1. Spirit Fanfics >
  2. Poem >
  3. .onde mats se expressa pela poesia

História Poem - Capítulo 1


Escrita por: e girwud


Notas do Autor


PODEM COMEMORAR QUE É DURMMELS 🥳🥳🥳🥳🥳🥳

kkkkkk, quem me conhece sabe que eu sou cadelinha demais desse casal maravilhoso, eu sou completamente apaixonada por eles.

esse plot é da minha namorada, @artshivnert no twitter, sigam-na, ela tem vários plots incríveis.

bom, essa história não ficou exatamente como eu queria, mas ainda assim acho que consegui passar o tema principal dela

é isso, boa leitura, e nos vemos nas notas finais ♡♡

Capítulo 1 - .onde mats se expressa pela poesia


Quando Mats conheceu Erik, ainda na faculdade, soube que o lance deles seria real.

O moreno já sofreu horrores com o amor, era difícil encontrar a pessoa certa, ele sabia; mas nunca perdia a esperança de encontrar sua sua alma gêmea, a outra metade da sua laranja, a tampa de sua panela, a pessoa com quem dividia o fio vermelho com o qual todos nasciam.

Seus relacionamentos não eram os mais certeiros, com fins mais rápidos do que se podia imaginar, e um Mats chorando deitado do chão de seu apartamento ouvindo thank u, next da Ariana Grande, ou até mesmo Marília Mendonça quando sentia o chifre crescer.

Mas ele ainda tinha fé, e a fé move montanhas.

E quando viu Erik, tinha certeza de que com ele daria certo.

Por isso, pagou uma bebida, uma boa taça de champanhe que custou metade do dinheiro que tinha naquela noite. Mas para ele, valia a pena.

Manuel, seu melhor amigo e estudante do curso de Letras, que agora fazia especialização em Gramática, riu de sua cara, dizendo que ele estava apenas jogando dinheiro fora. Mats apenas revirou os olhos e rabiscou algumas palavras em uma folha de papel entregou para o garçom.

Erik olhou surpreso para a taça, afinal, não era todo dia que se recebia uma taça do champagne mais caro de um bar. Junto da taça, recebeu um papel que continha os seguintes dizeres:


Teu nome principia
Na minha respiração.  
Zuleika Dos Reis


Quem havia lhe enviado aquilo? Durm correu os olhos pelo local e o viu.

Mats Julian Hummels, estudante de Literatura, conhecido por todo campus por ser o maior gado da Universidade. Ele já havia sido dispensado por praticamente um estudante de cada instituto do local. Só faltava, em seu currículo de corações quebrados, um estudante do Instituto de Engenharia. E adivinhem quem era o estudante de Engenharia Mecânica da vez? Bingo! Erik Durm.

O loiro achava podre a maneira como as pessoas faziam chacota de Mats, ele foi até convidado para participar de um bolão para adivinhar quem seria a próxima  vitíma de Hummels. Durm não via graça alguma naquilo, nunca conversou diretamente com Mats, mas entendia que ele era um homem de sentimentos fortes, e não tinha culpa de não poder controlar seu coração.

Mas, ao mesmo tempo, sentia medo. Medo porque não entendia o motivo de ele ser o escolhido da vez, não queria magoar o estudante de Literatura, então virou o rosto rapidamente, envergonhado.

Seu melhor amigo, Mario Götze, do curso de Engenharia Civil, percebeu a movimentação do loiro e arrancou-lhe o bilhete da mão. Leu o bilhete e mostrou para todos na mesa. Os estudantes começaram a rir e Erik revirou os olhos. Seus olhos voltaram a mesa de Hummels, mas este já não estava mais lá.

{...}

Mats estava sentado na cama de seu alojamento olhando apaixonado para o celular. O Instagram de Erik brilhava na tela, Hummels observava com atenção cada foto, percebendo todos os detalhes: o cabelo loiro, os olhos azuis-esverdeados, o nariz arrebitado, as bochechas coradas em algumas fotos. Sabia que estava virando gado para o futuro Engenheiro, mas não podia evitar.

Manuel entrou no quarto, parecia ofegante, tinha alguns chupões pelo pescoço e sua camisa estava abarrotada. Não falaram nada, afinal o loiro parecia cansado então foi direto para sua cama dormir. Pelo menos alguém aqui está transando, pensou Hummels e também foi dormir.

{...}

Erik estava montando um seminário que apresentaria na próxima semana, mas seus pensamentos estavam concentrados não no Desenho Técnico Mecânico, e sim num certo homem moreno de olhos castanhos estudante de Literatura, que ficava a um Instituto de Distância do seu.

Durm desistiu de tentar montar suas falas, aquele trabalho poderia ficar para depois, afinal não conseguia se concentrar na matéria quando tinha um dístico em sua gaveta. Decidiu abri-la e pegar o papel que continha o poema, que parecia simples, mas tinha um significado profundo. Teu nome principia/Na minha respiração. O que aquilo queria dizer? Céus. Erik pediu, por um segundo, que as aulas de Literatura voltassem à sua memória para conseguir interpretar o que aquele papel dizia. Maldito seja o seu ódio por Literatura.

Começou a pensar, se o seu nome principiava na respiração de Mats, então aquela paixão não era tão recente, não? Mas como ela teria começado?


Erik estava em uma festa da faculdade. As bebidas e algumas drogas também. Ele sentou em um dos banquinhos do bar e pediu uma bebida. Ele estava claramente bêbado. Hummels sentou -se ao seu lado, também visivelmente alterado.

"E aí, loirinho, vamo fechar?" Mats disse arrastado. Durm apenas concordou com a cabeça e foram para os fundos da boates. Iniciaram um beijo rápido e cheio de desejo, mas infelizmente um guarda os parou dizendo que, se continuassem, poderiam ser indiciados por atentado ao pudor.


Aquele flashback foi como um estalo na mente de Erik. Não se lembrava daquele dia porque estava bêbado, mas agora, lembrava do beijo, em como os lábios de Hummels eram macios, por um segundo, desejou ter aqueles lábios sobre os seus novamente.

Mas, ainda assim era estranho imaginar que Mats estava apaixonado por si apenas por conta de um beijo. Postou em seu Stories a seguinte frase:

"E estranho pensar que uma pessoa tenha sentimentos tão fortes para se apaixonar tão rápido".


Hummels veria? Provavelmente. Mas aquela era a invenção, não queria iludir o moreno, não queria que ele fosse novamente motivo de chacota, agora por sua causa.

{...}

Mats estava no intervalo de aulas olhando suas redes sociais. Decidiu entrar no Instragram, e um stories de Erik era o primeiro a aparecer em seu feed. Leu tudo e estranhou aquelas palavras, sabia que era uma indireta, talvez até mesmo um aviso. Mesmo assim, não desistiria tão cedo dele.

O moreno sabia que Durm sempre encomendada lanches na lanchonete da Universidade, pensando nisso, foi até lá.

"Oi tia" disse Hummels, simpático. 

"Oi meu filho, quanto tempo".

"Pois é… bem, que queria pedir um favor à senhora. Mas a gente deixa em off, tudo bem?".

"Do que você precisa?"

"Sabe o Erik Durm, de Engenharia?" a mulher acenou positivamente com a cabeça "Então, eu sei que ele encomenda lanches por aqui, então queria pedir que a senhora coloque esse papel" entregou uma pequena folha dobrada "E coloque em algum lugar do pote que ele veja, por favor".

"Tudo bem, Mats, vou te ajudar" ela sorriu terna e Mats agradeceu, estava atrasado para a aula.

{...}

Erik estava prestes a comer sua comida, quando, ao abrir o isopor, um papel dobrado em meio aos guardanapos surgiu. Nele dizia:



Duvida da luz dos astros,
De que o sol tenha calor,
Duvida até da verdade,
Mas confia em meu amor.
William Shakspeare


Wow. Pensou, aquilo era profundo. Erik conseguiu sentir a dimensão daquelas palavras é sentiu-se tocado.

Decidiu mandar uma mensagem a Mats, precisava tirar aquilo a limpo.


{...}


Estava oficialmente em um encontro com Mats Hummels. Ambos estavam tímidos e com medo de falar sobre qualquer assunto, por isso o som mais ouvido era do dos talheres batendo enquanto degustavam uma pizza de mussarela.

"Então…" Erik disse, receoso "Como tudo isso começou?".

Mats pareceu pensar um pouco, mas por fim respondeu:

"Bem, tudo começou com aquele beijo na festa… Eu sei que pode parecer estranho, mas eu realmente estou apaixo…"

"Mats, você tem uma fama no campus de mudar de paixonite a cada mês, eu não quero ter algo com alguém pra um mês depois essa pessoa enjoar de mim. Eu não quero parecer grosso, mas eu tenho medo de ficar sair magoado".

Hummels pegou uma caneta e rabiscou algumas palavras para Erik, o entregou o papel em silêncio 


O tempo é muito lento para os que esperam
Muito rápido para os que têm medo
Muito longo para os que lamentam
Muito curto para os que festejam
Mas, para os que amam, o tempo é eterno.
Henry Van Dyke


Erik riu e entendeu um pouco mais sobre Mats, ele gostava de se comunicar por meio da poesia.

{...}

Estavam namorando havia seis meses. Poderia ser pouco tempo? Sim, mas Erik já sabia que o lance que tinha com Mats era real.

Estavam a seis meses para o fim dos respectivos cursos, seis meses para se formarem e darem orgulho para suas famílias. Tudo era muito tenso? Sim, mas estavam aguentando, juntos.

{...}

O dia finalmente chegou, a formatura, o fim de um ciclo.

Todos eras parabenizamos pelos professores, funcionários, colegas, familiares e amigos.

Agora iriam para a festa. Os estudantes de vários cursos decidiram fazer uma festa conjunta para que não gastassem demais.

As pessoas no local estavam comendo o jantar, quando Mats decidiu fazer um pronunciamento:

"Bem, como todos vocês sabem, eu sempre fui muito falado no campus pelas minhas paixões platônicas, eu quebrei a cara muitas vezes? Sim, porém agora eu penso que encontrei a pessoa certa. Que todos os não's que eu já levei tinham um propósito muito maior. Agora esse propósito é loiro, baixinho, tem olhos verdes e é conhecido como o amor da minha vida, Erik Durm" todos aplaudiram e assobiaram por alguns segundos, Mats continuou: "Bem, eu estive pensando sobre isso há tempos, por vezes achei que estava sendo precipitado demais, mas depois eu percebi que não devia ter medo de me jogar de cabeça nisso. Por isso, decidi escrever esse poema:


Quero apenas cinco coisas...
Primeiro é o amor sem fim
A segunda é ver o outono
A terceira é o grave inverno
Em quarto lugar o verão
A quinta coisa são teus olhos
Não quero dormir sem teus olhos.
Não quero ser... sem que me olhes.
Abro mão da primavera para que continues me olhando
Paulo Neruda


"E é com essas palavras que eu te pergunto: Erik Durm, aceita se casar comigo?".


Notas Finais


eu tô amando demais esse projeto uma das melhores coisas que eu já topei participar, sério.

bom, favoritem e comentem por favor, assim eu sei que vocês estão gostando das minhas humildes histórias.

nos vemos na próxima, xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...