1. Spirit Fanfics >
  2. Please, love me true! >
  3. O que acontece às madrugadas no Saint Margaret..

História Please, love me true! - Capítulo 6


Escrita por: e Hwaitaengo


Notas do Autor


Hwaitaengo:

Nestes dias de quarentena, a @Equalize_ss e eu vamos fazer postagens de capítulos frequentes pra animar vocês 💜 Tenham uma ótima leitura.

Capítulo 6 - O que acontece às madrugadas no Saint Margaret..


 

POV Taeyeon

 

Uma coisa sobre o refeitório do Saint Margaret, tem mesas de 4 ou 6 lugares. O nosso grupo era composto por quatro pessoas, então nossa mesa era de quatro. No caso, quando cheguei ao refeitório, os nossos lugares já estavam ocupados, isso porque tinha uma intrusa na nossa mesa, no meu lugar.

Fiquei ali de pé encarando a novata a tentando fazer perceber que estava no lugar errado, mas Yuri apenas sorriu e acenou para mim. As outras ficaram me encarando, como se nada estivesse errado.

Bufei dando as costas para a mesa e caminhando para fora do refeitório. Ouvi Sooyoung chamando o meu nome, mas não parei de caminhar, quando ela me alcançou, segurou o meu braço.

 

— Tae, o que aconteceu? Você não vai almoçar? — Questionou.

 

— Como se tivesse lugar para mim naquela mesa.

Sooyoung arregalou os olhos ao perceber o que estava acontecendo.

 

— Taeyeon, a gente não levou a mal a Yuri querer sentar com a gente quando ela se aproximou da mesa. Na hora do jantar, podemos escolher uma mesa maior pra caber todas. – Argumentou.

 

— Primeiro foi a Tiffany e a Sunny, agora a Yuri. Pare de tentar me fazer ter amizades e interagir com as outras pessoas! – Joguei os braços para cima.

A expressão de minha amiga ficou fechada.

 

— Isso não é para você, Taeyeon! O mundo não gira ao seu redor, ok? Eu fiz isso por mim. Eu quero novas pessoas no meu grupo de amizades!

 

— Ótimo, vai lá com o seu grupo novo de amizades, então.

 

Virei de costas e segui pelo corredor. Ainda ouvi Sooyoung chamando o meu nome, mas apenas ignorei e entrei no banheiro feminino. Eu queria tanto ter o meu celular naquele instante, queria poder conversar com Jessica.

Me tranquei numa das cabines sentando na tampa do vaso sanitário, meu coração estava pesado e a vontade de chorar quase ganhando a disputa. Eu queria sair dali, sair daquela escola. Queria sumir do mundo!

Eu sempre seria sozinha.

Quando não aguentei mais, deixei as lágrimas rolarem pelo meu rosto.

 

Com os olhos e o rosto inchados e vermelhos, faltei a aula de francês durante o primeiro período da tarde, não queria ter que ver Tiffany e muito menos sentar ao seu lado, mas apareci na aula de marcenaria. Junmyeon ficou rondando a minha mesa o tempo inteiro durante a aula.

 

— Você tem que se esforçar mais neste negócio aqui. Tem que valer o dinheiro que o meu pai gasta. — Sussurrou perto de mim.

Larguei o meu trabalho sobre a mesa e respirei fundo, aquela semana estava sendo um caos e eu não ia aguentar mais isso.

 

— Eu nunca pedi para ele gastar esse dinheiro comigo. — Falei baixo também, não queria mais problemas quando o pessoal descobrisse quem estava pagando meus estudos e o motivo.

 

— Olha bem, sua atrevida. — segurou com força o meu braço. — Não faça...

 

Chen se aproximou de minha mesa tocando o braço do amigo, ele falou alguma coisa que Junmyeon concordou com a cabeça. Eu não ouvi o que era. Olhou para mim e então se afastou. Mas ainda não me permitia respirar aliviada.

 

— Só falta o Junmyeon querer me ferrar para ser expulsa da escola. — Murmurei falando sozinha.

 

Ser expulsa do Saint Margaret seria a minha ruína, mancharia o meu histórico escolar e eu não conseguiria vaga em outra escola tão boa. Eu sabia que se fugisse não seria tão diferente disso.

Quando a aula terminou, obviamente, eu estava com muita fome, já que fiquei sem o almoço. Deixei o meu material no armário e fui para o quarto tomar banho antes do jantar. Percebi que o meu braço ficou roxo no lugar onde Junmyeon agarrou durante a aula, então decidi usar o vestido branco do uniforme, que tinha as mangas mais compridas e cobriria o machucado, eu não queria preocupar ninguém com aquilo.

 Estava terminando de me vestir quando Sooyoung entrou no quarto, por sorte eu já estava de vestido, então ela não viu o meu braço.

Minha amiga ficou parada quando me viu, mas logo desviou o olhar e foi deixar as suas coisas na escrivaninha. Eu saí do quarto, caminhei pelo corredor de cabeça baixa e acabei esbarrando em alguém.

Ergui o olhar vendo Hyeri na minha frente.

 

— Olá, Taeyeon. — Falou com entusiasmo. — Eu estava atrás da Yuri, mas não a encontrei no nosso quarto. — Revirou os olhos de modo brincalhão. — Deve ter ido para o refeitório já. Você está indo para lá?

 

— Sim, estou.

 

— Ótimo! — Segurou o meu braço com o seu, eu me encolhi por ser o braço machucado. — Vamos juntas! Você está bem? — Questionou ao perceber a minha careta, fiz sinal positivo com a cabeça.

 

— Me machuquei na aula de educação física ontem. — Dei qualquer desculpa.

 

— Então vamos.

 

Nem tive tempo de concordar ou não, ela seguiu me arrastando pelo corredor começando um assunto aleatório sobre a sua aula de culinária.

Entramos no refeitório e fomos para a fila, eu estava faminta então enchi minha bandeja de coisas. Na hora de escolher um lugar, percebi que as garotas tinham escolhido uma mesa maior, Sunny, Tiffany e Yuri já estavam ocupando os lugares, inclusive Yuri estava ao lado de Tiffany novamente.

Senti uma coisa estranha, parecia que meu sangue estava mais quente e corria mais rápido. Apertei com mais força a bandeja ao ver Yuri erguer a mão e tocar o rosto de Tiffany, aquilo foi o ápice para mim, eu não ia ficar na mesma mesa que aquela garota.

Hyeri já estava se afastando de mim, apressei o passo até chegar perto dela, o que a surpreendeu.

 

— Vou sentar com você, posso? — Questionei.

 

— Claro. — Sorriu. Nós sentamos em uma das mesas perto das janelas.

 

Mesmo longe, eu não conseguia desviar o olhar da outra mesa. O que estava acontecendo comigo?

 

— Taeyeon? — Hyeri estava falando comigo, mas eu estava com o pensamento longe, me desculpei por isso e ela sorriu. — Você conseguiu fazer o dever de química? Eu sou péssima nessa matéria.

 

— Posso emprestar o meu caderno. — Dei de ombros.

 

— Omo.— Fui surpreendida quando ela passou os braços por meus ombros me abraçando de lado. — Você é incrível.

Senti meu rosto ficando vermelho de vergonha, ela me soltou e já emendou outro assunto. Tão tagarela.

 

Antes de voltar para o quarto eu passei na enfermaria, aleguei que estava com uma crise alérgica horrível e isso me permitiu ganhar um remédio.

Antialérgicos eram tipo soníferos para mim. Eu ia apagar durante a noite inteira e esqueceria aquela semana horrível.

 

 

 

POV Tiffany

 

Tudo naquela segunda semana de aulas no instituto estava sendo uma merda. E isso nem mais se devia ao fato de a Héxade ficar me encarando, esboçando sorrisinhos prepotentes e cochichando entre si. Tudo desandou por causa de Jennie, estava mais que óbvio, no entanto, a continuidade dos eventos se deram após um episódio muito esquisito no refeitório durante o almoço:

Sooyoung contava sobre suas férias em Veneza com a família, enquanto Sunny e eu ouvíamos atentas a história quando, de repente, a aluna nova se prostrou diante de nossa mesa. De início, achávamos que ela apenas pediria a cadeira – já que o refeitório estava cheio – mas, não foi isso o que aconteceu. Yuri pediu para sentar conosco, pois sua colega de quarto estava ocupada com alguma coisa ou com alguém e ela não queria almoçar sozinha. Sooyoung não viu problema nenhum nisso e a deixou sentar ali.

Por muitos minutos debati internamente se comentava com Sunny sobre Yuri estar sentada no lugar de Taeyeon, porém ela estava ainda entretida com as falas animadas de Sooyoung. Fiquei na minha. Dei de ombros e não demorou muito para que Taeyeon aparecesse ali e ficasse parada encarando a aluna nova. Cria piamente que somente eu estava notando o quanto ela estava ressentida e irritada por causa disso, principalmente no momento em que Yuri sorriu e acenou.

Como a morena não tinha se dado conta do desconforto alheio, Taeyeon deu as costas e saiu do refeitório apressada. Puxei minha colega de quarto e cochichei a gafe que tinha acabado de proceder, rapidamente Sunny pediu para Sooyoung ir conferir o que tinha ocorrido com sua amiga. E assim ela o fez. Assim que saiu, Sunny puxou um novo assunto com Yuri e eu apenas continuei quieta comendo a minha torta de frango com purê de batatas.

 

Quando Sooyoung voltou para a mesa, parecia brava, provavelmente ela e Taeyeon não tiveram uma boa conversa lá fora. Sunny tentou perguntar, mas acabou se contentando com um “não quero falar sobre isso agora, tudo bem?”.

Então deixamos quieto.

 

 

Durante as aulas da tarde, aguardei pacientemente por Taeyeon para compartilharmos a carteira dupla como de costume. Porém, estranhamente, ela não apareceu. Talvez ainda estivesse chateada pelo episódio no refeitório, sei lá, me senti mal por notar o quanto essa ruiva era sensível.

Yuri até veio em minha direção para sentar ao meu lado, no entanto, teve que desviar o caminho porque sua colega de quarto a puxou para sentarem juntas. Aquela menina estava nas aulas de culinária comigo, se não me enganava a mente. Não querendo ser uma completa chata, mas eu não me sentia bem com os olhares que Yuri direcionava a mim, não entendia ao certo o porquê, já que ela era absurdamente simpática, educada e gentil.

Já que não ia ganhar nada me preocupando com certa pessoa, resolvi me focar nas aulas restantes.

 

Eu não pretendia responder as lições das disciplinas daquele dia por terem muitas questões (deixaria para os dias com as tardes vagas), tomei banho e fiquei deitada por umas horas, olhando para o teto, quase pensando na morte da bezerra até o horário do jantar.

Fui bem mais cedo que Sunny para lá apenas para tomar posse de uma das mesas com seis cadeiras. Não queria que acontecesse o mesmo que havia acontecido no almoço. Não estava com tanta fome de comida normal naquela noite, por isso, atropelei o jantar e coloquei duas fatias de torta de chocolate em minha bandeja; além de um copo de suco de limão. Quem escolheria suco de limão tendo várias opções melhores? Bem, eu. Fiquei entretida beliscando um dos pedaços até que finalmente Sunny e Yuri deram as caras.

Novamente, Yuri sentou ao meu lado, que era o costumeiro lugar de Taeyeon. Fiquei sem jeito de falar isso para ela, principalmente depois que Sooyoung apareceu. Estávamos esperando a dita cuja dar o ar da graça também para começarmos a comer, mas como ela nunca vinha...

Foi rápido para eu detonar uma de minhas sobremesas, e uma coisa inusitadamente constrangedora transcorreu (sim, mais uma vez naquele dia). Avistei Taeyeon acompanhada pela colega de quarto de Yuri, iria acenar para que viesse até nós, mas antes disso me assustei quando a aluna nova tocou o meu rosto.

 

 

— Calma. — Murmurou em meio a um sorriso. — Tem chocolate no canto da sua boca.

 

— Uh. — Meu rosto tinha ficado muito quente com aquele toque delicado. — Obrigada.

 

Desviei o olhar para chamar Taeyeon, mas ela tinha sentado com aquela menina. Fiquei as encarando por uns minutos, pois era uma cena bastante peculiar e que me causava certo desconforto. Aquilo não estava certo de nenhuma forma.

 

— Hyeri finalmente conseguiu a atenção da crush dela. — Encarei Yuri um tanto atônita. Ela riu de minha expressão. — Minha colega de quarto, Hyeri, disse que tinha um crush forte na sua amiga. Fico feliz que elas estejam se dando bem.

 

Balbuciei um “hum” sem muita emoção, e havia perdido totalmente a minha vontade de comer aquele outro pedaço de torta. Comuniquei que estava cheia e dei a minha sobremesa para Sooyoung. Realmente, aquilo não estava certo. Me despedi das meninas dizendo que iria começar a responder minhas listas de exercícios do dia, levantei e praticamente corri para o meu quarto.

 

 

POV Taeyeon

 

Obviamente que o remédio para dormir fez bem o seu efeito. Aliás, bem até demais. Na manhã seguinte eu acordei extremamente atrasada, apenas deu tempo para vestir o uniforme e prender os cabelos de qualquer jeito.

Não daria tempo nem para tomar o café da manhã, muito menos um banho para acordar. Corri para os armários para pegar os materiais e fui para a aula de japonês.

Quando entrei na sala, tinha a intenção de sentar com Hyeri, pois tinha absoluta certeza de que Yuri estaria com Tiffany. Mas, fui surpreendida, a Kwon estava com a colega de quarto e o lugar ao lado de Tiffany, vazio. Fui sentar no meu lugar.

Assim que coloquei minha bunda na cadeira, Sooyoung virou-se para mim.

 

— Você passou na enfermaria ontem, não passou? — Questionou, eu pude ver preocupação na sua expressão. Sunny e Tiffany nos encaravam sem entender a situação. — Hoje de manhã quando fui te acordar, você parecia praticamente em coma na cama.

 

— Eu estava agitada demais para conseguir dormir sem medicamentos. — Justifiquei.

 

— Você tem que parar com isso, não faz bem para sua saúde. — Ralhou.

 

— E também, pode se tornar um vício com o tempo. — Sunny entrou na conversa.

 

— Só foi ontem. Não vai mais acontecer.

 

Sooyoung não teve tempo de falar, pois o professor entrou na sala e começou a aula.

Os períodos passaram rápido, logo estávamos no primeiro intervalo da manhã depois de história, por estar com fome eu fui ao refeitório tentar achar algo comestível da sobra do café da manhã. Foi frustrante só ter encontrado frutas.

Escolhi alguns morangos e estava saindo da fila quando esbarrei em Hyeri. Sério, a garota estava colada atrás de mim, levei um susto.

 

— Omo! O que está fazendo aqui? — Perguntei. Ela riu.

 

— Ora, o mesmo que você. — Ergueu a bandeja para mostrar que também tinha se servido de algumas frutas. A minha pergunta foi muito idiota. — Vamos sentar juntas? As suas amigas permanecem na sala.

 

Olhei a minha volta e ela tinha razão, não tinha ninguém ali de conhecido. O intervalo era curto, então me foquei ao máximo em encher a barriga. Hyeri quem conversou  praticamente sozinha.

 

— Eu soube do ocorrido na aula de educação física desta semana. O incidente na piscina. — Ela tocou justamente no assunto que eu mais queria evitar. A escola inteira já sabia do que tinha acontecido.

 

— Sim, é verdade. Eu não sei nadar. — Fui direta querendo acabar logo com o assunto.

 

— Sabe, a Yuri, minha colega de quarto, ela sabe nadar muito bem. Posso pedir para te dar umas aulas, tipo o básico. — Sugeriu.

 

As suas palavras me fizeram engasgar com o suco. Larguei o copo sobre a mesa tossindo feito louca, Hyeri levantou do lugar vindo para perto e dando tapinhas nas minhas costas e abanando o meu rosto.

Quando consegui recuperar o ar novamente, ela sentou na cadeira ao meu lado encarando o meu rosto, me senti constrangida e desviei o olhar.

 

— Eu não quero a ajuda da Yuri para nada.

 

— Ok. — Ergueu as mãos. — Vamos voltar para sala então.

 

No final dos períodos da manhã, saímos as quatro juntas da sala de aula e fomos deixar os livros nos armários. Tiffany estava quieta durante a manhã inteira e naquele momento negou estar com fome.

 

— Eu vou voltar para o quarto, estou com dor de cabeça. — Foi a sua desculpa para não seguir conosco para o refeitório.

 

Durante a tarde, como tinha sido na semana anterior, eu fui para o meu lugar no jardim fazer o dever das matérias e tentar entender inglês.

 

No jantar, Tiffany apareceu. Foi escolhido uma mesa de seis lugares, mas felizmente Yuri foi sentar com Hyeri naquela noite. A Hwang mal tocou na sua comida, o que era preocupante, ela não tinha almoçado direto também.

Depois do jantar cada uma voltou para o seu quarto, fiquei incomodada com o olhar atento de Sooyoung sobre mim, mas sabia que ela estava com medo de eu ir à enfermaria pegar remédio novamente.

Eu não iria.

Depois de tomar banho, fiquei deitada na cama encarando o teto o que pareceu uma eternidade. Sooyoung já estava dormindo fazia muito tempo, mas não tinha jeito, eu não conseguiria dormir.

Levantei da cama caminhando até o armário e pegando um casaco fino, saí do quarto para os corredores vazios e silenciosos do Saint Margaret, passar na enfermaria era algo tentador demais para mim. Mas, Sunny tinha razão, eu não podia fazer aquilo com frequência, então saí para o jardim e fiquei dando voltas e mais voltas pelo gramado na intenção de deixar o meu corpo cansado o suficiente para voltar ao quarto, deitar na cama e apagar.

Eu estava próxima ao ginásio da piscina, quando ouvi um barulho de água lá dentro, fiquei assustada, quem poderia estar no ginásio àquela hora da madrugada? A pessoa também podia ter caído na piscina e se machucado.

Apavorada, eu corri para dentro do ginásio.

 

 

POV Tiffany

 

O dia seguinte não foi melhor. Me sentia muito comprimida naquele ambiente, provavelmente, por estar sendo rodeada pelos meninos da Héxade que realmente não paravam de me encarar dentro da sala de aula ou mesmo no refeitório. Apenas eu notava e isso estava me tirando o sono e o apetite. Não pretendia comentar nada sobre isso com Sunny, porque ela se sentiria culpada e ficaria preocupada mais que o normal.

Outra coisa também colaborava para as minhas atuais deficiências na rotina: a aproximação repentina de Taeyeon com a colega de quarto de Yuri. Isso me fez tomar nota de que o problema do afastamento dela fosse minha culpa. Talvez Taeyeon também não gostasse de bolsistas e novatos, e somente suportava a mim e a Sunny por causa de Sooyoung. Pensar nisso me desanimou um pouco mais, o que era novidade, afinal, eu não fazia questão da amizade de ninguém que não quisesse a minha.

Tentei me concentrar nas aulas normais e nas extracurriculares, na intenção de deixar minha mente tão exausta que não tivesse forças o suficiente para pensar em situações e pessoas desnecessárias. Infelizmente, não surtiu o efeito que eu esperava. Então, naquela noite, assim que Sunny caiu no sono dos justos, coloquei um biquíni (me recusava a usar aquele maiô preto do instituto fora das aulas de natação) e saí de fininho em direção ao ginásio da piscina.

 

Era proibido? Não era. Mas, também não era recomendado que alunos deixassem os dormitórios para irem nadar altas horas após o toque de recolher. Tendo plena consciência de meus atos e das possíveis consequências, dei de ombros, tirei minhas roupas e as deixei num banco junto com a toalha.

Acendi as luzes da piscina e encarei aquela imensidão profunda e azul. Foi muita crueldade empurrarem Taeyeon numa piscina olímpica, era tão funda quanto o desespero que eu sentia quase todo santo dia para ir embora do Saint Margaret. Se o Chen não tivesse a puxado para a superfície, ela teria morrido sem que nenhum outro aluno se prontificasse a salvá-la. Era isso o que mais me incomodava no instituto. Todos tinham medo daquele grupinho de riquinhos mimados que se achavam donos de tudo, tinham medo a ponto de deixarem uma pessoa morrer para não serem perseguidos. Pensar nisso me deu calafrios, a Héxade era tão perigosa nesse nível astronômico? Que Deus tivesse piedade de mim, então.

Talvez eu devesse comparecer às missas aos domingos pela manhã. Quem sabe assim Deus enxergasse meus esforços, paranoias e apreensão e se compadecesse?

 

Mergulhei com tudo na água, como se de alguma forma isso fosse me livrar de toda e qualquer energia ruim que estivesse me rondando naqueles últimos dias. Voltei à superfície e acabei me assustando com Taeyeon ali parada na borda.

 

— Nem pense em se atirar aqui. — Disse num tom ainda esbaforido pelo susto. — A menos que queira umas aulas de natação.

 

— Não seria má ideia. — Taeyeon sorriu. Um sorriso abusivamente charmoso erguendo somente um canto dos lábios. Sentou à borda da piscina. — Eu preciso mesmo de umas aulas, seria muito mico se por um acaso o professor me mandasse usar boias, nadadeiras ou aqueles espaguetes enrolados na cintura na próxima terça-feira.

 

— Ele não faria isso, faria? — Perguntei também sorrindo. Nadei até onde ela estava, rapidamente impulsionando o meu corpo para cima com as mãos. Sentei ao lado de Taeyeon, que havia tirado os chinelos e enfiado os pés na água. Eu percebia a forma como ela checava o meu corpo, era impossível não perceber tamanho descaramento. — Os professores daqui têm permissão para humilharem os alunos dessa forma diante dos outros? É crime, eu acho.

 

— Esse professor é novo. Não sei se ele seria capaz disso, mas não duvido de nada, sinceramente. — Taeyeon suspirou com bastante pesar. Eu entendia muito o significado desse puxar e soltar fundo de oxigênio. Era mesmo sufocante estar naquela ilha presa com pessoas tão ruins. — Sabia que o castigo para quem entra na piscina olímpica sem as ordens do professor é a expulsão?

 

— Mesmo? — A encarei chocada, porém nem tanto. — Esta água vem da nascente do rio Jordão? Eles trazem esta água de Israel e foi benzida pelo próprio filho de Deus?

 

— Se te ouvirem perguntando essas coisas em forma de deboche, vão montar uma fogueira e te queimar viva. — Ela sorriu com gosto. Acabei a acompanhando por sua risada ser absurdamente hilária. — Culpada por blasfêmia, hein, sua herege. Vão dizer que você fez um pacto com o próprio chifrudinho fazedor de churrasco humano.

 

— Credo. Taeyeon! — Não me aguentei e ri mais ainda. — Eu vou te acusar de bruxaria, então vão montar a cena de uma santa inquisição e vão te amarrar a mim na hora de virar petisco.

 

— Vira essa boca para lá.

 

Ficamos falando umas besteiras relacionadas aos absurdos realizados e condenados pela doutrina cristã. Não estávamos zombando, embora parecesse. Aqueles minutos com Taeyeon melhoraram muito o meu humor. Incrivelmente meu coração e mente ficaram mais leves, relaxados mesmo.

Taeyeon me esperou vestir a roupa e saímos do ginásio como duas ladras fugindo de uma cena criminosa. Era divertido ser fora da lei no Saint Margaret. Entramos de fininho no dormitório.

 

— Obrigada por melhorar o meu humor. — Balbuciei bem baixinho para que ela não ouvisse, embora não tivesse dado certo. Taeyeon esboçou aquele mesmo sorriso charmoso de lado, acentuando a covinha do lado de direito de seu rosto. — Boa noite.

 

— Boa noite. — Abri a porta de meu quarto, ainda sob o olhar atento e divertido dela. O sorrisinho morreu aos poucos. — Hei. Tiffany. Tranque a porta e a janela de seu quarto nesse final de semana, tá bom? É apenas por precaução.

 

— Hum. Tudo bem.

 

Achei estranho aquilo, mas resolvi dar ouvidos ao alerta dela. Assim que entrei em meu quarto, tranquei a porta e fechei a janela. Estava muito frio lá fora de qualquer forma, então não dormir congelando por uma noite não faria mal nenhum.

 

 

 


Notas Finais


Hwaitaengo: Pessoal, não tenham medo de deixar seus comentários na fanfic. Nós queremos muito saber a opinião de vocês, isso vai nos ajudar também no seguimento da estória, saber o que vocês querem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...