco. Ele concordou com a cabeça me dando o dinheiro da compra.

Nesse momento eu já não sabia se era uma boa idéia entregar aquela carta.  Minhas mãos tremia e suava, e eu sentia que a qualquer momento ia desmaiar por causa da minha pressão alta. Sentir ele me olhar quando abrir o caixa eletrônico parecendo notar o meu nervosismo, mas desviou assim que percebeu meu olhar rápido. Peguei o troco na máquina tentando fazer minha mão parar de tremer e falhando, eu devia está parecendo um louco na aquele momento. Tentei respirar e pelo menos conseguir fazer isso.

- Obrigada... _ ele disse assim que passei o troco com as minhas mãos tremendo e ele pegou me olhando parecendo preocupado(?)_ Ta tudo bem? você ta suando e tremend-

- Pra você! _ o interrompi um pouco afobando colocando a carta em sua frente ainda tremendo e suando_ S-só abra quando c-chegar em casa...

Para de gaguejar seu medroso!

- Oh..._ ouvir ele dizer surpreso com os olhinhos minimamente arregalados olhando a carta em sua frente a pegando corado_ Tudo bem...

Ele se virou e eu continuava tremendo e suando feito um doente. Vi ele sai com a cabeça baixa com o rosto todo vermelho, então soltei o ar que eu prendi desde quando ele pegou a carta.

Repirei fundo ainda seu cheiro no local e me sentei no banco que tinha ali pois minha pernas estavam tremendo, tanto que eu não sei como conseguir ficar em pé até aquele momento.

Mesmo depois de tudo isso eu me sentia confiante. Eu tive coragem o suficiente para entregar a carta e isso já era um passo a mais para eu conseguir o conquistar. Sorrir contente com a minha vitória e parecia que eu tinha tomando uma enjação de confiança  por que eu comecei a dar pulinhos alegres e socos no ar de tanta emoção, peguei meu celular e digitando o número do meu amigo.

- Eu conseguir hoseok! _ gritei assim que hoseok atendeu o telefone.

                          { 🍑 }

- Hoseok eu to desesperado!! Foram três dias hoseok, três dias! _ tava quase gritando com as mão nos meus cabelos o bagunçando agoniado.

Já fazia três dias que eu não via o ruivinho, e tava quase entrando em abstinência. Três dias sem o vê, sem olhar seu rosto sem sentir seu cheiro, sem ouvir sua voz. Eu estava enlouquecendo.

Meu coração se enche de medo quando penso na possibilidade de nunca mais o vê, eu tinha certeza que havia estragado tudo. Se antes era desesperador não falar com ele não poder vê-lo era mil vezes pior. Eu devia ter me contentando apenas com sua presença todos os dias agora nem isso eu tenho mais.

- Calma, cara, vai dar tudo certo comigo também foi assim, só que demorou um mês 'pro guinho me responder. Você consegue esperar.

- Um mês?! _ disse um pouco alterado levantando do banco onde estava sentado_ Eu vou ter que esperar um mês até ter uma resposta? até o vê de novo?_ andava em círculos atrás da aquele balcão apertado quase arrancando meus cabelos_ Eu sabia que não devia ter ouvido essa sua idéia idiota. É claro que não ia dar certo! Quem faz cartas em pleno século vinte e um?! Isso é loucura!

Sentei na cadeira realmente triste, havia ganhado uma chance de conquistar o ruivinho mas acabei estragando tudo e o perdir pra sempre, agora era só eu aceitar isso e pelo menos tentar seguir minha vida depois de ter perdido a única pessoa que eu conseguir amar pela primeira vez.

Depois de ter acusado o meu amigo varias vezes e ele tentando me convencer que tudo daria certo, eu simplesmente desliguei a chamada e continuei o meu trabalho sem nenhuma animação ao atender o cliente. Sentei na cadeira depois de atender mais um cliente, já tava perto da cinco horas e eu tava com uma pitada de esperança de que o ruivinho iria vim hoje eu sentia. Olhei o relógio vendo que já era dez pras seis e eu olhava esperançoso para a porta esperando o sino tocar e o seu cheiro vir até mim.

O ponteiro já marcava seis e meia.

Ele não veio.

Sentir meu coração se quebrar mais uma vez, a partir da ali eu tive a certeza de que eu não iria conseguir. Iria viver pra sempre pensando no ruivinho que me conquistou apenas com o seu olhar. Ainda sentado no banco com a cabeça baixa, ouvir o sino da porta e imediatamente me levantei alegre com a minha última gota de esperança preparado para olha a cabeleira ruiva e as sardas vermelhas de novo.

- Boa noite meu jovem_ muchei desmanchando meu sorriso assim que vi uma senhora de idade em frente ao balcão_ Aqui vende ração para gatos?

- Temos sim, senhora _  sorrir pequeno para a idosa saindo de trás do balcão_ Fica bem aqui nos fundos. Vendemos a quilo então é preciso pesar depois_ expliquei indo até o lugar onde ficava as rações tanto pra gato quanto pra cachorro. Peguei o saquinho e coloquei o tanto de ração como o desejado da senhora e pesei na balança.

- Aqui está senhora _ falei entregando a compra da velha depois que ela pagou.

Observei a idosa sair do local e me sentei na cadeira novamente agora olhando a janela tentando enxergar o mar mas era impossível pois já estava noite e praia estava escura. Estava tão pensativo e aéreo que nem percebir quando uma criaturinha se aproximou.

- P-pra você..._ pensei estar alucinando quando ouvir a voz que não ouvia a três dias.

Levantei vendo que era mesmo ele bem ali em minha frente. Os cabelos laranja as sardas os olhinhos, era ele.  Eu fiquei sem reação então apenas fiquei olhando para ele feito bobo nem tentando esconder minha animação. Ele se aproximou colocando uma carta em cima do balcão. Olhei pra ele e seu rosto estava em um vermelho bem forte e eu me segurei pra não apertar ele.

- o-olha desculp- _ tentei me desculpar por algo que nem eu mesmo sei, mas ele me interrompeu.

- Abra quando e-eu tiver saído..._ ele falou olhando pra a carta com o rosto ainda vermelho. Então vi ele sair com as suas mãozinhas nas bochechas coradas e a mochila que estava em suas costa saltava para cima e para baixo conforme ele quase corria até a porta.

Olhei para o balcão onde estava o papel amarelo pastel e alguns adesivos fofinhos, sorrir ainda desacreditado do que havia acontecido e peguei aquela carta a abrindo com o maior cuidado do mundo para não amassar. Não conseguia mais sentir as batidas do meu coração, oque me fez pensar que eu estava morto e fui para um mundo paralelo onde tudo é bom.

Comecei a lê a carta sorrindo surpreso ao perceber que era escrita a mão com as letras bem desenhada e cursiva.

            Querido jungkook; 

Confesso que fiquei bastante surpreso quando me deu a aquela carta. Ninguém nunca havia sido tão romântico quanto você, fiquei com um pouco de vergonha por causa dos seus belos elogios sobre mim. Eu não sei como reagir a elogios então também resolvir te escrever uma carta. 
Irei confessar que eu te observo faz algum tempo, e que você é um alfa bastante bonito e fofo além de ser muito gentil. O seu olhos me lembram duas jabuticabas e ao mesmo tempo que me lembra uma galáxia brilhante. Seus cabelos parecem ser bem macios. O cheiro seu é muito agradável também, abacaxi com menta é bem refrescante. Não é atoa que vou sempre a sua loja só pra poder me refrescar em sua cheiro.


Foi quando eu li aquilo que eu sentir meu coração bater forte de novo. Ele ia até a mercearia para sentir o meu cheiro. Aquela frase nunca sairá da minha mente tudo que eu quero é ir até aquele ômega e o embalar com o meu cheiro. Sentia meu peito se aquecer cada vez que eu lia alguma frase da aquela carta. Meu mundo ganhava cor e eu podia ouvir meu lobo ruivar alegre por ter meio que conquistado o ômega.


Eu continuei lendo a carta cada palavra era lida com atenção sem deixar nada despercebido. Ele começou a responder as perguntas que eu havia escrevido na minha carta para ele. E descobrir que ele tinha 18 anos, ama praia, dançar, gatinhos e plantas. Ele dizia ser alguém tímido de início mas alegou que com o tempo ele se solta. Disse que não sabia se voltava para a loja por que não tinha coragem o suficiente. Me sentir um idiota por achar que ele havia me ignorado em quanto o ruivo estava inseguro e com medo de me responder. Ele também disse que faz aula de ballet todos os dias, por isso sempre comprar mashmalow e leite de banana para poder relaxar seu corpo e mente.


Descobri que ele ama ir a praia e que gosta de doces - disso com certeza já sabia - os seus gostos musicais são parecidos com os meus. E ele também  é fã da banda Sparkling sand, é um grupo não muito conhecido da aqui da ilha. Eles costumam cantar no centro em um dos festivais que tem lá.
E diferente de mim ele escreveu o seu número do celular e disse que eu poderia ligar pra ele quando quiser, eu não sabia se teria coragem para ligar mas com certeza faria. Prendir a respiração quando li o final da carta.


Estou ansioso pra quando me chamar para sair alfa.


Com amor; Park Jimin♡














Notas Finais


gostaro???? espero que sim.
ainda vou postar a segunda parte que é bem mais nhonhonho

favoritem e comentem por favor 💜

um aviso pra quem estar esperando a att de the three of us.
eu não estou atualizando por que eu perdir todas as minhas notas que eu tinha no celular então eu to escrevendo ainda os capítulos. mas não vai demorar muito pra atualizar, vou fazer um att dupla por causa da demora então por favor tenham paciência comigo 😔💜

amo vcs 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...