História Poemas Que Nunca Lhe Escrevi - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 4
Palavras 650
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, LGBT, Poesias, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Peguem seus chocolates quentes, se aqueçam nos seus lugares com um endredom de ursinhos e aproveite a leitura!

Capítulo 1 - Os Primeiros Flocos de Neve


Fanfic / Fanfiction Poemas Que Nunca Lhe Escrevi - Capítulo 1 - Os Primeiros Flocos de Neve

"Quem me dera ser tão forte quanto uma rosa, quando ela se apaixona, ela ao menos sabe que é hora de deixar tudo para trás."


E
ra mais uma manhã de inverno para os jovens estudantes da pequena cidade de MountSeed. A neblina era perceptível, chegando a incomodar os olhos, alguns já murmuravam sobre a possível nevasca que viria em breve, tudo que os adolescentes mais queriam.

Porque nevasca, sempre é igual a uma semana inteira sem aula, devido ao quanto nevava nesses períodos.

E com aquele frio todo, era tudo que os jovens mais clamavam. 

Lou, se sentia como um esquimó, estava com mais de dois agasalhos, trajava suas luvas e touca vermelha, as quais combinavam com seus trajes azuis e pretos. Atravessava a avenida, em breve estaria dentro da aconchegante escola, que por incrível que parecesse era a única coisa que a incentivava chegar até o colégio.

Minutos depois, a garota já estava sentada em sua carteira, encolhida em uma tentativa quase inútil de se esquentar, enquanto escrevia em seu pequeno caderno, os outros alunos que estavam presentes na sala pareciam ignorar sua presença. Enrolou uma mecha loura de seu cabelo, vendo resquícios de flocos de neve enrolados entre os fios, sorriu consigo mesma não cogitando na ideia de tirar cada um de seu cabelo.

Estava com muito frio e preguiça para ao menos pensar em tal ideia.

Enquanto via da carteira do fundo ao longo do tempo o número de formigas se abrigarem em seus lugares, ficou brincando com o lápis em seus dedos, o vendo balançar de um lado para o outro, e freneticamente, balançava as pernas.

Alguns garotos, os quais secretamente, Louise os chamava de amebas, olhavam para ela e trocavam risadas em baixo tom, mas ainda audíveis de onde ela se encontrava. Possivelmente o vídeo vergonhosa de si ainda estava circulando pelos alunos.

A loura se amaldiçoou por ter ido naquela maldita festa.

Quase não notou a presença de um dos orientadores, Dajan, entrando na sala sendo seguido por uma figura ruiva que parecia um pouco deslocada pelos olhares que se fixaram sobre si. Lou ainda olhava para o lápis, mas ao ouvir os murmúrios do alunos antes do adulto se pronunciar, decidiu mudar seu foco para frente, se vendo assim como os demais presa entre seus pensamentos enquanto encarava a nova aluna.

Seus cabelos eram ondulados, e como uma cascata, caia pelas suas costas chegando à uma altura próxima aos quadris, seus olhos eram verdes... Ou seriam de cor mel? Não sabia bem, mas era uma mistura de tais cores que deixavam Louise levemente intrigada, mesmo com os mesmos escondidos por trás dos óculos de grau. A novata vestia somente um vestido florido com uma jaqueta de couro por cima, botas, uma meia-calça escura e usava algumas pulseiras nos pulsos. Involuntariamente, a loura sorriu, e quando percebeu escondeu seu rosto de si mesma.

— Alunos, quero apresenta-lhes a nova aluna e colega de vocês ao longo desse ano, Celina Monroe. 

O mais velho se voltou a ruiva, como que sem pronunciar uma palavra, já deixava claro que era a deixa da garota para se apresentar aos seus novos colegas, engoliu em seco e deu um passo, exibindo um sorriso que particularmente fez com que Louise sorrisse junto e se colocasse para desenhar algo no caderno, em forma de distrair a mente.

— Como o senhor Dajan disse, sou a Celina, mas podem me chamar de Lynn. Celina pousou uma mecha que tampava um de seus olhos, atrás de sua orelha. — É um prazer conhecer vocês e espero que possamos nos dar bem. Seu olhar enquanto passava por cada aluno se encontrou com os azuis de Louise, que rapidamente os desviou para o desenho que havia feito.

Uma rosa. Lou respirou fundo e afundou sua cabeça na mesa, murmurando palavrões contra si mesma, já sabia onde havia amarrado seu burro. Havia se apaixonando pela ruiva em menos de três minutos. O que tinha na cabeça?


Notas Finais


Espero que tenham gostado, não esqueçam de deixar suas opiniões! Até, beijos de amendoim ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...