História Poeira Estelar (Bbh e Osh) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Sehun
Tags Chanbaek, Relacionamento Abusivo, Sebaek, Superação
Visualizações 30
Palavras 1.002
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Decisões Difíceis


"O que vamos fazer agora?"


Aquela pergunta rondou a mente do Byun por um tempo. Ele se lembrou das palavras duras do namorado e de toda a briga, afinal, mesmo que quisesse esquecer, a dor e os machucados nas suas costas eram um lembrete constante do ocorrido. Mas mesmo assim Baekhyun não podia ignorar todos os outros fatores que o levaram aquele momento.


Baek sabia o quanto seu namorado era ciumento e protetor e mesmo assim ia sair para a casa de dois homens sem lhe contar antes, na cabeça do menor, isso justificava a ira e a violência do namorado, pois no fim das contas, Baekhyun achava que havia provocado aquela briga e que todas as consequências eram sua culpa.


E ele amava Chanyeol. O maior esteve ao seu lado quando pensou em desistir do curso, ficou consigo até quando descobriu que tomava remédios controlados pra ansiedade e ataques de pânico. O Park era um dos seus melhores amigos, era um dos seus confidentes e a pessoa que mais amava na vida, além de, é claro, saber muitos segredos do seu passado. E ali sua decisão foi tomada.


"Eu vou conversar com ele, mas não vou denuncia-lo mesmo que a gente termine... Eu devo muito a ele e sei que de certo modo eu fui culpado pelo que ocorreu..." Concluiu o moreno com a cabeça baixa e um aperto constante no peito.


Minseok e Jongdae passaram as próximas horas tentando convencer o moreno de que aquilo era loucura, mas nada adiantou. O máximo que conseguiram foi convencer o menor a passar aquela sexta e o fim de semana na casa deles e tirar fotos dos machucados feitos pelo Park, caso o menor decidisse denuncia-lo no futuro.


Depois de um banho, muitos curativos e pomadas e um relaxante muscular, o casal colocou seu pequeno para dormir no quarto de hóspedes e desceu para conversar na sala.


"Eu estou preocupado, Dae." Confessou o menor. "Eu não quero e não posso ficar sentado de braços cruzados enquanto vejo meu melhor amigo sofrendo novamente."


Jongdae abraçou o mais velho e depositou um beijo casto em seu cabelo antes de começar a falar.


"Não tem muito que possamos fazer, Min. A iniciativa tem que partir do Baek, mas até ela vir, podemos ajuda-lo com apoio, amor e conforto."


Minseok assentiu e puxou o namorado para um beijo calma e repleto de amor. O baixinho se sentia o homem mais sortudo do mundo por ter Jongdae como seu namorado, afinal, ele era leal, compreensivo, engraçado, amoroso e paciente, além de possuir a beleza de mil deuses. Kim Jongdae era perfeito até em suas imperfeições, e no meio daquela troca de carinho, ambos pediam silenciosamente pela mesma coisa: Que Byun Baekhyun fosse feliz.


✩✩✩


Na sexta à noite e no sábado, Baekhyun sentiu tanta dor nas costas que mal conseguiu levantar da cama, mas no domingo se sentiu bem o suficiente para conseguir ensaiar a coreografia com os garotos. Nesses três dias, Park Chanyeol ligou 67 vezes, mandou 141 mensagens de desculpa e lotou a caixa postal do menor com o mesmo pedido; sempre colocando nos recados o quanto o amava e se arrependia do "ocorrido."


Depois de tudo isso, o pequeno realmente começou a acreditar que aquilo fora um acontecimento único, que jamais se repetiria novamente, pois Chanyeol o amava e nunca o machucaria de propósito. O casal de amigos sofria em silêncio ao ver seu pequeno tão entregue à um ser humano tão desprezível, mas tinham muito medo de que o Byun se afastasse deles novamente caso pedissem para que ele terminasse com o ruivo, então apenas tentavam clarear sua mente e lhe dar amor para superar essa fase.


Na segunda feira, os três foram juntos pra faculdade, ensaiaram mais uma vez e então apresentaram sua coreografia para a professora de dança. Eles tiraram um 7, pois Baekhyun não estava conseguindo fazer os passos com a "graça" exigida. O moreno se sentiu mal por ter prejudicado a nota dos amigos, na verdade, ele se sentia um completo lixo e, pela primeira vez, sentiu ódio do namorado, pois o menor sabia que eles teriam tirado um 10 se seu corpo não estivesse tão dolorido. Com esse ódio gravado no seu coração o garoto partiu para o intervalo junto com seus amigos, com a ideia de terminar com Chanyeol.


No curto caminho até o pátio da faculdade, Baekhyun se pôs a pensar em como o namorado reagiria. Será que ele iria chorar? E se o rapaz surtasse e o agredisse na frente de todo mundo? E se Chanyeol contasse para todos o seu segredo? Preso no seu mundo de "e se", o moreno não percebeu a enrascada em que estava entrando até que ouviu Jongdae grunhir um "puta merda".


O Byun levantou a cabeça e qual não foi sua surpresa ao se deparar com uma faixa enorme de desculpas e um Chanyeol de joelhos com um enorme buquê de tulipas? Baekhyun não sabia se estava sorrindo de alegria ou de nervoso, mas o ruivo pareceu não se importar com isso. Ele só percebeu que chorava quando o Park se aproximou e secou as lágrimas que escorriam pelas suas bochechas.


Todos os alunos da faculdade pararam para apreciar aquela cena, alguns até mesmo sussurravam que queriam um namorado como aquele; pobres coitados, mal sabiam eles que Park Chanyeol era um pesadelo disfarçado de sonho.


Baekhyun estava em choque, ele odiava ser o centro das atenções daquela forma e odiava ainda mais se sentir pressionado para fazer alguma coisa, e o ruivo sabia (e se aproveitou) disso. Com uma das mãos na cintura do namorado e a outra erguendo seu queixo para que o olhasse nos olhos, Chanyeol fez a pergunta decisiva:


"E então, amor, você tem alguma coisa para me falar?"


A cabeça do moreno entrou em colapso, todo seu relacionamento com o namorado passou por ele e foi jogado na balança. Antes de responder, Baekhyun implorou a qualquer Deus que não se arrependesse de sua decisão.


"Eu perdôo você, Park Chanyeol."


E foi sob uma salva de palmas e assobios que Byun Baekhyun martelou o primeiro prego do seu caixão.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...