História Playtime - Capítulo 49


Escrita por:

Postado
Categorias Barbara Palvin, Justin Bieber, Zayn Malik
Visualizações 137
Palavras 4.846
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 49 - Caitulo 15


Fanfic / Fanfiction Playtime - Capítulo 49 - Caitulo 15

                     Samantha Willians Pov

O aniversário de Kate foi cheio de emoções. Eu acabei me abrindo para Justin mais do que devia, não sabia que iria dizer tudo que estava me sufocando a muito tempo.

Não sei se ele estar errado por que eu realmente o amo e isso e algo que não posso negar, mas sei que estou sentindo algo pelo Arthur, eu estou apaixonado por ele, tudo que precisei ele esteve lá por mim, isso me fez ama-lo mais, sei que não e como eu amo o Justin mais e um começo, mas sinto que cresce a cada dia. Ele e um cara incrível, ele me consome de uma forma, ele me alegra de tal jeito, o toque dele e magico como o seus beijos.

Flashback On

Já havia chegado o dia do me aniversario, e não estava acreditando que estava fazendo 24 anos. Meu Deus como estou ficando velha, só falta os cabelos branquinhos. Arthur e as meninas decidiram que eu deveria sair e deixar Kate com a mamãe e aproveitar meu dia, tinha que ser um dia magico e importante para mim, assim como sempre foi.

Decidi me arrumar, tomei meu banho e coloquei um vestido preto de alcinha e um salto preto e estava terminando de arrumar meu cabelo quando Arthur apareceu na porta

- Samantha – consegui o ver pelo espelho e sorri com o que vi. Ele estava lindo, de uma blusa branca e um colete preto e uma calça nude

- Você está lindo – sorri – quem e que você vai encontrar essa noite?

- Você – ele sorriu e se aproximou de mim – temo que ainda não encontrei a verdadeira Samantha – me virei para ele

- Como assim? Não entendi – sorri sem vida

- Eu quero experimentar uma coisa – ele se aproximou mais de mim, colocando uma de suas mãos em meu rosto e a outra na cintura me trazendo para mais perto dele, pode sentir as nossas respirações, eu sabia bem o que ele queria. – Eu juro que se você não gostar eu....

Sem hesitar o beijei, não queria mas ouvi-lo, apenas selei nossos lábios e começamos um beijo calmo, sem pressa, não precisamos de pressa alguma. O beijo dele tinha gosto de morango era um beijo que te tirava todo o stress um beijo magico. Depois do nosso beijo, foi impossível não sorrir, tinha sido tão magico, tão lindo.

- Você está bem? – ele perguntou passando a mão em meu rosto

- Quer saber se eu gostei? – ri – foi ótimo, Arthur

- Serio? – o sorriso dele era de orelha a orelha, algo que me fez sorrir também

- Sim – disse rindo – agora vamos? – coloquei minha mão por cima da mão dele

- Espere – ele colocou a mão no bolso como se estivesse procurando algo e logo tirou uma caixinha ali de dentro- Samantha, eu não sabia o que te daria de presente então...

- Não precisava – peguei a caixinha e abri-la – Ai meu Deus – dentro da caixinha tinha um colar de prata com uma pedra verde – E lindo

- Eu quis azul, pra que combinasse com seus olhos mas, não tinha nenhuma azul

- Está ótimo, Arthur – disse selando nossos lábios novamente em um beijo mais rápido

- Vou chorar no meu aniversário – ri fraco

- Relaxa, pode ter certeza que vai ficar linda de qualquer jeito

- Não minta pra mim – sorri – coloca pra mim – levantei o colar e o mostrei

- Claro – me virei para ele e levantei o cabelo – combina com sua roupa

                                            ***

Isso tudo aqui estava e eu estava muito contente como não me senti a muito tempo. As meninas tudo vieram com um bolo e velas, pedindo para que eu fizesse pedidos.

Fechei meus olhos e decidir algo, aprendi que desejos não se falam, desejos são apenas desejos. Então apenas desejei.

       Flashback Off

Passou uma semana, e já era aniversário do Arthur, e eu não fazia ideia do que iria dar pra ele. E ele estava viajando e iria voltar hoje, e eu não pensei em nada, nada mesmo que ele pudesse gostar.

Peguei meu celular para ligar para ele e acabei vendo mensagem de Justin e do advogado no visor do celular

Dr. Gustavo (Advogado) 08:00 AM

Samantha, já saiu o divórcio, gostaria da sua presença e do seu marido aqui. 12:00 AM

Justin 9:00 AM

Samantha, saiu o divórcio, eu enrolei o máximo que pude achando que ficaríamos juntos novamente, mas foi em vão. Te encontro 12:00.

   O divórcio realmente demorou mais do que imaginei que demoraria, foi algo prolongado durou 1 ano, decidimos que não iriamos no separar no 1 ano que a bebe nasceu, mas pedi o divórcio ano passado, até porque meu caso com Arthur estava ficando sério. Assim como o dele com a Megan.

Fui ate o banheiro o tomei um banho. Assim que sai escolhi um vestido branco florido, coloquei um cinto fino, o colar que Arthur me deu e uma sapatilha. Peguei as chaves do carro e a bolsa, tudo que precisava estava dentro dela. E fui de encontro no local marcado.

                                                                   ***

O relógio Marcava 11:45AM e Justin ainda não havia chegado. O que me deu tempo bastante para pensar no que eu queria.

Eu não conseguia parar de olhar o relógio a cada minuto. O relógio marcava 11:55. Justin chegou de terno e uma pequena maleta ao seu lado, ele apenas me encarou.

- Tem certeza do que estar fazendo? – ele olhou nos meus olhos e me levantei

- Tenho- sorri fraco, olhei para mão dele, ele ainda estava com a aliança. – Vamos entrar – apontei para a sala

- Vamos sim – Nós entramos na sala e aguardamos.

- Vocês são Samantha Willians e Justin Bieber?

- Sim somos nós – ambos dizemos e nos sentamos

- Estão completamente seguros que e isso que querem? – Fui muito involuntário, eu e Justin nós encaramos por um breve momento e voltamos a olhar o advogado – O matrimonio não e uma brincadeira.

- Sabemos – disse e tentei encontra o olhar de Justin, mais estava tão longe.

- Vamos isso rápido por favor – Justin pediu e me encarou

- Vocês tem certeza que não existe amor suficiente para resgatar esse matrimonio?

Assim que falou isso, Justin começou a chorar, aquilo foi desesperador para mim, ver alguém que tanto amei e amo daquele jeito foi de partir meu coração.

- Eii – disse e o abracei – o que passa? Está bem?

- Estou, eu só relembrei de quando casamos é – ele mordeu os lábios e voltou a olhar para o Dr.

- Vocês tem certeza do que querem?

- Sim nós temos – fitei Justin e olhei para as folhas que colocaram na minha frente. Peguei a caneta e assinei a folha e logo após Justin assinou.

- Então e isso? – Justin me olhou e voltou o olhar pro Dr.

- Sim, está feito, vocês agora são oficialmente Divorciados. – Dr., Sorriu e estendeu a mão – Obrigada

- Obrigada o Sr. – apertei a mão dele e Justin fez o mesmo e o Dr. Logo saiu da sala

- Então e assim? Acabou? Tudo que construímos, tudo que tivemos, o nosso amor, acabou?

- Eu ainda te amo Justin.

- Então por que pediu a porra do divórcio? – ele me olhou sem entender

- Tem tantos motivos, e você sabe a maioria e o outro por cento e por que eu amo outra pessoa também.

- Não você não o ama – ele sorriu falso – não e possível. – as lagrimas escorriam pelo seu rosto se parar.

- Justin – pedi – Acabou! Somos amigos e pais de uma menina incrível, somos apenas isso. Entende? – senti lagrimas furiosas correrem por meu rosto também, mas tentava controla-las

- Sim – ele mordeu os lábios, pegou suas coisas e saiu da sala, sem ao menos falar mais nada.

                                     

Resolvi que estava na hora de chegar em casa, em vez de ficar perambulando na praia, assim que cheguei tive uma ideia, eu tinha que ligar pra Arthur, e desejar feliz aniversário. Vai que ele não conseguiria vim hoje. Parece que foi uma maldição acabei de falar e chegou mensagem do Arthur

 

Arthur 14:50

Sammy, eu não vou conseguir ir hoje, as coisas aqui no interior tão demais, fazia um tempo que não vinha pra cá. Minha mão diz que quer me aproveitar o máximo, e os vizinhos também já que sou um hospital ambulante pra eles. Me desculpa não passar o meu aniversário com você. Te.... Adoro.

Te adoro, eu sei muito bem porque ele não fala “amo”. Uma vez ele me disse e eu apenas o olhei nos olhos e sorri, e não sentia tamanho amor por ele então não fui capaz de dizer, mas agora, hoje em dia.

Liguei para ele.

- Oi, espero que seu dia esteja sendo menos complicado.

- Eu estou oficialmente Divorciada de justin – senti a respiração pesada dele no outro ldo da linha

- U, e como ele estar? Melhor como você estar?

- Como acha?

- Acho que estou feliz por estar no meio do nada, pelo menos evitamos brigas. E você como estar?

- Estou bem. – ouvi alguns berros do outro lado da linha, como se alguém tivesse chamando ele

- Em tenho que desligar – ele riu, como se fosse um adolescente escondendo que tinha uma namorada da mãe

- Não, ainda não. – soltei um suspiro leve – aconteceu algo hoje. Percebi algo sobre você. Sobre nós.

Eu ouvia apenas sua respiração e nada mais

- Eu te amo, Arthur.

 

                                 Arthur Cooper Pov

Eu realmente não estava acreditando em nada que estava acontecendo. Eu voltando para visitar a minha mãe no interior, o divórcio oficializado de Samantha e agora isso.

Eu estava em choque, não um choque ruim, um choque feliz, eu não acreditava que ele estava realmente dizendo isso. Eu e ela tivemos uma conversa que não iriamos dizer Eu te amo pro outro até ter certeza que era real. Até que eu resolvi dizer primeiro porque essa melhor me encantou dês da primeira vez que a vi, e os dias com ela me faziam cada vez mais felizes, eu tinha muitos momentos com ela, tanto na casa dela, quando saímos e no hospital a qual trabalhávamos juntos.

Eu disse o primeiro “Eu te amo” ele apenas sorriu e me olhou, depois disso eu resolvi não dizer mais, pra não ficar como panaca até agora, até ouvir que ela também me ama

- Eu te amo Arthur. Eu te amo.

- Olha – ainda estava em choque – eu vou conseguir ir pra ir hoje, eu do meu jeito, eu.... – comecei a gaguejar

- Ei Arthur, não precisa eu vou pra ir, vou compra o primeiro voou e vou pra massachusetts

                                   ***

                               Samantha Willians

Flashback On

- Ela está dormindo já? – Arthur olhou o berço sorrindo.

- Já sim – sorri

- Eu não gostei nada de ver o Justin aqui – ele disse me abraçando por trás

- Do que você tem medo? – perguntei o olhando pelos ombros

- Da nossa felicidade acabar – sorri e me virei o beijando

Ouvimos um choro e fomos olhar e vimos a Kate com aqueles olhos grandes abertos

- O que foi filha? – sorri e peguei ela – chora não – a balancei

- Deixa comigo – Arthur a pegou do meu colo e em questão de segundos ela voltoua dormir

- O que e isso? Magica?

- Não, Não- ele a colocou no berço – ela so dormiu no meu colo porque ela se sente segura.

- Como assim? Ela não se sente no meu?

- Ela conhece pouco a minha voz e mais sua, sua voz a acalma, mas meu colo a sossega.

- Por que?

- Porque ela sabe que comigo vai estar protegida, que vai ser amada, vai ter carinho, e que eu posso estabelecer isso pra mãe dela também. Ela sente essa energia. Voce também sente? – ele se aproximou novamente me puxando pela cintura - sente essa energia, Samantha? – ele me puxou para um beijo calma e maravilhoso.

           Flashback Off

Eu estava no aeroporto depois de ter comprado a passagem para massachusetts, era algo magico era como se eu estivesse indo de encontro com um príncipe, nem parecia que tinha 26 anos

Flashback On

- Engraçado Samantha – Justin riu irônico – você falou que não queria dinheiro nenhum meu, mas está namorando um médico? O esta e unindo o útil ao agradável? Já que e enfermeira, namorar um médico te ajuda a crescer e ganhar mais dinheiro né

Eu não esperei mais nenhuma palavra sair da boca dele e bati em seu rosto

- Não vem falar o que você não sabe. Está me chamando de oportunista

- O que você quer que eu pense ao seu respeito?

- Não me interessa o que pensa ao meu respeito. Eu não tenho nenhuma satisfação para te dar - as lagrimas estavam correndo furiosas pelo meu rosto

- Você e a mãe do meu filho e vai me explicar agora por que quer ficar com ele?

- Você não e o dono da minha vida Justin.

- Eu quero ter mais contato com a minha filha Samantha, se você não me liberar a vê-la quando eu quiser você irá pagar caro por isso.

- Por favor não tire minha filha de mim. - cheguei perto dele e ele me empurrou

- Eu não vou abrir mão dos meus direitos de pai.

- Agora quer ser pai? – berrei

- Eu sou pai, Samantha – ele também berrou – voce não fez o sozinha

- Vai se foder Justin você ficou meses longe e agora quer vim ate aqui e dizer que quer ser pai? Você praticamente a abandonou – Assim que terminei minhas palavras senti meu rosto queimar, ele havia me dado um tapa.

- Eu não vou tirar ela de você. Quero apenas ser pai. – ele berrou

- Você e um cretino, idiota – gritei nem me importa.

- Espero que tenha entendido, se você não me deixar ver minha filha, ai sim vou ser obrigado a tirá-la de você.

Peguei minhas coisas e ia saindo da casa dele ate ouvir sua voz novamente

- Você ama esse cara?

- Ele está comigo, quando eu mais precisei, ele e carinhoso, amigo, conselheiro, até quando a Kate teve suas cólicas ele esteve comigo, ele não bebe descontrolado e bate em mulheres nem fala merdas, ele e totalmente diferente de você

- Eu perguntei se você o ama? – ele berrou

Apenas o ignorei e sai da casa entrando e meu carro e dando partida a casa da minha mãe onde estava Kate.

                                           ***

Arthur estava lá com a Minha mãe e Kate. Enquanto Kate estava aos berros no colo da mamãe, Arthur mostrou sua habilidade com ela. Aquela cena foi linda, por um momento me fez limpar aquilo que havia acontecido mais cedo

- Samantha você está ai – ele sorriu e se aproximou de mim – acho que ela está com fome

- Como foi tudo? – minha mãe perguntou

- Se não se importa conversamos depois – subi as escada com Kate no colo e entreguei no quarto me sentando na cama dando mama para ela.

                                   ***

- Samantha – Arthur chegou perto de mim, fui inevitável comecei a chorar, e ele logo me abraçou – o que foi?

Eu não conseguia falar apenas chorar.

                                                  ***

- Samantha, você está melhor? – ele disse me abraçando por trás

- Estou

- O que aconteceu? Que estava chorando? Foi a visita que fez a Ana?

- Eu não fui ver a Ana, fui ver o Justin – logo não sentir mais suas mãos sobre mim

- O pai da sua filha?

- Sim, ele está disposta a tudo para assumir seus direitos de pai

- Mas ele te abandonou por 7 meses, Samantha

- Você acha eu não sei

- O que ele quer? Quer voce de volta? Quer a Kate? Quer reatar a família? – ele começou a se exaltar

- Ele quer a Kate, quer ser pai dela, quer estar presente

- Ele te abandou não deveria ter direito de pai.

- Eu sei, mas ele consegue- comecei a chorar – Justin consegue tudo que ele quer, e vai acabar tomando a Kate de mim – minha voz começou a falhar

- Ei, ei – ele se ajoelhou e olhou nos meus olhos – eu não vou deixar, você tem a mim, tem a sua mãe, tem a minha família, tem mês advogados.

- Ele e muito poderoso, Arthur – limpei meus olhos com meu pulso – eu e ele tivemos uma briga horrível, e acabei batendo nele

Arthur me examinou todinha quando falei isso

- E ele também te bateu né – ele apertou os pulsos e levantou – babaca, vou acabar com a raça desse infeliz – ele disse descendo as escadas

- ARTHUR- Gritei – ARTHUR, você vai piorar as coisas 

                                   ***

- Arthur, onde você foi? – perguntei o encarando

- Ele não pode ser tão babaca assim com você, Samantha.

- Arthur – o fitei – Obrigada, mas quero ficar sozinha

- Esquece essas ameaças dele – ele sorriu e me abraçou – eu estou aqui por você, sempre.

- Obrigada – o apertei no abraço

Flashback Off

Lá estava eu no Avião, fazendo a primeira viajem de Kate, a qual estava morrendo de medo do avião cair, e eu morrer, por que ela e uma fada e consegue se salvar, mas não consegue salvar mais ninguém. Era uma comedia.

Estava chegando perto de massachusetts, e cada vez que me aproximava mais eu lembrava de tantas coisas.

Flashback On

- Eu não quero continuar casada com você Justin, eu não te amo com tanta intensidade assim, não mais.

- olha nos meus olhos e diz isso – ele me puxou para mais perto dele – fala que não sente saudades dos meus beijos – ele selou nossos lábios mas logo separei

- Eu não tenho mais aquela intensidade com você, ainda mais depois do que fez quando estava bêbado.

- Exatamente eu estava bêbado, não sabia o que estava fazendo, eu já pedi desculpas

- Me esquece, Justin – disse saindo da casa dele

                                     ***

- Eu fui na casa do Justin – disse me sentando no sofá e observando Arthur, minha mão e meu pai me metralhar – E ele me beijou

- É o que você foi fazer lá? O que você foi falar com ele? – ele começou a se exaltar

- Fui dizer que quero o divórcio, mas ele não quer me dar. Precisamos disso.

- Samantha

- Eu não podia ficar de braços cruzados, eu entrei pedindo o divórcio a muito tempo e ele cancelou os dois últimos.

- ele não quer por que ele quer você!

- Ele quer a Kate

- Se ele encosta na minha filha e na minha mulher eu juro que mato ele – ele disse e subiu

- Arthur – o chamei e ele nem me deu atenção

- Filha, o Justin sempre vai querer você, você sabe disso está ciente faz tempo.

- Eu não vou deixar o Arthur, mamãe.

- E nem deve, apenas adie esse divórcio, assim Fica mais difícil do Justin tentar tirar a Kate de você, espera ela completar uns 2 a 3 anos – meu pai disse se aproximando de mim e me puxando para um abraço

- Filha, Justin te ama ele vai fazer de tudo para te ter. E o Arthur também, ele considera você e a Kate as coisas mais importantes para ele, ele também pode querer fazer tudo. E isso pode acabar mal – Minha mãe disse sorrindo, fazendo meu pai me soltar do abraço 

- Está bem – olhei para as escadas e subi indo de encontro com Arthur.

                                        *-*

Entro no quarto e o vejo segurando Kate nos braços com tanta cuidado e carinho, o olhar dele pra ela era incrível. Me aproximei devagar e coloquei minhas mãe em seu ombro

- Arthur, não fica assim meu amor – beijei seu ombro – isso vai passar

- Kate e importante demais pra mim – ele me olhou por cima dos ombros – vou deixar ninguém tirar nenhuma de vocês duas de mim- ele beijou a cabeça de Kate – ninguém

         Flashback Off

Toda a briga que aconteceu envolvendo nós três, tudo que se início graças ao meu amor por duas pessoas, Justin e Arthur. Kate acabou entrando no meio e tudo ficou tão perigoso, os inimigos do Justin, os homens que ele paga pra ajuda-lo, ele e perigoso mas ao mesmo tempo não é, no mesmo tempo ele e frágil como porcelana, no outro forte como titânio. Arthur não e tão diferente, ele também se mostra forte como um titânio, mas também e fraco como porcelana, ele faz de tudo para ajudar aquele que ama, ele e maravilhoso, e todos em volta ama ele, ele não traz risco para minha vida, nem minha família, esteve comigo sempre que precisei, dês dos primeiros meses de Kate até agora, e quer continuar e isso me faz quere-lo isso me faz ama-lo. O amor que ele tem por minha filha, o amor que ele tem pela minha família, o amor que ele tem por mim e tudo muito lindo e tudo muito perfeito.

Flashback On

- Não acusarão infarto- ele sorriu – seu marido e seu pai estão bem – Arthur disse olhando pra mim e para minha mãe

- Ele não vai precisar ser operado – minha mãe não conseguia tirar o sorriso do rosto.

- Fica tranquila que daqui a pouco, vamos buscar a senhora para poder ver seu marido.

- Que notícia boa – minha mãe me abraçou – Louvado seja Deus – ela estava muito emocionada e não conseguiu conter todas as lagrimas

                                                 ****

- Oi – sorri

- Oi – ele retribuiu – não vai entrar para falar com seu pai, ele perguntou sobre você.

- Não vou entrar agora não, eu liguei para Ana agora e a Kate está chorando muito em casa, vou pra casa

- Eu vou te levar- disse tirando o estetoscópio do pescoço

- Não fica com minha mãe, ela vai precisar de alguém aqui – disse e o abracei – Obrigada por tudo

- Eu sempre vou te ajudar – ele sorriu e me encarou - sempre.

Flashback Off

Já havia chegado em massachusetts, e era como ele havia dito, cidade mais pego um taxi falo o nome do lugar que deixa de ser cidade rapidinho, e fiz assim. Depois de um tempo a única coisa que via era, mato, arvore, animal, mato, arvore, animal mais mato, plantação, mais mato, animal, e terra muita terra. Chegamos na pequena cidade, tinha uma lanchonete, uma farmácia, uma livraria, um hospital, poucas lojas de roupas, mas nenhum shopping, tinha igrejas, padaria, e o mais popular de toda a cidade um parquinho. Enquanto se aproximava da casa Da família do Arthur, eu não via mais lojas, apenas grandes fazendas e grandes casas

- Esta perto senhorita, so mais 40 minutos – ele sorriu – choveu aqui ontem, então.

- O senhor conhece aqui? – ouvi Kate fala

- Sim menininha, eu nasci aqui, aqui e meu lar.

Eu não estava prestando atenção no caminho até a casa de Arthur, algo me fez lembrar com Justin ficou hoje após o divórcio e como ele ficou quando eu disse que poderia adiar o divorcio

 Flashback On

- Pai, eu – ouvir a voz de Justin

- Filho tem alguém que quer falar com você – ele disse saindo da minha frente e pode ver o sorriso de Justin

- Eu vim aqui dizer que eu vou adiar o divórcio

- Eu quero minha filha por perto de mim e quero você ao meu lado – ele chegou perto de mim

- Eu não vim adiar pra continuar com você

- Você está adiando por medo de mim? Ou por que me ama?

- O que você acha? – disse debochando – Você me fez ameaças, e eu sei como e perigoso Justin. – disse falando entre os dentes

- Já se resolveram? – o pai de Justin chegou mais perto batendo palmas

- Ela resolveu não pedi o divórcio por enquanto, mas quando a Kate fizer 2 a 3 anos nos vamos se resolver

- Isso, e exatamente isso que estava pensando – disse e me virei e estava indo em direção a porta quando Justin pegou pelo meu braço

- Eu tenho ainda 3 nos para te reconquistar, e eu vou conseguir – ele sorriu de orelha a orelha

Flashback Off

Já havíamos chegado na casa do endereço e era tão linda, a casa tinha uma varandinha típica desses filmes de casas sabe, onde fica a cadeira de balanço da vovó. A casa era de madeira, porem pintada de branco, a porta era enorme e convidativa por conta de uns enfeites, atrás de mim tinha dois celeiros enorme, a minha esquerda tinha umas plantações (que não faço ideia do que são), a minha direita tinha 7 picapes e atrás das picape tinha como se fosse uma usina.

O taxista me ajudou com as malas e colocou na varandinha da casa e em menos de segundos Kate bateu na porta

Flashback On

- Como você consegue ficar correndo atrás de alguém que não quer mais nada com você? – Arthur encarou Justin

- Eu Amo a Samantha – Justin gritou e olhou para mim

- Mas e comigo que ela dorme – Arthur gritou e em questão de segundos Justin partiu para cima dele e começaram a brigar

- Parem os dois Agora!!!! Parem – Gritava muito até uns homens da praça chegaram e os separaram

- Eu vou acabar com você – Arthur gritou 

- Pode vim seu otário, pode ter certeza que você vai morrer - Justin dizia rindo

- Parem os dois, já chega – pedi – já e um saco essa situação e vocês ainda brigam na rua como dois moleques – disse com faísca no olhar.

                                             ***

- Como conseguiu ficar com aquele cara? – ele disse, enquanto eu passava algodão com soro no olho dele.

- Eu vou me divorcia dele para ficar com você – sorri fraco – você também passou dos limites Arthur.

- O Que passei dos limites? Porra Samantha, aquele imbecil vive atrás da gente querendo atrapalha nossa felicidade

- Ele não vai – disse e o beijei – fica calma

- Eu te amo Samantha, eu tenho medo de te perder

Apenas o fitei e sorrir

Flashback Off

- Deve não ter ninguém em casa – disse e fitei a porta e desviei meu olhar para o barulho atrás de mim

Me virei e vi Arthur no traseiro de uma picape junto com 4 meninas e uma menina, e duas pessoas no carro dirigindo

- Samantha- ele sorriu e pulou da picape vindo ao meu encontro e me abraçou – Você realmente veio

- Eu disse que viria, meu amor – sorri e selei nossos lábios, mas não durou muito tempo senti Kate puxa meu vestido e olhamos para ela

- Quero abraço do tio também

- Minha filha – Arthur sorriu e pegou ela e virou ela no ar – Vem comigo gente – ele disse com Kate no colo e indo em direção a picape e as pessoas que estavam saindo ela

- Essa e a Samantha e a Kate – ele sorriu – minha filha e minha mulher

- Ela e lindo filho – Alguém que desconfio ser a mãe dele disse, e veio ao meu encontro me abraçar – Prazer eu sou Teresa mãe do Arthur, e esse e Antônio – ela sorriu e apontou para um homem alto com chapéu, que logo estendeu a mão pra mim

- Prazer eu sou o pai dele, ele nos falou muito de você – ele sorriu e apertei sua mãe

- Esses são: Fred, Henrique, João, Marcela meus irmãos mais novos – Arthur apontou para cada pessoa e todas me cumprimentaram e a Kate

- Vamos entrar, eu fiz um bolo – ela passou a mão no bolso e pegou a chave

- Hmmmm e delicioso – Todos os filhos dela falaram 

                                    ***

- Obrigada Teresa – agradeci depois de Teresa colocar o café pra mim e com leite para Kate – eu agradeço todo o carinho de vocês e eu espero retribui algum dia

- Você não precisa pensar nisso menina – eles tinham um sotaque diferente era ainda mais puxado do que o sotaque do Arthur

- E imagina, você fazendo bem ao nosso filho já está nos recompensando – Teresa disse sorrindo e colocando o bolo na mesa

- Você viu as nossas lojas? – Marcela perguntou

- Lojas? Lojas de que? – perguntei cortando um pedaço do bolo

- De roupa, somos famoso aqui por nossas grande vendas de roupa – Fred disse sorrindo – e claro pela ajuda na agricultura

- Então as lojas que vi na cidade era de vocês? – tomei um gole do café

- Sim, todas elas tem como nome Cooper – Arthur sorriu ao ouvi o pai dizer tão animado

Todos terminaram o café e subiram para seus quartos ficou apenas Eu, Teresa, Arthur e Kate

- Teresa, estava tudo muito bom – sorri

- Eu tenho que te pedi que não me chame de Teresa

- An, a senhora não gosta? – olhei para Arthur sem entender

- Minha filha – ela ri – me chama de sogra e isso que sou sua – ela riu e me abraçou

- Ai Deus que susto – ria em quanto abraçava ela

- Agora vão colocar a conversa em dia, eu cuido dessa gracinha – ela disse apertando a bochecha de Kate

Arthur estendeu a mão – Venha – sorriu – eu vou te mostrar uma coisa.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...