História Poison ( GOT7 ) - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7, Monsta X
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Personagens Originais, Won Ho, Youngjae, Yugyeom
Tags Bambam, Fic Jaebum, Got7, Imagine Jaebum, Jackson, Jinyoung, Mark, Monsta X, Poison, Ross Butler, Youngjae, Yugyeom
Visualizações 187
Palavras 1.414
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi
Gente
Gente
CALMAA
Eu quis entrar ontem e postar, mas não deu! Foi um dia cheio de coisas :(
Um sábado tão social que nem parece um sábado meu 🤔

Obrigada a todos os favoritos, aos comentários, aos que lêem e tudo mais 🙆

Boa leitura 🖤

Capítulo 29 - 29


Fanfic / Fanfiction Poison ( GOT7 ) - Capítulo 29 - 29

Sira

O vapor da água quente faz o vidro do banheiro embaçar, passo minha mão e me encaro agora de rosto limpo. Olho no fundos dos meus olhos e sei que preciso falar com alguém, e esse alguém precisava falar muitas coisas comigo.

Abro a porta saindo enrolada em uma toalha enquanto penteava meu cabelo, olho disfarçadamente para o Jb que esta sentado, quase que deitado, na cama.

Ele estava sem camisa e eu observava suas costas, enquanto ele parecia mexer em sua ferida. Me aproximo lentamente e fico de frente, mas o mesmo estava concentrado em cuidar do ferimento. Apesar de estar um sangue vibrante eu apenas conseguia olhar para seus cabelos caídos sobre o rosto e seus lábios levemente abertos e rosados.

- Foi de raspão.

- Pode me ajudar? – Jb pergunta e me olha. Meus olhos caem em seu peitoral e eu... Desvio o olhar e trato de controlar meus olhos. Confirmo com a cabeça e o ajudo a suturar aquele machucado que apesar de ter sangrado muito, era superficial. – Au. – ele reclama e eu tenho flashbacks de quando estava presa com ele e tirando seu piercing…

- Foi mentira?

- O que?

- Tudo. – minha mente lembrava de todos os momentos desde acordei e ele estava lá, até esse que estamos vivendo agora.

- Não.

- Mentira.- digo e corto a linha e me afasto.

- Sira… - ele bufa. – Obrigada.

- Eu matei o Ross. – digo cabisbaixa. – O dono do Clã…

- Isso vai trazer problemas por toda parte, mas eu vou concertar, não se preocupe.

- Claro que eu me preocupo. – digo e o encaro. Estava tensa e séria. – Não quero que uma criança pague por nossos erros.

- Ela está bem. – ele diz me olhando com aquele olhar… Aquele maldito olhar de que sente muito, arg!

- Jb, pare. – resmungo e ele de levanta.

- Como você se sente?

- Quanto ao Ross? Foi o primeiro que matei. – falo. – Mas eu já quase fiz isso antes... – digo e ficamos em silêncio e eu observo a lâmpada do quarto me lembrando de tudo. – Assim que eu entrei para a Polícia, fiz uma ronda perigosa. Não deveria ter atirado no criminoso, mas eu estava frustrada, ele era um miserável… Por sorte acertei sua orelha.

- Sorte? – Jb sabia que eu escondia mais.

- Youngjae me impediu. – confesso e o olho. – O Ross merecia, mas apesar de merecer eu sei que não sou ninguém para tirar ou cuidar da vida de alguém.

- É complicado… - Jb confessa e suspira. – É um peso que vamos levar.

- Vamos? – a encaro franzindo o cenho.

- Sim. – ele confirma sério. – Porque eu que te coloquei nisso tudo. – ele diz e eu fecho minha boca que antes estava aberta, e engulo seco lembrando do que o Ross disse sobre mim estar na Espanha.

Me sento na cama e tento conectar tudo em minha mente, mas eu necessitava ouvir da sua boca.

- Estou cansada demais para entrar nesse mistério e desvenda-ló. Me diga agora tudo, Jaebum. – falo e o silêncio se faz presente, ergo meu rosto e vejo Jb de olhos fechados a cumprimir os lábios.

- Eu te sequestrei. Te trouxe para cá. – ele ainda falava de olhos fechados. – Foi… Parte de uma vingança contra seus pais. Há tanto o que falar… - Jb cumprime os lábios. – Eu achava que você era como eles, e que eu iria ganhar dinheiro, me livrar de problemas e vingar-me da família que tirou meus pais de mim. – via a emoção e a dor que ele sentia ao falar isso.

- Então, você nunca foi preso?

- Não. Eu armei tudo…

- A surra foi de mentira? – ele concorda com a cabeça e eu sinto vontade de rir, mas alegria nenhuma saia, nem um riso de deboche eu conseguia dar. – Abra os olhos. – falo e ele assim faz. – Valeu a pena?

Jb abre a boca, mas logo a fecha e estende a mão em minha direção, mas depois a abaixa e bufa mexendo a cabeça de um lado para o outro.

- Você me assusta calma assim… - ele desabafa depois de um tempo em que eu o encarava sem parar.

- Podia dizer que matei um homem por causa de você, mas fui eu… Que eu roubei por causa de você, mas fui eu! – ele me encara. – Que eu fiz coisas ruins por você, mas foi tudo eu!!! – cumprimo meus lábios e fito o teto. – Eu sou horrível.

- Não, você é forte. Não é como seus pais, e nem como ninguém! – Jb fala. – Sira, você e eu… Isso não foi mentira, a confiança cega foi de ambas as partes! Tudo dizia que você era tão ruim quanto eu queria, mas eu sentia que não.

- E eu sou?! O que eu sou?! – respirava descompassadamente. – Nunca estive tão calma, e eu nem sei porque estou assim, JB! – sentia tanta dor, mas não chorava. – Quero chorar mas me sinto vazia, como se já tivesse colocado um ponto final em tudo, mas nada está decidido! Nada finalizado! O que você fez?...

- Me pergunto isso. – ele fala baixo e se aproxima de mim. – Eu estava cego de vingança e você mudou tudo. Sabe quantos mêses eu fiquei louco? Eu fiz o Jinyoung ficar daquele jeito! Eu não parava de sonhar com os Shin! E quando os vi de longe eu… Senti tanta raiva. Tanta! Mas com você, com você foi estranho porque eu te odiava antes de você falar comigo, mas foi só se aproximar de mim que aumentou minha dor e raiva em cem vezes mais! E meus sentimentos em mil! – Jb fala com os olhos fitos em mim, me deixando sem reação. – Eu errei, eu sou um idiota! Um imbecil e tudo mais que você insiste em dizer. Sou mais ruim do que você pensa, já matei pessoas, machuquei outras e-

- Somos iguais. – digo e Jb franze o cenho e abaixa a cabeça.

Jb

Somos?

Ergo meu rosto lentamente e então vejo… A tatuagem dela, não a do seu braço mas sim a do seu ombro. E ao ver aquilo, eu fico em choque.

- Porque fez essa tatuagem? – estava ofegante.

- Essa? – ela estranha e olha seu ombro.

- Sim. Me responda, agora.

- O que essa tatuagem tem? – ela pergunta e eu não respondo. – O que acha que uma digital diz sobre você?... Eu pensei nela quando o Mark me disse para pensar em algum profundo. O que mais profundo do que saber quem você é? E então ele fez.

- Ele te falou da minha?

- De nenhuma. – ela responde eu encaro seu rosto e depois mostro uma das minhas tatuagens, que era exatamente como a dela, porém sem forma de coração. – Quando fez ela?

- Quinze anos. Foi uma das minhas primeiras. – confesso. – Talvez sejamos iguais as vezes, ou totalmente opostos. – ponho minha mão sobre seu ombro e aliso onde havia a tatuagem. Sei exatamente quem sou quando estou com ela…

- Sei exatamente quem sou quando estou com você. – Sira diz me fazendo fitar seus profundos olhos.

- Quem é você é Shin Siwon? Me pergunto isso todas as noites... - estava fisurado.

- Desde que te conheci. – ela completa a frase, fazendo tudo fazer mais do que sentido.

Nossos olhares se encontram e toda a angustia e dor que eu sentia em esconder a verdade dela são curados, eu não sei como mas a verdade se tornou libertadora.

Tudo faz sentido quando estamos juntos.

Sira aproxima sua mão do meu ferimento e eu temo a dor que provavelmente sentiria.

- Eu sou louca… - ela sorri alisando ao redor do ferimento. – Você me sequestrou, me fez sofrer e foi um filha da puta de um traficante interesseiro. – sentia que a qualquer momento ela iria enfiar o dedo em meu ferimento, ou me feriria de alguma outra forma, mas por outro lado... Jurava que iria me beijar intensamente. – Se você estiver escondendo algo de mim, me diga agora, Jb.

- Se eu disser que não, você confiará cegamente em mim de novo? – pergunto sentindo o desejo de ambos as partes ficarem cada vez mais claros.

- Está achando que eu sou estúpida, Jaebum? – Sira tomba a cabeça e se aproxima mais de mim.

Rapidamente agarro sua cintura e faço nossos corpos se chocarem, a deixando surpresa e sei que também excitada… Apenas sua toalha impedia de me certificar disso.

- Sim. – queria que ela me batesse, ou me amasse, agora.

Magnets


Notas Finais


ETAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA


Amo você, ta?! Nada de ficar bravo u-u
Ou fique, você fica um amor assim hauahuahsus 🖤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...