História Poção do Amor - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Super Junior
Personagens Cho Kyuhyun, Lee Donghae, Lee Hyukjae "Eunhyuk", Lee Sungmin
Tags Eunhae
Visualizações 90
Palavras 1.456
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fantasia, LGBT, Magia, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Quando um idiota é um idiota


DongHae se arrastou até seu quarto e se jogou em sua cama, pouco se importando se HyukJae estava ali ou não. Tudo o que ele queria era dormir longamente por seis dias. Talvez tivesse uma poção para isso. Ele poderia perguntar para ShinDong...

-DongHae, eu...

-Vai para o inferno e fica por lá, Lee HyukJae – Hae resmungou com a cabeça enfiada no travesseiro – Eu só quero dormir.

-Tudo bem – Hyuk suspirou e se ajoelhou próximo a cama de DongHae. Sem conseguir se conter, ele passou a mão pelos cabelos macios do mais novo. Hae prendeu a respiração – Eu só quero falar uma coisa.

-Fale agora ou cale-se para sempre – Hae murmurou sarcasticamente e virou na cama para encarar HyukJae. Como ele imaginava, o mais velho estava perto demais.

-Eu não vou desistir – Hyuk afirmou com convicção – Mesmo que você tenha um namorado ou dois, eu não irei desistir. Vou conquista-lo nem que seja a última coisa que eu faça.

●○●○●○●○●

Quando era criança, DongHae tinha um urso de pelúcia que seu pai havia comprado de um comum, só porque o garoto queria algo ‘incomum’. Então, para zoar com a cara do filho, o Sr.Lee comprou um urso de pelúcia rosa gigante. Porém, o que ele não esperava era que seu filho amasse o presente. DongHae dormiu com o urso até completar doze anos, idade que ele entrou na Academia e seria muito constrangedor explicar sobre aquele urso para as pessoas. Contudo, DongHae sempre que ia pra casa, aproveitava para dormir com o tal urso, mesmo tendo 17 anos.

A sensação que DongHae experimentava no momento era a mesma de quando dormia com o urso: quente, macio e confortável. Hae simplesmente não queria acordar. Se ele pudesse, ficaria o dia inteiro abraçado com o seu urso.

Infelizmente o que é bom dura pouco e DongHae logo se lembrou que seu amado urso estava seguro em seu quarto, na sua casa e a quilômetros de distância de onde ele se encontrava no momento.

DongHae abriu os olhos bruscamente e deu de cara com HyukJae, na sua cama o abraçando. Hae voltou a fechar os olhos com força, desejando que aquilo fosse o sonho mais bizarro que sua mente conseguiu produzir, graças aos tapas de ChangMin.

Claro que isso não aconteceu. Hyuk ainda o abraçou com mais força, como se Hae fosse o urso de pelúcia.

De repente, as palavras de ChangMin piscaram em sua mente: ‘’você não tem nada a perder. Deveria aproveitar e perder a virgindade.’’ DongHae estremeceu e, usando toda a sua força, empurrou Hyuk da cama, que caiu com um baque surdo no chão.

-Seu macaco estúpido! Eu disse que se você tocasse em mim outra vez eu o transformaria em uma vassoura! – Hae vociferou, tentando ignorar a vergonha que sentia.

Para sua total surpresa, HyukJae sorriu docemente.

-Mas, foi você quem me abraçou primeiro. Eu apenas deitei ao seu lado.

-Ora, seu...

-E você não pode me transformar em nada. Você nem sabe como fazer isso.

-Eu te odeio, seu babaca presunçoso! – DongHae gritou e correu para o banheiro, trancando a porta ao passar.

Depois de quase uma hora debaixo do chuveiro, DongHae chegou a conclusão de que, se não poderia vencer a poção ou HyukJae, ele deveria jogar também. Mas do seu jeito e sem se envolver demais.

DongHae conjurou algumas roupas (já que ele havia ido para o banheiro sem levar nada) e, depois de se vestir, ele saiu para enfrentar HyukJae, que estava sentado em sua cama olhando para o nada pensativamente.

-Hae, eu... – ele falou assim que o mais novo saiu do banheiro.

-Não me interessa. Não quero escutar.

-Mas...- HyukJae fez menção de se levantar da cama, mas Hae o impediu sentando em cima de suas pernas. Para a satisfação do menor, o rosto de Hyuk pareceu pegar fogo de tão vermelho.

-Me escute e não me interrompa – DongHae deu um sorrisinho sádico, o nariz a milímetros do nariz do outro – Eu já disse que você não me interessa nem um pouco. Já tem alguém que eu gosto e não vou desistir dele só porque você assim deseja. Então, se você ousar colocar a mão em mim novamente vou transformá-lo em uma poça nojenta de meleca assim que você colocar os pés fora da escola. Eu fui claro?

-Bastante claro – Hyuk engoliu em seco com a posição que DongHae estava sentado em suas pernas, mas, logo em seguida, seu olhar virou decidido e ele moveu as mãos para a cintura de Hae – Você já falou o que quer, então agora você vai me ouvir também.

-Não vou ouvir nada – DongHae tentou levantar, mas HyukJae era mais forte e o mantinha no lugar.

-Você pode ficar com ChangMin ou com SungMin que eu não me importo – Hyuk murmurou sem tirar os olhos dos lábios de Hae – Eu sei que você sente o mesmo por mim e sei que é só uma questão de tempo para que você implore para eu tocá-lo.

DongHae encarou o mais velho totalmente sem palavras. A prepotência de HyukJae era algo invejável.

-Você pode sonhar com isso – Hae resmungou e empurrou o outro para longe – É seu último aviso. Fique bem longe de mim.

●○●○●○●○●

Novamente, DongHae estava no quarto de ChangMin, ouvindo as reclamações do mais novo.

-Eu realmente não acredito que você não esclareceu as coisas. Você tem esterco de vaca no lugar de cérebro?

-Desculpe – Hae pediu enquanto desviava dos objetos que ChangMin atirava nele – Eu tinha que falar alguma coisa.

-Você sabe muito bem que fingir um namoro com alguém não vai alterar em nada os efeitos da poção. É completamente inútil.

-Eu sei, mas...

-Por que você insiste em fazer isso então? Você é burro assim mesmo ou fez curso?

-Eu só não quero me envolver! – DongHae berrou a plenos pulmões e ChangMin o encarou boquiaberto.

-O que? Você não quer se envolver? – o mais novo repetiu sem acreditar – Você é apaixonado pelo HyukJae?

-Não seja ridículo – Hae revirou os olhos – Eu fui apaixonado por ele quando tinha doze anos.

-Wow! – os olhos de ChangMin brilharam de animação – Isso é muito louco! Como ninguém ficou sabendo disso?

-Por que eu escondi muito bem – DongHae suspirou tristemente – Foi só uma paixonite infantil e acabou a muito tempo.

-Se acabou a tanto tempo assim, não tem porque temer.

-E se todas essas coisas me fizerem retomar esses sentimentos? – o mais velho parecia a beira das lágrimas e, mesmo a contragosto, ChangMin ficou com pena – No final dessa semana, o efeito da poção acaba e HyukJae vai voltar a ser o mesmo detestável de sempre. Se eu me apaixonar por ele outra vez, o que eu faço?

-Parece que você já está envolvido o suficiente – ChangMin falou suavemente. DongHae podia ser um idiota, atrapalhado e praticamente inútil, mas ChangMin não deixaria um amigo sofrer, mesmo que a culpa fosse inteiramente de DongHae.

-Eu não estou apaixonado por ele! Como eu posso me apaixonar por alguém como ele? Você sabe muito bem o que ele me fez!

Ah sim. ChangMin sabia muito bem a história daqueles dois, embora fosse mais novo e tivesse entrado na escola depois. Na verdade, o mais novo suspeitava que todos conheciam a história dos dois melhores amigos que viraram inimigos mortais sem motivo aparente. Era comum até os mais novos fazerem apostas sobre os motivos da mudança. O problema era: HyukJae sempre iniciava as discussões. Ele costumava, junto com sua turma, apontar os mínimos defeitos de DongHae para todo mundo ouvir. E Hae, não querendo ficar pra trás, atacava com ofensas e xingamentos variados. Uma vez DongHae até mesmo apelou para o fato de Hyuk ser órfão. E assim o ciclo sem fim continuava e ninguém fazia nada a respeito.

Até a tal poção.

ChangMin apenas imaginava o que aconteceria quando o efeito passasse.

-Tudo bem – o mais novo suspirou derrotado – Eu vou me arrepender disso, mas vou ajuda-lo.

-Sério? – DongHae perguntou animadamente.

-Sim, mas só vou manter o HyukJae longe de você. Não vou beijá-lo ou algo do tipo.

-Eca! Não pedi para você me beijar.

-Ótimo – ChangMin sorriu levemente – Essa noite você pode ficar aqui no meu quarto.

-E o seu companheiro de quarto?

-Ele foi pra casa.

-Certo. Quem é o seu companheiro de quarto mesmo?

-Idiota! – ChangMin deu um tapa na cabeça de Hae – Você sabe que é o KyuHyun.

-Ah, é verdade. Isso explica por que ele não veio me perguntar o que tinha acontecido com o HyukJae.

-Meu Deus, como você é lento.

DongHae passou o resto do dia trancado no quarto de ChangMin, fazendo planos para o dia seguinte, quando a escola estaria cheia novamente e todos ficariam sabendo que HyukJae estava apaixonado por ele. Hae esperava que SungMin voltasse com boas notícias.

 


Notas Finais


Bom, tenho uma coisa pra falar. Como eu não fiz o planejamento dessa fanfic, eu ainda não sei como ela vai terminar. Mas, tenho duas ideias para dois finais diferentes.
Final um: felizinho e fechadinho.
Final dois: dramático e que levaria a uma continuação.
acho que vou escrever os dois finais só pra ver como fica =P


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...