História Playground-Imagine Jeon Jungkook-BTS - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Agust D / Suga
Visualizações 184
Palavras 3.258
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annyonggie~! Voltei com mais dois capítulos surpreendentes, acho que irão gostar do próximo!!!!
Vcs não tem ideia do quanto eu fico contente quando comentam, eu sempre adoro respondê-los!!
Aos que favoritam, muito obrigada pelo apoio!! <3
Boa leitura...

Capítulo 16 - Capítulo 16- Um amor, duas bocas, um amor, uma casa...


Fanfic / Fanfiction Playground-Imagine Jeon Jungkook-BTS - Capítulo 16 - Capítulo 16- Um amor, duas bocas, um amor, uma casa...


-I- Isso é sério? – respondi amedrontada
-Sim, é sim. Me admiro como ele ainda não estranhou de você o chamar dessa forma. 
-Olha, vocês podem chamar o Jeon desse jeito, mas eu quando pequena chamava o Tae assim, pode ser pura coincidência, quando ele conheceu vocês? – me abanei
-Quando tínhamos 15 anos. Ele nunca comentou sobre vocês. O Jungkook dizia ter uma amiga de infância. – ele parecia tentar juntar os fatos
-Mas todos tem, o que ele falava sobre ela?
-Ele nunca quis tocar num assunto, é como se toda vez nós fôssemos pisar num machucado dolorido dele. 
-O- Ok, o Jungkook se chamava de Kookie próprio, ou vocês? 
-Nós. O passado que ele demonstra pra todos é como se fosse obscuro. Eu não sei explicar de uma forma que faça menos impacto, mas...Eu acho que tem algo errado nessa história. – se encostou na cadeira tão aflito quanto eu
-Não pode ser, o Tae não é nenhum palerma a ponto de brincar com algo tão delicado meu, com certeza é uma daquelas coincidências loucas da vida que surgem pra nos testar. – respirei fundo – O Jungkook não pode ser o meu Kookie. De jeito nenhum.
-Já experimentou falar com ele, ao menos? 
-Não. E se ele não fala disso pra vocês, imagina comigo. Ele me detesta.
-Creio que não, só não foi muito amigável naquela noite. Fala com ele. 
-Olha, eu posso fazer isso quando sairmos do acampamento, daqui a...?
-3 dias.
-Aish, é muito tempo, isso me deixou travada, agora. – tomei um gole de água –Quero dizer, teria dois prédios enormes desabando em cima de mim: Um deles, mais pesado, que o V mentiu pra mim e se aproveitou. O segundo, o fato do Jungkook ser o meu melhor amigo, na verdade.
Ficamos quietos, reflexivos,processando todas aquelas informações perturbadoras.
-O vocês, vamos lá, o Tae ta quase comendo os cabelos de tanto ciuminho besta. – Yoongi abriu a porta sorrindo – Sobre o que falavam?
-Nada de mais, Yoongi. Só algumas coisas.
-To de olho, viu – ele falou – Posso usar tudo que vi aqui como acusação. – riu
-Pro nada, né? – sorriu – To indo – saí dali, mas quando cheguei na porta, parei – Eu não quero estragar meu aniversário com vocês, hyung. – disse ao Jung – Vamos tentar fazer isso irrelevante e esquecer, tudo bem? –ele assentiu – Mas obrigada, vou ficar mais atenta. – sorri e saí dali me sentindo arrasada
-O que foi, parece tão triste, linda. – Tae surgiu, apertando o passo – Ta tudo bem, ele te fez alguma coisa? 
-Não, não, oppa. – eu respondi tentando esconder a expressão pensativa e bolada – Ta tudo bem, ele só quis perguntar se eu to me sentindo confortável em ir nesse passeio e desde quando nos tornamos namorados. 
-Hm. Acho que o Hoseok ta querendo saber de mais. – ele falou incomodado 
-Não esquenta, amor. – disse o segurando pelo peitoral – Vamos só aproveitar esse passeio. Você sabe que ele tinha uma queda por mim, não é? Mas eu não. Só relaxa, ele foi bem gentil, até. 
-Vou ver se consigo providenciar isso. – sorriu e beijou minha testa, me levando de volta aos outros 
Eu não sei o porque, mas agora me sentia um pouco insegura perto do meu próprio namorado.
--
Logo fugi da realidade. Eles me fizeram rir e me mimaram o dia inteiro, até irmos pro carro. O Jin foi com o seu, levando o Namjoon ( claro  ehuehue ) Hobi e Suga, pro clima não ficar tão bad entre nós.
Eu fui com o carro do pai do Jimin com ele, Tae e Jungkook, a maknae line. O trajeto era longo só quando estávamos ainda dentro do bairro: Demoraria cerca de 7 horas até chegarmos. Ou seja: Madrugada dentro do carro, eu acho, por já serem 3 horas da tarde, contando que passei em casa pra pegar minhas coisas e vestir a seguinte roupa:
 
Eles foram contando piadinhas e me agitando aos poucos, me fazendo esquecer da grande e avassaladora dúvida (e problema) Que teria de enfrentar depois. Mas eu já estava preparada e ciente de que, provavelmente, o pior estava garantido. Era tudo muito “conto de fadas” pro meu lado, nos últimos meses.Eu caí no sono profundamente umas 2 vezes nas primeiras 3 horas, e depois já comecei a ficar agoniada.
-Eu preciso mais do que tudo nesse mundo andaaar – me queixei
-Credo, parece até uma criança. – Jungkook disse
-Falou o adulto. – o zoei fazendo os outros rirem – Acho que preciso ir no banheiro.
-Faz horas que saímos da civilização, a única privada que tem aqui seria um monte de árvores e mosquitos. – Jimin disse sorrindo sacana, choraminguei- Falou a animadinha ansiosa que dizia adorar acampamentos a alguns minutos atrás.
-Isso era antes de minhas necessidades fisiológicas de pessoas do século 21, e não homens das cavernas atacarem! – falei fazendo os meninos gargalharem – Eu posso fazer xixi em qualquer lugar, só para essa bagaça! – disse
-Ah, ta, ta. Só vai logo. O Yoongi odeia parar no caminho, atrasa.- Jimin falou parando e destravando as portas, logo a abri
-Manda um recadinho pra ele: Eu to quase fazendo no seu banco limpinho e de couro, mesmo. Se o Min disser algo, eu faço questão de mirar bem no dele. – falei e saí
-Sua namorada é bem...Masculina. – Jungkook falou rindo ao Tae
-Não, ela é só diferente e descontraída. Por isso me amarrei nela. Vocês podem não reconhecer, mas ela é bem fofinha.
-“Fofinha” como um coice. – Jimin disse arrancando um sorriso de todos
Fui no meio de alguns arbustos, e fiquei meio sem saber o que fazer quando percebi que eu estava no meio do nada com 7 garotos e com uma vontade desumana e anormal de mijar. Tudo conspira ao meu favor. . Os arbustos eram medianos de tamanho, eu teria que quase literalmente sentar na grama pra poder não ser vista, eu estava com tanta vergonha! Mas não podia segurar mais, caso contrário: boom!
-Não se preocupa, vamos ficar dentro do carro! – Jhope gritou pela janela 
-Não impede vocês de espiarem. – eu estava em apuros, não sabia se desistia e era capaz de fazer nas calças ou me arriscava – Isso é patético. – ri – 
-Alguém além de você vai precisar também depois, é só questão de tempo, só finja que não estamos aqui. – Jimin falou
-Podem dirigir pra mais longe, tipo, ali? – apontei pra uma árvore um pouco mais a frente 
-Ta. – Jin e Jimin, que dirigiam, assentiram amigavelmente e partiram, depois estacionando
Tentei não perder a calma e fiz, meio relutante. Que sensação horrível. Eu ia ficar conhecida como a “mijona.”Por garotos. 
Voltei pro carro,  e partimos novamente. Cantamos algumas músicas ( como Milkshake, Spice Girls,Dilemma,  essas músicas meio antigas e patricinhas ) E rimos bastante, mas uma hora todos cochilaram, já eram 7:30 e estávamos sentados, com as pernas dormentes há 9 horas e meia, por isso paramos. A viagem ia ser mais longa do que o planejado. Eu disse pros meninos quando saímos pra ou voltarmos, ou improvisarmos o local e acampar no meio da rua mesmo ( não passavam carros, era deserto ) , mas eles disseram que ia ficar chato, daí. Em compensação, estávamos no meio de um grande nada.
Andamos mais um pouco por 5 horas, mas já era meia noite e meia, resolvemos parar e continuar o resto ( que parecia não ter fim ) Pra desbravar amanhã. 
Eu não conseguia dormir: Estava um clima gélido, numa estrada em cima de um penhasco. As estrelas estavam bem aparentes e ressaltadas ,parecia que estávamos dentro de um quadro. Todos chegavam a roncar, mas eu iria ficar vigiando e me certificando de que estávamos realmente sozinhos lá ( talvez alguma criatura mística do Acre também estivesse presente ) . Fui abrir um jogo no meu celular, que estava sem nenhuma conexão e nem os dados móveis estavam pegando, e esqueci de tirar o som, soltando uma musiquinha alta, infantil e meio desafinada. Bosta.
Abaixei o toque na hora, fazendo careta, mas eles continuavam num sono pesado. Que sorte. 
-Ei. – uma voz sonolenta e lerda disse, do meu lado, vi e era o Jungkook – Abaixa.- coçou o ouvido
-Foi mal, esqueci de botar no mudo, pode voltar a dormir. – sussurrei 
-Você também deveria descansar, sei lá se chegaremos ao menos a algum lugar decente amanhã. – sussurrou sorrindo
-Não, vou ficar desperta mais um pouquinho. O importante é vocês dormirem, não eu.- sorri 
-Ta com medinho? – ele disse debochado 
-Não, tirando que estamos há sei lá,dois planetas distantes do centro. – ri
-Você não é mesmo aventureira. Isso era rotina pra nós há uns anos atrás, sair, fazer programações diferentes, mas aí eles se cansaram. Desculpa por isso, não era o que eu planejei... – sorriu decepcionado
-Você montou a idéia desse acampamento pra mim? – perguntei, ele ficou com medo de confirmar, mas tirei minhas próprias conclusões – Foi muito legal da sua parte. Ta sendo bem diferente. Sou chegada em coisas assim, inesperadas. – sorri – Está sendo muito tumultuado e divertido mesmo assim. Bonito também. – olhei pra janela do carro, haviam até algumas auroras boreais , de leve , me fazendo emocionar um pouco – Obrigada. 
-Por nada. Estou tentando consertar as coisas entre a gente...Quero que saiba que é muito divertido te ter como nossa amiga, mas eu era meio machista antes. Aliás era. – sorriu – Eu sinto muito mesmo. Não pensei no que tinha dito, eu confiava nos membros, mas não sabia quem era você então pensei que era sabe...
-Entendi. – sorri compreensiva – Foi péssimo pra mim, mas já ficou pra trás. Quer descer do carro? O céu ta muito lindo e galáxia!
-Tem certeza? Deve estar frio...
-Podemos levar algumas cobertas do porta-malas. Se não quiser ir, eu vou. Não vou desperdiçar essa maravilha. – ri e saí, ele fez o mesmo e socamos algumas cobertas debaixo de nossos braços. Estavam possivelmente graus negativos...
-I- Isso é sério? – respondi amedrontada
-Sim, é sim. Me admiro como ele ainda não estranhou de você o chamar dessa forma. 
-Olha, vocês podem chamar o Jeon desse jeito, mas eu quando pequena chamava o Tae assim, pode ser pura coincidência, quando ele conheceu vocês? – me abanei
-Quando tínhamos 15 anos. Ele nunca comentou sobre vocês. O Jungkook dizia ter uma amiga de infância. – ele parecia tentar juntar os fatos
-Mas todos tem, o que ele falava sobre ela?
-Ele nunca quis tocar num assunto, é como se toda vez nós fôssemos pisar num machucado dolorido dele. 
-O- Ok, o Jungkook se chamava de Kookie próprio, ou vocês? 
-Nós. O passado que ele demonstra pra todos é como se fosse obscuro. Eu não sei explicar de uma forma que faça menos impacto, mas...Eu acho que tem algo errado nessa história. – se encostou na cadeira tão aflito quanto eu
-Não pode ser, o Tae não é nenhum palerma a ponto de brincar com algo tão delicado meu, com certeza é uma daquelas coincidências loucas da vida que surgem pra nos testar. – respirei fundo – O Jungkook não pode ser o meu Kookie. De jeito nenhum.
-Já experimentou falar com ele, ao menos? 
-Não. E se ele não fala disso pra vocês, imagina comigo. Ele me detesta.
-Creio que não, só não foi muito amigável naquela noite. Fala com ele. 
-Olha, eu posso fazer isso quando sairmos do acampamento, daqui a...?
-3 dias.
-Aish, é muito tempo, isso me deixou travada, agora. – tomei um gole de água –Quero dizer, teria dois prédios enormes desabando em cima de mim: Um deles, mais pesado, que o V mentiu pra mim e se aproveitou. O segundo, o fato do Jungkook ser o meu melhor amigo, na verdade.
Ficamos quietos, reflexivos,processando todas aquelas informações perturbadoras.
-O vocês, vamos lá, o Tae ta quase comendo os cabelos de tanto ciuminho besta. – Yoongi abriu a porta sorrindo – Sobre o que falavam?
-Nada de mais, Yoongi. Só algumas coisas.
-To de olho, viu – ele falou – Posso usar tudo que vi aqui como acusação. – riu
-Pro nada, né? – sorriu – To indo – saí dali, mas quando cheguei na porta, parei – Eu não quero estragar meu aniversário com vocês, hyung. – disse ao Jung – Vamos tentar fazer isso irrelevante e esquecer, tudo bem? –ele assentiu – Mas obrigada, vou ficar mais atenta. – sorri e saí dali me sentindo arrasada
-O que foi, parece tão triste, linda. – Tae surgiu, apertando o passo – Ta tudo bem, ele te fez alguma coisa? 
-Não, não, oppa. – eu respondi tentando esconder a expressão pensativa e bolada – Ta tudo bem, ele só quis perguntar se eu to me sentindo confortável em ir nesse passeio e desde quando nos tornamos namorados. 
-Hm. Acho que o Hoseok ta querendo saber de mais. – ele falou incomodado 
-Não esquenta, amor. – disse o segurando pelo peitoral – Vamos só aproveitar esse passeio. Você sabe que ele tinha uma queda por mim, não é? Mas eu não. Só relaxa, ele foi bem gentil, até. 
-Vou ver se consigo providenciar isso. – sorriu e beijou minha testa, me levando de volta aos outros 
Eu não sei o porque, mas agora me sentia um pouco insegura perto do meu próprio namorado.
--
Logo fugi da realidade. Eles me fizeram rir e me mimaram o dia inteiro, até irmos pro carro. O Jin foi com o seu, levando o Namjoon ( claro  ehuehue ) Hobi e Suga, pro clima não ficar tão bad entre nós.
Eu fui com o carro do pai do Jimin com ele, Tae e Jungkook, a maknae line. O trajeto era longo só quando estávamos ainda dentro do bairro: Demoraria cerca de 7 horas até chegarmos. Ou seja: Madrugada dentro do carro, eu acho, por já serem 3 horas da tarde, contando que passei em casa pra pegar minhas coisas e vestir a seguinte roupa:
 
Eles foram contando piadinhas e me agitando aos poucos, me fazendo esquecer da grande e avassaladora dúvida (e problema) Que teria de enfrentar depois. Mas eu já estava preparada e ciente de que, provavelmente, o pior estava garantido. Era tudo muito “conto de fadas” pro meu lado, nos últimos meses.Eu caí no sono profundamente umas 2 vezes nas primeiras 3 horas, e depois já comecei a ficar agoniada.
-Eu preciso mais do que tudo nesse mundo andaaar – me queixei
-Credo, parece até uma criança. – Jungkook disse
-Falou o adulto. – o zoei fazendo os outros rirem – Acho que preciso ir no banheiro.
-Faz horas que saímos da civilização, a única privada que tem aqui seria um monte de árvores e mosquitos. – Jimin disse sorrindo sacana, choraminguei- Falou a animadinha ansiosa que dizia adorar acampamentos a alguns minutos atrás.
-Isso era antes de minhas necessidades fisiológicas de pessoas do século 21, e não homens das cavernas atacarem! – falei fazendo os meninos gargalharem – Eu posso fazer xixi em qualquer lugar, só para essa bagaça! – disse
-Ah, ta, ta. Só vai logo. O Yoongi odeia parar no caminho, atrasa.- Jimin falou parando e destravando as portas, logo a abri
-Manda um recadinho pra ele: Eu to quase fazendo no seu banco limpinho e de couro, mesmo. Se o Min disser algo, eu faço questão de mirar bem no dele. – falei e saí
-Sua namorada é bem...Masculina. – Jungkook falou rindo ao Tae
-Não, ela é só diferente e descontraída. Por isso me amarrei nela. Vocês podem não reconhecer, mas ela é bem fofinha.
-“Fofinha” como um coice. – Jimin disse arrancando um sorriso de todos
Fui no meio de alguns arbustos, e fiquei meio sem saber o que fazer quando percebi que eu estava no meio do nada com 7 garotos e com uma vontade desumana e anormal de mijar. Tudo conspira ao meu favor. . Os arbustos eram medianos de tamanho, eu teria que quase literalmente sentar na grama pra poder não ser vista, eu estava com tanta vergonha! Mas não podia segurar mais, caso contrário: boom!
-Não se preocupa, vamos ficar dentro do carro! – Jhope gritou pela janela 
-Não impede vocês de espiarem. – eu estava em apuros, não sabia se desistia e era capaz de fazer nas calças ou me arriscava – Isso é patético. – ri – 
-Alguém além de você vai precisar também depois, é só questão de tempo, só finja que não estamos aqui. – Jimin falou
-Podem dirigir pra mais longe, tipo, ali? – apontei pra uma árvore um pouco mais a frente 
-Ta. – Jin e Jimin, que dirigiam, assentiram amigavelmente e partiram, depois estacionando
Tentei não perder a calma e fiz, meio relutante. Que sensação horrível. Eu ia ficar conhecida como a “mijona.”Por garotos. 
Voltei pro carro,  e partimos novamente. Cantamos algumas músicas ( como Milkshake, Spice Girls,Dilemma,  essas músicas meio antigas e patricinhas ) E rimos bastante, mas uma hora todos cochilaram, já eram 7:30 e estávamos sentados, com as pernas dormentes há 9 horas e meia, por isso paramos. A viagem ia ser mais longa do que o planejado. Eu disse pros meninos quando saímos pra ou voltarmos, ou improvisarmos o local e acampar no meio da rua mesmo ( não passavam carros, era deserto ) , mas eles disseram que ia ficar chato, daí. Em compensação, estávamos no meio de um grande nada.
Andamos mais um pouco por 5 horas, mas já era meia noite e meia, resolvemos parar e continuar o resto ( que parecia não ter fim ) Pra desbravar amanhã. 
Eu não conseguia dormir: Estava um clima gélido, numa estrada em cima de um penhasco. As estrelas estavam bem aparentes e ressaltadas ,parecia que estávamos dentro de um quadro. Todos chegavam a roncar, mas eu iria ficar vigiando e me certificando de que estávamos realmente sozinhos lá ( talvez alguma criatura mística do Acre também estivesse presente ) . Fui abrir um jogo no meu celular, que estava sem nenhuma conexão e nem os dados móveis estavam pegando, e esqueci de tirar o som, soltando uma musiquinha alta, infantil e meio desafinada. Bosta.
Abaixei o toque na hora, fazendo careta, mas eles continuavam num sono pesado. Que sorte. 
-Ei. – uma voz sonolenta e lerda disse, do meu lado, vi e era o Jungkook – Abaixa.- coçou o ouvido
-Foi mal, esqueci de botar no mudo, pode voltar a dormir. – sussurrei 
-Você também deveria descansar, sei lá se chegaremos ao menos a algum lugar decente amanhã. – sussurrou sorrindo
-Não, vou ficar desperta mais um pouquinho. O importante é vocês dormirem, não eu.- sorri 
-Ta com medinho? – ele disse debochado 
-Não, tirando que estamos há sei lá,dois planetas distantes do centro. – ri
-Você não é mesmo aventureira. Isso era rotina pra nós há uns anos atrás, sair, fazer programações diferentes, mas aí eles se cansaram. Desculpa por isso, não era o que eu planejei... – sorriu decepcionado
-Você montou a idéia desse acampamento pra mim? – perguntei, ele ficou com medo de confirmar, mas tirei minhas próprias conclusões – Foi muito legal da sua parte. Ta sendo bem diferente. Sou chegada em coisas assim, inesperadas. – sorri – Está sendo muito tumultuado e divertido mesmo assim. Bonito também. – olhei pra janela do carro, haviam até algumas auroras boreais , de leve , me fazendo emocionar um pouco – Obrigada. 
-Por nada. Estou tentando consertar as coisas entre a gente...Quero que saiba que é muito divertido te ter como nossa amiga, mas eu era meio machista antes. Aliás era. – sorriu – Eu sinto muito mesmo. Não pensei no que tinha dito, eu confiava nos membros, mas não sabia quem era você então pensei que era sabe...
-Entendi. – sorri compreensiva – Foi péssimo pra mim, mas já ficou pra trás. Quer descer do carro? O céu ta muito lindo e galáxia!
-Tem certeza? Deve estar frio...
-Podemos levar algumas cobertas do porta-malas. Se não quiser ir, eu vou. Não vou desperdiçar essa maravilha. – ri e saí, ele fez o mesmo e socamos algumas cobertas debaixo de nossos braços. Estavam possivelmente graus negativos...
 


Notas Finais


Até!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...