1. Spirit Fanfics >
  2. Playland >
  3. Capítulo dois - O maço de cigarro

História Playland - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


I'm come back
Vim dar o ar da graça!

Capítulo 2 - Capítulo dois - O maço de cigarro


Fanfic / Fanfiction Playland - Capítulo 2 - Capítulo dois - O maço de cigarro

Temperatura beirando a 20 graus, dias normal e pacato, as pessoas andavam por aí seguindo sua rotina, o metrô lotado como sempre onde os poucos sons emitidos era o barulho do ranger dos trilhos, Sasuke estava encostado em uma das paredes de metal do transporte, a cabeça jogada para trás, a mão esquerda segurando a mochila enquanto a direita se apoiava na barra de metal. Nos fones tocavam uma eletrônica, ele me encarava por mais que seu campo de visão fosse limitado pelo ângulo que se encontrava, permanecia parada em sua frente com uma das mãos segurando a mesma barra de metal que ele.

- esqueceu a maquiagem. – me informou serio.

- droga! – praguejei baixo enquanto passava a mão livre pelo pescoço. – eu escondo com o cabelo.

- quero te ver depois da aula, não esqueça. – ele abaixou a cabeça e me olhou mais de perto. – o mesmo plano de sempre.

Sim, o mesmo plano de sempre, com as mesmas regras de sempre. 

O plano era simples e fácil de ser executado, depois da aula, se ele quisesse me ver, eu seguia o mesmo caminho, saía da escola pelo pátio de trás trinta minutos depois do sinal tocar, caminhava até o estacionamento de um mercado que havia ali e o encontrava encostado no carro fumando um cigarro ou bebendo uma cerveja. Tudo isso era pra ninguém nos ver, ele não gostava que ninguém soubesse que o Sr. Uchiha repetiu uma garota, sempre era uma garota diferente, e eu tive a sorte de ser a única com quem ele repetia o sexo. 

As regras eram claras, três ao todo. Um, nunca transe com mais alguém; dois, não corte o cabelo; três, faça tudo o que eu peço. Eu seguia todas à risca, nunca tinha deitado com mais ninguém além de Sasuke, meu cabelo nunca foi curto e eu sempre, sempre mesmo fazia tudo o que ele pedia. Sem exceções e sem reclamações, eu fazia tudo o que ele queria. Não tinha recompensa, mas às vezes eu recebia um carinho diferente, um beijo com mais amor, um abraço acolhedor, uma palavra mais bonita do que apenas seus habituais “hm´s”. 

O alto falante do metrô anunciou a estação, quando as portas foram abertas as pessoas começaram a sair rapidamente, Sasuke agarrou meu pulso e me puxou para fora do metrô.

- o carro saí da oficina hoje, desça cedo e compre um cigarro pra mim. Eu te pego às 18:00 na frente do mercado. - ele disse enquanto tirava uma nota de mil ienes da carteira e me entregou. - às 18:00. 

- claro. - acenei positivamente com a cabeça.

Ele sumiu na multidão, ía encontrar com os meninos na frente da próxima estação  e claro, ele não podia ser visto comigo. Todo nosso relacionamento era escondido, ninguém sabia, ninguém ouvia e ninguém via. Sempre foi assim e ía continuar assim, até o fim.

Guardei a nota na minha mochila, ajeitei a saia amarrotada do uniforme e subi as escadarias que dava acesso a rua. Dia movimentado como sempre, as motos e carros dividiam lugar com as bicicletas e pessoas que passavam por ali, as lojas abertas com um entre e saí de pessoas em grande quantidade.

20 minutos a pé até a escola, o que significava que eu havia chegada atrasada.

*

 

Sasuke...

- eu vou foder ela hoje, eu vou comer ela como eu nunca comi. - Shikamaru falava com um certo orgulho. - eu preciso dela hoje, eu tô sentindo falta daquela loirinha.

- eu não sei como você aguenta aquela louca, ela grita com todo mundo. - Naruto falou sacudindo a cabeça de forma negativa.

- chega de falar da Temari, ela é minha irmã. Respeito, ok? 

Com a reclamação de Garra os meninos calaram a boca e deram uma risada baixa, eu apenas observava o jeito que elas falavam sobre o assunto.

Foder. Eu era mestre no assunto de foder, mais da metade das meninas dessa escola eu já tinha levado pra cama, e de certa forma, era fácil fazer elas chuparem meu pau, era fácil fazer elas pedirem por mais enquanto gemiam meu nome, tinha um motivo para ser tão fácil assim. Todo dia uma menina diferente, todo dia uma boceta diferente. Eu podia, eu conseguia tudo o que eu queria, era só pedi que elas faziam.

Mas tinha um porém, Sakura era o porém, ela era a única que eu repetia, ela é como meu prato favorito e eu como ele quando eu quero, na hora que quero. Ela era a única que eu fodia na minha cama, ela era a única que eu comia sem camisinha e ainda tinha o delicioso prazer de encher ela com minha porra, ela era a única pra quem eu mandava mensagem no dia seguinte, a única que eu tinha o número salvo, a única que eu tinha fotos nua, a única que eu gemia o nome. O por quê? Nem eu sabia ao certo, mas ela tinha algo que me fazia querer mais e mais. 

Com a Sakura não importava o que eu dissesse, não importava o que eu fizesse, ela sempre voltava rapidinho e pedia desculpas dizendo ser tola. Com ela eu podia fazer de tudo e mais um pouco que ela não ía reclamar, ela nunca ía reclamar.

- Teme, hoje os meninos vão sair pra beber, que ir? - Naruto perguntou estalando os dedos em minha frente.

- humrum. - concordei com a idéia.

- beleza, hoje ás 20:00. 

- ok turma, vamos começar? - o professor questionou ao entrar na sala vestindo o jaleco.

*

 

Sakura...

A aula de shakai* parecia nunca acabar, cada traço escrito pela professora no quadro me deixa ainda mais cansada, a noite com Sasuke não tinha sido calma. Depois de tanto sexo fomos dormi três da manhã o que me rendeu apenas duas horas de sono.

Meus olhos pesavam e eu já não aguentava mais segurar a caneta na mão, a vista ía escurecendo aos poucos e no último segundo eu deitei sobre o caderno na mesa e fechei os olhos cansados. Acordei assustada com o sinal, era o último sinal o que significava que as aulas tinham acabado, levantei meio sonolenta e organizei o material dentro da mochila.

- o que fez essa noite? - Ino perguntou me olhando com um olhar debochado. - você dormiu as últimas duas aulas inteiras, o que anda fazendo a noite?

- não dormi bem ontem, insônia. - expliquei.

- precisa ir ao médico, suas notas vão cair. - falou séria.

- ah claro.

Suspirei cansada caminhando em direção a porta, deixei a loira para trás enquanto ela conversava com Hinata e Ten Ten sobre alguma coisa, desci as escadas despistandos alguns estudantes. Saí pelo pátio de trás, o caminho eu já havia decorado, após sair pelo pátio eu devia seguir um beco que leva até o estacionamento de um mercado, sempre quando Sasuke mandava eu me encontrar com ele eu fazia esse mesmo caminho.

Peguei a nota de dinheiro na mochila e meu celular, comprei um maço de cigarro pra ele e liguei para minha mãe.

- oi querida. - ela atendeu com a voz cansada.

- eu não vou dormir em casa hoje, vou ficar na casa da Ino. Não se preocupe, está tudo bem.

- Sakura, faz dois dias que você não dorme em casa. Eu estou com saudades. - ela falou de forma humorística. 

- eu sei mamãe, prometo que amanhã eu estou em casa. Vai trabalhar hoje a noite também? - indaguei curiosa.

- sim, hoje eu vou trabalhar. Sakura, apenas tome cuidado minha filha. Eu te amo. - falou doce.

- claro mãe, também te amo. 

Desliguei o telefone e olhei as horas, 17:50, logo Sasuke estaria aqui. Em casa, era apenas eu e minha mãe, meu pai havia morrido com um tiro ano retrasado, ele era policial e estava em uma operação quando foi baleado na cabeça, minha mãe demorou bastante pra aceitar a morte dele enquanto eu, no momento que recebi a notícia tinha entendido perfeitamente que ele estava morto. 

Não consigo descrever a sensação de perder alguém tão próximo, vazio, era assim que tudo tinha ficado, a casa tinha ficado com um vazio, minha vida tinha um vazio, com minha mãe foi diferente, ela enfrentou longos meses de depressão regada de remédios para dormir e calmantes, tudo tinha ficado bagunçado e só depois de um ano conseguimos organizar as coisas, tudo tinha voltado ao normal como se ele nunca estivesse entre nós. Simples.


Notas Finais


Espero que gostem!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...