História Playboy ( Imagine Baekhyun ) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Personagens Originais, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Baekhyun, Chanyeol, Chen, Exo, Imagine
Visualizações 2.274
Palavras 2.340
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ola pessoinhas boa tarde
Acabei de chegar do Enem e estou morta. Ainda bem que esse capítulo já estava pronto.
Sem mais delongas espero que gostem e tenham uma boa leitura
bjinhos

Capítulo 3 - 03


Fanfic / Fanfiction Playboy ( Imagine Baekhyun ) - Capítulo 3 - 03

Estávamos um de frente para o outro. Nenhum dos lados abandonava a batalha que nossos olhos travavam. Eu sentia uma vontade de chorar mas não de medo ao algo do tipo. Chorar por raiva. Eu não estava preparada para esse tipo de pressão logo de cara. Baekhyun em dois dias conseguiu deixar minha vida de cabeça para baixo.

Baekhyun- Você se acha demais sabia? – sorriu e empurrou de leve meu ombro – Quem você pensa que é para agir assim bonequinha?

 

S/N – Não chame assim seu playboy idiota.

 

Baekhyun- Playboy? – riu consigo mesmo – Você consegue deixar na cara que é do interior.

 

S/N- Sou e com muito orgulho – estufei o peito – Prefiro manter minha educação muito bem dada pelos meus pais ao invés de ser uma vadia qualquer. Se você chama ser correta de ser do “interior” então acho que Seul é a terra dos idiotas.

 

Baekhyun- Seul é onde a vida acontece. Você não sobrevive 2 meses aqui. – cruzou os braços.

 

S/N- Isso é o que vamos ver – disse antes de me virar e seguir para meu quarto. Pelo visto lá será meu único refugio

 

Baekhyun- Nós não estávamos fazendo nada demais – disse segurando meu braço – Trazer amigos é algo normal.

 

S/N- Não quero saber o que faz com seus amigos – soltei meu braço – Só quero que respeite minha presença nesta casa.

 

Baekhyun- Você é muito caipira – riu encostando na parede me encarando – Não ia para o quarto bonequinha?

 

Me lembrei de quando estava mexendo no celular e uma amiga me mandou uma daquelas mensagens que ninguém lê devido ao tamanho extenso. Mas como eu estava no tédio, li. “Maneiras de aliviar o estresse”.

Número 1 – faça uma caminhada de 10 minutos. Algo que não se encaixa no momento.

Número 2 – Respire fundo. Isso não está adiantando.

Número 3- Procurar uma imagem que o acalme. No momento só vejo Baekhyun e isso não ajuda muito.

Número 4 – Coma um lanche. Não estou com fome.

Número 5 – Beije na boca. Isso está fora de cogitações.

Número 6 – Se afaste do que te faz mal. Finalmente algo útil.

Azar é uma palavra que com múltiplos significados, sendo mais utilizada para denotar a má sorte, a casualidade, a desgraça. E é assim que me sinto no momento. Azarada.

Sem mandar qualquer tipo de olhar me dirigi de volta ao meu quarto. Palavras não fariam mais nenhuma diferença num dia que já tinha sido estragado.

O que me deixa mais receosa é pensar que ainda são 04:00 da manhã. O dia ainda tem tantas horas.

(..)

 

Acordei com o despertador tocando. Desta vez meu corpo conseguiu relaxar por completo. Pelo menos é o que parece. Não sinto nenhuma dor no momento. Fisicamente claro, pois se for ver emocionalmente eu estou uma merda. Acordar com raiva não é algo saudável.

Nunca pensei que teria receio de sair do meu quarto e entrar no banheiro. Eu odeio isso. Odeio não poder ser eu mesma na minha PRÓPRIA casa.

Mas hoje era um dia que Baekhyun não poderia estragar. Meu primeiro dia no emprego dos sonhos. Meu primeiro dia no restaurante.

Me lembrando do que realmente vim fazer aqui abri a porta com coragem. Hoje nada me abala.

O corredor está aparentemente tranquilo. A porta do quarto dele está fechada. Com passos rasos segui até o banheiro. Estava agradecendo aos céus por não encontra nenhuma alma viva. Mas bom, alegria é algo que dura pouco.

??- Desculpa, não tínhamos te visto – aquele mesmo homem de ontem se encontrava no banheiro aos beijos com a mulher que estava apenas de tolha.

 

“Nada vai te abalar, nada vai te abalar”

 

S/N- Só saiam – disse apontando para fora do banheiro – Por favor – ok esse saiu bem forçado.

 

Ambos saíram como eu disse e eu fechei a porta com toda força que tinha. Com que tipo de gente eu estou lidando? Eles por acaso são um casal de 3? Aigo, eles são muito estranhos.

Tirei minhas roupas lentamente e as pendurei. Liguei o chuveiro e o coloquei no mais quente possível. Agora é minha hora de relaxar.

(..)

Saí do banheiro enxugando meu cabelo quando encontrei Baekhyun saindo do quarto. Não tive o menor trabalho de sequer olhá-lo mas ele infelizmente quis me parar.

Baekhyun- Você toma banhos tão demorados?

 

“S/N respire fundo, respire BEM fundo”

 

S/N- E do que te importa isso? – perguntei com a mais falsa educação possível.

 

Baekhyun- Me importa o quanto a conta de água vai ficar. – disse sério me fazendo lembrar deste grande detalhe. As contas que teríamos que dividir. – Não pensou nisso bonequinha?

 

S/N- Eu já disse para não me chamar assim playboy idiota – controlei a vontade de dizer outra coisa.

 

Baekhyun – Olha que coisa fofa, já temos apelidos – disse ironicamente e sorrindo falso.

 

O olhei com pouco caso e segui até onde realmente queria ir. Estou perdendo tempo aqui.

 

Baekhyun-  Yah – gritou me fazendo olhá-lo. Estava parado na porta do banheiro – Você deixou isso aqui para mim ver? – mostrou algo que me arrependeria o resto de minha vida. Minha calcinha.

 

Sabe aquela incerteza que você tem sobre alguns atos?

 

Caminhei até ele e peguei o que era meu e estava em suas mãos. Poderia tudo ter sido simples se ele não abrisse a boca.

 

Baekhyun- Não consigo imaginar você usando essa cor. Não acha vermelho uma cor muito ousada para você?

 

S/N- Os homens nunca reclamaram – sorri e voltei para meu quarto. Pelo silêncio que se alastrou no corredor consegui o que queria. O deixei sem palavras.

(...)

A sala continuava com as caixas de Baekhyun no caminho. Decidi ignorar tal desleixo e apenas segui até a cozinha a procura de um bom café da manhã. Hoje é um dia especial e nada melhor que um bom café da manhã.

S/N- Ok vamos ver o que eu tenho aqui – disse me inclinando um pouco para ver melhor a geladeira.

 

??- Que bela vista – aquela voz surgiu me fazendo bufar. Pensei que tivesse indo embora.

 

S/N- Mal te conheço mas você é tão inconveniente quanto Baekhyun – fechei a porta da geladeira e segui até aos armários procurando uma frigideira para fritar meus ovos.

 

??- Eu aprendi tudo com ele – sentou-se no balcão – Você cozinha?

 

S/N- Não, decidi brincar de fritar ovos.

 

??- Você é bem estressada – disse entre risos – Porque não relaxa?

 

S/N- Como relaxar tendo um idiota morando na mesma casa que eu e ainda um cara estranho e pervertido na minha cozinha.

 

??- Não sou pervertido, só acho que o que é bonito deve ser apreciado. E eu te acho bonita.

 

S/N- Que legal hein – fingi entusiasmo enquanto girava o ovo – Pena que eu não ligo.

 

??- Como poder tratar assim um desconhecido? – ele perguntou agora ficando do meu lado

 

S/N- Exatamente, você é um desconhecido, porque te trataria bem?

 

??- Você nem me conhece.

 

S/N- E não quero conhecer – joguei um pouco sal e o virei de novo.

 

??- Quer saber meu nome? – se apoiou no balcão e desta vez não tive como não olhá-lo.

 

S/N- Não.

 

??- Meu nome é Chanyeol.

 

S/N- Eu disse que não queria saber.

 

Chanyeol – Mas eu quis falar – sorriu e olhou para os ovos – Você faria um para mim?

 

S/N – O que? Não – terminei de fritar e logo o coloquei num prato. – Peça para Baekhyun.

 

Chanyeol – Ele não sabe cozinhar. – fez um bico e me encarou.

 

Tentei ignorar sua presença e comecei a comer minha comida em paz. Mas de repente ele apareceu na minha frente e colocou o garfo que eu segurava em sua boca.

 

Chanyeol- Nada melhor que comida caseira.

 

S/N- Yah – o repreendi e senti um cheiro agradável invadir o lugar.

 

Baekhyun- O que está fazendo com ela Chanyeol? – ele perguntou e olhou para meu prato – Você é muito interesseiro. Você está tão desesperada assim? – agora perguntou para mim e antes que jogasse o garfo em seus olhos me levantei e me recompus.

 

S/N- Pode comer se quiser – disse para Chanyeol – Eu perdi a fome. – sem nenhum tipo de despedida segui até a porta para finalmente sair daqui mas Baekhyun me chamou.

 

Baekhyun- Vai mesmo sem isso? – mostrou o celular em suas mãos – Vem pegar bonequinha.

 

Se arrependimento matasse eu já estava morta. Onde foi que eu deixei esse desgraçado desse celular para esse tipo achar.

 

Baekhyun- Não vai dizer nem obrigado? – colocou o celular um pouco mais no alto para que eu não pegasse – Vamos diga.

 

S/N- Você poderia parar de ser um idiota e me entregar o celular como qualquer pessoa normal faria?

 

Ele riu mediante a isso. Era impressionante o quanto sua beleza se desfaz com esse tipo de atitude.

 

Baekhyun – Bonequinha você não pode ser assim.

 

S/N- EU JÁ DISSE PARA NÃO ME CHAMAR ASSIM –chutei o meio de suas pernas e aproveitando esse momento peguei meu celular – Aprenda a agir como um homem de 26 anos.

(...)

 

S/N – Sem nervosismo. Você passou no concurso e está qualificada para isso. Tudo bem que esse lugar é extremamente gigante mas tamanho não é tudo. Você consegue lidar com tudo isso. – eu estava me encorajando após chegar no restaurante e ver o quão lindo ele era.

Por um momento não havia Baekhyun ou qualquer tipo de problema. Era apenas eu. Eu e meu sonho.

 

??- Quem é você? – um senhor me perguntou tomando minha atenção. Estava tão maravilhada pela estrutura do lugar que demorei para responder. O que fez eu me arrepender profundamente.

 

S/N-Me desculpe – curvei  o máximo que pude- Eu estava distraída, me desculpe.

 

Eu não estava falando com um homem qualquer. Mas sim com Gong Yoo um dos melhores chefes da cidade e dono desse restaurante.

 

Gong Yoo-  Você é S/N? – ele desceu alguns degraus e ficou na minha frente – A garota do concurso?

 

S/N- Isso – respondi rápido antes que gaguejasse. Não estava afim de passar vergonha. Não na frente dele.

 

Gong Yoo – Você chegou cedo – olhou para o relógio – Eu gosto disso- sorriu me confortando um pouco. – Vamos entrar?

 

Assenti com a cabeça e ele riu um pouco. Meu nervosismo era presente mesmo que eu não quisesse. Não é qualquer um que fica ao lado de um dos melhores chefes de Seul, se não do país.

(...)

Gong Yoo – Você pode ficar aqui por enquanto – disse quando chegamos na cozinha – Vou pegar um avental. Sinta-se a vontade.

 

S/N- Obrigada – finalmente algo saiu de minha boca. Ele sorriu ao ouvir minha voz. Pelo menos ele era alguém agradável.

 

Eu acho que a vida está compensando todas as cagadas que fez comigo. Acho que estou tendo um tesão por essa cozinha. Todas essas peças, essas panelas, fogões.

 

S/N- Isso é estranho – disse ao perceber que meus pensamentos estavam esquisitos demais.

 

??- Será que poderia sair do caminho? – alguém perguntou atrás de mim carregando duas 3 caixas de alface. – Não me ouviu?

 

S/N- Desculpa – sai do caminho e ele andou um pouco mais rápido para coloca-las no chão.

 

Ele era jovem. Tinha o cabelo preto bem liso. Seu rosto expressava seriedade e quando virou-se para mim observou cada detalhe da minha pessoa.

 

Para mim ele era apenas um cozinheiro qualquer mas quando li o que estava em seu avental eu quase tive um surto de fã. As paixões que as meninas têm por grupos de kpop eu tenho por esse homem. Por mais que nunca tivesse visto seu rosto sempre admirei suas receitas e as entrevistas que ouvia na rádio. Ele era ninguém mais ninguém menos que o filho de Goog Yoo. O grande herdeiro do talento do pai.

 

S/N- Você é o Chen? – perguntei só para confirmar. Meu coração estava acelerado apenas pelo fato de estar ao lado dele.

 

“Se controle S/N”

 

Chen- É o que está escrito aqui – apontou para avental puramente branco – E quem é você?

 

S/N – Eu sou S/N – curvei-me – Vou trabalhar aqui a partir de hoje.

 

Chen – Aqui? – riu e eu não gostei disso. Sua risada teve sentido sarcástico. – Tem certeza?

 

Goog Yoo – Sim ela tem – ele disse aparecendo atrás do filho – E eu quero aproveitar que já se conheceram para te pedir algo. Primeiramente aqui – ele me entregou o avental com meu nome já escrito – Eu pedi para fazer – sorriu e eu retribui.

 

O sonho está acontecendo. Isso é de verdade. Meu nome está aqui. Meu nome está nesse avental.

 

Goog Yoo – Segundo – tocou no ombro do filho – Quero que ensine S/N de como as coisas funcionam por aqui.

 

- O que? ( S/N e Chen)

 

Eu estava animada com isso não nego mas ao ver a cara de Chen perdi um pouco a vontade.

 

Desapontamento é o ato de decepcionar alguém e acredito que Chen esteja assim no momento. Está muito desapontado.

 

Chen- Porque eu faria isso? – perguntou cruzando os braços e olhando para mim – Olhe para ela, duvido que aprenda algo. Eu te disse que essa ideia de concurso era ruim. Quer mesmo alguém que pode estragar sua cozinha no meio de nós?

 

Ok, agora eu estou desapontada. Como ele diz algo assim de mim. Com essas poucas palavras tudo que eu sinto por ele já está indo embora. Admiração onde você está?

 

Goog Yoo- Você vai fazer porque é meu filho. E eu tenho certeza que S/N é uma ótima cozinheira – piscou para mim e eu apenas sorri falso.

 

Chen- isso é ridículo – bufou e saiu de perto de nós dois. Acho que a minha primeira impressão foi meio ruim. Meio não. Foi péssima.

 

S/N- Se quiser eu faço as coisas sozinha ou talvez o senhor encontre outra pessoa.

 

Goog Yoo – Não – disse ainda olhando para o filho – Ele precisa aprender a lidar com as pessoas.

(...)

 

Eu já estava vestida. Me olhava no espelho e sorria. Aproveitei para tirar uma foto e mandar para meus pais. Tenho certeza de que vão adorar.

Passei um gloss rápido na boca e sai do banheiro. Encontrei Chen conversando com uma outra cozinheira (provavelmente). Ao me ver ele fechou a cara e continuou conversando.

Ri quando vi tal cena.

 

“ Você está no céu S/N, não é qualquer diabinho que vai fazer você desistir . Se você conseguiu aguentar Baekhyun você consegue aguentar qualquer pessoa.”


Notas Finais


Mesmo nos momentos mais felizes as pedras no caminho irão aparecer, mas S/N é forte e vai superar cada um deles.
Bonequinha e Playboy idiota, que carinhosos ....
Já vou dar uma dica para não sofrerem mais tarde, não shipem ela e o Chanyeol ok kkkkk
Espero que tenham gostado <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...