1. Spirit Fanfics >
  2. PlayBoy - imagine Hwang Hyunjin >
  3. Inesquecível

História PlayBoy - imagine Hwang Hyunjin - Capítulo 6


Escrita por: e Kwxnsun__


Capítulo 6 - Inesquecível


Fanfic / Fanfiction PlayBoy - imagine Hwang Hyunjin - Capítulo 6 - Inesquecível

HAN JISUNG

— Como foi? Contou a ela? E a expressão dela? Deve ter sido hilário. – Minho riu e eu rolo meus olhos. – conta logo Jisung.

— Ela ficou triste mas tentou disfarçar. – coloco a mão no queixo. – ela disse que ia estudar pro teste de matemática e só. Me sinto triste agora Minho.

— Não deveria, aposto que ela vai correr pros braços do Hwang, até porque parece que os dois estão tendo algo. – disse jogando seu pirulito fora.

— A Jee não gosta do Hyunjin, pare de mentir.

— Quem mentiu que está namorando pra' Jee? – ele perguntou com um sorriso debochado.

— Foi ideia sua! 

— E você aceitou a ideia de bom grado. Olha Jisung a Jee é igual a Wendy não percebe? E o Hyunjin, ele não mudou nada, não ver que a história está se repetindo? – ele disse sério. – eu sou seu amigo e bem, eu vou entender se quiser desistir do plano.

— Não! De jeito nenhum, eu vou até o fim agora. Mesmo que eu tenha que machucar quem mais me amou nesses anos. – me lembro brevemente da Jee no primeiro dia de aula.

MIN JEE

"Isso é tão complicado."

— Droga! Seria bem mais fácil se eu não tivesse com tanta coisa na cabeça. – passo as mãos pelos cabelos e relaxo meu corpo na cadeira apertando os olhos.

— Oi amiga! – me endireito na cadeira e encaro Yoona. – estou tão animada para ir a festa do Bang, ui. – mantenho meu olhar desinteressado. – ei, o que foi? Você tá abatida.

— Jisung. 

— Ele te deu um fora?

— Não Yoon, ele tá' namorando. – ela coloca a mão na boca.

— Eu sinto muito amiga. Olha você vai encontrar uma pessoa muito melhor que ele.

— Eu não quero alguém melhor Yoona. – suspirei e o sinal bateu. – boa sorte no teste de matemática.

[...]

HAN JISUNG

O teste havia acabado a mais ou menos 20 minutos e nada de eu encontrar a Jee. Isso me irritava, não é possível que ela ia parar de falar comigo só porque eu comecei a "namorar".

— Ei! – parei Yoona. – você viu a Jee?

— Não vi. – me olhou com desgosto.

— Não mente pra' mim Yoona, por favor eu preciso falar com ela. – imploro e a ruiva pensa um pouco antes de suspirar.

— Ela está atrás da escola, perto das cerejeiras. – sorri e sai correndo.

Abri o portão com cuidado e olhei ao redor vendo apenas alguns casais curtindo o pequeno intervalo. Dei uma corridinha pelo local até encontrar quem eu queria. Ela estava escrevendo algo em seu caderno debaixo da cerejeira, o sol estava um pouco quente mas ela nem ligava deixava seus braços e pernas sentirem aquele calor.

— Jee. – digo ficando de joelhos ao seu lado. – por que estar me evitando? 

— Eu? Claro que não, é coisa da sua cabeça. – disse fechando o caderno.

— Jee...

— Eu estou com ciúmes okay? Com você namorando é claro que sua atenção vai toda para sua namorada e eu vou ficar de lado. – disse frustada e eu acabei rindo. A burrice dela para algumas coisas é diferente.

— Eu não vou te deixar de lado. Você vai continuar sendo minha moranguinho. Vai, me dá um sorriso. – digo tocando várias vezes na sua bochecha até ela ri verdadeiramente.

— Obrigada. – ela me abraçou e eu quis me matar por está fazendo esse joguinho com ela.

— Hum, que tal saímos daqui? Podemos tomar um sorvete. – propus e ela assentiu.

— E o guarda?

— Você confia em mim? – pergunto e como resposta ela solta um "sim" sem som.

Felizmente o guarda acreditou na minha pequena mentira e saiu dali correndo para ajudar um alguém inexistente. Incrível como as pessoas são tão tolas, Minho tem toda a razão mais uma vez e não me choca nem um pouco.

— Ei esquilo. – ela parou de correr e colocou as mãos nos joelhos cansada. – chega, já estamos longe. – respirava rapidamente. – ah!

— Você é muito sedentária Jee, ainda falta um pouco para chegarmos a sorveteria. – digo me aproximando da garota que continua tentando pegá-la. – sobe nas minhas costas. – me abaixo e ela se joga nas minhas costas.

— Obrigada, você é um anjo! – deitou sua cabeça no meu ombro e fez um "x" no meu peitoral com os braços.

MIN JEE

Ao chegar na sorveteria eu pedi um sorvete de melão e ele de morango. Foi bem divertido. Entramos em uma loja de mangás, brigamos por causa de alguns animes, eu literalmente voltei ao tempo, o tempo que nunca deveria ter passado.

Fiquei indecisa se iria almoçar na casa dele ou não, meus pais ficariam preocupados se eu não voltasse pra' casa no horário. Pensando por outro lado a senhora Moon, mãe do Jisung, é amiga da minha mãe ela poderia avisar ela.

— Sunggie e sua moto?

— Minho me pediu ela emprestado. Aposto que sua amiga vai pega o resto do seu material. – ele diz e joga o saco de salgados fora. – está é minha casa.

— Uau, que bonita. – admiro a casa. – sua mãe se deu bem nesse emprego novo.

— Já disse que não vou sair com o senhor. – a mãe de Jisung sai da casa ao celular parecendo bem irritada desligando assim que nos viu. – Filho, Jee.

— Olá Senhora Moon. – sorri gentilmente.

— Que bom vê-los juntinhos de novo. – sorriu apertando a bochecha de ambos. – filho eu vou ter que sair, fiquem a vontade.

Jisung parecia chateado com algo quando entrou em casa, eu apenas me mantive calada.

— Tem comida feita. Senta aí vamos comer. – me sentei no banco apoiando minhas mãos no balcão.

— Você parece chateado, é por causa da sua mãe? – pergunto o óbvio.

— O chefe dela fica assediando ela. Eu já pedi pra' ela se demitir mas ela não me escuta. – disse colocando meu prato no balcão logo pegando o seu e se sentando de frente pra' mim.

— Que chato Sunggie. – aperto sua bochecha.

[...]

O almoço estava maravilhoso, Moon realmente tinha boa mão igual minha mãe, não é a toa que as duas tem gostos e estilos iguais. Depois te termos escovado os dentes subimos para seu quarto, Jisung deixou seu console na cama e disse que eu já poderia ir jogando ele iria tomar um banho primeiro.

O quarto dele era tão organizado haviam vários cartazes de shows, mangás, e no seu mural de fotos havia várias fotos engraçadas com o Minho, as meninas do vôlei, os meninos do basquete e uma foto com uma parte cortada. Resolvi mexer nas gavetas da escrivaninha remexendo os papéis. Meus dedos tocaram em algo liso e logo tratei de puxa vendo uma foto meio amassada.

"Os melhores amigos do mundo. Foto by: Hwang Hyunjin."

— Melhores amigos?

Mexo na gaveta do meio e encontro algumas cartas abertas e algumas fotografias. Pego um envelope da cor vermelha e começo a ler a carta que estava dentro.

"Eu quero me desculpar Wendy, eu não queria ter aquela atitude naquela noite. É tudo culpa do Hyunjin, ele se aproveitou de você e eu não pude fazer nada. Eu te amo minha estrelinha, volte por favor, vamos começar tudo de novo dessa sem Hyunjin, sem ninguém que posso nos atrapalhar..."

Coloquei a carta no lugar e olhei a foto da garota com o sunggie. Ela era bonita, tinha cabelos curtos iguais os meus, a pele branca e reluzente e um rosto esculpido por deuses. Era perfeita. A porta estava sendo apertada quando fechei a gaveta com força e coloquei a foto atrás de mim forçando um sorriso para Jisung.

— O quê está fazendo? – ele me olhou sério e veio até mim arrancando a foto da minha mão. – o que faz com isso?

— Me desculpe, eu não queria mexer nas suas coisas. Me perdoe, me perdoe. – repetia.

— Jee você não podia. Você tem ideia de quanto dói me lembrar dessa garota?! – ele parecia irritado.

Sussurrei um "desculpa" e sair de sua casa chorando. Eu sou uma idiota, eu sempre estrago tudo. Aposto que ele não vai mais querer olha para a minha cara.

— Jee! – me assustei com o grito vindo do outro lado da calçada. Hyunjin me olhava parecendo preocupado e Haseul, que estava ao seu lado, me olhava indiferente.

HWANG HYUNJIN

Jee saiu correndo e eu fiquei sem entender. Eu mal pude vê-la, ela sumiu completamente e como misturaram os alunos — para poder fazer o teste da qual fui muito bem — eu não a vi na sala.

— Essa sua mania de ficar se preocupando com a Jee, na minha minha frente ainda por cima, vai acaba me matando, de raiva. – Haseul bufou e bateu o pé no chão.

— É estranho ela por aqui okay? Vi ela uma vez aqui e isso só porque a casa do Jisung é logo a frente. Vai vamos logo. – puxei sua bolsa.

— Hyunjin, por que não me apresenta como sua namorada pra' sua família? É sempre amiga, amiga. Já somos praticamente namorados. – ela disse cruzando os braços.

— Haseul a gente fala sobre isso uma outra hora. – suspiro. – quero ter uma conversa séria com você.

MIN JEE

"Será que os dois finalmente estão namorando? Ah! Para Jee já tenho problemas demais."

Soltei do ônibus e andei pelas ruas vazias do meu bairro pegando aquele sol de meio dia insuportável, ficarei mais bronzeada que o normal o que era preocupante já que não pretendo desenvolver um problema de pele. Faltando apenas uma casa da minha avistei um carro preto parado em frente a minha casa o que me deixou confusa.

— Mãe? – entro na casa e vejo dois homens de preto parados sem demostrar nenhuma expressão. 

— Oi filha, advinha. Margo veio nos visitar. – minha mãe aparece na sala com minha tia.

A mulher trajada de preto tirou seus óculos escuros e me olhou com um sorriso no rosto.

— Olá, Jee.

— Que bom revê-la, tia. – sorri.

— Estava chorando Jee? Aconteceu algo na escola? – minha mãe me olhou preocupada e eu passei a mão rapidamente no rosto.

— Eu estou bem, não aconteceu nada. – forcei um sorriso.

— Eu preciso ir embora, só estava esperando minha sobrinha favorita chegar. Tenho uma proposta para você. – sorriu pegando um envelope na bolsa. – isto em minhas mãos, é a passagem para uma nova vida Jee. Conseguir uma vaga na universidade de Nova York para você.

— Eu não pedi nada pra' senhora. – digo séria. – aliás ainda falta alguns meses para eu concluir o ensino superior.

— Eu sei querida, por isso me adiantei. Tome, quando tomar a decisão me ligue. – ela me deu o envelope. – beijo irmã. Vamos!

"Isso é tão tentador..."

[Dias depois - 09:30]

HWANG HYUNJIN

— Eu não sinto nada por você. Eu vejo você como uma amiga, apenas isso. – digo de uma vez.

— Eu não deveria ter criado sentimentos por você seu idiota. – revirou os olhos e riu. – você gosta da Jee não é?

— Sim.

— Garota sortuda do caralho. – disse e colocou o cabelo atrás da orelha. – boa sorte Hyunjin, seja feliz. E cuidado. – pegou minha mão e a beijou. – você pode não ter percebido mas a Jee é igualzinha a Wendy. – a garota saiu e olhei para trás encarando Jee.

"Impossível."

MIN JEE

Yoona só sabia falar da festa do Bang, ela era tão irritante as vezes. Eu continuava com o minha expressão de desinteresse, não tinha ânimo e nem permissão para ir nesta bendita festa e mesmo que tivesse eu não iria. Desde que bisbilhotei as coisas do Jisung e vi aquelas cartas e fotos eu não conseguir tira aquilo da cabeça. Eu precisava saber mais sobre isso mas, não tenho coragem de falar com o Jisung e, se eu for falar cara à cara com o Hyunjin eu vou acabar lembrando ainda mais do nosso beijo.

— Yoona, você conhece alguma Wendy? – pergunto cortando o assunto que ela falava.

— Conheço muitas Wendy's. Seja específica.

— Parece que ela estudou aqui, e teve algo com o Jisung e Hyunjin. – digo e ela faz um suspense para me provocar.

— Não conheço. – ela começa a ri da minha cara.

— Eu vou te matar! – ela sai correndo e eu vou atrás dela.

Passei pelo bebedouro e andei com cuidado pelo piso pois estava molhado, vi ela correndo mais a frente e acabei escorregando indo aos braços de alguém. Meu corpo estava praticamente deitado, a mão alheia segurava meu pescoço e a outra segurava minha cintura. Encarei o rosto de Hyunjin próximo ao o meu vendo seu pequeno sorriso.

— O-obrigada. – mudo minha postura.

— A dias não nos falamos, por acaso estava me evitando? – perguntou e eu ri nervosa.

— Claro que não. Tchau. – me despedi.

— Ei, ei. – segurou em meus ombros e me virou para si. – você vai na festa do Bang? Eu adoraria se você fosse.

— Eu não vou Hyunjin. Não gosto de festa-

— Vou lhe buscar as 20:00 horas. – sorriu e andou em passos lentos.

— Eu disse que não vou. Você é surdo? – dei ênfase no "não".

— Ah, quase me esqueci. – ele voltou até mim e inclinou o rosto me dando um rápido beijo-sem língua. – até flor.

"AAAAhhh!"

LEE MINHO

— Será que ela disse algo ao Hyunjin? – Jisung pergunta e eu penso um pouco.

— Acho que não. Escuta Jisung você precisa voltar a falar com ela. Pedi desculpas faça qualquer coisa, você não pode perder o contato com ela. – ele assente. – Isso está começando a ficar complicado.

— Hyunjin é uma caixinha de surpresas...

— Ele é apaixonado pela Jee, isso a gente não tem mais dúvidas. Só precisamos esperar o momento certo. Agora vai, preciso pensar. – digo e ele sai com as mãos no bolso.

"O momento certo, esperar o momento certo..."

MIN JEE

Ao voltar para sala eu me sentei no meu lugar e quando o restante dos alunos chegaram, eu apenas me mantive séria fazendo rabiscos no meu caderno. Minha preocupação antes era Jisung agora é o Hyunjin, um caos. É assim que estar minha mente. Depois do ocorrido Hyunjin não me dirigiu nenhuma palavra, ele estava com seus amigos, aproveitavam já que a diretora chamou todos os professores para uma reunião de última hora.

— Jee. – me arrepio com aquela voz. – eu queria te pedir desculpas.

— Eu que deveria te pedir desculpas, eu não deveria ter mexido nas suas coisas, ainda mais em algo tão importante. – digo sorrindo fraco.

— Estamos bem de novo? – perguntou e eu assenti sendo abraçada com força. Tal ato deveria ter esquentado meu coração mas foi um abraço normal.

"Os abraços de Jisung nunca eram um "abraço normal" pra' mim.. eu não gosto mais dele? O quê está acontecendo?"

— Me desculpem. Alunos atenção. A diretora nos chamou para uma reunião, como todos sabem, ela propôs um acampamento e fez uma pequena votação. Não é obrigado ir, apenas é como um brinde para nossas turmas do último ano. – ela disse e alguns alunos começaram a comentar.

— Você vai? – pergunto baixo para Jisung que faz um joinha. Olhei para trás, na direção de Hyunjin, e fiz um movimento com a sobrancelha ele me olhou sem entender.

— Aqui está a lista dos grupos formados pela própria diretora, só lembrando que ela misturou os alunos ou seja, se você tem amigos de outras salas pode ficar feliz. – ela colocou novamente seu óculos e começou a ditar os nomes. – grupo 1: Hwang Hyunjin, Yang Jeongin, Seo Changbin e Lee Minho. Grupo 2: Han Jisung, Lee Felix, Jennie Kim e Kim Seungmin. Grupo 4: Seo Yoona, Min Jee, Kim Woojin e Jung Haseul... – ela terminar de falar e eu bato a mão na testa afundando na cadeira. – 3A, estão liberados!

Peguei minha mochila e olhei os demais, todos animados no fundo da sala mas quando bati meus olhos em Hyunjin vi que nem todos ficaram contentes. Ele se levantou irritado e não esperou os amigos saindo da sala primeiro. Dei de ombros e olhei pra' frente vendo Jisung do mesmo jeito.

— Eu vou falar com a Yoona. Tchau, sunggie. – deixei um selar na sua bochecha e sair da sala.

LEE MINHO

— Eu queria tanto ficar com a Jee. – Hyunjin dizia irritado para o seu amigo Jeongin.

— Pelo menos ela não ficou com nenhum dos dois crápulas, a gente ficou. – riu e revirou os olhos.

— Infelizmente meu amigo, vamos eu lhe dou uma carona pra' casa. – Hyunjin passa os braços pelo pescoço de Jeongin e vai andando.

— Não acredito que você ficou no grupo daqueles palhaços. – ouço a voz de Jisung e acabo me assustando.

— Tá louco? Não faz mais isso, eu estava concentrado. – digo irritado arrancando o seu hambúrguer dando um bela mordida.

— Ei!

— Escuta. – terminei de mastigar. – esse acampamento é perfeito! Tudo está ao nosso favor.

— Não entendi nada espertalhão. – antes que ele tomasse seu refrigerante eu peguei da sua mão.

— A formatura de Hwang Hyunjin será para sempre lembrada. – digo e tomo o refrigerante.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...