História Pokémon Restructure: Unova Arc - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Pokémon
Personagens Alain, Anthea, Ash Ketchum, Bianca, Braixen, Burgundy, Cameron, Charizard, Cheren, Cilan, Concordia, Cynthia, Dawn Hikari, Delia Ketchum, Georgia, Giovanni, Grace (mãe de Serena), Hugh, Iris, James, Jessie, Leaf (Green), Lillie, Looker, May, Meowth, Mewtwo, Natural Harmonia Gropius "N", Professor Carvalho, Professora Juniper, Ritchie, Rosa, Serena, Stephan, Sylveon, Trip, Virgil
Tags Amourshipping, Ash, Cilan, Equipe Plasma, Equipe Rocket, Iris, Liga, Pikachu, Pokémon, Rivais, Romance, Serena, Sylveon
Visualizações 171
Palavras 4.874
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Luta, Romance e Novela, Saga, Shounen, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Depois de conhecerem mais um rival, o grupo de Ash agora entra na maior floresta de Unova, a Floresta Pinwheel.

Capítulo 21 - Burgh e Sewaddle


No dia seguinte, após um bom tempo de caminhada e mais um treino especial matutino de Ash e Serena com seus Pokémon, seguindo o cronograma de Red, o grupo finalmente estava entrando na Floresta Pinwheel de fato.


— Então, essa é a Floresta Pinwheel. – Ash fala.


— Ainda não entendo o porquê desse nome. – Serena fala.


— É porque enquanto caminharmos diretamente por ela, podemos sair sem problemas. – explica Cilan – Mas se nos desviarmos do caminho, podemos acabar em um labirinto natural.


— Vamos ter que tomar cuidado... – Ash pondera. Poderia usar sua aura para se guiar, mas com muitos Pokémon vivendo naquela área, poderia se confundir se não se concentrasse devidamente.


— Não se preocupem, não tem como nos perdermos. – garante Iris, atraindo a atenção – Sou especialista em florestas.


— Você tem suas surpresas, né, Iris? – diz Serena.


— Espero que tenha algum lago ou fluxo de água no caminho principal. – Ash fala – Oshawott precisa de treino especial.

 

Os demais entendem o que Ash quis dizer. Depois da batalha contra Hugh, Oshawott tinha ficado muito deprimido: seu orgulho como Pokémon de Água tinha sido esmagado, e nem poderia dizer que o que aquele Dewott tinha dito fosse mentira: tinha medo de ficar embaixo d’água de olhos abertos, como se a água não fosse boa, o que lhe impedia de usar o Aqua Jet como se devia.

 

E  também, seu hábito de decidir sem o comando de Ash também atrapalhava, era algo que Oshawott finalmente começou a notar. A forma como Ash estava sendo paciente e tentando o melhor para ajuda-lo só fazia a lontra se sentir pior. Ele precisava superar esse medo, precisava mostrar a Ash que poderia voltar a batalhar de forma decente, e principalmente, mostrar àquele Dewott que iria fazê-lo engolir seus insultos.


— Continuando... – Cilan fala, interrompendo a melancolia – O caminho que tomaremos... nos levará pra fora da floresta, ou fará com que nos percamos no labirinto?


— Só vamos saber tentando./Pikachu! – dizem Ash e Pikachu.

 

O quarteto começa a andar floresta adentro, maravilhando-se com o ar puro daquela floresta, impressionando-se com o tamanho das árvores, e principalmente as belezas naturais que encontravam a cada metro.


— O ar aqui é tão fresco e a luz do sol, tão clara e brilhante, que mostra que essa floresta deve ser o lar de alguns Pokémon incríveis. – diz Cilan.


— Que tipo de Pokémon deve haver por aqui? – indaga Serena, olhando para o ambiente.


— Eu espero encontrar vários deles. – sorri Ash, que então sente algo vindo por trás.


— Seeeeewaddle! – uma lagartinha vem balançando como um Tarzan, no que Ash desvia habilmente, mas Pikachu é chutado por uma das patinhas aderentes da lagarta.


— Pika! Piiikachuuuuu! – Pikachu se levanta rapidamente após rolar, e dispara um Thunderbolt. Ash cria rapidamente um escudo de aura pra se proteger, enquanto a lagarta sai do caminho – Pika?!


— O que está acontecendo? – Iris fica espantada.


— Seeeee... wadlewadlewaddle! – a lagartinha dispara um Razor Leaf contra Pikachu, que desvia com habilidade, mas então em seguida, ele usa String Shot, prendendo um fio de seda na testa do rato amarelo, chegando rapidamente até ele, e começando a morder sua cabeça.


— Pikaaaaa! – Pikachu dá um grito de incômodo.


— É a Bug Bite! – exclama Cilan.


— Pikachu, se livra disso! – comanda Ash. Pikachu segura a lagarta e a joga pra frente, afastando-a de si. Ash pega sua Pokédex para saber mais.


Sewaddle: o Pokémon costura. Faz roupas para si mesmo, mastigando folhas e as costurando ao excretar fios pegajosos de sua boca. Quando dorme, esconde a cabeça em seu capuz de folha.


— Os Sewaddle são muito populares entre os designers de moda porque eles sabem como projetar e fazer suas roupas com folhas. – explica Cilan.


— Um Pokémon da moda... – maravilha-se Serena.


— É apenas parte do porquê eles são tão fofos. – diz Iris.


— E é bem o tipo de Pokémon que eu gosto: forte numa batalha. – Ash sorri, pegando uma Pokébola, mas Sewaddle se vira pra ele e dispara rapidamente seu String Shot, envolvendo o rapaz antes que ele pudesse se defender com sua aura.


— Ash! – exclama Serena. Quando Sewaddle termina, Ash tinha o tronco envolvido em uma bola de fios.


— Você é mesmo bom, hein, Sewaddle? – Ash sorri – Acabei de gostar ainda mais de você.


— Sewaaaddle, sewaddle! – Sewaddle fazia gestos de soquinho com seu corpo, em claro gesto de desafio.


— Mas por que nos atacou? – pergunta Iris.


— Talvez apenas porque goste de batalhar. – supõe Cilan. Pikachu então se move e rapidamente liberta Ash da bola de fios usando sua Iron Tail.


— Valeu, Pikachu! – Ash sorri – Agora é a hora de usar o Thunderbolt!


— Piiiikaaaaachuuuuuu! – o rato amarelo libera seu ataque principal, acertando Sewaddle e deixando-o atordoado, mas então a lagarta se vira e dispara rapidamente seu String Shot em uma árvore, se balançando para fugir – Pika?


— Ele tá fugindo! Sewaddle, volta aqui!/Pikaaa! – Ash e Pikachu vão atrás de Sewaddle, que os impressionava com sua agilidade no disparo dos fios e no balanço.


— Ash, espere! – brada Serena.


— Ele está saindo do caminho. – diz Cilan.


— Então, eu acho que não temos escolha. – Iris fala, e os três logo se põem a seguir o rapaz moreno. Ash e Pikachu mostravam grande agilidade ao se moverem pelos obstáculos da floresta, mas Sewaddle consegue ir mais rápido, saindo de vista.


— Ele é inesperadamente rápido. – Ash fala – Estou impressionado.


— Ash, tá tudo bem? – pergunta Serena, que chegara antes dos demais, mostrando que havia melhorado bastante em seu desempenho de corrida.


— Tô legal, mas o Sewaddle conseguiu fugir. – Ash fala, no que Iris e Cilan chegam.


— E agora, o que a gente vai fazer? – pergunta a morena.


— A Floresta Pinwheel é como um labirinto natural do tipo “como nunca vimos”. – repete Cilan – É muito perigoso andar nela de qualquer jeito.


— Você tem razão. – Ash fala – É melhor voltarmos a procurar nosso caminho.


______________________________


— Eu não entendo... – Iris olha para os lados. Ela estava à frente do grupo agora, convicta de seus sentidos – Deveríamos estar perto da saída agora.


— Então, estamos no caminho errado? – pergunta Serena.


— Não, está certo. – garante Iris – Meu sexto sentido é certeiro, eu apenas sei.


— Mais explicações não-científicas. – bufa Cilan.


— Quando eu tenho um palpite, geralmente ele tá certo. – Ash fala, mas Iris pede silêncio.


— Acabei de ouvir a floresta falar. – Iris olha para trás. Ash e Serena se entreolham, com a kalosiana perguntando ao namorado com os olhos, no que ele balança a cabeça: ele conseguiria sentir facilmente a aura de um Celebi se ele estivesse ali.


— Está silenciosa como uma árvore. – Ash fala.


— Não ria, espertinho! Conheço a voz da floresta quando a ouço! Por aqui! – declara Iris, seguindo um caminho. Os demais se entreolham e apenas dão de ombros.


__________________________________

 

Minutos depois, Iris olhava abismada para o lugar onde tinham chegado: um abismo rochoso, com pilares de pedra muito altos que se projetavam do fundo, que era muito grande.


— Voz da floresta, hein, Iris? – Ash olha sarcasticamente para a morena.


— Errr... a floresta disse pra virmos pra cá, porque queria nos mostrar esse cenário magnífico. – Iris dá uma desculpa.


— Então, vamos voltar? – suspira Serena.


— É como você disse, Iris. – Cilan fala em seu modo cético – Parece que o que dizem sobre a floresta é verdade: saímos do caminho por um segundo e agora estamos perdidos.


— A única coisa que temos que fazer é chegar ao local mais alto para ver onde estamos. – Iris fala, apontando pra uma direção – E é pra lá.


— Não é que ela tá certa? – Serena arregala os olhos quando vê uma árvore gigante na direção que Iris apontava.


— Seremos capazes de ver do topo daquela árvore. – concorda Cilan.


— Vamos. – comanda Iris.


______________________________

 

Assim que chegam ao local, ninguém evita ficar deslumbrado com o tamanho da árvore. Iris logo se prontifica a dar uma olhada no topo, começando a exibir suas habilidades desenvolvidas por anos pra subir rapidamente. Ash e Serena também resolvem ir, mostrando habilidade ao escalar.


— Ei, Sere, não sabia que agora você conseguia subir em uma árvore dessa facilmente. – Ash sorri.


— Faz parte do treinamento que a oficial dos G-Men que o Sr. Ketchum mandou pra mim aplicou. – responde a kalosiana – Ela é do tipo... bem natural, como a Iris.


— Uma pessoa mais ligada à natureza, hein? – Ash sorri – Parece ser alguém legal.


— E é. – concorda Serena, lembrando da instrutora que lhe aplicou um treinamento severo em meio aos compromissos para os quais a jovem era convidada em Kalos. Não demora muito para que Iris alcance o topo da árvore, com o casal um pouco atrás.


— E aí, alguma coisa? – Ash pergunta para Iris.


— Talvez devêssemos escalar um pouco mais alto. – sugere a morena, mas então Ash percebe algo.


— Esperem... tem uma presença humana diretamente acima de nós. – Ash fala. Os três olham pra cima e se assustam ao ver um tipo de embrulho estranho de pano.


— Que coisa é aquela? – aponta Serena. Nisso, a figura se desenrola e se revela, saltando e pousando no galho onde estava o trio, fazendo Serena se abraçar a Ash. Era um homem de cabelos castanhos e olhos verdes, e suas roupas pareciam indicar que ele era algum tipo de artista, possivelmente um pintor.


— Shhh... – ele faz o sinal de silêncio com o dedo – Por acaso não estão querendo assustar os Pokémon da floresta, estão?


_______________________________


— O que você tava fazendo lá em cima? – Ash pergunta, após todos terem descido da árvore. O homem estava sentado em uma das grossas raízes expostas, olhando para o quarteto.


— Eu me cerco de toda essa natureza pra viver como um Pokémon da floresta. – responde o homem.


— Mas pra que faz isso? – Serena também pergunta.


— Se eu disser, você vai entender? – o homem começa a exibir trejeitos exagerados – É o meu coração puro, é exatamente isso!


— Sério? Seu coração puro? – Cilan ergue uma sobrancelha.


— Eu faço esboço, desenho, fotografo roupas... honestamente, eu sou um artista supertalentoso. – ele afirma, sem nenhuma modéstia, mas então ele abaixa a cabeça – Um verdadeiro gênio que está preso ao fracasso...


— Até gênios estão fadados ao fracasso? – pergunta Iris, e Cilan faz o sinal de silêncio para não constranger o homem.


— É claro. – responde o homem, sem se importar – Então, imaginei que poderia alguma inspiração verdadeira se morasse aqui entre os Pokémon da floresta.


— Então é por isso que você tem um coração puro?/Pikapika? – Ash e Pikachu perguntam.


— É isso aí! – confirma o artista – Um coração puro faz arte profunda...! Mas eu já falei bastante sobre mim. O que vocês estão fazendo aqui?


— Bem, nós nos desviamos do caminho e nos perdemos. – responde Cilan.


— Entendo, mas não precisam ter medo. Eu posso guia-los pra sair daqui. – diz o artista – Mas já que estão aqui, por que não tentam viver na floresta por um tempo?


— A verdade é que a Serena e eu estamos indo para a cidade de Castelia pra desafiar o Líder do Ginásio. – Ash fala, e Serena confirma com a cabeça.


— É inútil ir lá neste momento. – declara o homem – Afinal, o Líder do Ginásio de Castelia, Burgh, por acaso sou eu.


— Quê?! – exclamam todos, e Cilan continua sozinho – Então você está nos dizendo que você é Burgh, o mundialmente famoso Treinador de tipo Inseto?


— Não sou apenas Treinador de tipo Inseto, sou um Treinador artístico! – declara Burgh.


— Eu sou Ash Ketchum, e estou feliz em te conhecer. – apresenta-se o moreno – Este é o meu parceiro, Pikachu.


— Pika, Pikachu.


— Sou Serena Yvonne, e fico honrada em conhecer um artista de verdade.


— Olá, eu sou a Iris.


— E eu sou Cilan, um Sommeliére Pokémon.


— Treinadores Pokémon viajando juntos e expandindo os horizontes? – sorri Burgh – Ah sim, para lembrar aqueles dias brilhantes de há muito tempo que nunca irão retornar... juventude e inocência com coração puro! É isso aí, eureca! – ele exclama, pegando seu caderno e lápis, mas não consegue fazer um único rabisco.


— Burgh, algum problema? – pergunta Serena.


— Minha inspiração artística chegou e passou... eu pensei que tinha a segurado na palma da minha mão artística! – lamenta-se o artista.


— Desculpe... eu ainda tô tentando entender como a sua inspiração artística volta por viver aqui como um Pokémon. – Iris fala.


— Eu acho que você poderia dizer que depende da pessoa. – explica Burgh – Quando você vive na floresta, rodeado da natureza em sua mais primitiva forma, seus sentidos adormecidos há muito esquecidos ganham vida! Você percebe o quanto a natureza é bonita, e você se torna parte da floresta... coisas antigas voltam a ser novas e frescas.


— Agora eu entendo.../Axeeww! – sorriem Iris e Axew.


— Eu também entendi. – Serena sorri, mas Ash sente uma intenção de ataque à frente.


— Sewaaaaaaddleeeee! – um Sewaddle aparece tentando dar um golpe, mas Ash e Pikachu se desviam com habilidade, deixando a lagarta a ver navios. Impressionado, Sewaddle pousa, preparando-se, mas Ash e Pikachu se viram pra ele, totalmente em alerta – Sewaaaddlee...


— É o Sewaddle de antes! – percebe Iris.


— Vocês têm certeza? – pergunta Burgh.


— Sim. – responde Ash – A gente se perdeu porque eu tava tentando pegar esse Sewaddle.


— Sewaaaddle! – Sewaddle salta, usando a cabeça de Ash como trampolim, e indo para o ombro de Burgh, começando a comer as folhas mais próximas.


— O Sewaddle é um pouquinho teimoso, mas na verdade, ele é um Pokémon muito doce. – diz o Treinador artista.


— Burgh, esse Sewaddle é seu? – pergunta Serena.


— Não, não, é um selvagem. – responde Burgh – É apenas uma das muitas descobertas que eu fiz vivendo e passando o tempo aqui na floresta.


— Viver aqui com os Pokémon da floresta parece ser superdivertido. – comenta Ash.


— É importante para um Treinador conhecer o Pokémon antes de tentar pegá-lo. – diz Burgh – Vocês gostariam de se juntar a mim?


— Isso parece ótimo./Pikachu./Seria inspirador./Sim./Xew! – dizem todos, exceto Cilan, que sorri.


— Então, eu digo que vamos montar acampamento aqui. – sorri o esverdeado – E eu vou começar a preparar o jantar.


_______________________________

 

Enquanto o Sommelier estava ocupado fazendo mais um de seus muitos pratos especiais, Ash e os demais estavam ao lado de Burgh, buscando aprender sobre o Sewaddle.


— Antes de pensar em capturar o Sewaddle, você deve se apresentar. – diz o artista.


— O que você tem em mente? – pergunta Iris, e Burgh fica de quatro, abaixando-se até Sewaddle.


— O Sewaddle, é claro. – Burgh sorri, tocando sua testa com o topo da cabeça de Sewaddle, que sorria – Supostamente, os Sewaddles são capazes de distinguir pessoas e coisas usando duas saliências sensoriais localizadas no topo de suas cabeças. E isso significa que, tocando em sua testa, você está dizendo olá.

 

Os demais sorriem, e logo Pikachu é o primeiro a tentar, sendo bem recebido por Sewaddle. O mesmo é repetido por Axew, Iris e Serena, enquanto Ash se resigna.


— Qual o problema, Ashy? – Serena repara no humor do namorado.


— É que eu posso perceber que o Sewaddle não me suporta. – responde o rapaz. Todos olham para Sewaddle, que tinha um olhar desaprovador para o palletiano – De qualquer forma, é realmente um prazer te conhecer, Sewaddle.


— Sewa! – a lagarta vira as costas e começa a rastejar pra outro lugar. O grupo vai seguindo Sewaddle, até verem ele parar frente a um arbusto.


— Qual é o problema? – pergunta Serena.


— Pode parecer que ele está só parado, mas eu tenho certeza que ele está fazendo alguma coisa. – responde Burgh.


— Como ouvindo a floresta. – supõe Iris.


— Você pode até estar certa. – diz o artista, o que anima Iris, mas ao voltarem os olhos para Sewaddle, ele estava apenas comendo algumas das folhas – Eu acho que ele estava se perguntando qual das folhas deveria comer.


— Ahhh... – Iris se desanima. Então, Ash nota que Sewaddle voltava a se afastar.


— Ele tá ouvindo alguma coisa. – opina o moreno.

 

Todos seguem Sewaddle até um campo aberto, prestando atenção no que ele faria, mas o insetinho apenas boceja e se enrola pra dormir.


— Nada como um cochilo depois do almoço. – diz Burgh.


— Então, é hora de tirarmos um cochilo também? – sugere Serena, no que o artista concorda. Todos se deitam na grama, com Serena usando o peito de Ash como travesseiro, enquanto uma das mãos dele iam para seus cabelos.


— Que sensação incrível.../Piiikachu... – dizem Ash e Pikachu.


— Não faço isso há algum tempo./Axeeww. – confessa Iris, secundada por Axew.


— Como se sente olhando pro céu? – sorri Burgh.


— Lindo, azul, pontilhado por nuvens brancas... – declama Serena.


— É um dia ótimo. – sorri Ash.


— E não é só isso. Olhem pra esse céu... não é surpreendentemente enorme? – pergunta Burgh – E além do céu azul, existe outro espaço infinitamente enorme...


— E como... – Ash concorda, com ele, Pikachu e Serena se lembrando da vez em que literalmente estiveram no espaço por culpa de uma Togepi (lê-se: demônio falsiane), que atualmente estava em processo de modificação.


______________________________

 

Algum tempo depois, Sewaddle acorda, e todos começam a segui-lo de volta para a floresta, onde ele para frente a uma moita e começa a comer.


— Olha só quantas frutas... – Ash olhava para as árvores carregadas.


— Ele comeu, dormiu e comeu. – diz Iris – Então, vai voltar a dormir de novo?


— Isso faz parte do ciclo da vida. – diz Burgh – É exatamente a mesma coisa com os bebês humanos.


— De fato. – concorda Serena, mas então um chiado hostil se faz ouvir daquela moita, que se remexe, e dela sai voando um Woobat – É um Woobat!


— Ele estava comendo também. – diz Burgh.


— Woooobaaaat!


— Cuidado, ele vai atacar! – brada Ash, e todos veem vários Woobats surgindo daquele – Está usando o Double Team!


— Sewaddleeee! – a lagarta dispara seu String Shot, eliminando todos os clones, mas Ash sente mais hostilidade vinda de outra moita, no que ele se vira e percebe um segundo Woobat, que Sewaddle percebe tarde.


— São dois, cuidado! – Ash vê os Woobats lançando o Air Slash, mas ele se coloca na frente de Sewaddle e projeta seu escudo de aura, bloqueando os ataques e impressionando não só Sewaddle, como também Burgh.


— Pikachu! – Pikachu manda um sinal para Sewaddle, então, os dois saltam para atacar um Woobat cada um. Sewaddle acerta um com seu Razor Leaf, enquanto Pikachu eletrocuta outro com sua Electro Ball, fazendo os dois morceguinhos caírem fora dali.


— Está todo mundo bem? – Ash pergunta, após ter recolhido seu escudo.


— Impressionante... como fez isso? – pergunta Burgh.


— Pra colocar em palavras simples... sou um Guardião de Aura em formação. – Ash responde.


— Já ouvi falar de pessoas com poderes, mas é a primeira vez de fato que vejo uma. – diz o artista. Sewaddle então se aproxima, trazendo uma maçã para Ash.


— Waddle.


— Pra mim? – pergunta o rapaz, e Sewaddle se vira, pra fazer parecer que não se importava – Então, muito obrigado, Sewaddle.


— Deve ser a forma dele de dizer “obrigado”. – deduz Serena.


_______________________________

 

Ao pôr-do-sol, o grupo já estava de volta à grande árvore, e Cilan já os servia com mais um de seus pratos, o qual todos aproveitavam com visível deleite.


— Hmmmm... macarrão e sopa ficam ótimos juntos. – elogia Iris.


— E aqui, uma salada de frutas só pra você. – Cilan coloca a salada frente a Burgh.


— Me diga... como você sabia que este é o meu prato favorito? – Burgh pergunta.


— Porque eu sou um Sommeliére Pokémon. – responde o esverdeado.


— Cadê o Sewaddle? – Serena pergunta.


— Está comendo. – Ash aponta para o tronco da árvore, onde Sewaddle tinha juntado algumas frutinhas para comer. Mais tarde, todos estavam em um dos galhos mais grossos no alto da árvore, tendo armado seus sacos de dormir para ficarem ali em cima.


— Que visão magnífica... – diz Cilan, olhando para o céu noturno.


— Eu nunca dormi no topo de uma árvore antes. – diz Ash.


— Muito menos eu. Nunca tive coragem pra isso. – fala Serena.


— Então, o que tem descoberto desde que iniciou sua vida como Treinador Pokémon, Ash? – Burgh pergunta, atraindo a atenção não só do rapaz, como também da noiva deste – Desde quando eu era criança, a beleza do Pokémon tipo Inseto capturou o meu coração puro. Então, eu fotografei e batalhei com eles muito mais do que me lembro... mas, até hoje, eu continuo aprendendo coisas novas e maravilhosas sobre eles.


— Eu imagino que o Aaron deve pensar a mesma coisa. – comenta Serena.


— Aaron? – pergunta Iris.


— Você não conhece, Iris? – pergunta Cilan – Ele é membro da Elite Quatro em Sinnoh, conhecido como o mais forte Treinador de tipo Inseto do mundo.


— De fato, é. – confirma Burgh – E sendo jovem, tendo conquistado seu lugar em uma Elite Quatro, muitos Treinadores tipo Inseto, inclusive eu, veem Aaron como o exemplo de como a força dos Pokémon Insetos se eleva a grandes alturas.


— Olhem, uma estrela cadente! – repara Iris, e logo, todos veem mais duas caindo em sequência – Dormir sob as estrelas é o máximo.


— Sewaddle, não quer vir aqui? – Ash o convida, mas Sewaddle vira a cara – Tá, tudo bem, boa noite então.

 

A luz é apagada e todos se deitam, mas quando Ash e Serena já estavam com os olhos fechados, com Pikachu e Sylveon (que saíra da Pokébola pra dormir com o rato), Sewaddle se aproxima, e os casais percebem.


— O que foi, Sewaddle? – Ash pergunta, e Sewaddle entra no saco de dormir do casal, ficando entre os dois.


— Nossa, isso é uma coisa muito incomum pra um Sewaddle fazer. – sorri Burgh.


— Sewawaa. – sorri Sewaddle, o que faz Ash e Serena sorrirem também. Pikachu e Sylveon, que estavam sobre o saco de dormir, sorriam também.


— Então, boa noite, Sewaddle./Boa noite, Sewaddle. – Ash e Serena falam, antes de voltarem a fechar os olhos.


_____________________________


— Pika-Pi!/Sylvee! – de manhã, os dois Pokémon gritam para seus Treinadores. Ash e Serena, já acostumados a levantar com o sol, se levantam de supetão, enquanto os demais, exceto Burgh, se erguiam devagar.


— Pikachu, Sylveon, o que houve? – pergunta Serena. Ash repara que Pikachu olhava pra algo embaixo, e vai até lá. Quando o rato amarelo aponta, Ash vê um Patrat correndo com o Sewaddle adormecido nas costas.


— O Patrat pegou o Sewaddle! – exclama o rapaz.

 

O rapaz abre sua mochila, pegando o restante de suas roupas. Algum tempo depois, todos já tinham descido da árvore e seguiam floresta adentro, onde Patrat corria com Sewaddle. A lagarta acorda e se dá conta da situação em que se encontrava, usando seu String Shot para se ligar a uma árvore e sair das costas do roedor, que para de correr, mas então ele vê os humanos se aproximando e volta a correr pra toca.


— Ali deve ser o ninho dele. – diz Serena.


— Mas eu não sinto a aura do Sewaddle ali. – Ash fala. Enquanto Sewaddle estava se balançando, uma rajada de vento arrebenta seu fio, fazendo a lagarta cair bem no nariz de um Deerling que ia correndo, e o veadinho sacudia a cabeça enquanto corria, tentando tirar Sewaddle de cima dele.

 

Tendo entrado na caverna de Patrat, o grupo logo o encontra, postado de forma protetora a um outro Patrat, que estava convalescente.


— Patraaat... – geme o roedor.


— Outro Patrat... e não está nada bem. – Ash lê a aura do Pokémon.


— Certo. – diz Burgh – Comer o tipo de folha que o Sewaddle usa pode ajudar a recuperar o estômago de um Patrat.


— Quer dizer que Patrat ia trazer o Sewaddle pra ajudar o seu amigo a ficar bom. – percebe Iris. Burgh se aproxima do Patrat doente, tirando um frasco de suas roupas e pegando uma pílula redonda.


— Aqui, come isso. – Burgh dá a pílula a Patrat, que come e faz uma careta – Eu sei que é amargo, mas vai se sentir melhor rapidinho.


— Patraaat? – o primeiro Patrat se aproxima pra ver, então o outro se ergue levemente, já apresentando uma melhora.


— Está se sentindo melhor agora? – Ash pergunta, e o roedor sorri ao afirmar.


— Raaraat. – os dois Patrats agradecem Burgh.


— Sem problema. – sorri o artista.


______________________________

 

Saindo da caverna, todos ainda estavam preocupados com Sewaddle, quando de repente surge o mesmo Deerling, que estava se debatendo, e eles percebem Sewaddle preso a ele através de seu fio de seda.


— Sewaddle! – exclama Ash, e todos começam a correr atrás do Deerling, mas logo percebem pra onde estavam indo: uma divisória de rochedo, que ladeava um rio – Sewaddle, use o String Shot no meu braço!


— Sewaaaaaddleeee! – a lagarta dispara o fio de seda, que se prende ao braço de Ash e consegue fazê-la se soltar do Deerling quando este salta pro outro lado. Mas enquanto Sewaddle se propelia para o braço de Ash, uma rajada de vento repentina o empurra, arrebentando o fio e fazendo Sewaddle cair em direção ao rio.


— Sewaddle! – sem pensar duas vezes, Ash salta para salvar Sewaddle, e os dois caem na água.


— Ash, não! – grita Serena.


— Vamos atrás deles! – diz Burgh. Todos seguem pela lateral do rochedo para achar um local por onde poderiam resgatar Ash e Sewaddle mais facilmente.

 

No rio, Sewaddle se debatia na água, e Ash ia nadando rapidamente até ele, aproveitando mais uma parte do treino que lhe foi dado por Riley, e que fora aperfeiçoado pelos métodos de Red, o que faz Ash chegar rapidamente até a lagarta e segurá-la.


— Não se preocupe, Sewaddle, vamos sair daqui! – garante Ash, no que Sewaddle olha para ele. O rapaz olha pra frente, vendo que estavam indo pra uma cascata. Ash aperta Sewaddle mais forte contra seu corpo, quando eles chegam no final do fluxo, começando a cair.


— Leavanny, use o String Shot! – Burgh lança sua Pokébola, liberando o que parecia ser um louva-a-deus bípede.


— Leavaaaanny! Leavaaaa! – Leavanny libera seu jato de fio, prendendo as costas de Ash e puxando-o para a margem, junto com Sewaddle.


— Muito bem! – sorriem Cilan e Iris.


— Pika-Pi!/Amor, vocês estão bem? – Pikachu e Serena se aproximam de Ash, que olha para eles, e depois para Sewaddle.


— Você está bem, Sewaddle? – ele pergunta, e Sewaddle acena em afirmativo, mas Ash repara na roupa de folhas de Sewaddle – Isso é ótimo... mas as suas roupas estão bagunçadas.


— Não precisa se preocupar com isso./Leavaaaanny. – dizem Burgh e Leavanny. Curioso, Ash tira sua Pokédex, e Serena faz o mesmo.


Leavanny: o Pokémon nutrição, é a forma evoluída final de Sewaddle. Quando encontra Pokémon pequenos, ele tece roupas pra eles usando folhas, usando a teia pegajosa de sua boca e suas lâminas cortantes.


— Uau./Sewaaaa. – sorriem Ash e Sewaddle.


______________________________

 

De volta à parte mais arborizada da floresta, Burgh estava procurando uma folha que fosse perfeita pra fazer uma roupa nova para Sewaddle, até que se vira para seu Leavanny, segurando uma.


— Tá legal, vamos usar isso. Leavanny, você pode fazer uma nova roupa usando essa folha?


— Leavaaa. – sorri o louva-a-deus, pegando a folha e começando a fazer seu trabalho, cortando a folha, e usando seu String Shot como linha de costura. Quando termina, ele tira a folha desgastada de Sewaddle e coloca a nova.


— Sewaaaa! – sorri Sewaddle, feliz com sua nova touca de folha.


— Sewaddle, você está lindo. – maravilha-se Serena.


— Ash, eu fiquei bastante interessado com a forma como você salvou o Sewaddle, de maneira totalmente desinteressada e com coração puro. – diz Burgh, elogiando a coragem do rapaz.


— Que é isso... – diz Ash.


— Mas parece que o Sewaddle também achou isso. – diz Cilan, apontando para Sewaddle, que se esfregava carinhosamente no tornozelo do moreno. Ash, então, se agacha e olha para a lagarta.


— Você gostaria de vir comigo, Sewaddle? – Ash o convida.


— Sewaaa, ddle. – concorda Sewaddle.


— Isso é ótimo! Então, Pokébola, vai! – Ash lança a Pokébola, que acerta Sewaddle e o suga. Após algumas balançadas, a Pokébola se lacra, mas o botão vermelho permanece aceso, e Ash a pega do mesmo jeito – Certo! Eu peguei um Sewaddle!


— Pi-Pikachu! – secundou Pikachu, e logo a Pokébola se encolhe automaticamente e a Pokédex de Ash apita.


— Ok, eu já entendi. – Ash puxa sua Pokédex, que logo faz a conhecida pergunta: “Qual Pokémon deseja enviar de volta?”, e mostrando os destinos disponíveis: Pallet e Nuvema.


— Quem você vai enviar e pra onde, Ash? – pergunta Serena.


— Eu estava pensando em uma coisa... – Ash responde, cochichando sua ideia com Serena.


— Ousada, mas eu gostei. – sorri a kalosiana.


— Do que estão falando? – pergunta Iris.


— Você saberá depois. – Ash fala.


— Aliás, há um Centro Pokémon nas redondezas, eu posso leva-los até lá. – diz Burgh, no que todos sorriem.


________________________________

 

Ao pôr-do-sol, todos estavam no Centro Pokémon, e Ash tinha acabado de falar com a Prof.ª Juniper pelo Holo Caster após enviar um de seus Pokémon para ela, no que a professora concorda com a ideia do rapaz e de Serena.


— E aí? – pergunta Cilan, quando Ash sai do CP.


— A Prof.ª Juniper concordou. Pelo menos nossos Pokémon não vão ficar no ócio. – diz o rapaz, pegando a Pokébola de Sewaddle no bolso – Sewaddle, pode sair!


— Sewaaaaddle! – sorri a lagarta, que logo é segurada carinhosamente por Ash.


— Bem-vindo ao time, Sewaddle./Sewaaa. – Ash e Sewaddle sorriem e, finalmente, fazem o toque de testas com o pôr-do-sol ao fundo: uma visão poética de ligação entre um humano e seu Pokémon.


— Aaahhh! Doce inspiração! – a alma de artista de Burgh se agita, atraindo a atenção – Sim! Graças ao Ash e ao Sewaddle, tenho uma ideia para o meu próximo projeto! Agora, eu vou para a cidade de Castelia, então, vejo vocês lá. – ele começa a correr.


— Burgh, espere! – diz Serena, e o artista para de correr, olhando para o casal.


— Esperarei por vocês no Ginásio de Castelia. Até mais. – ele volta a correr para a saída da floresta.


— Ótimo, a gente se vê lá!/Estaremos lá, com certeza!/Sewawaaa! – despedem-se Ash, Serena e Sewaddle.


— Adeus, Burgh!/Faça uma boa viagem!/Pika, pikaaa! – Iris, Cilan e Pikachu também acenam, despedindo-se de Burgh, prometendo que em breve estariam em Castelia, onde Ash e Serena batalhariam contra ele por mais uma insígnia da Liga Unova.

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


E na maior floresta de Unova, não apenas nossos amigos conhecem Burgh, o Líder do Ginásio de Castelia, como também Ash captura seu mais novo Pokémon: Sewaddle. Não tendo pegado um novo tipo Inseto desde Heracross, o que é reservado para o relacionamento entre Ash e seu novo Pokémon enquanto se dirigem para Castelia? Fiquem ligados.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...