História Pokémon: Arc - Sun and Moon. - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Pokémon
Personagens Ash Ketchum, Greninja, Kiawe, Lana, Lillie, Mallow, Personagens Originais, Pikachu, Professor Carvalho, Rotomdex, Sophocles
Tags Alola, Ash Ketchum, Aureliashipping, Aventura, Gladion, Greninja, Liga Pokémon, Lillie, Lua, Pikachu, Pokémon, Professor Kukui, Romance, Sol, Solgaleo, Sun And Moon, Z-moves
Visualizações 105
Palavras 4.364
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura!
Se quiser, pode deixar sua opinião sobre o capítulo.
Ela é muito bem-vinda.

Capítulo 3 - Formando laços!


Fanfic / Fanfiction Pokémon: Arc - Sun and Moon. - Capítulo 3 - Formando laços!

Tudo estava embaçado, abrir os olhos era ainda mais difícil por causa da luz que estava diretamente em seu rosto. Ela lutou para abrir as pálpebras, era uma luta complicada, mas ela não ia perder.


Depois de alguns segundos de tentativas,  ela  finalmente conseguiu, e a primeira coisa que viu foi o teto branco.  Ela se agarrou ao máximo que pôde na suave manta que a envolvia, seu corpo doía como nunca. Foi nesse momento que ela se lembrou de tudo o que havia vivido, do ataque; suas feridas e a pessoa que salvara sua vida. Ela ficou alguns minutos pensando em tudo, revendo todos os detalhes do momento vivido, aterrorizante sem dúvida. Ela decidiu deixar o assunto para mais tarde, uma vez que não era muito agradável de se lembrar, então ela escolheu descobrir onde estava, virou os olhos para a direita e pôde distinguir uma pequena mesa de cabeceira na qual havia uma lâmpada e algumas flores colocadas em um vaso, um pouco mais abaixo, havia um ar condicionado que mantinha o local fresco e, finalmente, um sofá marrom de tamanho familiar, então ela olhou para si mesma, tinha ataduras nos braços e na cabeça, estava com o cabelo solto e também vestia um pijama branco de duas peças... O simples ato de pensar que estava despida a fez  sentir a maior vergonha de sua sua vida. Quando ela se virou para a esquerda, um arrepio percorreu seu corpo.
A não mais de quatro metros dela, sentado em um único sofá preto e olhando para ela, estava uma pessoa com olhos castanhos sem brilho, completamente sério, que tinha um Pikachu no ombro com exatamente a mesma expressão que séria. O silêncio permaneceu na sala por minutos.


ㅡ Isso... o que você está fazendo?ㅡ Perguntou a loira tentando quebrar o gelo.


Em um piscar de luz, o brilho voltou aos olhos do garoto e do Pikachu, o primeiro levantou-se do sofá e foi para uma cadeira a alguns centímetros da cama em que Lillie estava deitada.


ㅡ É chamado de "Treinamento Mental". ㅡ Ele respondeu quando começou a acariciar seu Pokémon.


ㅡ Treinamento mental? Eu nunca tinha ouvido falar...


ㅡ Em uma batalha Pokémon, às vezes você deve desconectar seus pensamentos e seguir seus próprios instintos, sabe, deixar sua mente em branco. ㅡ explicou o garoto.


Honestamente, Lillie não gostava de brigas de Pokémon, não gostava de ver como criaturas fascinantes se machucavam pela ordem humana. No entanto, ele deve aceitar que o conceito que foi levantado foi certamente interessante, deixar sua mente em branco... Ela tentou várias vezes, mas sempre acabou pensando que ela não deveria pensar em nada, então considerou um fracasso.


Depois de ficar em silêncio por um momento, Lillie teve uma pergunta muito importante em mente.


ㅡ Onde estamos?


ㅡ Ah, sim... Estamos no Centro Pokémon, eu te trouxe aqui depois do que aconteceu. ㅡ respondeu o garoto sem muito incentivo.


ㅡ Entendi…


Após a "explicação" do garoto, eles se calaram novamente. Agradecer por salvar sua vida? Ela estava se perguntando, quem ele era? Ela não conseguia continuar pensando no que dizer desde que o Ash se calou.


ㅡ Sinto muito... ㅡ Ele falou com os olhos baixos.


Isso pegou a garota de surpresa, por que ele estava se desculpando? Foi por causa do que aconteceu? Ela não podia deixá-lo pedir desculpas por isso!


ㅡ Por que você pede perdão? ㅡ A garota questionou, enquanto colocava a mão no peito. ㅡ Se você não estivesse lá, eu teria...


 ㅡ Eu poderia agir muito antes... 


Ok, ela não esperava isso.


ㅡ Eu sabia que aqueles caras estavam te seguindo desde que nos conhecemos, eu poderia interceptá-los e derrotá-los, mas decidi continuar assistindo. Então, quando eles colocaram aquele Pokémon no seu ombro, eu não podia fazer nada, se eu os atacasse, ele teria atacado você, e se eu atacasse o Pokémon, você também se machucaria. ㅡ Ash explicou com os olhos escondidos pelo boné, cada palavra que ele dizia parecia fazê-lo sofrer muito. ㅡ Por minha causa, eles te machucaram ... Por minha causa, você passou pelo medo... Por minha causa...


ㅡ Já basta!


Os olhos do garoto se arregalaram e ele olhou automaticamente para a garota que tinha uma expressão de raiva. Em um movimento rápido, a loira pegou as mãos do garoto e as colocou sob as dela.


ㅡ Se você não estivesse lá... Se você tivesse me ignorado como as outras pessoas fariam em seu lugar, se você tivesse me deixado para o meu destino ... eu teria morrido. ㅡ Um lindo sorriso se formou no rosto da garota, completamente dedicado a Ash. ㅡ Muito obrigado, herói.


As palavras de Lillie nocautearam o garoto de Kanto. Um pequeno, mas caloroso sorriso se formou em seu rosto, até que se transformou em sorriso de orelha a orelha.


ㅡ Não foi nada! ㅡ A expressão do treinador fez o coração da loira pular uma batida e corar levemente. O sorriso dele era muito bonito.


ㅡ Eu quero saber... eu quero saber o nome do meu salvador. ㅡ ela perguntou com o rubor ainda no rosto

.

ㅡ Ash, Ash Ketchum, da cidade de Pallet, em Kanto. ㅡ o garoto respondeu sem hesitar enquanto continuava sorrindo.


 ㅡ Prazer em conhecê-lo, Ash, meu nome é Lillie. ㅡ A garota de olhos verdes estava ganhando cada vez mais confiança, afinal, o garoto transmitia esse sentimento.


ㅡ O prazer é todo meu, Lillie. ㅡ disse ele com um sorriso.


Foi então que os braços da loira se moveram de cima para baixo. Ash estava cumprimentando, aproveitando o fato de Lillie colocar as mãos dele nas dela, percebendo que o rosto da garota de Alola ficou muito mais vermelho.


ㅡ Me-Me-Me desculpe!


A reação da garota fez o Ash começar a rir alto, lentamente infectando a garota que se juntou à gargalhada. Pikachu, que se manteve fora da conversa, saiu do ombro do treinador e pulou na cama da garota.


ㅡ Certo... você também é meu herói, Pikachu. ㅡ Lillie pegou o roedor elétrico em seus braços e começou a mimá-lo, o que claramente ele gostava.


Os minutos continuaram passando, enquanto os dois jovens conversavam e acariciavam o Pokémon. Ash começou a contar as histórias loucas de suas viagens para matar o tempo.


ㅡ Então Pikachu foi seu primeiro Pokémon? ㅡ A garota ficou fascinada com as histórias do treinador, as aventuras não pareciam tão ruins quanto ela pensava.


ㅡ É isso mesmo, no começo eu era bastante teimoso e não gostei nada, mas depois de passar uma experiência difícil juntos, formamos um vínculo de amizade inquebrável. ㅡ disse Ash. ㅡ Qual foi seu primeiro Pokémon, Lillie?


Essa pergunta foi difícil de responder... Nebulilla não era um Pokémon selvagem, mas ela também não o havia capturado, então começou a debater se era ou não sua propriedade.


ㅡ Acho que ainda não recebi meu primeiro Pokémon... ㅡ respondeu com um sorriso tímido.


ㅡ Sério?! ㅡ A ideia de que alguém não tinha nenhum Pokémon parecia inconcebível para o treinador.  ㅡ Quantos anos você tem?


ㅡ Dezesseis ... estarei com dezessete em dois mêses. ㅡ ela disse dessa maneira, certamente sentia muito, embora não fosse realmente culpa dela não ter um Pokémon ainda, era tudo devido ao local em que ela havia crescido.


ㅡ Isso não pode continuar assim ... eu já decidi! Quando você sair daqui, receberemos seu primeiro Pokémon. ㅡ não foi uma sugestão, foi uma ordem. Os olhos do garoto começaram a brilhar:  ㅡ Não há nada melhor do que assistir alguém conseguir seu primeiro companheiro de viagem...


ㅡ Mas eu…


Foi então que a porta se abriu e através dela veio a enfermeira Joy, o professor Kukui e todos os Pokémon da cabana.


ㅡ Lillie! ㅡ o professor e a enfermeira gritaram em uníssono, enquanto os monstros de bolso pulavam alegremente quando viram sua amiga consciente.


Todos os amigos da loira correram para o lado dela, enquanto Ash se levantava da cadeira e Pikachu da cama para abrir espaço para a reunião.


ㅡ Quando eles me disseram o que tinha acontecido, meu coração parou. ㅡ  disse Kukui, enquanto abraçava a garota sutilmente. ㅡ Sinto muito!


ㅡ Eu não deveria ter deixado você ir para a cidade, eu sabia que o Team Skull estava lá. ㅡ A enfermeira também abraçou a loira, enquanto as lágrimas caíam de seus olhos.


 ㅡ Gente... ㅡ Faz muito tempo desde a última vez que Lillie se sentiu tão amada, lágrimas de felicidade começaram a cair em seus olhos, tornando a cena algo marcante.


Ash assistiu tudo com um sorriso para depois virar e sair da sala, ele tinha uma tarefa a cumprir.


Os minutos passaram e a atmosfera se acalmou.


ㅡ Devo agradecer a Ash como ele merece. ㅡ disse Kukui, enquanto enxugava os olhos.


 ㅡ Definitivamente um garoto muito corajoso... ㅡ Joy disse com um lenço na mão direita.


ㅡ Professor, enfermeira... Vocês poderiam me contar o que aconteceu?


ㅡ Suponho que você queira dizer depois do ataque... ㅡ A enfermeira disse, recebendo um aceno de Lillie.


--------------------------------------------------


Vinte e quatro horas atrás.


As portas do Pokémon Center se abriram, deixando Ash passar carregando uma Lillie inconsciente e com a perna vermelha.


ㅡ Eu preciso da enfermeira! ㅡ Ash gritou desesperadamente.


Ao ouvir alguém que a chamava, Joy correu rapidamente para a entrada acompanhada de sua fiel assistente, Blissey.


ㅡ O que houve...?!


Ela não conseguiu terminar de falar, assim que viu a garota loira, ela ficou completamente chocada, seus olhos estavam completamente abertos e o suor começou a escorrer por seu rosto. Sua condição não lhe permitiu perceber que alguém a estava chamando gritando.


ㅡ Não temos tempo a perder. ㅡ o garoto brada.


ㅡ  Me desculpe, eu preciso agir!


O garoto estava certo, não havia tempo para se surpreender, eles tiveram que agir rápido. Com isso em mente, a expressão da enfermeira mudou para seriedade.


ㅡ O que foi que aconteceu? ㅡperguntou à enfermeira.


ㅡ Eu vou te contar tudo mais tarde, agora a saúde da garota vem primeiro. ㅡ ele respondeu seriamente ao ver Lillie.


Depois de concordar em adiar o assunto, a enfermeira pediu a Blissey para trazer uma maca. Quando ela chegou, Lillie foi rapidamente acomodada nela.


ㅡ Seu nome é Ash, certo? ㅡ Nesse sentido, a enfermeira pegou um papel e escreveu algo nele. ㅡ Ligue para esse número e explique o que aconteceu.


Depois de pegar o papel da Enfermeira Joy e ver como a garota foi levada para a sala de emergência, Ash foi com alívio aos telefones do centro Pokémon e digitou o número que eles haviam lhe dado. Agora ele apenas tinha que esperar que eles respondessem.


ㅡ Um ano atrás, um Garbodor nos daria problemas, não acha Pikachu? ㅡ Ash começou a acariciar seu Pokémon, enquanto esperava.


ㅡ Pika pi pikachu. ㅡ Essa foi uma afirmação completa.


Após cerca de quinze segundos, a chamada foi atendida.


 ㅡ Aqui é o Professor Kukui, quem fala?  ㅡ  Na parte inferior do vídeo do professor, você podia ver muita decoração, o mais impressionante era uma faixa que dizia: "  A melhor ajudante do mundo ".


ㅡ Como começar... ㅡ O  Ash não sabia o que fazer, a enfermeira havia dito apenas para ligar para o número que estava escrito no papel. Depois de meditar um pouco, ele decidiu fazer o que achava certo, ir direto ao ponto: ㅡ Venha imediatamente para o centro Pokémon.


 ㅡ   Eh? Sinto muito, quem você é?Agora não posso, hoje é um dia importante e tenho que estar aqui, estou esperando por alguém...


ㅡ Você conhece uma garota loira de olhos verdes? ㅡ O garoto interrompeu. Ele teve que deixar o homem saber que sua presença era necessária.


ㅡ Você quer dizer Lillie? ㅡ O professor começou a se preocupar um pouco.


 ㅡ Eu não sei o nome dela, mas acho que queremos dizer a mesma pessoa...


ㅡ O que tem ela...


Ela foi atacada. ㅡ  O treinador de Kanto  falou de repente.


Quando ele terminou de dizer essas palavras, a comunicação foi cortada por Kukui. Ash o convenceu.


ㅡ Acho que é só uma questão de esperar... Está chovendo ainda... ㅡ Para reduzir as chances de pegar um resfriado, ele começou a tirar a roupa em um boxer.  ㅡ Temos que nos secar, Pikachu, vamos nos resfriar.


Depois de vinte minutos em que Ash e seu Pokémon secaram completamente e o treinador vestiu roupas hospitalares completamente secas, as portas do centro Pokémon se abriram, passando por eles um Professor Kukui encharcado e vários Pokémon, entre os quais havia três que o garoto não conhecia.


Onde está Lillie? ㅡ perguntou o professor, enquanto se dirigia para Ash, que estava sentado em um banco.


ㅡ  Emergência. ㅡ ele disse, enquanto se levantava e começou a caminhar até aquele local seguido pelo professor.


Após a curta caminhada, chegaram onde Lillie estava hospitalizada. A menina estava deitada em uma cama, com a cabeça enfaixada e um pano molhado na testa, completamente coberta e o rosto ainda vermelho. A enfermeira Joy estava ao lado dela, medindo sua temperatura.


 ㅡ Temos sorte de não ter sido tão grave, com várias feridas e alguns arranhões, o mais preocupante é uma queimadura de segundo grau na perna e febre.  ㅡ  A enfermeira informou, enquanto verificava o termômetro que já havia estado na boca do moça.


 ㅡ  Lillie... ㅡ  o professor sussurrou, enquanto se aproximava da cama em um ritmo lento, atraindo a atenção da enfermeira. ㅡ Quem... quem fez isso?


  ㅡ Professor Kukui... eu também quero saber... ㅡ Os dois adultos se viraram para ver o jovem, procurando uma explicação com os olhos.


ㅡ Deixe-me contar tudo. ㅡ seria uma longa conversa.



ㅡ Foi então que ela estava inconsciente, eu queria ir para o centro Pokémon da cidade, mas estava fechado devido à chuva, decidi não perder tempo tentando abrí-lo e lembrei que havia um centro Pokémon próximo à  Escola de Treinadores, tive sorte que um homem andando em um Tauros estava indo para a "Rota 1", concordou em me dar uma carona, mas no meio do caminho começou a febre de Lillie... o resto vocês já sabem. ㅡ  A explicação deixara os adultos perplexos.


 ㅡ O Team Skull... Guzma... ㅡ  o professor sussurrou, enquanto rangia os dentes.


ㅡ Suas decisões corretas conseguiram colocar Lillie fora de perigo, Ash... Parabenizo você por isso... Embora pareça estranho que o centro Pokémon de Hau oli tenha sido fechado pela chuva, vou ter que perguntar mais tarde.  ㅡ  Eles ficaram em silêncio por segundos, até a enfermeira falar novamente. ㅡ O lenço que você usou para tratar a queimadura. ㅡ Depois de dizer isso, ela entregou um lenço azul e branco com uma estampa de Pokébola ao garoto.


ㅡ Muito obrigado, enfermeira. Este lenço é muito precioso para mim. ㅡ  disse ele, mais tarde, colocando-o no bolso da calça sobressalente que estava usando. ㅡ A propósito... Espere por mim aqui, já volto.


O garoto se retirou diante dos olhos do professor e da enfermeira, para voltar alguns minutos depois com sua mochila.


ㅡ Lillie fez um esforço enorme para recuperar isso.   ㅡ  Ele disse, entregando a bolsa que a garota havia feito um esforço enorme para recuperar, mesmo que isso lhe custasse a vida e uma cápsula com um ovo dentro. O garoto também segurava uma cápsula com ovo. ㅡ  Eu vou ter que dar uma saidinha,  buscar as minhas coisas...


ㅡ Ash... ㅡ Embora ele conhecesse o homem na casa dos quarenta, ele percebeu que era uma pessoa muito melhor do que muitos outros em sua tenra idade. ㅡ Eu não sei como agradecer...


ㅡ Você não precisa me agradecer, Lillie me ajudou, acabei retribuindo o favor, além disso, odeio pessoas abusivas.  ㅡ o garoto respondeu, enquanto inspecionava o ovo. ㅡ Sinto muito por ser um pouco áspero, amigo.


Depois de várias horas, quando a garota se recuperou bem e sua febre desapareceu, a enfermeira Joy a levou para o quarto em que está atualmente, com a ajuda de Kukui, Ash, Pikachu (o último não fez nada) e Blissey.


Três horas antes de Lillie acordar, Ash foi procurar suas coisas na passagem da cidade de Hau 'oli, que ela escondeu em um pequeno arbusto, ao lado da árvore queimada; por sorte, tudo estava lá: seu estojo de TM, seus objetos de cura, de combate e as Pokébolas. A única coisa que o machucou foi encontrar vários Pokémon comendo as frutas que ele tinha guardado.


E assim, voltamos ao presente.


---------------------------------------------------

ㅡ É bom saber que existem pessoas como o Ash no mundo. ㅡ disse a enfermeira com um sorriso.


Lillie permaneceu em silêncio, mas com um pequeno sorriso no rosto. Ela tinha que agradecer ao seu herói.


-------------------------------------------------


Iron Tail. ㅡ Ash ordenou.


Com um pequeno grunhido, o rabo de Pikachu ficou prateado, enquanto corria a toda velocidade contra um grande Stoutland, atingindo-o diretamente no rosto e fazendo-o voar, deixando-o nocauteado.


ㅡ As novas gerações são realmente poderosas. ㅡ disse ela, retornando para Pokéball o seu companheiro enfraquecido, uma mulher de pele morena e cabelos curtos, vestida com calças escuras, blusa de mangas compridas azul e colete cinza. ㅡ Vá em frente, Ash, você pode ver o diretor, você concluiu seu teste.


ㅡ Obrigado pela luta, vice-diretora. ㅡ Depois de uma pequena reverência, o treinador Kantoniano correu para o topo da Escola de Treinadores, seguido por Pikachu.


Depois de ver à placa de cada porta, ele finalmente alcançou uma que dizia: "Diretoria" , sem tempo a perder, girou a maçaneta e entrou em uma sala com prateleiras cheias de livros, dois sofás grandes, uma mesinha, uma tela gigante e vários objetos tradicionais da região, onde o chefe da escola foi encontrado.


Samson Oak, primo do mundialmente conhecido Samuel Oak. Conhecido por administrar uma escola da qual se formam os futuros treinadores de Pokémon renomados. O rosto dele é exatamente igual ao do primo, exceto pela cor de pele, ele tem longos cabelos grisalhos que chegam aos ombros. Ele veste uma camisa azul florida, bermuda branca e sandálias roxas.


ㅡ Professor Oak. O que você está fazendo aqui?! ㅡ Ash perguntou ao homem atrás de uma grande mesa de madeira.


Este homem começou a rir ao ver o jovem na sua frente, totalmente surpreso.


ㅡ  Sou confundido com  o Samuel, tantas vezes. ㅡ ele disse, depois de terminar de rir.  ㅡ Eu acho que você é Ash. Um prazer, eu sou primo de Samuel, Samson Oak, diretor desta escola.


ㅡ Você é primo do professor?! ㅡEle teria jurado que eles eram gêmeos... "Como era possível que duas pessoas que não eram gêmeas fossem tão parecidas?" ㅡ  Desculpe minhas maneiras! Eu sou Ash Ketchum, de Pallet, prazer em conhecê-lo.


ㅡ Não se preocupe, garoto. ㅡ disse ele, rindo de novo. ㅡ Samuel me disse que você traria algo importante, posso perguntar onde ele está?


ㅡ Verdade, o ovo.


Antes do olhar do diretor, Ash tirou a mochila e a abriu, para depois remover a incubadora que continha o ovo que ele havia recebido ordens de levar para Alola.


ㅡ Ohhhhh! Um ovo de Vulpix direto de Kanto! ㅡ O diretor gritou animadamente quando ele se levantou da cadeira e correu para o ovo.


ㅡ Como você pode ter tanta certeza de que é um ovo de Vulpix? ㅡ O Ash perguntou surpreso, enquanto o professor examinava o ovo ainda dentro da incubadora.


ㅡ É muito simples, garoto. Basta olhar para aqueles tons de vermelho e aquele padrão característico de espirais na base, semelhante às caudas de um Vulpix!  ㅡ Ele respondeu com um brilho nos olhos. ㅡ Samuel sempre sabe do que eu preciso!


Depois de dizer isso, ele correu para uma porta que estava na sala, de lá ele gritou:


ㅡ Coloque o ovo na mesa e remova a tampa da incubadora, por favor!


Obedecendo ao diretor, Ash foi até a mesinha entre os dois sofás e em frente à tela, pondo o ovo e descobrindo a incubadora depois.


Foi quando Samson voltou para a sala principal com outra incubadora, dentro dela havia um ovo branco com uma estampa de flores de cinco pétalas, todas em azul claro.


ㅡ Diga-me Ash, você conhece as formas regionais? ㅡ Oak perguntou.


ㅡ Formas ... Regionais ... Eu nunca ouvi falar delas.


ㅡ Então deixe-me contar. ㅡ Existem Pokémon em Alola que não são nativos da região e, devido ao clima, comida, condições topográficas ou simplesmente sobrevivência, eles mudaram seus tipos, sua aparência e maneira de agir.


Ao ouvir a explicação, a mente de Ash viajou para o passado, mais especificamente quando ele fez sua jornada pelo Arquipélago Laranja. 


ㅡ Agora que mencionou, há vários anos eu estava viajando pelo Arquipélago Laranja, lá encontrei uma ilha onde os Pokémon eram rosa por causa de uma fruta que comiam.


ㅡ Bem, isso garoto, é uma forma regional. ㅡ disse Oak e colocou a incubadora que tinha nas mãos ao lado de Ash. ㅡ Este ovo que você vê aqui pertence à forma regional do Vulpix e foi trazido diretamente do Monte Lanakila, o lugar mais alto e frio de toda Alola.


ㅡ O Vulpix tem uma forma regional?! ㅡ Era incrível quantas coisas ainda estavam para ser aprendidas no mundo.


 ㅡ Exatamente, e não apenas Vulpix. Ninetales, por exemplo, também tem uma.  ㅡ  acrescentou Samson, deixando Ash sem palavras.


O  Ash  ficou intrigado, Alola, sem dúvida, seria uma nova aventura.


ㅡ Diga-me, quanto tempo você planeja ficar na região? ㅡ O diretor estava olhando para Ash, enquanto esperava por uma resposta.


ㅡ Vim aqui só para entretar o ovo, mas agora que conheço as formas regionais... ㅡ O treinador parou e continuou falando: ㅡ Quero saber tudo!


Essas palavras geraram um sorriso em Samson.


ㅡ É assim que se fala, garoto. Dedico-me a pesquisar as formas regionais e gostaria de poder estudar todos os Pokémon dessa forma e do original. ㅡ Ele contou, enquanto estendia a mão para o Ash.  ㅡ Você aceitaria a missão?


 ㅡ  Você quer que eu pegue todos eles, não é? ㅡ  O garoto perguntou com um olhar radiante, recebendo uma afirmação do diretor. ㅡ Então eu sou o homem certo. 


ㅡ Entendo o motivo do Samuel te aprecia tanto, garoto. Você tem coragem. ㅡ Depois de terminar de dizer isso, o diretor e o treinador apertaram as mãos com força, selando o acordo. ㅡ Agora, eu preciso desses dois ovos chocados e a melhor maneira de fazer isso é que um treinador viaje com eles em todo o mundo. Nosso primeiro objetivo é estudar a linha evolutiva do Vulpix.


ㅡ Vamos fazer isso! ㅡ Ash gritou para depois correr para os ovos e descobrir algo.  ㅡ Vamos nos dar bem, amiguinho.


Ash tocou o ovo com padrão floral e isso imediatamente liberou um resfriado que endureceu sua mão, soltando um pequeno grito de surpresa no processo.


ㅡ Uau ... Parece que esse ovo não gosta de você. Não se preocupe, ele também não gosta de mim. ㅡ Observou o professor e depois tocou o ovo vermelho, que começou a se mover suavemente e a liberar um calor agradável. ㅡ Mas, ao contrário, parece que sou  apreciado por esse pequeno.


ㅡ Que surpresa! O professor Oak teve muitos problemas com  esse ovo, mas parece que ele gosta muito de você.  ㅡ  disse Ash, surpreso.


ㅡ Bem, acho que é por causa do nosso personagem.  Você e eu somos um pouco mais ativos e despreocupados. Em vez disso, Samuel é bastante sério e trabalhador, tenho certeza absoluta de que ele se daria bem com "Ovo 2" , enquanto nós dois nos damos bem com "Ovo 1" - o diretor colocou a mão do Ash no "Ovo 1" e ele começou a se mover alegremente, ao mesmo tempo que emitia uma sensação de calor.  ㅡ  Você deve procurar alguém que se dê bem com o "Ovo 2", enquanto você leva o "Ovo 1".


As palavras do diretor saíram refletindo sobre o menino de Kanto. Os ovos de Pokémon eram algo surpreendente, eles nem estavam vivos e já tinham uma atitude bem definida. Deixando essa questão de lado, ainda era para encontrar a pessoa certa para cuidar do "Ovo 2"... Que ótima idéia que ele acabara de ter.


ㅡ Acho que sei quem se daria bem com nosso amigo branco. ㅡ disse o treinador, enquanto cobria as incubadoras e as carregava nos dois braços.  ㅡ Espere pelas minhas notícias, diretor!


O Ash correu para a saída e a abriu como pôde, enquanto Pikachu subia em seu ombro. Aquele garoto certamente seria alguém grande, pensou o diretor.


--------------------------------------------------


ㅡ Muito bem, basta aplicar o anti-queimadura na Lillie uma vez a cada quatro horas e em três dias ela vai estar melhor. Tente não fazer muito esforço. ㅡ a enfermeira informou, enquanto escrevia uma receita.


ㅡ Os Pokémon realmente favoreceram a vida dos humanos. ㅡ disse Kukui. ㅡ Eu não imaginava como o mundo seria chato sem eles. Esses remédios  feitos através deles são ótimos.


ㅡ Professor, você poderia me dizer onde está Nebulilla? ㅡ Lillie não tinha conhecimento de seu paradeiro atual.


ㅡ Não se preocupe, está na sua análise mensal. ㅡ disse o professor. Nebulilla era um Pokémon muito raro, então eles tiveram que fazer verificações constantes para garantir seu bem-estar. A loira soltou um suspiro de alívio.


Lillie estava cansada. Seu vestido havia sido destruído, sua bolsa estava cinza e tudo o que havia nela e ela não podia fazer muito em pelo menos três dias.  Ela ficaria muito  entediada. Ou assim ela pensou.


Ash entrou pela porta da sala do Centro Pokémon, aparentemente ele já havia terminado o negócio pendente. Surpreendendo Lillie, ao ver como ele carregou as duas cápsulas com um ovo dentro de cada uma.


ㅡ Você completou o que tinha que fazer, Ash? ㅡ Kukui perguntou, enquanto observava os ovos Pokémon.


 ㅡ Algo assim, algo novo surgiu. ㅡ O Ash entrou na frente da cama e botou os ovos, descobrindo apenas o branco. ㅡ Muito bem...


O treinador pegou a mão da loira rapidamente, causando-lhe um pequeno grito de surpresa e vergonha, e depois a colocou em cima do ovo...


 ㅡ A-A-A-Ash!  O que você está fazendo ... ?!  ㅡ  Um frio refrescante interrompeu a pergunta de Lillie, que veio do ovo que se movia lentamente, deixando os presentes surpresos.


ㅡ Está decidido... Lillie, a partir de agora, o ovo pertence a você. ㅡ disse o treinador.


ㅡ Eh?


Notas Finais


Ash e Lillie agora vão cuidar de ovos Pokémon, dois Vulpix, respectivamente. Como será o laço desses 4?
No próximo capítulo teremos mais uma nova aparição, conseguem imaginar? Hehe.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...