História Pokémon Origins: Kanto Arc - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Nesse episódio, voltaremos um pouco no tempo, mais especificamente para a origem de Mewtwo e descobrir como que Mew se tornou um Pokémon Mistico, além de algumas outras coisas.

Boa leitura!

Capítulo 2 - A Origem de Mewtwo e a luta de lendários!


Fanfic / Fanfiction Pokémon Origins: Kanto Arc - Capítulo 2 - A Origem de Mewtwo e a luta de lendários!

           Ilha de Cinnabar - Kanto

                  5 anos antes


-- Está pronto Blaine? - Um cientista pergunta para Blaine, o líder do ginásio da Ilha Cinnabar.


-- Sim, podem ligar as máquinas. - Blaine, um cientista que tinha apenas uma grande barba branca em seu rosto, afirmava para Clint, o seu amigo que também era cientista.


-- Certo, todos vocês, se preparem, vistam as roupas especiais e vamos ligar as máquinas. - Clint avisa a equipe e logo todos se arrumam com as roupas especiais e então ligam a grande máquina.


-- Essa será a invenção da minha vida, a maior obra do século, a clonagem de um lendário será feita! - Clint discursa, enquanto a máquina brilha com forte intensidade.


-- Aqui está, vocês verão a cópia perfeita e exata do pokémon lendário Mew… aplausos para o...Anh? - Clint abre a porta da grande máquina, e de lá sai apenas um pokémon em forma gelatinosa, parecido com um Grimer ou um Muk.


-- Isso não está me parecendo ser um Mew. - Blaine se intriga.


-- Meu projeto foi arruinado, e agora, sem o sucesso nessa missão, a região de Unova vai querer todo o dinheiro de volta, e atualmente não temos maneiras de pagar os bancos de Unova, e agora Blaine. - Clint entra em um tipo de desespero e começa a chorar, todos os cientistas ficam tristes com a falha no projeto.


-- Mas nem tudo se perdeu meu velho amigo, temos um novo pokémon para apresentar ao mundo. - Blaine tenta acalmar o amigo.


-- É mesmo, que nome daremos para ele? - Clint pergunta ao time.


-- Pelo menos criamos algo novo, você não queria isso, dito e feito. - Dois cientistas estavam conversando no emaranhado de pessoas.


-- Isso, o nome será Ditto, seria até uma referência a nossa luta para encontrar novos pokémons, o significado desse nome apenas nós saberemos. - Blaine fala e todos aceitam a ideia.


___________________________________

        Cidade de Nacrene - Unova


-- Como assim? Investimos milhões nesse seu projeto para você me aparecer com um pokémon gelatina? Eu quero todo o dinheiro de volta no meu banco, e te darei apenas um ano, está me ouvindo Clint? Sabe o que acontece com que não cumpre com os meus acordos não é? - Clint havia viajado para Unova para apresentar ao banco da cidade de Nacrene, local onde ele havia pego o empréstimo para o projeto de clonar Mew, mais o chefe do local dá um prazo para Clint, se o mesmo não for cumprido, coisas ruins aconteceriam.


-- Ah...Certo, eu farei o possível para trazer o seu dinheiro de volta, mais um ano não é pouco… tudo bem, eu aceito, em um ano você terá o dinheiro de volta. - Clint fica com medo do ocorrido, e então volta para sua região, e assim chega em Cinnabar, onde Clint conta o ocorrido para Blaine.


____________________________________

           Ilha de Cinnabar - Kanto


-- Caraca, isso está muito mais perigoso do que pensávamos, enfim, como vamos recuperar todo esse dinheiro? - Blaine pergunta, pois todos os cientistas que haviam sido contratados com o dinheiro do Banco de Nacrene haviam ido embora por conta de não terem mais o seu salário em dia.


-- Bom isso eu não sei e… - Clint fala mais antes que pudesse falar qualquer coisa o seu Ditto havia se transformado em um Seaking, só porque havia visto o mesmo na água a pouco.


-- Ditto pode virar qualquer pokemon, nossa, que habilidade, e agora ele está se multiplicando. - Blaine anota tudo em uma caderneta.


-- Isso, faremos o Ditto virar qualquer tipo de pokémon e todos vão pagar para ver, faremos um Show para o Ditto e então vamos conseguir o dinheiro para pagar o banco, vamos Blaine, temos que correr pois tempo é dinheiro! - Clint e Blaine começam os preparativos e em uma semana os shows do Ditto começam, atraindo primeiramente todas as pessoas de Kanto para ver a exibição, mais logo pessoas das outras regiões começam a vir e cada vez mais rápido o dinheiro para pagar o banco vai se fazendo.


Um mês depois…


-- As apresentações do Ditto nos fizeram juntar o dinheiro para pagar o banco e nos deu dinheiro suficiente para testarmos mais uma vez o nosso experimento. - Clint estava obcecado pelo novo experimento e pelas apresentações de Ditto, que haviam agora transformado a pequena Ilha Cinnabar em um local para o grande parque de Diversões do Ditto e várias coisas que deixavam a ilha mais para férias, como os luxuosos Spas, Shoppings, uma praia vasta para turismo entre outras coisas que tiraram o charme de Cinnabar para Blaine.


-- Clint, eu acho que devemos parar por aqui, a Ilha Cinnabar se tornou algo tão cosmético, digo, ofuscou a magia que essa Ilha trazia, e agora o meu ginásio está tão ofuscado que eu estou tendo que dar um mapa da cidade para os treinadores me acharem, sabe, tá complicado, vamos parar Clint. - Blaine chora ao falar do seu ginásio, que estava ficando cada vez mais ofuscado, em meio a tantos prédios e localidades que faziam cada vez o pequeno ginásio se perder de vista.


-- Blaine, isso tudo é pelo nosso sonho, e agora que está tudo dando certo você quer parar… humpf… está bem, vamos testar a máquina de clones apenas mais uma vez, se funcionar, nós continuaremos a estudar o que sair dela, se não funcionar novamente, tudo o que fizemos em Cinnabar mudará, voltaremos a ser como era antes. - Clint propõe o acordo para Blaine.


-- Certo, obrigado velho amigo. - Blaine e Clint fazem um toque que tinham desde pequenos, e então chamam o novo time de cientistas para a última tentativa na máquina de clonagem, agora misturando o Dna de Mew e o de Ditto, além de um fóssil de mew que eles haviam achado na Zona do Safari.


-- Liguem as máquinas e ponham os óculos de proteção, vamos conseguir isso! - Clint dá o sinal e os cientistas ligam a máquina.


-- "Vai funcionar, eu sei que vai funcionar." - Clint fica em uma mistura de emoções, ele estava ansioso para o que sairia da máquina.


-- Conseguimos, vamos abrir. - Um dos cientistas finaliza o processo da máquina e abre a porta, e dela é mostrado que dentro da cápsula havia um pokémon que dava à altura de cinco Mew, com uma cauda roxa escura e o corpo num roxo mais claro.


-- Mew. - O novo pokémon apenas fala algumas palavras e cai no chão, como se estivesse muito cansado.


-- Conseguimos… Conseguimos! Rápido, vamos levantá lo e levar ele para a maca. - Clint, Blaine e os Cientistas logo começam a estudar o clone de Mew, a qual deram o nome de Mewtwo.


-- Posso perceber pelos pulsos do seu coração e pela velocidade com o que o seu sangue corre que é melhor guardarmos ele em algum local de contenção, pois os poderes dele podem nos matar no estado em que estão. - Blaine analisa Mewtwo por um tipo de radar, e logo com as orientações de Blaine, os cientistas prendem mewtwo em uma cápsula com um tipo de líquido verde, que deixava qualquer pokémon em estado de Hibernação.


___________________________________

         Cidade de Fuchsia - Kanto

                 Zona do Safari


-- Mew! Mew! - Mew, na sua juventude, brincava pelos cantos da grande Zona do Safari, onde ele pulava por aí feliz, e adorava aprontar com os outros pokémons.


-- King! - Mew acabará se metendo em uma encrenca com um Nidoking feroz, que estava pronto para usar um Megahorn em Mew.


-- Mew! Mew! - Mew logo foca suas energias psíquicas em Nidoking e usa um Psychic no mesmo, fazendo Nidoking cair rapidamente no chão, até que ele sente uma aura estranha pelo local, e então é transportado para um plano psíquico.


-- "Pai, bom, dizem que você é o meu pai, eu estou preso em uma cápsula, sendo contido meio que em cativeiro, me ajude pai, me ajude." - Mewtwo chama Mew em um plano psíquico, para pedir ajuda ao mesmo.


-- "Olha, eu nem te conheço, e aliás, como que você é o meu filho, isso é bizarro, então dependendo da minha lista de coisas pra fazer eu passo por ai algum dia, adeus." - Mew termina a conexão com Mewtwo, pois ele não entendia muitas coisas, era inexperiente e até um pouco babaca, tanto com humanos quanto com pokémons.


--  Então é isso, é assim que um da minha mesma espécie me trata, ele deve ser manipulado por essa espécie miserável de Humanos, todos devem ser extintos, TODOS! - Mewtwo se revolta e então usa com toda sua força seus poderes psíquicos, quebrando a grande cápsula.


-- Alerta Vermelho! ALERTA VERMELHO! Mewtwo conseguiu acordar e se soltou da cápsula! Atenção, isso não é um treinamento, repito, não é um treinamento! - Várias caixas de som ecoam o sinal pelo grande laboratório, e logo Clint e Blaine correm para a sala de Mewtwo.


-- Mewtwo, fique mais tranquilo e se acalme por favor somos aaaahh… - Mewtwo não dá nem tempo para Clint falar e usa suas habilidades psíquicas para sufocar Clint, fazendo o mesmo se debater no chão, e que logo acabou falecendo.


-- Porque você fez isso… porque.. - Blaine vê que o amigo havia sido morto rapidamente por Mewtwo, e então no impulso, Blaine saca uma de suas pokébolas.


-- Nem tente, não vai querer acabar como o seu amigo miserável. - Mewtwo intercede a ação de Blaine, seus poderes psíquicos eram muito avançados, fazendo com que ele praticamente previsse qualquer ação de qualquer um.


-- Porquê você fez isso, e logo com o meu amigo de décadas, você não precisava fazer isso… porque… - Blaine fala com Mewtwo e então começa a chorar pelo amigo.


-- Essas lágrimas são falsas, vocês são falsos, se tivessem sentimentos de verdade, não estariam forçando a minha espécie a batalhar e escravizar eles, e até mesmo a minha espécie parece que idolatra vocês, eu estou cheio dessa idiotice, em tão pouco tempo da minha própria existência eu pude ver o quão desprezíveis vocês são, TODOS VOCÊS! - Mewtwo foca suas energias em seu braço esquerdo e então joga o poder no chão, fazendo com que a Ilha Cinnabar explodisse com tamanha potência.


Os moradores da ilha conseguem sair em segurança e tiram Blaine dos escombros, assim salvando a vida do velho cientista.


-- Senhor Blaine, o senhor está bem. - Um dos moradores acorda Blaine, toda a população havia ido para as ilhas seafoam, local onde os pokémons do tipo gelo e o lendário Articuno descansavam.


-- Sim eu estou bem. - Blaine se levanta e põe a mão em sua cabeça, ele explica a situação com Clint e Mewtwo, e logo todos entraram na caverna seafoam, para falar com Articuno.


-- Articuno, precisamos de você. - após alguns minutos andando pela caverna, Blaine e os outros chegam até Articuno, que usa seus poderes de aura para se comunicar com todos.


-- O que querem entrando em meu refúgio? - Articuno pergunta.


-- Após algumas pesquisas, criamos um pokémon praticamente clone do lendário Mew, e ele destruiu a nossa ilha dizendo que nós seres humanos somos falsos entre várias coisas assim. - Blaine explica.


-- Mew é semelhante à uma criança, ele é irresponsável, como que ele deixa humanos pegarem Dna dele, mesmo ele sendo um lendário… Arceus o criou e disse para ele encontrar uma razão para ser um lendário, e olha o que ele me apronta. - Articuno fala e logo sai da caverna com Blaine e as pessoas que foram adentraram a caverna com Blaine.


-- Blaine, fique aqui com a sua população e espere eu voltar, eu chamarei Zapdos, Moltres e Mew e daremos algum jeito nisso, mais ante de eu ir, me prometa apenas uma coisa, você nunca mais irão mexer com essa máquina de clones. - Articuno bola um plano e faz o acordo com Blaine.


-- Nunca mais os laboratórios da minha ilha vão mexer com clones, eu juro Articuno, só salve a minha cidade, e eu banirei essa prática. - Blaine súplica e os dois fazem o acordo. 


-- COOO! COOOO! - Articuno sai voando e gritando com grande intensidade, e logo Moltres e Zapdos ficam ao seu lado.


-- O que houve? Não recebemos um chamado assim desde quando houve a desestabilização no clima de Kanto. - Moltres pergunta.


-- O perigo agora é maior, um clone do Mew está destruindo a Ilha Cinnabar, temos que detê lo antes que ele comece a atacar o resto da Região. - Articuno responde.


-- Como sempre, Mew não faz nada a não ser burradas. - Zapdos ironiza. - Temos que salvar Kanto, vamos.


 As três aves chegam perto da Ilha, mais notam que Mew já estava por lá. 


-- Olha, eu não sou pai de ninguém aqui tá, só sei que você machucou pessoas inocentes, e isso é errado. - Mew tenta bancar uma de herói.


-- Não venha com essa pra cima de mim, você pagará pela arrogância que teve comigo, isso será agora. - Mewtwo fica com uma expressão séria e manda um Aura Sphere em Mew, que desvia rapidamente com um Teleport.


-- Mewtwo, pare agora com isso, ou tomaremos medidas drásticas. - Articuno chega e discursa contra Mewtwo, ele sabia o nome do mesmo pois Blaine havia o dito.


-- Certo, Mewtwo, que nome original em? - Mew faz uma piada sarcástica.


-- Não importa, eu destruirei todos vocês! - Mewtwo usa um Aura Sphere novamente, que agora vai em direção a Zapdos, que desvia rapidamente do golpe.


-- Vamos ter que apelar, formação da ave agora! - Articuno, Zapdos e Moltres ficam em três partes diferentes da Ilha, que estava aos destroços, e usam Flamethrower, Thunderbolt e Ice Beam, mais Mewtwo consegue desviar os golpes rapidamente criando várias barreiras com Barrier.


-- Só isso? - Mewtwo ri e então lança um Psystrike em Moltres, fazendo o mesmo ser jogado para longe.


-- Eu vou ajudar vocês. - Mew se posiciona frente a frente com Mewtwo e então lança um Psychic em Mewtwo, que não faz nada no mesmo.


-- Todos ataquem sem parar! - Moltres grita e rapidamente os quatro atacam sem parar, e intercalam em Flamethrower, Thunderbolt, Ice Beam e Psychic, e enquanto isso Mewtwo defende todos os movimentos com Barrier.


-- Como que ele não é afetado usando Barrier? - Zapdos se pergunta enquanto todos continuam a atacar.


-- Minhas habilidades são mais poderosas que… - Tudo não passava de uma estratégia para enganar Mewtwo e conseguir nocauteá lo com um Thunderbolt de Zapdos.


-- Suas habilidades são muito avançadas, mais nada que uma simples distração não possa resolver, e como fizemos ele forçar seus poderes, um simples golpe o derrotou, muito mais por causa do cansaço. - Moltres explica.


-- Tudo resolvido mas, como vamos fazer com que ele não volte a fazer o que fez? - Zapdos pergunta.


-- Já sei, Mew essa missão é sua. - Moltres bola um plano.


-- Eu? Que missão? - Mew se intriga.


-- Sua missão é simples, bom, pelo menos eu acho que é simples para você. - Moltres responde.


-- Sem enrolar, me fala logo o que é. - Mew fica intrigado e nervoso.


-- Certo, você consegue prender Mewtwo em um loop infinito, digo, você prenderia ele em algum local, e quando ele tentasse sair, voltaria ao local onde foi posto, você consegue. - Moltres pergunta.


-- Isso eu consigo, mas é algo muito difícil de se fazer, mais eu tenho que fazer, fiz burrada demais, tenho que consertar esse meu erro. - Mew se motiva e então teleporta Mewtwo para a Caverna de Cerulean.


-- Será aqui então. - Articuno, Zapdos e Moltres olham para Mew, que concentrava todas as suas forças na caverna, e depois de um tempo, Mew cai no chão, ele havia conseguido fazer o loop infinito na caverna, apenas para Mewtwo, e logo ele desmaiou, havia forçado demais os seus poderes.


-- Mew, levante agora, os humanos não podem nos ver, vão logo querer batalhar. - Zapdos tenta chamar Mew mas o mesmo não acorda, e então a ave elétrica leva Mew até um campo, junto com Moltres e Articuno.


-- Anh, eu consegui? - Mew põe a mão na cabeça e fica atordoado.


-- Sim, mais logo depois desmaiou. - Articuno responde.


-- Eu posso pedir algo para vocês? - Mew pergunta.


-- O que seria esse pedido? - Articuno e as outras aves se intrigam.


-- Peçam para Arceus mudar a minha história, eu não quero mais ser considerado um lendário, esse nome ainda não merece ser meu, eu fiz muitas idiotices e agora reconheço o que eu fiz, eu me arrependi, por favor, façam isso. - Mew pede, e algumas lágrimas caem do seu rosto, ele se sentia mal e estava pronto para melhorar, para amadurecer.


-- Faremos isso amigo, apenas cuide do seu digamos filho, não poderemos voltar e ajudar você com ele mais, nossos poderes são limitados para cuidar do clima da Região, não somos feitos para lutas. - Articuno explica.


-- Certo, eu vou melhorar, mesmo assim, obrigado pela ajuda. - Mew agradece e assim as aves partem pelos céus, e logo a história de Mew muda, ele agora era considerado um pokémon místico.


Alguns dias depois…


-- Anh? Onde estou, tenho que sair daqui rápido. - Mewtwo acorda e rapidamente se teleporta para a saída da caverna e quando sai, o loop o leva de volta para o fundo da caverna.


-- Como assim, eu tenho que ter foco em minhas energias e então saio daqui. - Mewtwo usa um Teleport para fora da caverna, mais o loop mesmo assim o leva de volta para as profundezas.


-- EU DESTRUIREI TODA A KAN… quem é você? - Mewtwo fica ao ápice de sua raiva, mais de repente, uma garota, de longos cabelos verdes e uma pele branca macia, que vestia apenas um simples pijama, aparece na frente de Mewtwo, logo todo o local vira uma espécie de plano psíquico, e Mewtwo fica menor do que seu tamanho normal, e então uma conversa se inicia.


-- Olá Mewtwo posso dizer que sou praticamente igual à você, meu nome é Ambertwo, eu sou um clone da filha do senhor Fugi, um homem que trabalhava com aqueles cientistas que criaram você. - Ambertwo começa a explicar para o Mewtwo, que estava menor, agora se igualando ao tamanho de Mew.


-- Assim que a verdadeira Amber morreu, Fugi ficou louco atrás de conseguir trazer a filha de volta, logo um homem bilionário o financiou e ele criou a máquina de clones, e então usando ondas de pensamento, Fugi me criou e criou esses três. - Ambertwo continua a explicação e então clones de Charmander, Bulbasaur e Squirtle aparecem no local.


-- Esses são Charmandertwo, Squirtletwo e Bulbasaurtwo, clones dos iniciais da nossa região, assim como nós, eles tem o two no final de seus nomes. - Ambertwo explica para Mewtwo.


-- Eu estou preso aqui Ambertwo, eu, eu apenas queria ser livre. - Mewtwo desabafa.


-- Você nunca será livre, os clones não são livres, os humanos nos maltratam, nos pisam, fazem tudo com os clones. - Ambertwo fala com uma entonação maior na voz, ela estava tentando levar Mewtwo cada vez mais a conclusão de que teria que exterminar Kanto, a clone ficava indignada por não ser a original, mais não tinha a força para se vingar, então ela estava fazendo com que  Mewtwo fizesse o trabalho para ela.


-- Eu sei disso, Ambertwo, mais as três aves e Mew me prenderam aqui, eu estou em um Loop infinito e não consigo sair. - Mewtwo responde.


-- Faça o seguinte, treine, derrote os pokémons da Caverna de Cerulean e fique mais forte, se você for mais forte do que a magia do loop, conseguira sair daqui facilmente. - Ambertwo explica.


-- Certo, seguirei suas dicas. - Mewtwo fica intrigado em como que a garota havia o ajudado tanto.


-- Mas como eu não vi Fugi na Ilha Cinnabar? Cadê esse financiador? - Mewtwo suspeita.


-- O financiador ajudou apenas na máquina de clones, e logo depois sumiu do mapa, o senhor Fugi abandonou as pesquisas em Cinnabar e os cientistas que ficaram pediram ajuda à Unova. - Ambertwo esclarece as dúvidas de Mewtwo.


-- Eu entendo agora, mas, Ambertwo, me mostre o mundo, por favor. - Mewtwo pede. 


-- Certo, vamos lá. - Ambertwo aceita o pedido e então mostra tudo para Mewtwo em forma de ilusão, sem nem o mesmo saber.


-- Algumas coisas que tem fora daqui, é o sol, ele ilumina os locais e nos esquenta pela manhã. - Ambertwo mostra para Mewtwo o sol, coisa que o mesmo não havia visto antes.


-- O que nos ilumina pela noite é a lua, sempre brilhante e linda, e esses são os ventos. - Ambertwo leva Mewtwo para lugares diferentes, por meio dos seus poderes psíquicos, que eram limitados mais faziam pelo menos planos psíquicos e ilusões, e Mewtwo pode sentir pela primeira vez essa sensação, até que os clones dos iniciais de Kanto desaparecem.


-- Bom, então nós vamos nos despedir Mewtwo. - Ambertwo se despede do pokemon.


-- Porque, nós não éramos amigos? - Mewtwo sente uma tristeza enorme.


-- Não fomos criados como você, vinhemos de lembranças, você veio de uma amostra de Dna, as memórias uma hora iriam se acabar, temos que ir, Mewtwo… só me prometa algo, destrua Kanto e mostre aos seres humanos a força dos clones… por mim. - Ambertwo se despede do pokémon cópia de Mew, mesmo assim Mewtwo havia sido enganado e não percebia.


-- O que é isso que está saindo dos meus olhos? - Mewtwo se intriga com o que saia dos seus olhos.


-- São lágrimas, quando alguém solta lágrimas, geralmente são de tristeza, mais não fique triste Mewtwo, talvez eu consiga voltar, algum dia. - Ambertwo secava as lágrimas de Mewtwo e logo some, pelos poderes de Mewtwo com telepatia não serem fortes, Mewtwo não percebeu as segundas intenções de Ambertwo, e assim foca no objetivo de destruir a região de Kanto, para trazer de volta a sua "amiga".


-- Venham todos vocês, eu os destruirei! - Mewtwo sai do plano psíquico e volta ao seu tamanho normal, e então começa a desafiar todos os pokémons que via pela frente na vasta caverna.


____________________________________

                  Ilha de Cinnabar 

                    3 anos depois


-- É com orgulho que nós inauguramos a Nova Ilha Cinnabar, agora temos A grande Mansão pokémon, onde vários pokémons poderão descansar e se refugiar, temos o meu ginásio do tipo fogo, o laboratório para pesquisas pokémon simples e restauração de fósseis, e um Centro Pokémon com obviamente um mercado ao lado. - Blaine anuncia a reinauguração da Ilha cinnabar. - Além de que temos os melhores hotéis e restaurantes, para você curtir as nossas piscinas e saunas naturais, além de que temos as vilas, para os nossos moradores.


-- Agora, vamos começar! - Blaine corta a fita e a cidade é aberta para o público e para os moradores.


-- Bom, de algum jeito deu certo, Clint. - Blaine olha para o céu, confiante.


____________________________________

             Cidade de Fuchsia

                 Zona do Safari 

        1 ano e 11 meses depois


-- Para que nos trouxe para cá? - Articuno pergunta, Mew havia convocado as três aves para uma reunião.


-- Mewtwo está de volta, e mais forte do que eu, preciso que me ajudem. - Mew pede a ajuda das aves, ele estava preocupado com o que ocorreria.


-- Nós dissemos, Mewtwo voltaria, e estaria mais forte, e não poderemos mais intervir, você criou o monstro, terá que lidar com o mesmo. - Zapdos rebate Mew.


-- Mais não vamos ser tão babacas assim, uma estratégia seria você treinar um dos novos treinadores que irão começar suas jornadas próximo mês, ou seja, já no começo do próximo ano, talvez algum deles tenha potencial para derrotar Mewtwo, mais até do que os mais experientes. - Moltres explica.


-- Entendo, obrigado por me ajudarem de certa forma. - Mew agradece e logo as aves partem, para fazer sua missões cuidando do clima da Região de Kanto.


-- Muito bem, vamos ver, tenho que ir para Pallet então. - Mew rapidamente usa um Teleport para Pallet, e então observa Red, que estava em uma colina lendo um livro sobre pokémons, então ele vê Blue, que mostrava e se esnobava por suas figurinhas de pokémon para crianças de entre seis e oito anos.


-- Dois garotos completamente diferentes, e esse com a jaqueta vermelha demonstra maior interesse em saber sobre pokémons do que o de blusa azul, a aura desse de vermelho é mais intensa, ele quer ser amigo, quer capturar e quer conhecer todos os pokémons, além de que ele deseja ser o campeão de todas as ligas, uma aura e coração muito poderosos, interessante, mais ainda tem a garota de Viridian. - Mew analisa Red e Blue e então, usando Teleport, ele parte para a cidade de Viridian, onde vê Leaf que estava deitada em sua cama, de frente para a janela, fazendo um experimento.


-- Uma garota que é bem determinada, mais não tem como objetivo a força em seus pokémon e nem lutar com tudo, pela sua aura percebo que a garota se inspira no avô professor, e quer ser pesquisadora, então a melhor opção acaba sendo o garoto de vermelho, terei que falar com ele por um plano psíquico quando for a hora certa, bom, melhor eu treinar por enquanto, Mewtwo ainda está no momento de apenas me assustar para eu tomar uma atitude precipitada, não irei fazer isso, logo logo ele vai chegar, mais eu estarei pronto, eu e o garoto vermelho. - Mew termina as conclusões e escolhe Red para ser o seu aprendiz e logo volta a seus treinos de aura e poderes, para tentar impedir Mewtwo de ir muito longe.


____________________________________

               Cidade de Cerulean

    horas antes da reunião do Safari


-- Canalizar as minhas energias, foco… foco… agora! - Mewtwo concentra suas energias e usa um Teleport, assim saindo da grande Caverna de Cerulean.


-- Parece que eu estou de volta não é? Kanto sentirá a fúria dos meus poderes e todos irão pagar por essa hipocrisia pelos clones. - Mewtwo discursa e volta ao seu treino incessante.


-- Venham todos! - Mewtwo então usa um Psychic em uma horda de Gravelers, que voam longe com a força do golpe.


-- Meu momento chegou, agora é tudo ou nada, pelos clones e por você, Ambertwo. - Mewtwo lembra de sua amiga e então volta para continuar treinando.


E a jornada continua...


Notas Finais


Um episódio mais focado na história do vilão, esse capítulo irá ja influenciar coisas que acontecerão nos próximos caps, no próximo capituli teremos a continuação da jornada de Red e Leaf e quem sabe novas surpresas.

N.A: O fato da Ambertwo saber entrar em planos psíquicos e fazer ilusões será explicado quando Red for desafiar a insígnia da Sabrina, então se acalmem e não me cobrem isso como furo de roteiro, obrigado.

Times:
Red: Charmander (M)
Leaf: Bulbasaur (M)

Obrigado por ler!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...