História Pokémon Art Online - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pokémon, Sword Art Online
Tags Ação, Aventura, Crossover, Pokémon, Sword Art Online
Visualizações 12
Palavras 2.307
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ficção Científica, Luta, Magia, Romance e Novela, Shounen
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Fala galerinhaaaaa, beleza?
"Flash, agora os capítulos vão sair mensalmente?" Sei lá, depende do meu tempo e da procrastinação mental. --'

Enfim, vocês não estão aqui para ver minhas desculpas, mas sim para ler mais um capítulo da fanfic!


Abertura: ♪ Crossing Field ♪



(Vou deixar o tema de abertura aqui mesmo para não atrapalhar a leitura de vossas senhorias)


[...] = Salto de tempo
[...] [...] = Mudança de local
[...] [...] [...] = Troca de realidade
{...} = Retorno temporal


Espero que gostem!

Capítulo 10 - Um Juramento de Sangue


Retrospectiva: Após alguns dias longe, Leus e Mary retornam à companhia de seus amigos, trazendo consigo um misterioso artefato, uma adaga de coloração azul. Enquanto Doge tentava a empunhar, o sombrio percebe um ser encapuzado sair da pousada e resolve o seguir. O Pawniard perde o misterioso de sua visão, e quando decide voltar, eis que se depara com Liza e Yuno, que ainda almejavam encontrar o companheiro delas. Tudo parecia estar muito calmo, até a pequena Ralts chegar, mirando diretamente o Buizel, e indo em direção dele, enquanto o mesmo dava marcha ré, tentando não ter contato físico com a recém chegada. Kitta não iria deixar impune isso, pelo simples fato de querer proteger o seu escravo, então as duas "damas" resolveram duelar lá no lado de fora do estabelecimento.

E sobre o ser misterioso de antes… Só lendo o capítulo anterior para você saber quem ele é. :P


(Acho que detalhei demais essa retrospectiva, mas o que vale é a intenção :v)








[…] […]




CIDADE DE USLIS, 1° ANDAR

DIA 7, 16:15





Retornamos à nossa narrativa a tão famigerada Uslis, contendo bastante jogadores que moram nessa cidade ainda. Especificamente, vamos ir para a praça, que se encontrava um grupo considerável de pokémons. Todos estes, prestavam continência à um pequeno Ralts de cor azulada, que passava dentre eles. O último citado se assenta perto de outro monstrinho de bolso, sendo mais específico, um Bagon.


- Quem é você? - O tipo dragão estranhou toda essa movimentação perto dele, e principalmente pelo fato daquele Ralts ser diferente dos demais.


- Meu nome é Eren, sou o líder e criador dos "Pokémons do Juramento de Sangue", e gostaria de te fazer umas perguntas. - O psíquico se aproxima um pouco, e mostrando o seu olhar sério ao outro assentado.


- Prazer, me chamo Isoulax, e antes que me faça uma pergunta, eu gostaria de fazer uma… Por que você é azul?


- Digamos que eu comprei a versão VIP do meu avatar na pré-venda do jogo. - Responde de forma seca, assustando, um pouco, o pokémon assentado ao lado. - Bom, já teve a sua questão respondida, espero que faças o mesmo comigo.


- Tudo bem, mas que não seja coisas difíceis de se responder… - O Bagon olha para o céu por alguns e retorna ao Ralts, que mantinha a face em estado neutro.


- Primeira pergunta: Você realmente é o atual líder das linhas de frente?


- Sim - Responde convicto, o questionador apenas se mantém do mesmo jeito que chegou. - Como sabe disso?


- Mas quem te deu tamanha autoridade? - O indagado apenas ignora a pergunta do pequeno dragão e questiona ainda com rigorosidade.


- Leus, o líder do grupo que derrotou o chefe do primeiro andar.


- "O Espadachim Negro"… - Eren reflete um pouco sobre esse tal jogador fixando sua visão ao solo.


- Ahn, senhor Eren? - O pequeno dragãozinho fica com uma gota na testa e cutucando com sua pata o ombro do líder de guilda.


- Er, me desculpe por essa recaída que eu tive. - O psíquico retorna a ficar com seu olhar sério. - Falando nele, me conte mais sobre esse tal de Leus.


- Eu não sei muito sobre ele, apenas sei que foi ele quem deu o último ataque no chefe com um corte preciso. Além disso, desconheço sobre sua vida.


- Entendo. - O Líder da guilda se levanta e aterrissa no chão, indo em direção aos seus subordinados. - Vamos embora, não tem mais nada para fazermos por aqui.


- Espere um momento! - Isoulax repete o mesmo ato do último citado, e com coragem faz a seguinte questão... - Eu posso ser um membro da sua guilda?


- Claro, mas você terá que fazer um juramento de sangue.


- E como se faz isso?


- Simples. - O questionado se aproxima novamente e ergue sua pata direita, de forma reta, a altura de seu ombro e dita as seguintes palavras. - Repita o que eu disser. "Prometo ser fiel e ter compromisso com a minha guilda, a honra dela será mais importante do que minha vida. Derramarei meu sangue, se for preciso, para manter ela viva."


Após repetir esse juramento, o pequeno dragão foi aceito na guilda, e todos os outros soldados o saúdam com acenos de suas patas.


- Isoulax, eu sei que você acabou de entrar na guilda, mas como tu és o líder das linhas de frente, te nomeio Capitão. - Confirma Eren em tom sério e presta continência ao recém promovido.


- É uma honra para mim, senhor! - Repete o mesmo ato de seu superior com um vasto sorriso no rosto.


- Bom, vamos indo, precisamos ficar mais fortes para o próximo chefe e demonstrar a força de nossa guilda. - Retomou a palavra novamente o Ralts azul, passando dentre os demais soldados e os chamando com um movimento de pata para o seguir.





[…] […]



CIDADE DE BESÉRIA, POUSADA, 2° ANDAR

DIA 7, 16:34




Voltando aonde nossos heróis estão, uma batalha intensa (mas nem tanto) ocorria por ali. Duas pokémons se encontravam ofegantes e exaustas pelas trocas de golpes e contra-ataques.


- Você até que luta bem, nanica! - Apesar de aparentar estar cansada, Kitta não perdeu a chance de provocar sua adversária, e com êxito a deixou brava.


- Digo o mesmo para ti, fogo no rabo! - Furiosas, ambas ficam próximas de si novamente para continuar o combate.


- Já chega meninas, parem de brigar! - Doge se intromete ficando entre ambas, que o olharam com espanto pela ação repentina. - Tem coisas muito mais importantes do que ficar discutindo e brigando!


- Tipo finalizar este jogo. - Complementa Leus, e o alaranjado apenas acena positivamente a fala de seu amigo.


- Sim, por isso, chega de conflitos, por favor. - Depois de ouvirem essas palavras, as lutadores refletem no que os garotos disseram, e resolvem por entrar em trégua.


- Por você, Doge, vou parar esta batalha. - A psíquica se aproxima da tipo fogo que a encara com um sorriso um tanto, malicioso. - Por qual motivo do sorriso?


- Eu ganhei, hihihi! - Ela dá vários saltinhos de alegria deixando todos em "WTF" (chocado e surpreso), exceto Leus, pois este se lembrou de uma pessoa que fazia essa cena quando se achava feliz por algo.


- Dando saltinhos daquele jeito, me lembro da Lídia… - Diz o tipo aço em seus devaneios, enquanto fita o solo com a face enrubecida. - Hehe, agora recordei de um desses momentos de alegria dela…





{…}

[…] […] […]




Lá estavam eles, Chris, Jaden (com 14 anos ambos), Lídia (com 10) e Mônica (mãe da dupla de loiros, caso não lembre) indo em direção ao super mercado para fazerem compras básicas do dia-a-dia, como quaisquer pessoas fariam. Ao chegarem a frente do local, os quatro avistam uma mulher de cabelos morenos cadeirante, sendo guiada por um homem de cabelos castanhos, vindo na direção deles. Na hora, a mulher loira reconhece a dupla que ficou bem próxima aos nossos conhecidos.


- Cristina!!! - Mônica se abaixa um pouco e insere um abraço forte em sua amiga de infância que não via há anos. - Como você está amiga?


- Estou bem, obrigada, e você? Faz muito tempo que não te vejo.


- Tem razão, acho que desde a adolescência não nos vemos. E respondendo a sua pergunta, sim, estou ótima como sempre!


A loira percebe que a barriga de sua amiga estava mais grande que o normal, logo, raciocinou na alternativa mais lógica para isso.


- Cris, você está grávida?


- Sim. É uma menina, mas ainda não decidi o nome dela.


- Uau, deixa eu ver? - Interroga Lídia ao se aproximar devagar e observar atentamente a barriga da mulher.


- Sim, querida, se você quiser tocar nela também, fique a vontade.


Depois de a menina ter posto sua mão, a mulher sentiu que a sua bebê deu um leve chute dentro de seu ventre.


- Ó, eu senti um chute! O primeiro chute da minha pequena! - Exclama a morena fitando o seu marido com orgulho.


- Uau, ela nunca tinha dado feito isso antes! Aposto que foi graças a essa menina! Amor, que tal se nós colocarmos o nome dela na nossa filha?


- Ótima ideia. Qual o seu nome mesmo?


- É Lídia, tia Cris. - A garota começa a saltitar de alegria e emoção por terem colocado o seu nome na pequena que ainda haveria de vir.


- Ela é tão linda sorrindo, não acha? - Pergunta Chris, admirando a sua loira feliz e ficando corado aos poucos.


- Hummm… Tá apaixonado cara? - Jaden percebe o que amigo falou e dá uma cotovelada amistosa no braço esquerdo dele. (Referências)


- Eu disse linda? Eu quis dizer feliz! - Responde com o rosto mais avermelhado ainda, e o virando logo em seguida para o lado oposto de seu companheiro.


- Você não me engana, apaixonadinho! Agora está explicado o motivo de tu não se interessar por nenhuma menina lá na escola. Lolicon!


- ORA SEU, COMO OUSA??? - O castanho enraivecido parte para cima do louro e o derruba com facilidade. Os dois começam a ter uma luta cômica com uma fumaça de poeira encobrindo todos os golpes dos mesmos.


- Eles estão bem!? - Questiona Cristina ao enxergar que os garotos estão tendo uma briga um pouco distante deles.


- Não se preocupe, tia Cris, é normal aquilo. - Responde de forma sincera a pequena loira, fitando a dupla dinâmica com olhar semicerrado. - Eles não tomam jeito. Bom, eu gostaria de fazer uma pergunta. - Volta a sua visão ao casal que a olha com sorrisos nos rostos.


- Pode nos perguntar o que quiser. - Fala o homem ao ajeitar os seus óculos.


- Como os bebês são feitos? - A recente questão da menina deixou os adultos atônitos e sem o que responder de imediato.


- Bem, já que você é uma garota, terá que ter filhos com um garoto. Isso é o máximo que podemos te dizer agora. - Responde o último citado que ajeita seus óculos novamente impedindo-nos de vermos seu olhar.


- Sério que só posso ter filhos com um menino? Nesse caso não tenho muita escolha… - Lídia vira seu corpo em um ângulo de 180 graus, em sentido anti-horário, e fita a dupla que permanecia no duelo em meio à fumaça. - Chris, quer ter filhos comigo?? - Branda bem alto, afim de que a dupla dinâmica percebesse e parasse por breves momentos.


De repente, a fumaça se dissipou em um piscar de olhos e nos revela os lutadores surpresos pela pergunta inesperada. O castanho é o mais espantado e enrubescido dentre todos ali, os adultos apenas esboçam silenciosas risadas.


- Idiota, por que está ficando vermelho? - Indaga novamente a garota um pouco envergonhada. - Ei, Chris, Chris Chris, Chris...





{…}

[…] […] […]




- Leus… Leus… - Uma voz feminina suave ecoa na mente do tipo aço, o tirando de sua soneca inesperada.


- Hm, ah, o que foi, Mary? - De início, sua mente fica um pouco confuso pelo imprevisto. - Eu dormi?


- Feito pedra. - Ironiza-o Buizel, que se aproxima com suas patas grudadas em sua bochecha. - Tirou um ronco legal hein!


- Que pena, eu já tinha até comprado as flores do funeral! - Debocha Cien, empunhando um buquê de rosas azuis de forma cômica.


- Bom, o que eu perdi? - Indaga, ao se levantar e ajeitar o seu sobretudo preto.


- A Kitta "venceu". - Respondeu a ovelha elétrica, com um mover de suas patas fazendo aspas.


- Não me lembro da luta ter tido um desfecho.


- É que a Yuno desistiu primeiro quando o Doge interviu.


- Agora faz sentido. - O pequeno tipo aço anda de um lado ao outro com a sua "mão" esquerda no queixo.


- Por que estás tão pensativo, caro amigo? - Pergunta em um tom brando o aquático, analisando o ato de seu conhecido. - Perdeu a memória? Amnésia?


- Longe disso, é que me recordei de um ser misterioso que vi algum tempo atrás.


- Esquece isso, cabeça de lata! - Se achega perto do "Espadachim Negro" e lhe insere um abraço de lado, claro, ele precisaria agachar um pouco para ser do mesmo tamanho do amigo.


- Eu vou pegar você! Tu tem dez segundos para fugir! Um… Dois… - Num piscar de olhos, o que podia ver-se apenas setas de vacuforme pelo fugitivo pokémon alaranjado. - Ele caiu no meu blefe. - Semicerra o olhar em indignação.


- Deixa lá ele correr um pouco, vai fazer bem à saúde dele! - Disse Yuno, gerando risadas no grupo de amigos. - Gente, não quero parecer gulosa, mas meu estômago está me chamando!


- O meu também. Pessoal, que tal se formos ir entrar comer alguma coisa? - Sugere Nerdy ao apontar à pousada em sua frente.


- Espero que não tenha tomate novamente na janta! - Quando se lembrou disso, Rina ficou com a testa roxa de medo.


- Você não gosta de tomates, escrava? - A Vulpix se aproxima de sua serva e a abraça de forma amistosa com o envolver de sua pata por cima do ombro da Skitty.


- É uma longa história… - Ela fica com uma gota estilo anime na testa e olhar cerrado.


- Você vai ter tempo para nos contar! - Fala, caminhando junto à ela em direção ao estabelecimento denominado de pousada. - Vão ficar aí parados?


Sem ter o que mais esperar, todo o grupo dos nossos heróis entra naquele prédio afim de comerem algo para sustentar o estômago, pois é cono diz o ditado popular: saco vazio não para em pé.






[…] […]





- Ufa, acho que consegui escapar dele! Difícil alguém me achar aqui! - Exalta-se dentro de uma caverna, com um olhar de triunfo, mas esse olhar muda quando sente uma presença atrás de si.


- GRWAARRRR! - Foi o alto rugido de um grande urso azul. O intruso fita o dono da "residência" que, por sua vez, prepara uma rajada de energia em sua boca.


- MÃE, EU JÁ ESTOU INDO!!! - Exclama, com sua face coberta de choro cômico e testa roxa, e corre com o mamífero em seu encalço. - SOCORRO MÃEEEE!!!!!







[…]


Notas Finais


Eu não poderia ter perdido a chance de ter feito uma zoeira com o Doge, na moral, melhor personagem da fic para se fazer isso huehuehue.

Um capítulo mais light (sem Kira) sem muita ação e tals. Aliás, eu só me toquei agora que inverti os eventos, coloquei o principal primeiro e o filler no final --'.

Bom, erro é erro, fazer o quê kkkkk.


Espero que tenham gostado, críticas, sugestões são sempre bem-vindas por minha pessoa!


Um forte abraço à você, nos vemos no próximo capítulo e tchau!!!


Referências:
1 - Tô apaixonado não, eu acho °v°. Deixando isso de lado, a referência em si é de um "meme" do Luciano Hulk em um comercial em que, num momento específico ele diz: "...em uma grande emoção, tá apaixonado cara?"
E só conheci esse "meme" através de um canal (sem merchant) que acompanho até os dias atuais kkkk.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...