História Pokémon Masters! - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Pokémon
Personagens Ash Ketchum, Bonnie, Calem, Clemont, Delia Ketchum, Diantha, Eevee, Gardevoir, Giovanni, Grace (mãe de Serena), Iris, James, Jenny, Jessie, Jigglypuff, Korrina, Looker, Luxray, May, Meowth, Mew, Mewtwo, Misty, Norman, Oshawott, Personagens Originais, Pikachu, Professor Sycamore, Professora Juniper, Ralts, Serena, Shauna, Snivy, Squirtle, Tierno, Treecko, Trevor, White, Xerneas
Tags Pokémon
Visualizações 12
Palavras 1.484
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Slash, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Depois de tanto tempo...
EU FINALMENTE VOLTEI!!!!!
Espero que gostem!😘❤💋

Capítulo 3 - Meu mundo cai


                                                                Capítulo 3

Meu mundo cai

Steven POV*

Até agora não acredito que aquela garota me beijou. Tudo bem ela ser agradecida por eu ter salvado ela e essas coisas e sentir pena de mim por causa do Skarmory, mas beijo?! Aí já é demais. Resolvi ir para casa antes que passasse por mais estresse.

Mas havia algo me incomodando. Eu tinha a sensação de estar sendo observado. Olhei em volta e não vi nada. Isso era estranho. Muito estranho.

Quando cheguei na minha Mc Mansão ( na qual meus pais moravam junto comigo já que eu precisava do apoio deles 100% do tempo ) eu já fui direto para a minha suíte tripla tomar um banho de banheira, mas começou a chover, então eu decidi esperar. Foi aí que me lembrei de tomar o meu remédio. Mas foi porque meu estômago roncou e não se pode tomar remédio de estômago vazio. Fui para a cozinha e tomei meu comprimido mas o tomei mesmo foi um belo susto! E foi do Wallace, aquele filho da mãe. Ele abriu a porta dos fundos (que ficava na cozinha e dava para o nosso quintal com piscina, sauna e outras coisas) com muita força e facilidade. E não esqueçamos do grande estrondo. É importante.

-Oi Wall. Tudo bom? Quer comer algo? Eu já ia começar a cozinhar quando...

-AAAAAAAAA!!!!!!!! SEU FILHO DA PUUUUUUTTA!!!!!

Ele literalmente voou no meu pescoço como um Pigeotto indo capturar um Magikarp que pulou para fora d'agua. O que mais me assustou nem foi o ato dele querer me bater, mas sim a cara que ele fez e o ódio em seus olhos.

Caímos no chão e rolamos de um lado para o outro com ele apertando as mãos em volta do meu pescoço. Ele me deu arranhões, tapas na cara, puxões de cabelo, rasgou minhas roupas, e eu fiquei ali, parado sem fazer nada, porque não conseguia lutar. Eu gostava dele. Tínhamos laços fortíssimos. De anos. ANOS.

Mas foi aí que a merda esparramou vez. Meus pais chegaram e viram tudo. Mas eu realmente fiquei com pena do Wallace. Ele não merecia apanhar dos meus pais daquele jeito. Ah é! Esqueci de contar!

Meu pai chegou e deu um verdadeiro bicudo entre os olhos dele. E isso o jogou de costas direto na parede. Isso o fez cair no chão e bater a cabeça no piso de mármore quebrando-o em vários pedaços.

Logo depois disso Sr.Stone se ajoelhou ao meu lado com os olhos arregalados dizendo:

-Filho, filho, filho!! Você está bem?!

Meu pai tinha o hábito de repetir palavras quando nervoso.

Nesse mesmo momento ouvia-se o grito seguido de um baque surdo e barulho de porcelana quebrando. Wallace estava caído no chão novamente. Com as costas encostadas na parede e a bunda no chão. Ele pos as costas da mão na testa para limpar o suor e recebeu um soco na cara de minha mãe.

Eu não aguentava ver aquela cena e acabei por dizer:

-Parem. Por favor parem.

-O-o que? - Disse meu pai surpreso.

-Por favor...

-Querida, já chega!

-NÃO! Não chega! - Disse minha mãe.

-Ei...

Ela pareceu perceber minha voz rouca e suplicante e então parou.

Ela olhava para mim com os olhos arregalados como se apenas estivesse esperando o próximo comando.

Resolvi dizer:

-Quero conversar com ele sozinho.

-Steve... - Disse papai. - Olha nós...

Papai olhava para mim enquanto pronunciava essas palavras e viu que eu realmente precisava falar com Wall. Então, por fim, deu seu veredito:

-Se realmente precisa, - Ele estava com lágrimas nos olhos. - pode ir.

Após isso ele assentiu com a cabeça rapidamente e me ajudou a levantar. Quando estava de pé pós a mão no meu o ombro e me deixou ir para o andar de cima.

Mas (como sempre) eu não estava longe o suficiente para deixar de ouvir Sr.Stone comunicar ao Wallace:

-Se magoar meu filho ou for de gracinha para o lado dele eu acabo com você.

E com isso ele foi empurrado para fora da cozinha na minha direção.

Subimos as escadas para o meu quarto em silêncio e assim que entramos eu fechei a porta (apenas fechei porque estava com medo de outro embate e também porque tinha certeza que meus pais estariam ouvindo tudo por trás da porta e se acontecesse algo e eles não pensariam duas vezes antes de entrar e derrubariam ou explodiriam a porta em questão de segundos). Me virei para ele falando:

-Wall... O que deu em você?! Olha a vergonha, a situação que você me fez passar! E foi na frente dos meus pais! As pessoas que eu mais amo no mundo me viram digladiando com meu namorado, meu quase noivo como se fossemos pokémon selvagens! Será que você tem pelo menos uma mínima noção do que você fez?!

-Olha...

-Olha o que?! - Disse quase batendo nele como ele fez comigo.

-Steve...

-Meu nome, é Steven! Você perdeu a intimidade de me chamar assim agora lá em baixo quando me esbofeteava!!!

-Steven Stone, Mr. Stone, - disse ele se encolhendo e levantando as mãos em frente ao rosto e se inclinando levemente para trás. - campeão da Liga Pokémon, maior PokéAutoridade*² de Hoenn, me escute. Por favor.

Eu nem sei se estava realmente querendo fazer isso com ele mas era bom ver que ele estava recuperando o respeito que tinha por mim. Mesmo que seja pelo medo.

-Fale.

-Me perdoe. Por favor.

Ele me olhava na mesma posição com os olhos arregalados esperando minha reação. Ele não estava respirando. Tinha prendido a respiração.

-Continue.

-Eu vi você.

Mas isso não faz sentido, ele me vê todo dia.

-?

-Eu vi você na floresta. Com aquela garota.

-!

-Por isso... - Disse ele abaixando as mãos e se endireitando. - Eu tive aquela reação inesperada e exarcebada*³. Porque gosto muito de você. Porque eu te amo.

-Wall... Eu posso explicar!

Ele fechou os olhos e abaixou a cabeça, virando-a de lado. Sabia que ele só fazia isso quando ficava MUITO magoado ou até mesmo decepcionado. Me arrependi de ter feito isso com ele do fundo do meu coração.

-Se tem algo para explicar então quer dizer que algo foi feito.

-Ela me agarrou! Tá?! Ela! Me! Agarrou!

Wallace não parava de chorar.

-É uma história muito longa. Deixa eu te contar, por favor!

-Fala logo! - Ele respondeu. - Snif!*⁴

-Tá. Senta na cama. É melhor.

Ele se sentou na cama e eu ao seu lado. Contei a história toda para ele enquanto era ouvido atentamente.

Quando terminei de contar ele olhava para mim com os olhos brilhantes e o olhar perdido no meu.

-Wall...

-Que vadia! Como ela teve coragem?

Engoli em seco e puxei um pouco mais de ar enquanto deixava ele desabafar.

-Bom, coitada né? Tadinha, ela sofreu muito, mas beijo? Aí já é demais. Não acha?

-Nossa. Nós realmente temos uma sintonia incrível.

-Que?

-Assim que ela fez isso, enquanto você nos observava eu pensei a mesma coisa.

-...

-...

-Eu te amo - Foi a última coisa que ele disse antes de se lançar em mim e me dar um gostosissimo beijo na boca. - seu gostoso.

Eu caí de costas em cima do colchão enquanto nós beijavamos e ele acariciava meus cabelos com seus dedos longos. Ele começou a desabotoar minha camisa social e a lançou ao chão.

Vocês não precisam de saber de todos os detalhes sortidos, só que eu deitei de bruços na cama e Wallace em cima de mim também de bruços. E vocês já podem imaginar o resto.

E a segunda parte da noite fica para um capítulo próximo.

Alison POV

Depois de beijar Steven me senti livre, leve e solta. Algo que não sentia já ha um bom tempo. Eu estava pronta para qualquer desafio que o mundo me mandasse. Agora era só voltar para casa e curtir esse sentimento o máximo que conseguisse. Mas como a vida é uma caixinha de surpresas... Eu me fudi. De novo. Ao chegar em casa me deparei com algo que nunca imaginei encontrar.

Meu padastro, aquele bosta, filho de uma Rapidash, estava, vocês não vão acreditar, traindo minha mãe.

Novamente.

Com a mesma mulher do cassino.

Bem. no. sofá. da. minha. casa.

Notas do autor.

Koé purpurinados?! ❤

Eu espero realmente que vocês tenham gostado do capítulo e se interessado na minha história e se acham que devo mudar ou melhorar algo é só comentar.

Vocês devem estar se perguntando o que significa isso: *. Ou por que coloquei, né? Então lá vai: Tem gente que não entendi alguns termos ou palavras difíceis que coloco ou eu as vezes invento alguns, então esclareço esses aqui.

Asteriscos:

*¹=Point of vist (ponto de vista, em inglês).

*²=Autoridade Pokémon ( professor, Campeão da Liga, Elite dos Quatro, Líderes de ginásio, etc).

*³=Muito exagerada ou exagerado.

*⁴=Barulho de choro.

Tem muito mais por vir. Vocês nem imaginam.

Até o próximo capítulo!

Kisses💋.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...