História Poison Of love - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Anna, Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Dr. Archie Hopper (Jiminy Cricket), Elsa, Emma Swan, Lacey (Belle), Lilith "Lily" Page, Malévola, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Princesa Aurora, Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Tinker Bell
Tags Jennifer Morrison, Lana Parrilla, Once Upon A Time, Ouat, Swanqueen
Visualizações 175
Palavras 1.198
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Confesso que o capitulo estava muito maior, considerei que a conversa entre Regina e Belle foi mais crucial agora 😘

Capítulo 31 - Você tem medo de ser quem realmente é Emma?


– O que? – Belle empalideceu – Você é o que?

Regina... – Comecei a falar pensando insistentemente que aquilo não passava de um sonho – A minha mãe...

Regina não me deu ouvidos para ser sincera ela simplesmente me olhou com aquele olhar que dizia "eu sei o que estou fazendo, se puder apenas confie em mim e ficará tudo bem". Ela viu meu medo impresso na expressão. Talvez inconscientemente eu permiti que ela continuasse

– Calma, vocês podem me esperar sentar? – Pediu minha mãe sem voz pela surpresa

Imediatamente Regina e eu fomos ajudá-la. Regina acabou sendo empurrada por Ariel que aquela altura já não se preocupava mais em demonstrar qualquer tipo de educação ou respeito com Regina.

–Alguém pode me explicar? – Disse minha mãe quando estava confortável – Sente-se ao meu lado Regina

Pela primeira vez, que eu me lembrasse, vi Regina hesitar

– Venha, não tenha medo – Incentivou minha mãe – Então, você disse que era...

– Homossexual – Repetiu Regina segura –E quero mostrar que nem todos, não sei... – Ela pareceu procurar palavras –São " más pessoas"

Eu estava infinitamente nervosa, sem noção para onde olharia e o mundo parecia girar muito mais depressa naquela hora; minha mãe e Regina pareciam mergulhadas em uma conversa que parecia pertencer somente à elas e me perguntei por um instante se eu não deveria ter contado à minha mãe sobre quem eu era.

– Eu não acredito que sejam más pessoas, apenas que estejam seguindo um mal caminho

–E é isso que queremos que a Emma siga, um bom caminho. – Intrometeu -se Ariel – Não acredito que ela convivendo como você possa continuar sendo uma boa pessoa – Ariel falava sem dó –  Sem ser influenciada de alguma maneira

Mamãe segurou a mão de Regina que estava pestes a responder.

–Saia, por favor Ariel – Pediu, sem dar espaço para contrariar – Emma, você também.

Mãe, é sobre mim que estão falando! – Respirei – Como se eu fosse uma criança!

– Emma, acalme -se e faça o que eu pedi.– Mamãe pareceu ter mais paciência comigo – É apenas por um momento

Tudo bem – Concordei à contragosto

Saí deixando as duas entretidas na conversa e uma dose de curiosidade de onde tudo aquilo terminaria

Regina

Eu sabia que contar à Belle, ainda mais sendo mãe de Emma, poderia ser difícil. Talvez ela já não me olhasse de forma tão positiva, talvez isso fizesse com que o questionamento para com Emma que eu já sabia existir, à partir dali se tornasse mesmo inevitável. Eu sabia que uma hora ou outra Belle Swan iria questionar Emma e esperava sinceramente que Emma não me odiasse quando aquele momento chegasse

– Peço desculpas pela falta de Ariel – A mãe de Emma parecia envergonhada e parecia procurar alguma maneira de me perguntar algo

– Senhora Swan... Não hesite me perguntar algo se quiser – Abri caminho.

– O que leva uma pessoa a ser... A interessar por alguém..

RI baixinho ao perceber o esforço de Belle ao tentar compreender

– Desculpe, eu não quero ofender você – Ela evitou me olhar.

– Não se preocupe Sra. Swan é compreensível – Fiz uma pausa –Eu diria que nascermos assim. Uns percebem cedo, outros demoram, uns sabem e preferem negar a vida inteira por medo, talvez da família que geralmente é o pior julgamento. – Dei de ombros– Talvez por medo da sociedade em que vivemos e outros conseguem não perceber, viver confortavelmente sem a necessidade de estar com alguém ou contar

– Viver num mundo fantástico? – Ela sorriu.

– Muitos conseguem por muito tempo viver em uma família tradicional – Pensei em mamãe – Mais tarde se descobre, e opta viver da maneira que se sinta bem

– É um pouco complicado entender – Ela sorri– Eu estou um pouco velha... Embora, veja que talvez tenha muito que aprender. – Pode me contar sobre você?

Percebi que a mãe de Emma estava um pouco desconfortável, claro, eu era como a "personificação" de algo que ela considerava errado, mas diferente de minha vó, Belle estava tentando não me julgar conforme seus conceitos e entender meu ponto de vista. Poderia dizer até que ela estava curiosa

– Cresci como uma garota normal que na adolescência percebeu que em vez de gostar de garotos como todas as amigas, interessava -se por garotas.

–Para mim, é apenas uma confusão mental. Causada por uma rejeição – Senti que Belle se sentia desconfortável em expor sua opinião.

– Eu tive uma infância feliz. Posso garantir que isso não veio de qualquer trauma. E não se preocupe, a senhora está se esforçando para entender, me tratando com respeito.. – Minha voz falhou

– Porque não trataria? – Ela segurou minhas mãos – Deus, você está bem?

– E.. Estou – Minha voz falhou – Acredito que agora vá querer que eu fique bem longe de Emma.

Mas, nisso eu acredito que sou bem grandinha para escolher minhas amizades. E eu não me afastarei nem de Regina nem de Killian! – Emma irrompeu pela Sala

–Emma eu pedi que você esperasse ser chamada! – Irritou –se Belle

Você já não manda mais em mim! – Eu vi o pânico passar pelo olhar de Emma

– Filha você nem ouviu a conversa toda. Que mania! 

Eu não vou deixar você escolher minhas amizades, mãe

–Emma, calma – Intervi– Sua mãe não disse nada. Quem disse fui eu

E por que? – Emma me encarou e pude ver a mágoa que causei imediatamente

–Ei – A mãe de Emma se fez ouvir – Vocês podem me ouvir? As duas? – Seu olhar alternou entre mim e Emma

Emma não me encarou sentou –se no sofá e eu a acompanhei. Belle respirou fundo

– Sua amizade com Regina sempre foi forte e qualquer um podia ver. Eu não vou negar que o fato de ela ser homossexual não me assusta, e me assusta ainda mais o fato de que você possa ser assim. Mas, eu não posso ditar as suas amizades. Saiba que não me agrada.

– Agora a Regina perdeu toda importância pra você? – Emma falou num fio de voz

– Claro que não – A expressão de Belle era de surpresa – Meu medo é que você também seja

Emma não contestou e eu também não


Pouco depois da mãe e da irmã de Emma terem ido embora resolvi conversar com ela. Encontrei · a sentada no terraço pensativa

– Hoje eu pude realmente entender o quão difícil é pra você – Sentei ao seu lado sem tocá-la

Minha mãe aceitou você, eu sei. Acontece que pimenta nos olhos dos outros é sempre mais fácil. Na "minha família não" – Emma deu de ombros

– Acho que sua mãe a aceitará mais fácil depois de hoje – Sorri lhe dando coragem Você está chateada comigo?

Não. – Consegui ver o fantasma de um sorriso – Você foi corajosa

– Obrigada Swan – Olhei – a pelo canto do olho – Você tem medo de ser quem realmente é, Emma?

Eu tenho um pouco. Mas, um dia terei que contar né?

– Eu vou estar por perto – Sequei uma lágrima

Você pode me deixar sozinha? – Pediu- me Emma

– Claro. Vou dormir aqui – Levantei. – Você começará a trabalhar amanhã?

Puts. Verdade – Gargalhei ao ver que Emma havia se esquecido – Prometo não me deitar tão tarde

– Boa noite, Emma – Dei um beijo em sua testa. Eu não queria mexer muito com ela, percebi seu abalo

Boa noite, Regina – Ela abraçou – me rápido e logo soltou

Não forcei Emma mas, o silêncio dela me incomodou é claro. Esperava  ansiosamente que o novo trabalho a distraísse. Dormi antes que Emma se deitasse. 


Notas Finais


Até breve


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...