História Poeira Estelar (Bbh e Osh) - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Sehun
Tags Chanbaek, Relacionamento Abusivo, Sebaek, Superação
Visualizações 42
Palavras 1.578
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi garoutas rs

Capítulo 5 - Vizinho Perfeito


Baekhyun estava agitado, suas pálpebras tremendo denunciavam que estava tendo algum tipo de pesadelo, coisa que foi confirmada quando ele acordou e se levantou em um pulo enquanto lágrimas escorriam pelos seus olhos e um grito tentava rasgar sua garganta. Era a terceira vez que ele fazia isso naquela noite, e Minseok, Jongdae e o outro rapaz não aguentavam mais ouvir os gritos desesperados e cada vez mais roucos do menor.


O mais velho ali presente chorava como uma criança nos ombros do namorado; ele se sentia culpado por ter demorado tanto tempo para chegar no apartamento do amigo depois de receber sua mensagem, se não fosse pelo outro, seu melhor amigo estaria morto agora.


Chen tentava ser forte. Seu gatinho precisava daquilo e ele sabia que Baek precisaria também, mas o moreno era humano e hora ou outra precisava secar algumas lágrimas que teimavam em escorrer pelos seus olhos.


O outro homem presente na sala de espera apenas encarava um ponto fixo. As cenas que presenciou naquela madrugada ainda presentes na sua mente enquanto relatava tudo ao guarda que estava colhendo os depoimentos e esperando que Baekhyun acordasse. 


"Eu moro no apartamento ao lado do desse garoto, eu já tinha ouvido várias discussões e já cheguei a ve-lo com as costas e os braços completamente machucados e ensanguentados, por isso no início quando eu ouvi os gritos  eu achei que era só mais uma briga de casal, mas eu lembrei que havia esbarrado com o Baekhyun naquela madrugada quando eu estava saindo pra ir encontrar uns amigos. Ele parecia afoito e apressado, como se fosse fugir do país ou algo assim, então eu decidi voltar pra casa e ver qual seria o desfecho da história.


Alguns minutos depois os gritos começaram, eu liguei pra polícia e esperei, mas, com todo respeito, vocês demoraram demais, então eu simplesmente entrei no apartamento que estava com a porta aberta e...e.. e-eu..eu vi...aquele cara, o grandão de cabelo vermelho e orelhas grandes asfixiando meu vizinho que estava nu e muito machucado. Tinha um vaso em cima da escrivaninha na sala, eu não pensei muito, só peguei ele e me aproximei o suficiente pra quebra-lo na cabeça do cara que apagou. A polícia chegou depois, então o resto você ja sabe." 


Quando o moreno mais novo acabou de depor, Xiumin chorava ainda mais e, entre soluços e fungadas, agradecia ao homem por salvar a vida do seu melhor amigo.


4 horas depois que os gritos cessaram, o Byun acordou. Ele estava confuso e sua garganta doía como o inferno, mas nada podia ser comparado com a dor que sentia em seu ânus. Foi quando as lembranças da madrugada invadiram sua mente com força total e, junto com elas, veio o choro pesado e cheio de dor de um homem que sabia que nunca mais seria o mesmo.


Xiumin e Chen entraram no quarto assim que o médico permitiu e abraçaram o menor. Em menos de um minuto, os três choravam copiosamente. O moreno estava na porta, observando aquela cena e se sentindo um intruso naquele momento tão íntimo, então ele apenas deu meia volta e saiu daquele hospital que lhe lembrava de coisas ruins demais para serem trazidas novamente a tona.


※※※



5 dias depois, Baekhyun foi liberado do hospital. O pequeno ja havia dado seu depoimento e feito todos os exames necessários para garantir que tudo estava bem consigo e não havia mais nada de errado, pois, de fato, além das marcas roxas e doloridas que tinha, o corpo do rapaz estava ótimo; o problema era sua mente.


Desde o ocorrido ele não sabia oque era dormir mais do que duas horas, pois sempre que fechava os olhos as lembranças lhe atingiam com força total, era como um looping eterno de dor e sofrimento.


Jongdae havia ficado responsável por levar Baekhyun até sua casa apenas para pegar algumas roupas, pois ambos os Kim decidiram que seria melhor para o menor que ele ficasse na casa deles até se sentir melhor. O caminho foi silencioso, pela primeira vez Chen não sabia oque falar para o amigo e o mesmo também não queria que ele falasse; o moreno só queria ficar sozinho.


Assim que o carro foi estacionado, Byun tirou o cinto e se virou para o amigo.


"Eu tenho que fazer isso sozinho." Falou, impedindo o outro de tirar seu próprio cinto. Chen apenas assentiu.


Baekhyun saiu fo carro e caminhou a passos curtos até seu apartamento, a chave em sua mão tremia junto com o restante do seu corpo, mas ele tentou se manter firme até que a porta fosse aberta. A primeira coisa que o moreno reparou foi que o cheiro de cigarros e bebidas que o apartamento tinha, agora era quase inexistente. Chanyeol bebia e fumava como um louco e o dono do apartamento odiava isso, mas depois de terem uma briga feia que terminou com um olho roxo, o menor desistiu.


Enquanto andava pelo apartamento, lembranças lhe atingiam com força, mas elas não eram ruins. Baekhyun se lembrou de quando ele e os meninos se juntavam naquela mesma sala para jogar video-games, ver filmes ou simplesmente jogar conversa fora, ele quase conseguia sentir o cheiro das comidas do Junmyeon quando foi até a cozinha, e riu sozinho quando entrou no quarto de visitas e se lembrou de quando pegou Jongdae e Minseok  em um momento bem... íntimo. Aquele apartamento era rodeado de quase 2 anos de histórias e lembranças boas, o moreno não deixaria 9 meses de namoro estragarem isso; ele não deixaria Chanyeol estragar mais nada.


"Você não vem, não é mesmo?" Chen perguntou assim que viu o outro se aproximar do carro sem nenhuma mala.


"Eu não vou sair da minha casa por causa dele, Dae. Nunca mais vou mudar minha vida por causa dele." O Byun tentou parecer forte e decidido, mas o Kim viu sua hesitação.


"Baek, você não precisa fazer isso, sair daqui não é sinal de fraqueza."


" É sim, Dae-Hyung. Chanyeol comandou minha vida e minhas escolhas por tempo demais, está na hora de eu pegar as rédeas de volta."


Jongdae suspirou frustrado. Ele entendia o amigo, mas temia por sua saúde mental caso continuasse lá, entretanto ele conhecia Baekhyun desde o Ensino Fundamental e sabia como o outro era cabeça dura.


"Tudo bem, Baek. Mas Minseok, os garotos e eu vamos ficar de olho em você!" Baekhyun assentiu enquanto abraçava o amigo pela janela do carro.


Já sozinho em seu apartamento, ele decidiu que era hora de fazer uma faxina naquele lugar; jogou quase todas as coisa que pertenciam ao ruivo no lixo: suas roupas, sapatos, escova de dentes e acessórios, pensou em jogar fora também seus cigarros de maconha e suas bebidas, mas preferiu guardar, pois se livraria deles de forma diferente depois.


Já passava das sete horas da noite quando Baekhyun tomou coragem para fazer algo que ele não fez nesses 5 dias: se olhar no espelho. Suas olheiras profundas e seu rosto mais magro do que o normal deixavam seu cansaço evidente e as marcas dos dedos de chanyeol ainda eram visíveis no seu pescoço mesmo que levemente, mas a maior marca do ruivo estava em seus cabelos. Quando se conheceram, Baekhyun era loiro, mas estava a fim de pintar o cabelo, pensou em rosa claro, mas Chanyeol o convenceu de que não ficaria bom nele, então o fez pintar de castanho. Agora que não estavam mais juntos, o atual moreno iria selar essa nova fase com uma mudança radical.


Pegou sua carteira e abriu a porta de casa com o coração acelerado, a cada passo dado, parecia que ele sairia pela sua boca, mas Baekhyun não iria desistir, ele já estava do lado de fora do seu prédio, apenas um passo havia sido dado, mas aquilo não importou. Byun sentiu seu peito apertar e seu coração acelerar ainda mais, suas mãos suavam, seu corpo tremia e o ar não chegava ao seus pulmões. Baek estava tendo um ataque de pânico. 


Voltou pra dentro do prédio aos tropeços, mas não conseguiu chegar até seu apartamento porque esbarrou em alguém. E lá estavam aqueles olhos quase pretos que tanto lhe encantaram.


O mais alto olhou para a expressão aterrorizada e sofrega do menor e não pensou muito antes de abraça-lo o mais apertado que pode.


"Vai ficar tudo bem, Pequeno, olhe pra mim e faça como eu, tudo bem?" Baekhyun assentiu e obedeceu o homem, respirando e inspirando junto com ele, alguns segundos depois o menor ja estava mais calmo, mas nem por isso o outro o soltou.


O Byun encarou aqueles olhos escuros, mas dessa vez não se fixou neles, decidiu aproveitar a proximidade para observa-lo como um todo: seu corpo era esguio, porém musculoso, suas sobrancelhas e seus cabelos eram quase tão escuros quanto seus olhos, mas a sua boca foi o ponto chave, lábios grossos e de aparência macia, que Baekhyun secretamente desejou beijar.


"Está melhor?" O moreno perguntou, tirando o outro do transe.


"S-sim."


"Tem certeza, Baekhyun?"


"C-como sabe meu nome?" 


"Somos vizinhos, é o mínimo que se espera."


Então como um estalo Baekhyun reconheceu o homem na sua frente.


"Então foi você não foi? Que salvou a minha vida?" Perguntou mesmo ja sabendo a resposta e o outro apenas assentiu. "Eu não tenho palavras pra agradecer o que você fez por mim, sério, você literalmente me salvou e eu nem ao menos sei seu nome." Baek falou abaixando a cabeça envergonhado.


O mais alto ergueu o rosto do outro pelo queixo devagar antes de responder, e Baekhyun poderia jurar que enquanto encarava aqueles olhos, pode ver o nascimento de uma supernova.


"Meu nome é Sehun, Oh Sehun."




Notas Finais


Eai? O que tão achando da fic?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...