1. Spirit Fanfics >
  2. Playing the game- Byun Baekhyun >
  3. Capítulo 3

História Playing the game- Byun Baekhyun - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Capítulo 3


Acordo num pulo com o coração a mil, sento na minha cama e tento recuperar o fôlego.  Aquele som volta, o mesmo som que ouvi no mercado, aquele som ardido que doe meus ouvidos. Tampo minhas orelhas com as mãos e sinto minha visão começar a embaçar, a dor é tão grande e insuportável que sinto que vou chorar a qualquer momento. 

-para... -eu digo baixo com a voz embriagada. -para! -aumento meu tom.

Depois de uns minutos tudo ficou um silêncio, o que fez com que eu ouvisse ruídos finos. Aquele barulho era tão alto e marcante que quando parou, eu ainda continuo a ouvir alguns ruídos, estava muito sensível.

Vejo que são 7:00. Quem que acorda tão cedo assim num sábado? Resolvo voltar a dormir, na esperança de ter paz e não acordar daquele jeito novamente. Mas o sono simplesmente não vem, fico rodando na cama com os pensamentos que não paravam em minha cabeça. Aquele som, o que é? Não consigo pensar em nada exato, a única coisa que penso quando lembro é de um lazer ou um choque, mas ainda não faz sentido e porque eu sou a única que ouço? 

Desisto de tentar dormir e me levanto para acordar. Estou querendo tomar um ar para distrair a cabeça, resolvo ir em uma cafeteria que tem aqui perto do prédio. Coloco uma roupa casual e logo saio. Vou a pé pois o caminho é curto. 

-o que vai querer? -diz o atendente com um sorriso meigo. 

-gostaria de um frappuccino de chocolate por favor.

-algo mais? 

-só isso mesmo. -o mesmo assente e logo vai preparar meu pedido. 

Olho em volta do local que era super confortável, era bonito e super elegante a decoração. 

-Hye Min! -ouço alguém me chamar. Conheço essa voz. 

-ah Hyun Jin. -faço uma reverência para o mais alto. 

-aigoo não precisa ser tão formal assim, sou mais novo que você. -ele sorri doce. 

-estamos nos encontrando bastante né? -falo um pouco tímida dando uma risada baixa e sem graça. 

-verdade verdade. -o garoto concorda comigo. 

-aqui seu pedido moça. -escuto o atendente dizer e pego o copo de sua mão o agradecendo. 

Hyun Jin faz seu pedido e sentamos em uma mesa próxima ao balcão. O local estava silencioso, afinal, só havia nós. Eu, Hyun Jin e o atendente. 

-talvez não seja tanta coincidência a gente se encontrar aqui, moramos no mesmo prédio e essa é a única cafeteria do bairro. -ele diz me olhando enquanto eu beberico minha bebida. 

-ah sim. -ele é uma pessoa muito extrovertida e gosta de conversar, eu acho que sou o contrário, gosto de sua companhia e acho que o mesmo é uma pessoa super divertida. Mas eu não estou acostumada com esse tipo de tratamento, digo... minha única amiga é a Jisoo e nunca tive outra, mesmo garotos, nunca tive amigos também. Então uma pessoa vir assim do nada e conversar comigo como se fôssemos amigos é diferente para mim. 

-hm... -ouço ele murmurar. -porque está tão quieta? -acho que ele percebeu que me calei depois de o responder. 

-estou? 

-está. É assim normalmente? -o olho confusa.

Normalmente?

-uhm... sim? 

-é que desde quando nos encontramos percebi que você era meio quieta e tímida. -ta mas aonde ele quer chegar com isso?

-Eu... eu não tenho muitos amigos, então me assusta um pouco você falando comigo. -digo tentando explicar da melhor forma para ele não entender errado. 

-te assusta? Você tem medo de mim? -mas não deu certo. -não vejo motivos para isso. 

-não! Não é isso! -faço gestos com a mão. -o que eu quis dizer é que eu nunca tive muitos amigos, então é estranho vier uma pessoa e falar comigo como se fôssemos próximos.

-ta... eu acho que entendi melhor. -faz uma expressão pensativa. -ainda não somos próximos mas vamos ser, amigos bem próximos. -agora seu rosto está com um sorriso fofo, eu coro sentindo minhas bochechas queimarem. 

-ah claro. -digo finalmente, tentando me recompor. 

O atendente chama o nome do garoto anunciando que seu pedido está pronto, o que demorou um pouco. 

-ja volto. -ele se levanta, e logo volta com sua bebida em uma mão e um prato com um salgado no outro.

Hyun Jin começa a comer enquanto conversamos aleatoriamente. Coloco o copo da minha bebida em minha boca para beber, mas aquele barulho de antes me interrompe. Denovo não. 

Solto a bebida colocando encima da mesa enquanto tento controlar a dor que sinto em minha cabeça e ouvidos, afinal, sou só eu que escuto, as outras pessoas ao meu redor não conseguem. Então tenho que fingir que nada está acontecendo para não pensarem que sou louca, que nem no mercado. 

Tento ao máximo não colocar as mãos na orelha, mas não conseguia. Cubro a cabeça e abaixo a mesma, gemo de dor sentindo meus ouvidos sangrarem. Olho para o lado e vejo Hyun Jin do mesmo jeito que eu. Ele consegue ouvir também? 

Ele geme de dor enquanto eu choro silenciosamente. Percebo o mesmo virar seu olhar para mim e ficar surpreso por estarmos escutando a mesma coisa. Vejo o atendente olhar estranho para nós. 

Eu fecho meus olhos fortemente e o som para. Não só o som, tudo para. Descubro minha cabeça e olho para o garoto ao meu lado. 

-você também escuta isso? -pergunto.

-achei que fosse o único. -ele diz tirando as palavras de minha boca. 

Olho ao redor e vejo o homem do balcão parado, parecia que nem respirando estava. Suspiro e me levanto indo em direção ao mesmo. 

-com licença, eu quero pagar meu pedido. -falo o olhando mas ele não se mexe. -com licença? -ele nem piscava. -ooi? -mexo a mão na frente dele mas nada. 

-o que aconteceu? -o mais novo chega ao meu lado. 

-esse cara paralisou. 

Ele olha estranho e chama o homem, assim como eu. E não tem respostas também. 

-e se ele teve sei lá um ataque cardíaco (???) e não consegue se mexer? Não é melhor chamarmos a ambulância? -pergunto um pouco nervosa.

-não, não deve ser um ataque cardíaco, não faz isso com as pessoas. Eu acho. 

Olho para a porta onde provavelmente os outros funcionários devem estar e começo a chamar eles para virem aqui. 

-eiii alguém? -grito mais alto com a paciência no limite. 

-calma, não deve ter ninguém. -coloca a mão em meu ombro. 

Me debruço contra o balcão e continuo gritando por alguém. 

-aish. -resmungo. 

-calma Hye Min. -ignoro sua fala.

-ah quer saber -pego o dinheiro para pagar o pedido. -toma! -coloco o mesmo encima do balcão e saio andando indo para a saida. 

-espera eu! -ele deixa o dinheiro do que pediu todo desengonçado no balcão e corre até mim. -porque está tão irritada? 

-eles estão brincando com a nossa cara, não é possível. 

Chegamos na calçada e paramos de andar quando vimos os carros no meio da rua parados, e as pessoas estavam também. 

-porque... está tudo parado? -pergunto.

Os carros não estavam estacionados, pelo contrário, estavam no meio da rua normalmente como se estivessem no trânsito mas não se moviam. E com as pessoas era a mesma coisa, parecia que estavam andando mas estavam paradas, como uma parada no tempo. Bizarro.

De repente vimos uma luz vindo de um prédio, uma luz forte branca. E algo me dizia para ir até lá. Começo a andar. 

-yah! O que 'ta fazendo? -escuto o garoto me  chamar. 

-vamos. -digo sem o olhar. 

Ele corre até mim e andamos lado a lado. 

Chegamos no local e Hyun aperta o botão do elevador, mas nada acontece. Ele aperta denovo e mais umas três vezes.

-porque não funciona essa porr- 

-acho que a energia não está funcionando. -o interrompo. -vamos de escada. 

Subimos a escada e a luz ficava cada vez mais forte. Chegamos a um andar e a luz para, deve ser aqui. Vi uma mesinha com chaves encima, eram parecidas, para não dizer iguais. Hyun Jin vai até o objeto e pega uma chave. 

-porque tem chaves aqui? -ele pergunta.

Eu pego outra chave. 

-não sei também. 

De repente uma voz feminina robótica começa a falar. 

-objetos escolhidos. -olhamos em volta procurando da onde saia aquela voz. 

-da onde está saindo isso? Uma caixa de som? -ele diz.

-boa sorte jogadores. -a voz diz.

-não faço ideia. -digo respondendo o mais novo. 

-e bom jogo. -continua. 







Notas Finais


Haha que os jogos comecem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...