1. Spirit Fanfics >
  2. Pokémon School Interativa >
  3. A Espeon

História Pokémon School Interativa - Capítulo 35


Escrita por:


Capítulo 35 - A Espeon


Narrador P.o.v.







Leyla tentou uma vez... tentou uma segunda vez... porém na terceira finalmente desistiu.

Ela estava sentada no refeitório comendo seu hambúrguer do Barry & Larry e junto a ela estavam Cryst e Vana, ambas não comiam pois estavam ocupadas demais olhando mortalmente para outra mesa distante da delas no refeitório, onde Leon e uma Espeon estavam. A espeon que trajava o uniforme do Ensino Médio, curiosamente esse Espeon tinha seus tufos de pelos abaixo da orelha tingidos de branco. Seu olhar era sério e um pouco fria, um olhar que estava vidrado em Leon, como se o analisasse enquanto o mesmo apenas falava com ela.

Leyla: Meninas? - chamou as duas, mas ambas não ouviram, ou fingiram que não ouviram - Cryst? Vana?

Vana: Fala… - respondeu ao chamado sem tirar os olhos da Espeon.

Leyla: Eu particularmente não gostaria de me envolver, mas esse clima estranho de raiva que vocês estão gerando agora está afastando o meu apetite. Sendo assim, por que estão com tanta raiva da garota? - perguntou curiosa.

Vana: Eu te digo o porquê. - disse irritada.




*Flashback On*



Cryst: AAAAAAH, SOCORRO!!! - gritava assustada enquanto saia correndo pelo corredor.

Vana: VOLTA AQUI, SUA PIRANHA GULOSA! - gritou furiosa - VOU TE ENSINAR A NÃO COMER O BOLO DOS OUTROS!

Cryst: Eu não sabia que era seu! - disse desesperada enquanto corria.

Vana: O BOLO ESTAVA NO NOSSO QUARTO, ONDE SÓ DORME NÓS DUAS! QUEM MAIS PODERIA TER COMIDO?! - gritou enfurecida.

Cryst: Para, Vana! Se você me bater eu vou contar para… o… Leon…

Nesse momento, Cryst para de correr do nada, fazendo com que Vana quase caia em cima dela por conta dela estar correndo.

Vana: O que foi? Desistiu?

Cryst: Vana, olha. - disse séria apontando para o fim do corredor, onde elas podiam enxergar claramente Leon e uma Espeon conversando.

Vana: Quem é aquela? - perguntou curiosa.

Cryst: Não sei… mas sobre o que será que ela e o Leon estão conversando?

A conversa dos dois continuou por mais algum tempo, quando Leon ergue a pata para a Espeon, mas ela ignora a pata e o abraça, surpreendendo Cryst e Vana, que logo foram possuídas por uma poderosa aura de raiva e ódio.



*Flashback Off*




Leyla: Só isso? Vocês estão até agora encarando com ódio a coitada só porque ela abraçou o Leon? - perguntou revirando os olhos.

Cryst: Não foi um simples abraço, foi um abraço afetuoso. Um abraço do tipo: "Você é meu crush, eu amo você e farei de tudo para tê-lo, mesmo que tenha que me livrar das suas duas namoradas atuais". - disse manhosa.

Leyla: E existe tal olhar tão específico? - perguntou com uma gota na cabeça.

Vana: Convenhamos, Leyla, se alguma garota abraça-se o Brukno assim na sua frente você também ficaria igual a nós. - disse séria.

Leyla: Eu tenho admiração pelo Brukno, nada demais. - disse orgulhosa - Não falem besteira, não sou de sentir ciúmes. - afirma com certeza.

Cryst: Isso porque você nunca se apaixonou de verdade por alguém, mas agora você tá afim do Brukno. - disse séria, Leyla até ia falar mais alguma coisa, mas apenas se levanta e vai embora.

Vana: Cryst, eles estão saindo. - avisa a amiga e ambas começam a persegui-los.

Os observando de longe, as duas os perseguem até a diretoria, onde eles se aproximam do balcão da Judith, iniciando uma conversa com a mesma.

Cryst: Diretoria? O que eles vão fazer aqui? - perguntou confusa.

Vana: Não sei, mas eles não vieram falar com o diretor. - disse séria.

Depois de mais alguns minutos, Leon e a Espeon saíram, na mesma hora, Cryst e Vana correm até o balcão da Judith.

Judith: Olá, meninas, como pos-

Cryst/Vana: O que aqueles dois queriam?! - perguntaram juntas.

Judith: Hã?

Cryst: O que o Leon e a Espeon vieram falar com você? - perguntou curiosa.

Judith: Ah, eles viram pedir autorização para que possam sair da escola. - contou calmamente.

Cryst: Oh, não… Os dois saíram da escola juntos… - disse suando frio.

Vana: Isso só pode significar uma coisa…

Cryst/Vana: ELES ESTÃO OFICIALMENTE EM UM ENCONTRO! - gritam desesperadas.

Judith: Er… O que?

Vana: Vamos, Cryst, antes que eles saiam da escola! - disse apressada.

Judith: Meninas, esperem-

Saindo da diretoria, as duas correram por entre os corredores até chegar na frente da escola, onde puderam ter uma breve visão de Leon e a Espeon entrando no ônibus que parava próximo a entrada da escola que levava até o centro da cidade.

Cryst: Droga, eles pegaram o ônibus. - disse assustada.

Vana olhou ao redor em busca de uma solução, foi quando seus olhos pararam num carro preto estacionado, aparentemente era um Uber.

Vana: Ali, um Uber! - disse puxando a amiga para dentro do carro.

Motorista: Oi, você é a Le-

Vana: Calado e siga aquele ônibus rápido, te pagamos o dobro da corrida. - disse apressada.

Motorista: Ok…

O carro persegue o ônibus a partir dali, Cryst e Vana apenas observavam atentas a cada vez que o ônibus parava para descer alguém. Após mais de meia hora seguindo o ônibus pelo seu trajeto normal, as duas finalmente viram a Leon e a Espeon descendo do ônibus na parada próxima ao centro da cidade, Cryst e Vana pagaram o motorista pela corrida e desceram, voltando a perseguir os dois à pé.

Cryst: Para onde eles estão indo? - perguntou curiosa.

Vana: Eles estão num encontro, provavelmente vão para um lugar romântico. - disse sério.




*Imaginação On*



Sobre o terraço do maior prédio da cidade, Leon e a Espeon estavam juntos, SOZINHOS, tendo visão das radiantes luzes da cidade que se destacavam a noite.

Espeon: Awn, Leon-kun, essa vista é linda. - disse admirada.

Leon: Fufufu. Que bom que gostou, a beleza dessa vista sempre me lembrou secretamente de você. - disse sorrindo sedutor, eles se abraçam e seus rostos se aproximam - Vamos admirar essa beleza pelo resto de nossas vidas. - disse sorrindo.

Espeon: Mas, Le-kun, e as suas duas namoradas? Elas estão entre nós duas. - disse melancólica saindo dos braços de Leon.

Leon: Quem? Ah, aquelas duas. Não se preocupe, eu sou todo seu, querida. - disse maliciosamente a puxando de novo - Elas não significam nada para mim. - disse enquanto aproximava seus lábios aos dela.

Espeon: Kagamine-kun…



*Imaginação Off*




Vana: AAAAH, ISSO NÃO PODE ACONTECER! - gritou desesperada.

Leon: Hum? - ele para de andar e olha ao redor, ele teria visto Vana se Cryst não tivesse a escondido.

Espeon: O que foi? - perguntou séria.

Leon: Ah, nada, só ouvi uma voz familiar. - disse confuso coçando a nuca, voltando a andar com a Espeon, retomando a conversa que antes discutiam.

Cryst: Se acalma, você quase nos revelou. - sussurrou irritada.

Vana: Foi mal… - se desculpou e juntas voltaram a segui-los.

As duas veem Leon e a Espeon entrarem numa floricultura, onde ambos foram atendidos na mesma hora, os distraindo o suficiente para que Cryst e Vana possam entrar na loja e se esconderem atrás de uma estante com mais de 30 tipos de sementes.

Cryst: Flores? Ele está comprando flores para ela?! - perguntou surpresa.

Vana: Essa desgraçada tá fazendo nosso Leon pagar de uma porra de Prof. Girafales. Megera. - rosnou irritada.

Florista: Pronto, aqui está. - disse sorrindo entregado um pequeno buquê de flores roxas.

Leon: Obrigado. - disse pegando e pagando as flores.

Espeon: Essa flores são…

Leon: Sim, são tulipas. - disse sorrindo.

Espeon: Tulipas. Eu gosto de tulipas. - disse pegando o buquê  e admirando ele, Leon sorri para ela.

Cryst: Oh, não… - murmurou tristemente.




*Flashback On*



Cryst: Leon, o que você tá fazendo? - perguntou curiosa vendo o namorado quieto demais sobre a cama dela, com seus caderno em patas.

Leon: Trabalho de artes, eu tenho que escrever sobre o que eu acho sobre a história da arte e se ela tem influência na minha vida atualmente. - disse sério observando o papel.

Cryst: Oh. Parece chato. - disse preguiçosa se jogando de costas na cama.

Leon: É chato mesmo, mas eu já terminei. - disse sorrindo mostrando o trabalho para ela, Cryst notou um desenho no desenho.

Cryst: Você desenhou flores no final? - perguntou curiosa vendo o desenho mais de perto.

Leon: Sim, são tulipa, eu não desenho tão bem, mas acho que é possível entender que são tulipas. - disse sorrindo de canto.

Cryst: Você gosta de tulipas? - perguntou curiosa.

Leon: Eu gosto sim, elas são bonitas, mas conheço alguém especial para mim que gosta muito mais do que eu.  - disse sorrindo de canto.

Cryst: Ciúmes. - disse inflando as bochechas, tirando uma risada de Leon.

Leon: Um dia eu apresento esse alguém. - disse sorrindo, nessa hora ele se joga em cima dela - Mas que tal falarmos sobre outra coisa? - perguntou sorrindo malicioso.

Cryst: Ou podemos cortar o papo furado. - disse sorrindo maliciosa o puxando para um beijo.



*Flashback Off*




Cryst se encolhe deprimida atrás da estante.

Cryst: Era ela… a pessoa especial que gosta de tulipas… - disse tristemente - Ele tem se encontrado com ela mais de uma vez… só pode, senão como ele saberia o gosto por flores dela… Droga...

Vana: Calma, Cryst, nós-

Florista: Obrigada e voltem sempre. - disse sorridente enquanto Leon e a Espeon saiam.

Vana: Recomponha-se, eles estão indo. - disse séria puxando a amiga.

Depois de mais algum tempo andando, as duas veem Leon e a Espeon entrando em uma locadora.

Cryst: Locadora? O que eles estão planejando que envolve flores e filmes? - perguntou curiosa entrando discretamente junto de Vana.

Leon: Espera aí, eu vou no banheiro daqui e já volto. - avisa se afastando.

Espeon: Ok. - disse dando de ombro.

Vana: É nossa chance. - disse irritada indo até a Espeon que apenas focava em procurar um determinado filme. - Ei, você-

Espeon: Esse? Hum, parece bom, eu sei que ele gosta de terror, pois eu também gosto muito. - disse séria vindo a capinha do tal filme, Vana para de andar ao ouvir isso.




*Flashback On*



Leon: Vana? - chamou a namorada.

Ela, Leon e Cryst estava no cinema assistindo um filme de terror juntos, Cryst ria na maioria do tempo filme, enquanto que Vana permanecia de olhos fechado e tremendo.

Leon: Vana, você tem medo de filme de terror? - perguntou curioso.

Vana: E-eu? Não… claro que não. - disse sorrindo forçado, tremendo de medo.

Cryst: Essa é uma das fraquezas da Vana. - disse rindo baixinho, deixando Vana vermelha de vergonha.

Vana: I-isso não é- ela solta um gritinho de susto após uma cena macabra acontecer.

Leon: Entendi. - disse se levantando - Vamos embora então. - disse decidido.

Cryst: Aaah, mas já? - perguntou manhosa.

Leon: Sim, a Vana não se sente à vontade em ver um filme assim, então vamos embora. - explicou sério.

Vana: L-Leon, tá tudo bem, eu posso ir embora e vocês assistem sem mim, eu sei que você quer muito ver esse filme. - disse cabisbaixa de timidez.

Leon: Mas eu também quero muito ter vocês por perto. - disse sorrindo, deixando Vana corada, assim como Cryst - Vamos embora, to morrendo de fome.

Vana: Certo.



*Flashback Off*




Vana: Ela… gosta de filmes de terror assim como ele… os dois podem ficar juntos assistindo o que gostam sem problema… diferente de mim… - murmurou triste e envergonhada.

Vana olhou novamente para a Espeon que procurava por mais filmes, só que agora se afastando dela.



[...]



Depois de Leon e a Espeon terem saído da locadora, duas continuaram seguindo eles por mais algum tempo sem trocar mais nenhuma palavra, apenas observavam. Os dois entraram em uma cafeteria e se sentaram em uma das mesas próximas à saída, enquanto que Cryst e Vana se sentaram um pouco mais distante deles, onde elas podiam observar de longe os dois conversando.

Vana: Ela deve ser alguém bem legal para o Leon estar afim… - finalmente se pronunciou desde que saíram da locadora.

Cryst: Sim… ambos gostam de tulipas e compartilham o mesmo gosto por filmes… - disse deprimida.

Vana: Talvez não devêssemos atrapalhar eles… pode ser que eles sejam feitos um para o outro. - disse triste.

Cryst: Mas o que vai acontecer conosco se o Leon escolher ficar com ela? - perguntou curiosa, instalando um silêncio na mesa.

Vana: O que estamos fazendo, Cryst? - perguntou séria.

Cryst: Como assim?

Vana: Somos membras da RDF, integrantes das Lideres de Torcida, somos lindas e populares, mas ainda sim estamos aqui aceitando levar chifres e ficando triste por causa de macho. - disse indignada.

Cryst: Isso… realmente é idiota. - disse séria.

Vana: Sim. Não precisamos do Leon, tem muitos outros caras na fila para ficar com a gente que só não tiveram essa chance porque ficamos presas com o Leon.

Cryst: Sim, que sejam felizes longe de nós, pois vamos estar ocupadas demais curtindo a vida de solteiras, pois somos lindas e gostosas. - disse orgulhosa.

Vana: Sim, e vamos agora mesmo falar isso na cara dele. - disse sorrindo destemida.

Cryst: Bora então. - disse animada, as duas se levantam.

Na mesma hora que elas estavam se levantando, Leon e a Espeon estava saindo da cafeteria.

Cryst: Rápido, vamos atrás deles, dessa vez sem nos esconder. - disse séria sendo seguida até a saída pela a amiga.

Quando chegaram na porta tiveram a surpresa de verem um grande Snorlax com um Sandslash em sua garupa correrem até elas.

???: PAREM DE CORRER E DEVOLVAM LOGO! EU ODEIO CORRER! EU TÔ CANSADA DE CORRER! - gritou uma voz feminina familiar atrás deles.

Sandslash: Vai a merda! - gritou rindo.

Snorlax: SAIAM DA FRENTE! - gritou irritado entrando com tudo na cafeteria, não somente quebrando a porta que era pequena demais para ele como também acabou batendo com força em Cryst e Vana, fazendo elas voarem, caírem e desmaiarem.



[...]



Os olhos de Cryst foram abrindo lentamente, sentindo uma forte dor de cabeça.

Cryst: Aí… que dor… - manhou dolorida.

Vana: Você finalmente acordou, que bom. - ouviu a voz da amiga por de trás de uma cortina no lado esquerdo de onde estava deitada  - Como você tá? - perguntou curiosa após puxar a cortina dando a visão da amiga sentada em uma cama de hospital com alguns machucados já cuidados.

Cryst: Jeovana? O que houve? O-onde a gente tá? - perguntou ainda atordoada, sentindo um pouco de dor no corpo.

Vana: No hospital, aquele Snorlax foi um bruto. - disse irritada, nessa mesma hora o médico entrou na quarto.

Doutor: Não se preocupem minhas jovens, você se machucaram, mas nada grave, ainda hoje podem ter alta.

Cryst/Vana: Ainda bem. - disseram juntas.

???: Cryst? Vana? - ouviram uma voz vinda do lado direito de onde Cryst se deitava, puxando parte da cortina, Leon enfiou a cara ali para ter certeza de que as vozes que havia ouvido eram mesmo de quem ele pensava ser.

Cryst/Vana: Leon?!

Leon: O que vocês duas estão fazendo aqui? Como se machucaram tanto? - perguntou curioso e preocupado, as duas viram a cara para ele.

Cryst: Vana, diga a ele o porquê de estarmos assim.

Vana: Me recuso a dirigir uma palavra a ele. - disse orgulhosa.

Leon: Er… Do que vocês estão falando? - perguntou confuso.

Vana: Descobrimos a verdade, Leon. - disse séria.

Leon: Que verdade?

Cryst: Que você anda nos traindo com uma Espeon! - disse irritada.

Médico: É melhor eu deixar vocês discutirem… fiquem a vontade… - disse saindo depressa dali.

Leon: O QUÊ?!

Cryst: Isso mesmo que você ouviu, vimos você o dia todo passeando por aí comprando flores, alugando filmes e indo à cafeteira.

Espeon: Eu de mim que tão falando? - disse se metendo na conversa, surpreendendo as duas, logo, as irritando.

Vana: Você tava tendo um encontro nas nossas costas com essa aí! - disse irritada e magoada.

Leon se manteve em silêncio e teve uma rápida troca de olhares entre ele e a Espeon.

Leon: Gente, vocês entenderam tudo errado… - disse sério - Gente, essa aqui é a Emma Nicholls, filha do melhor amigo do meu pai, ela é uma amiga de infância minha que fazia anos que não via… e ela também é… como eu posso dizer, ela é a dona da casa onde rolou a festa onde nós três… - disse envergonhado, as outras duas ficaram coradas também.

Cryst: E-espera, aquela festa era sua?! - perguntou surpresa.

Emma: Sim, era uma festa que umas amigas sem graça minhas me convenceram a fazer, mesmo que eu tenha dito que não estava afim de fazer. - disse séria - Uma festa bem agitada e barulhenta, o que eu ganhei no final? Uma casa toda bagunçada, um banheiro fedendo horrores a vômito e garrafas de bebidas para todo o lado, sem falar que meu quarto foi invadido por três indivíduos que decidiram utilizá-lo como seu cenário de sexo à três e minha Thunderstone que eu pretendia guardar como recordação foi roubada de mim para que pudessem satisfazer sexualmente a parceira. - disse séria olhando para Leon com certa indignação.

Leon: Eu já pedi desculpas, Emma. - disse triste.

Emma: Eu poderia até pensar em perdoa-lo com facilidade se não fosse o fato de que vocês voltaram a transar no dia seguinte também. - disse cruzando os braços.

Vana: Tá, mas isso não explica o motivo de vocês terem passado o dia inteiro juntos. - disse séria.

Leon: Na verdade, essa foi a condição da Emma. - disse sério puxando o resto da cortina.

Cryst e Vana então puderam finalmente ver a outra pessoa por trás da cortina. Um Umbreon adulto macho, deitado na cama desacordado dependente de aparelhos para que possa respirar.

Leon: Para que a Emma me perdoasse eu concordei em trazê-la aqui hoje para vê-lo. - disse sério.

Vana: Mas quem é ele?

Leon: Cryst, Vana, esse é Satoshi Kagamine, meu pai. - disse sorrindo tristemente - Não sei ao certo o que aconteceu, os policiais desistiram de procurar um culpado, mas aparentemente tentaram assassinar meu pai enquanto ele voltava do trabalho… quando ele chegou em casa eu fui o primeiro a ficar em desespero… meu pai estava quase morrendo quando a emergência  havia chegado. Desde então o meu pai está em coma profundo… eu sempre o visito quando posso.

Cryst: Pai…? - murmurou, seus olhos arregalaram quando viu um vaso com tulipas sobre um balcãozinho ao lado da cama - Tulipas…

Leon: Ah, sim, são as flores favoritas dele… eu também sempre as trago quando venho visitá-lo.

Cryst: Favoritas...

"...Leon: Eu gosto sim, elas são bonitas, mas conheço alguém especial para mim que gosta muito mais do que eu.  - disse sorrindo de canto…."

"Leon: Um dia eu apresento esse alguém. - disse sorrindo..."

Cryst: Agora… faz sentido…

Vana: Mas por que foram naquela locadora? - perguntou curiosa.

Espeon: Meu pai e o Sr. Kagamine eram bons amigos, tinha vezes que, quando meus pais saiam, Sr. Kagamine e Leon ficavam na minha casa comigo até eles voltarem. Ficávamos assistindo filmes de terror mesmo quando meus pais diziam que não era para mim assistir… Porém quando ele entrou em coma nossas famílias se afastaram um pouco.

Leon: Por isso não reconheci ela na festa, eu era um ou dois anos mais novo que ela na época que éramos amigos, sendo assim não tenho muitas memórias dela, principalmente sendo uma Espeon. - disse rindo constrangido.

Emma: Concluindo, alugamos um filme no intuito de recordar da época que nós três assistimos juntos os filmes de terror. - concluiu a explicação.

Leon: Meninas, peço desculpas caso eu tenha passado uma impressão errada a vocês, prometo que e-

Cryst e Vana erguem a pata até a altura do rosto dele, insinuando para que ele se cale.

Cryst: Por favor, Leon, não precisa dizer mais nada. - disse séria.

Vana: Na verdade…

Cryst/Vana: NOS PERDOE, NÃO DEVERÍAMOS TER DESCONFIADO DE VOCÊ! - disse chorosas e manhosas se jogando em cima dele, abraçando-o.

Leon: Calma, calma, eu perdoo vocês. - disse sorrindo torto, foi quando seus olhos param em Emma - Ei, onde você vai?

Emma: Eu vou para casa, posso ver que você e o Sr. Kagamine estão bem acompanhados agora, aproveitem o filme. - disse dando de ombro indo até a saída.

Leon: Foi bom te ver, Emma. - disse sorrindo, a mesma apenas assentiu.

Emma: Eu ainda não perdoei vocês. - disse enquanto saía do quarto e andava pelos corredores do hospital - Certamente, de muitos casais que andei observando ultimamente, esse foi o mais estranho. - pensou seriamente - Visão geral: Um relacionamento poliamor entre duas mulheres e um homem. Um relacionamento construído por meio de uma aposta entre dos dois lados femininos com o objetivo de conquistar um rapaz em comum. Entretanto, o que era para ser "uma ganhadora e uma derrotada", se tornou em "duas ganhadoras" devido à decisão do lado masculino da relação que sucumbiu a pressão de ter que escolher uma e perder a outra. - pensou enquanto pegava o elevador - Dá para chamar isso de amor? Duas garotas que fazer mais do que o necessário para conquistar um cara que simplesmente está namorando elas porque não quer ver um dos lados triste? Essa talvez seja uma visão simplista quanto ao relacionamento em questão ou até mesmo pode ser uma afirmação precipitada quanto a eles. Talvez esse poliamor deles esteja sendo algo eficiente, algo que eles querem, precisam e gostam… Talvez eles possam ter sentimentos reais e eu não consigo captá-los. - disse séria, suspirando derrotada saindo do elevador e por fim, depois de mais umas viradas nos corredores, ela chega à saída do hospital - Se realmente esses três estiverem sentindo algo um pelo outro então eu acho que devo venerá-los, pois eles conseguem expressar o que sentem um pelo outro num relacionamento de mais de uma pessoa… enquanto que eu não consigo fazer o mesmo com somente uma… - disse tristemente olhando para a foto na tela do celular.























Continua…………………………….........


Notas Finais


PASTA OFICIAL DA FIC NO PINTEREST: https://pin.it/2mmQAqm

DISCORD DA FIC: https://discord.gg/7hejvn

LINK DA FIC NO WATTPAD:
https://my.w.tt/oA8ZXbGAC6


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...