1. Spirit Fanfics >
  2. Playland >
  3. Capítulo três - Sabor cereja

História Playland - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Postei e saí correndo.

Capítulo 3 - Capítulo três - Sabor cereja


Fanfic / Fanfiction Playland - Capítulo 3 - Capítulo três - Sabor cereja

 Sakura...

 

Não lembro de quantas horas eu esperei mas me recordo bem de quando o carro preto se aproximou, o vidro fumê desceu lentamente e os olhos negros me fitaram.

- vamos. - resmungou baixo.

Fechei os olhos e mantive eles fechados puxando o ar, me levantei e bati a mão na parte traseira da saia explanando a poeira. Rodeei a frente do carro e abri a porta do passageiro adentrando o automóvel, me sentei no confortável banco de couro e escorei a cabeça na janela.

- comprou o que eu pedi? - a voz ríspida invadiu o ar.

- sim. - agarrei a bolsa e retirei a sacola e lhe estendi.

Ele agarrou a sacola e já foi retirando o produto, bateu a caixinha na palma da mão, abriu e retirou um. Ligeiramente o acendeu e deu uma intensa tragada soltando a fumaça em seguida.

- você se atrasou. - comentei brava. - muito. 

- hm. - balbuciou. 

- é sério Uchiha. - esbravejei encarando ele. - são quase 22:00, você disse às 18:00. 

- sair pra beber. - cortou o assunto.

Revirei os olhos e puxei o cinto de segurança.

- você está bêbado? - perguntei perplexa.

- não. - acenou negativamente com a cabeça.

Ele ligou o carro e deu ré para sair do beco. Torci os lábios e suspirei pesadamente, ele era um completo idiota mas eu amava tanto ele que nem ligava pra todas as merdas que ele fazia. 

- eu podia ter morrido. - falei me referindo ao tempo que fiquei esperando ele.

- não morreu. - respondeu frio largando o resto do cigarro janela a fora.

O carro parou no sinal vermelho e ele aproveitou o momento para me olhar, tombou a cabeça para o meu lado e me encarou fixamente, ele se inclinou ainda mais e agarrou meu rosto puxando-o para si, a intensidade das orbes negras me engoliram e eu vacilei por um segundo. 

Seus lábios tomaram conta dos meus transformando o toque em um beijo um pouco mais profundo. Ele se afastou quando a luz azulada* iluminou nossas faces, retornou para a posição ereta e focou sua atenção ao trânsito. Me encolhi no banco de couro me sentindo boba por ser tão entregue a ele, tão submissa.

- quer comer algo? - questionou passando os dedos de forma inquieta sobre minha coxa.

- salada e chá verde. - respondi. - podíamos ir naquele MC Donald's? 

- apenas drive thru. - balbuciou. 

- okay. 

Resmunguei chateada com a resposta dele, era sempre assim, apenas drive thru ou os restaurantes afastados do centro e longe da escola, tudo fazia parte do meticuloso plano de não nos verem, era extremamente chato seguir a risca essas ordens idiotas dele mas era minha única opção para ficar do seu lado. 

Após percorrer alguns metros, o automóvel entrou na fila do fast food, não parecia que ia demorar muito mas apenas o minutos que ficamos esperando eram uma eternidade. Sasuke estava inquieto e um tanto impaciente mas isso não impediu que ele fosse lascivo ao enfiar os dedos por baixo da minha saia buscando minha região íntima. 

- S-Sasuke-kun. - gemi desprevenida ao sentir o toque impudico dele. 

Ele foi rápido afastando a calcinha com os dedos para que tivesse acesso total a minha boceta, de forma libidinosa ele brincava com meu clitóris me fazendo gemer, o carro andou mais alguns centímetros até chegar no totem tecnológico onde a voz feminina porém camuflada por um chiado robótico perguntou o que queríamos. 

- hm, um frango tatsuda com coca-cola e... - ele me encarou malicioso dedilhando lentamente meu ponto de prazer. - um batata temperada com sakura*.

- mais alguma coisa? 

- sim, o que você queria mesmo Sakura? - ele indagou me olhando um tanto prepotente.

- salada premium... - respondi em um suspiro. - e chá, chá verde. - completei sentido o arrepio subir por toda minha espinha quando ele introduziu dois dedos. 

- 562,95¥.

- cartão. - disse retirando abruptamente os dedos do meu interior para alcançar a carteira que estava em seu bolso.

Eu gemi de desgosto e incômodo quando ele puxou os dedos. Ele pisou no acelerador e seguimos até a área de recebimento do pedido, quando ele parou em frente a cabine para receber o lanche, a moça que estendeu máquina para passar o cartão quase se jogou para o colo de Sasuke mesmo comigo estando ao lado dele, após entregar as sacolas de papel e o suporte com os dois copos a garota de cabelos escuros e olhos um tanto azulados piscou de forma maliciosa. 

Não tocamos no lanche e nem sequer falamos nada durante todo o caminho, eram cerca de 23:15 quando ele estacionou o carro em frente a casa luxuosa. Tudo o que eu mais queria no momento era apenas um banho quente e comer minha salada para depois ir dormir mas todos os meus planos pareciam ter ido por água a baixo quando ele desferiu um tapa demasiadamente violento na minha nádega, eu gemi de dor sentindo a pele queimar.

- eu quero foder você. - sussurrou de forma autoritária. 

- eu estou cansada Sasuke. - resmunguei colocando a mochila nas costas e pegando as sacolas de papel. 

Ele pegou a mochila dele e trouxe junto aos copos, caminhamos para o interior da casa e subimos as escadas rapidamente. Sasuke não morava sozinho, apesar de parecer que só existia ele de membro da família Uchiha entre os empregados que apareciam esporadicamente para manter a ordem e a limpeza da casa.

Mikoto e Fugaku eram seus pais, que geralmente estavam em longas viagens afastados de casa e de seus filhos, Itachi era seu irmão mais velho e chefe do departamento de polícia de Osaka que vinha vê-lo frequentemente apesar de morar um pouco mais longe. 

Os dois Uchihas se davam bem, extraordinariamente bem para ser mais exata.

A família Uchiha tinha grana, muita grana, e isso era resultado do trabalho de gerações nas indústrias Uchiha's, um enorme produtora de plástico biodegradável. Os pais deles estavam sempre ocupados com todos os compromissos da empresa mas quando tinham tempo, e paciência, voltavam para casa apenas para abraçar seu filho mais novo. Sasuke não era tão apegado ao seu pai quanto era apegado a sua mãe, isso era perceptível quando todos as reuniam em família, como eu sei disso? Eu passava bastante tempo dentro da mansão dos Uchihas, apenas para entreter Sasuke e me fazer esquecer do que encontraria se retornasse para casa. 

Isso significava que apesar dele não me expor publicamente, sua família me conhecia, seus pais gostavam de mim a ponto de me considerar como a namorada de Sasuke e Itachi sabia quem era a dona dos gemidos contidos, que Sasuke fazia questão de torna audíveis para se exibir. 

Passava mais tempo no quarto dele do que no meu, tinha um pequeno espaço em seu closet que ele deixava vago para que eu guardasse minhas roupas e alguns itens de necessidade. Os únicos dias que eu ficava em casa sem se quer visitá-lo, eram os cinco dias vermelhos do mês, ele não me mandava mensagens, nem ligava e nem mesmo me olhava na escola, minha abstinência dele era tão grande que procurei métodos para tentar reduzir ao máximo o tempo que ficava assim.  

Sasuke era minha única droga apesar de que eu não fosse nada desse nível pra ele. 

*

A água outrora quente submergia meu corpo do pescoço pra baixo enquanto o dele se mantinha exposto da cintura pra cima, sentados de frente um para o outro na banheira de mármore o silêncio se perpetuava, um banquinho ao lado da banheira servia de apoio para os copos de papelão antes repletos de líquidos. Sasuke estava recostado na parede de ladrinhos escuros enquanto comia o resto das batatas fritas, eu já havia terminado a refeição e apenas observava ele concluir o lanche. 

- você está bem quieta hoje. - ele comentou jogando a embalagem para o lado de fora da banheira. 

- cansaço. 

- hm. 

Ele me encarou balançou a cabeça tentando espairecer, estávamos um tanto apertados naquela cúbica branca, minhas pernas estavam parcialmente estirada sobre as deles e apesar de estarmos tão próximos nossas intimidades não se encostavam, contanto mesmo distante eu podia sentir que seu membro estava duro só pelo jeito que ele roçava brevemente em minha panturrilha. 

Por breves minutos ficamos ali imóveis sem estarmos fazendo nada até que ele agarrou meus joelhos e os afastou de cima dele, cedi o espaço e ele se levantou deixando a mostra seu pau excitado. Ele puxou a toalha do suporte e se enrolou saindo da banheira, caminhou até o espelho do banheiro e com uma das toalhas de rosto secou os fios molhados deixando-os bagunçados, abriu a porta do banheiro e caminhou até a cama, o vento invadiu o ambiente antes abafado pelo calor das águas e fez meus pelos eriçarem, decidi que era hora de sair também e fiz o mesmo que ele. 

- que horas são? - questionei adentrando no closet.

- 23:57. 

Procurei uma das blusas que Sasuke usava para ficar em casa e a vesti, saí do closet e o encontrei apoiado no parapeito da varanda, ele tragava um cigarro e observava o céu parcialmente nublado. Fui até minha mochila jogada no chão e arrumei as coisas que ele havia colocado pra fora em busca do maço, depois que organizei minhas coisas fui até o banheiro para escovar os dentes, abri o armário ao lado do espelho procurando minha escova e um remédio para dormir. 

Sasuke era um tanto problemático, o típico garoto problema. Desde muito cedo ele frequentava psicólogos e fazia terapia, alguns médicos chegaram a receitar alguns remédios para lidar com a mudança de humor e a borderline que ele tinha mas quem acabava tomando a maioria dos medicamentos era eu, fazia uso dos calmantes e soníferos, às vezes até às vitaminas repletas de ômega 3 e sais minerais. 

Após terminar de escovar os dentes, ingeri a pílula com um pouco da água da torneira e retornei para o quarto. 

- estou indo dormir. - falei com um ar cansado esfregando os olhos. 

Ajeitei as últimas coisas, me deitei na cama e enrolei meu corpo no grosso cobertor branco, afundei a cabeça no travesseiro e fechei os olhos forçando o sono chegar. Não tardou muito e senti a cama pesar do lado oposto onde estava deitada, Sasuke resolveu vir para a cama e isso geralmente significava sexo antes de dormir mas ele apenas acariciou brevemente minha coxa e se deitou do meu lado. 

 

Sasuke...

 

Depois que saí do banho resolvi ir até a varanda para fumar um cigarro, o ambiente estava pesado, Sakura estava bastante calada e de certa forma parecia estar distante. Observei o céu e notei o quanto estava fechado, diferente das outras noites que as estrelas davam uma luminosidade única no céu, senti o cheiro doce invadir minhas narinas e olhei de soslaio o corpo feminino coberto por uma das minhas camisetas de banda, as pernas desnudas deixavam a mostra a pele leitosa que Sakura tinha.

Minha mente vagou para os deliciosos momentos que tivemos no início do dia, e até mesmo da madrugada anterior. Sakura era deliciosa, tinha belíssimos seios medianos que se encaixavam perfeitamente na palma da minha mão, na cintura fina descatava-se as entradas que davam acesso a quadris largos, suas coxas eram torneadas e ela tinha uma bunda grande, apesar dessas características, Sakura tinha um rosto angelical e inocente com olhos grandes e vibrantes, boca em formato de coração e de tom rosado, o nariz era fino e tinha as maçãs do rosto altas que deixava a mostra as  bochechas ornamentadas por sardas apagadas.

Gostosa e sexy ao mesmo tempo, ela era um conjunto perfeito e por tal motivo eu não abri mão de deixá-la ir. 

Sakura tinha uma personalidade um tanto distinta das garotas que vinham atrás de mim e se ofereciam, ela era o equilíbrio perfeito entre timidez e euforia. Com os cabelos roséos de tom pastel e olhos verdes acinzentados, ela parecia uma garota de anime, sempre carregava nos lábios um sorriso meia-lua e seu tom de voz era pacífico até demais. 

Quando eu a vi pela primeira vez usando aquela saía rodada e a blusa passada impecavelmente, sabia que a novata era uma beata. Em poucos dias consegui levar ela pra cama e depois da primeira foda, eu nunca mais quis soltar. A boceta era quente e extremamente apertada, os gemidos eram como uma melodia, seu gosto... Ah, ela tinha sabor de cereja!


Notas Finais


Até o próximo glr!
Azulada - em alguns lugares do Japão o semáforo tem as cores azul, amarelo e vermelho. O azul seria como o verde aqui no Brasil, lá se usa azul pois a grande maioria da população sofre com daltonismo.
Batata frita com Sakura - é uma batata frita especial do MC Donald's japonês, onde a batata vem temperada com flores das cerejeiras desidratadas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...