1. Spirit Fanfics >
  2. Playing with the Choi -- Taegyu >
  3. Laudo e compreensão

História Playing with the Choi -- Taegyu - Capítulo 6


Escrita por:


Capítulo 6 - Laudo e compreensão


Fanfic / Fanfiction Playing with the Choi -- Taegyu - Capítulo 6 - Laudo e compreensão

"Eles falaram exatamente o que Seonghwa tinha visto nos exames. Uma costela fratura e o tendão da coxa esquerda, rompido. O médico falou que pode melhorar rapidamente se cuidarmos devidamente dos machucados. Ele não pode fazer qualquer movimento brusco e muito menos atividades físicas. Sendo assim, iremos dividir as tarefas para conseguirmos cuidar dos dois corretamente."

Yeonjun e Taehyun tinham acabado de chegar do hospital, por volta de duas horas depois de saírem, e acabado de nos contar o que aconteceu por lá. 

No momento Taehyun estava com uma tala em sua coxa esquerda e tomando os devidos remédios para o tratamento de sua costela. Por algum tempo, aproximadamente alguns dias ou no máximo duas semanas, Taehyun estaria debilitado e precisando de nossos cuidados. 

- Tive que falar que ele sofria abusos físicos em casa e conseguiu fugir de seu pai. Então o hospital concordou em abrirmos um b.o de agressão e assim, poderemos ir no hospital normalmente. - Yeonjun disse enquanto ajudava Taehyun a se deitar na cama da enfermaria. 

- Não acharam estranho? Digo, pelo jeito  não são só as marcas dessa agressão, que estão evidentes. - Olhei curioso sobre qual resposta eles teriam falado para se livrar daquela situação. 

- Acharam no começo, mas explicamos toda a história... - Yeonjun deu uma pequena pausa. - Quer dizer, não absolutamente toda. Mas conseguimos falar a verdade e pedimos pra fazer o b.o. 

- Assim eles não desconfiariam da nossa história e nem investigariam vocês. - Taehyun se pronunciou depois que já estava confortável o suficiente. 

- Ele que deu a ideia, ainda no carro. 

- Bom, pelo jeito está tudo resolvido! - Soobin falou se aproximando mais de mim. - Agora só temos que resolver com quem ele vai ficar...

- Como vocês vão resolver sobre Illinois, eu estive pensando que ele ficaria melhor comigo... Até ele se recuperar uns oitenta por cento e arrumarmos um apartamento para e ele e Aaliyah. - Yeonjun deu a ideia. Que no momento, era a mais acessível. 

- Não queremos incomodar vocês. Eu sei que são ocupados e cada um tem as suas obrigações... Não precisam se preocupar tanto comigo e com a Aaliyah, já que ela é tão pequena e traria problemas para vocês. - Vi seus olhares caírem sobre a menor, que estava adormecida em meus braços. 

- Nem ela e nem você atrapalha, Kang. - Falei ainda olhando para a pequena. - Só é uma mudança muito grande e totalmente nova para nós... Com o tempo, nos adaptaremos a isso tudo. Vocês também irão se acostumar com a nossa rotina. Não se preocupe. 

- Se Yeonjun quer ajudar vocês, ficando aqui em sua casa, eu posso ajudar no tratamento e no cuidado da Aaliyah. Ou, o que seria mais possível, o contrário. - Seonghwa propôs pensativo. 

- A casa do Yeon é grande o suficiente para vocês dois, sem ter nenhum problema. - Realmente, aquele acontecimento não incomodaria em nada o mais velho. Mas mesmo assim, algo me fez ficar apreensivo. 

Normalmente era Yeonjun que elabora todas as nossas missões e estratégias, além de nos deixar preparados para todas as possibilidades que poderiam ocorrer. 

Mas com ele ficando aqui e nós indo para o outro lado do continente, ficava mais complicado do que imaginávamos. E pela cara de todos na sala, eu tinha certeza que era um pensamento mútuo. 

- Com Yeonjun aqui na Colômbia, eu poderia conectar uma rede mais rápida, para que não perdêssemos totalmente o foco. - Wooyoung disse virando seu tablet em nossa direção. - Vejam, eu conseguiria conectar qualquer computador que ele tem em casa, em um dos nossos. 

- Mas como sempre, se eu não estiver enganado, você precisaria de uma rede confiável em algum lugar perto do galpão, certo? - Soobin voltou a falar, enquanto seguia o pequeno esquema que Wooyoung tinha feito.

- Como sempre, o nosso querido chefe, acertou! - Seonghwa riu olhando para o último citado.

- Ele consegue ser o inteligente quando quer... Pena que quase nunca aconteça! - Não perdi a oportunidade de tirar uma com o meu irmão. 

- Ambos estão certos... Não posso pegar qualquer fonte e estragar tudo que os seus pais e nós mesmo, realizamos. É um risco enorme e eu não iria fazer isso. - Wooyoung concluiu sua pequena frase.

- Por que não falamos com o San? - Falei mais para mim mesmo, como uma pequena ideia do que poderíamos fazer, do que para os outros. 

- San? Choi San? - Wooyoung perguntou. - Como ele poderia ajudar, Beom?

- Ele mora perto o suficiente do galpão, mas não tão perto para que se torne um suspeito, caso algo aconteça. - Falei para o menor. - Além do mais, San já trabalhou conosco muitas vezes... Ele é um que tem total de nossas confianças. 

- Se iremos mesmo pedir pro San, temos que explicar o que está acontecendo. Ele trabalha para nós em Illinois a muito tempo... Ele deve saber como agir em quanto vocês não chegarem. - Yeonjun completou minha fala. 

- Então temos que entrar em contato com ele, o mais rapidamente. - Soobin falou, enquanto pegava seu celular no bolso. - Se você quiser Woo, posso deixar isso completamente pra você. 

- Acho que é o melhor a se fazer. Tenho que explicar sobre a rede de comunicação, que ficará na casa dele. - Jung concordou.

- Então deixa eu ver se eu entendi. - Taehyun também entrou na conversa. - Yeonjun e Seonghwa irão ficar comigo na Colômbia, enquanto Soobin, Beomgyu e Wooyoung e também esse tal de San, iriam resolver o assunto que Santiago causou, é isso? 

- Não do galpão exatamente. - Eu disse olhando para o mesmo. - Cuidaríamos de quem Santiago mandou para lá. Mas pelo jeito, pelo o que eu entendi, ele mora lá a algum tempo e é bem conhecido na região. O que facilita o nosso trabalho. 

- E quem seria essa pessoa exatamente? - Taehyun voltou a perguntar. 

- Um tal de Daniel Garcia. Ele falou que queria uma companhia no inferno... Ou algo assim.

- Daniel Garcia? Vocês tem que tomar cuidado com ele. Ele não é fácil... - Taehyun mudou sua expressão, que vacilava de medo e temor.

- Eu sei, Santiago me falou o que ele fazia com você. - O vi concordar minimamente com a cabeça. - Saberemos ser cuidados e o que fazer na hora, não se preocupe tanto com a gente. 

Querendo ou não, eu conseguia entender o porquê de seu medo. Ele vivenciou muitas torturas, sendo psicológicas, verbais e físicas, por causa de uma negligência familiar. Seu medo lhe traía, mesmo quando já estava seguro. E também, não tenho como julgar esse sentimento. 

Taehyun sempre aprendeu e viveu como um mundo violento, faz com as pessoas vivam ao seu redor. Não posso dizer que a minha vida foi como de qualquer outra criança, mas a minha adaptação para essa realidade, foi ambígua e quando eu já sabia como era a sociedade podre que vivemos. 

Seu medo é a sua proteção, sua precaução e seu conforto na escuridão. Seu medo era aquele que o deixava em uma bolha. Uma bolha pessoal, que nem mesmo o homem mais forte, a maior força exterior, poderia ultrapassá-la. Era graças à aquele sentimento de incerteza, que o deixava vivo. 

Sua vida poderia não ter conforto e bases em que ele poderia se agarrar, mas ainda assim, ele achou uma forma, uma vida, uma esperança para qual valeria viver. Um último grito de socorro.

E aquele medo se transformou em um grande escudo, que deixaria não somente a si mesmo seguro, mas também a pessoa que o trazia a felicidade: a sua pequena Aaliyah.

- Vou tentar falar com ele ainda hoje e perguntarmos se podemos nos instalar lá. - Wooyoung voltou a dizer, depois de salvar o número do San. - Se conseguirmos a aprovação dele, Yeonjun pode nos monitorar quando formos fazer o trabalho. 

- Monitorar? Você consegue fazer isso também? - Seonghwa perguntou confuso. - Fazer isso em uma distância tão grande, não vai ser um problema? 

- Confia em mim, Hwa! Se tivermos um casa, para deixar como nossa base de comunicação, eu consigo arrumar isso. E ainda vamos poder ouvir as estratégias do Yeonjun, que fica melhor no perfil de cada um. 

- Se ele diz que consegue, quem somos nós para duvidarmos?! - Soobin acabou falando para descontrair o momento. 

Quando acabamos de finalizar sobre o assunto, vimos que Aaliyah estava despertando. 

Por uns minutos, até a mesma se acostumar com tudo que estava acontecendo em sua volta, ficamos observando o quão especial aquele pequeno ser podia ser. 

- Acho que seria melhor irmos pra minha casa logo. - Olhei para o mais velho, para o mesmo continuar sua frase- Aqui não é um bom lugar pra ela. 

- Jun tem razão, meninos. - Wooyoung disse. - Quanto mais rápido eles forem pra casa dele, a recuperação será mais rápida. 

- Aaliyah não vai ficar com os tios, aqui? Aaliyah não quer ficar sozinha... - A menor falou um pouco assustada. 

Por decorrência a todas as coisas que ela já viveu, mesmo tão pequena, acho plausível o seu medo de não ter mais alguém de confiança em seu lado. 

- Você não vai ficar sozinha, sim? Só iremos ir para a casa do tio Yeon. Te gusta, ¿no? - Perguntei de um jeito mais carinhoso. 

- Tio Yeon? Aaliyah e Hyun vão ficar com o tio Yeon? - Confirmei com a cabeça. - Então tudo bem, ¡me gusta él! 

- Já que temos a confirmação da senhorita Kang... - Vimos Aaliyah rir animadamente. - Vamos para a minha casa! 


                                   🌧️


Fomos dividos em dois carros: no carro do Soobin, foram ele, Yeonjun e Seonghwa. E no carro de Wooyoung, fomos Taehyun, Aaliyah, Jung e eu. 

Quando chegamos ao endereço do mais velho, para a nossa maior surpresa, a casa não estava fazia. Kim Hongjoong estava lá, fazendo algum de seus trabalhos. 

Hongjoong era responsável pela nossa segurança judicial. Por obra do destino, ou nem tanto, Hongjoong era namorado de Seonghwa desde o tempo de escola. Querendo ou não, crescemos todos juntos e no final das contas, nos formamos cada um em uma área específica para não precisarmos de desconhecidos. 

- Pensei que vocês iriam ficar o dia todo por lá. - Kim disse enquanto saia da casa. - Qual foi a merda que vocês fizeram dessa vez?

- Não fizemos nada, na verdade só ajudamos. - Seonghwa desceu do carro, se aproximando de seu namorado. - Woo e Beom resgataram os filhos de Santiago, e eles dois vão ficar aqui com O Yeonjun. 

- Filhos? Desde de quando aquele cara tem família? - Mais uma vez, outra pessoa ficou chocada com aquela descoberta. Mas mesmo assim, não impediu que o casal se beijasse como cumprimento. 

- Boa pergunta... - Seonghwa ficou pensativo. - Taehyun, quantos anos vocês tem? 

- Eu tenho dezoito anos e a Aaliyah tem quatro anos. - Já com todos foram dos carros, Taehyun falou em voz alta. 

- Ela é um amor, Hong! - Yeonjun disse animado, dando a volta em nossa direção. - Você vai adorar ela. Mas enquanto isso, vamos entrar porque eu tenho algo para fazer. 

- Em falar nisso, tem um cara te ligando. - Hongjoong informou enquanto entrava na casa novamente. Mas dessa vez, com seu namorado ao seu lado. - Ele falou pra você ir vê-lo... Mas eu não sei quem era. 

- Não se preocupe, eu sei quem é. Vou ir lá ainda hoje. 

- Que tanto mistério Jun, você era menos misterioso. - Aquilo já vinha acontecendo a algum tempo. Desde a sua grande promessa pra Ruan, ele sempre saí mais cedo e nunca avisava onde iria.

Com todas essas mudanças repentinas, as pequenas ações de Yeonjun passavam despercebidas. Não que desconfiamos do mesmo, mas nos sentimos preocupados em relação a sua segurança. 

- Vocês vão saber o que eu tô fazendo... Mas infelizmente, não vai ser por agora. - Ficar despreocupado com uma pessoa especial para si, é deveras difícil. Mas Yeonjun sempre cumpre suas palavras e eu acredito cegamente nele. - Vamos mostrar os quartos. Se vocês dois quiserem, podemos colocar vocês no mesmo quarto ou separados. Podem escolher! 

- Aaliyah já é grandinha tio! Eu consigo dormir sozinha! - Com a menor saltitando já dentro da casa, não podíamos fazer diferente. Claro, sem os pulos de alegria. 

- Então a grande Aaliyah terá um quarto separado! Podemos decorar depois, eu posso de ajudar. - Yeonjun a pegou em seu colo, nos direcionando para os quartos que já nos eram familiar. 

- Esses dois quartos são os mais pertos do meu. - O mais velho apontou na direção do final do corredor, onde se encontra seu quarto. - Como Seonghwa vai ajudar o Taehyun na maior parte do tempo e eu ficarei com a Aaliyah, o quarto dela é mais próximo. 

- E o quarto que o Taehyun vai ficar, será do lado meu. - Seonghwa disse também apontando. - Eu costumo ficar bastante aqui, então já tenho tudo para minha sobrevivência. 

- Como o Hwa vai ficar aqui, então eu também vou ficar. - Hongjoong disse enquanto abraçava por trás o seu namorado. - Juro que eu não sou chato. 

- Já que temos tudo resolvido, vamos deixar ambos descansarem e depois falaremos sobre o que vamos fazer. - Falei enquanto entregava Taehyun, para maiores cuidados do nosso médico. - Buenas noches, bebé! 

- Buenas noches tíos! 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...