1. Spirit Fanfics >
  2. Pokémon Sol e Lua: Alolan Chapters >
  3. À velocidade da luz, Equipe Rocket!

História Pokémon Sol e Lua: Alolan Chapters - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Porque eles tinham que aparecer uma hora ou outra.

Capítulo 4 - À velocidade da luz, Equipe Rocket!


Cinco dias após a aparição de Ilima e o episódio com a Equipe Skull, um grupo de três indivíduos — composto por uma mulher de cabelos magentas, um homem de cabelos azuis e um Meowth — caminha para fora do Aeroporto Internacional de Hau’oli, portando sorrisos maliciosos em seus rostos.

— Finalmente! — exclama a mulher. — Chegamos, Alola-chihou!

— Esta terra distante e incrível nos permite um recomeço para o corpo e a mente.

— É isso aí! E nós vamos fazer de tudo para o melhor chefe da Chefolândia!

Wobbuffet! — brada o Pokémon Paciência, tendo saído por conta própria de sua Poké Bola.

Há diversos Pokémon raros no arquipélago alolano, alguns, inclusive, que só podem ser encontrados lá. É, portanto, missão de vocês ir para Alola e capturar Pokémon que eu nunca vi antes!”, o pedido de seu chefe reverbera nas suas cabeças. “Satisfaçam as ambições da Equipe Rocket!

— Capturando Pokémon…

— E conquistando Alola…!

— A Equipe Rocket vai decolar na velocidade da luz! / Wobbu!

________________________________________

Algumas horas depois, o quarteto da Equipe Rocket encontra-se caminhando por uma floresta, tendo já trocado suas roupas de férias por seus uniformes.

— Pegaremos o primeiro Pokémon rapidinho!

— Pegaremos cada Pokémon que encontrarmos e ainda mais!

— Só que isso quer dizer que Wobbuffet e eu teremos que fazer todo o serviço pesado… / Wobbu!

— Sem chororô, Meowth — fala a arroxeada. — Deixamos Gourgeist e Inkay no QG, e vocês sabem muito bem disso!

— Quando em Alola, faça como os alolanos! — recita o azulado.

— Mesmo assim… — a mulher olha ao seu redor, — esse lugar é meio sinistro.

— Você acha?

— É, parece que um monstro pode aparecer a qualquer momento…!

Como se o próprio Universo pregasse uma peça, um som farfalhante percorre a área, fazendo um calafrio percorrer as espinhas de Meowth e Wobbuffet, e, de repente, uma criatura salta para fora de uma moita. Um coral de gritos desesperados escapa das bocas dos quatro, quem saltam para trás em medo.

— P-P-Pikachu…? — a arroxeada murmura.

O pescoço da criatura então se quebra com um alto barulho de estalo, fazendo a Equipe Rocket gelar ainda mais.

— N-Não pode s-ser…!

— A ca-ca-cabeça do Pikachu…!

— AAAAAAAAAH! — grita Meowth, desesperado, mas sua expressão subitamente se acalma. — Se olhar mais de perto, dá pra perceber que aquilo não é um Pikachu, é só um Pokémon fantasiado.

— Tem razão… é só um pseudo-Pikachu — o azulado concorda, estreitando seus olhos.

Kyukyukyukyyyyyy! — tendo restaurado o seu pescoço à posição original, o fantasiado fala com sua voz ríspida. Wobbuffet e Meowth começam a suar frio.

— O que deu em vocês dois? Eu, hein…

— O que ele tá falando, Meowth?

— Ódio. Puro ódio… — responde. — É assustador demais…!

— Assustador? Ele não é assustador…. Ele é até fofinho. Já sei! Nossa primeira tarefa em Alola é capturar aquela fofura! — proclama a arroxeada, quem, sem dar tempo para o gato pensar, o pega pela cabeça o arremessa contra o fantasiado. — Golpes de Fúria, vamos lá!

— Hora de medidas desesperadas! — exclama Meowth, estendendo suas garras e conectando cinco arranhões no fantasiado, apenas para perceber que ele permanece intacto. — Eh!? Não adiantou!?

Kyukyyyu! — o pseudo-Pikachu se vira para Meowth.

— Dá pra parar com esse papo assustador e tirar essa fantasia de Pikachu para batalhar de forma justa!?

Meowth então avança com um salto em direção ao pseudo-Pikachu e levanta seu pano, fazendo uma névoa de energia sombria tomar conta de seu corpo e, efetivamente, deixa-lo fora de combate.

— Isso aqui tá parecendo um túnel super-ultra-mega longo, mas o que eu tô fazendo nesse túnel super-ultra-mega longo? Aonde na região de Alola eu estou? E cadê o pessoal? — pergunta-se Meowth, caminhando sem rumo pelo túnel, até que uma luz pode ser vista no fim do túnel. — Legal! Um jeito de sair daqui! — ele apressa seu passo e, após um flash de luz, todo o cenário do túnel é substituído por um campo florido com três Pokémon flutuando no céu. — Gardevoir! Glaceon! Lopunny! Esperem por mim, meus amores!

E Meowth começa a perseguir as fêmeas, seus olhos com o formato de corações como se alguém houvesse usado Atração nele.

Sem que percebesse, as três fêmeas à sua frente começam a se desvaecer, e o campo florido por onde corria se desfaz, tornando-se um mar de energia escura. Gastly, Haunter e Gengar surgem desse mar e começam a perseguir Meowth, quem, ainda enfatuado, falha em perceber.

De volta à realidade, os dois humanos e Wobbuffet tentam acordar Meowth de qualquer jeito.

— Meowth! — a arroxeada, quem chacoalha o gato, exclama. — Meowth!

— Acorda, seu mané!

— Você nem foi atacado, senhor “grande lutador”! / Wobbuffet!

Algo clica na cabeça de Meowth, e a sua enfatuação cessa. No momento em que percebe que está no mar sombrio, um buraco se abre bem abaixo de seus pés, e ele cai… infinitamente.

— Acorda, Meowth! — a dupla joga a água de um balde que eles tiraram de lugar nenhum na cara de Meowth.

— AAAAAAAAAAAAAAAAAAH! — ele volta à vida com um salto. — Vocês quase me afogaram!

— Ah, bem-vindo de volta — diz o azulado.

Os quatro se encaram por algum tempo e logo se abraçam.

— Meowth! / Wobbuffet!

— Obrigado por me tirarem de lá!

— “Lá”?

— Quando eu levantei o pano daquele maluco, eu vi como ele é de verdade, e de repente tudo ficou escuro, e eu fui parar nesse túnel super-ultra-mega longo. Aí, depois, uma Gardevoir muito fofa apareceu. Sabem, ela estava querendo me convencer a ir com ela e as amigas dela, mas logo tudo ficou assustador de novo! E aí eu comecei a cair no poço horrível, só que nunca chegava o final!

— Uma Gardevoir muito fofa?

— Um poço horrível? O que quer dizer?

— É a mais pura verdade! Se não fosse por vocês, eu não sei o que seria de mim! E é tudo culpa daquele cabeça de retalho!

A Equipe Rocket treme na base e, ao ouvirem outro barulho farfalhante, se escondem em um arbusto.

— Será que é outro daqueles pseudo-Pikachu? — o azulado questiona, mas se surpreende quando vê um grupo liderado por uma pessoa familiar saindo da selva.

— O pirralho…?!

Wobb– — o Pokémon Paciência tem sua boca tapada pela arroxeada.

— O que ele está fazendo aqui…?

________________________________________

— Já estão todos aqui? Ótimo! — o Professor Pokémon apareceu na porta do 5-A. — Vamos para a diretoria! Hoje teremos uma aula especial com o diretor Ohkido!

— Aula especial?

Após alguns momentos de organização, a classe se encaminha à diretoria e é animadamente recebida pelas excentricidades do diretor.

— Vão gostar tanto desse tempo que vão Pidgeotto! — prometeu, virando-se para a classe com uma imitação do Pokémon Pássaro. Então, ele pôs duas incubadoras na mesa e tirou seus tampos, revelando dois Ovos Pokémon de cores diferentes: o da esquerda é puramente cinza, e o da direita, branco com algumas manchas florais.

— Onde conseguiu esses ovos, koutyou?

— Este aqui é o que você me trouxe de Kanto — ele apontou para o da esquerda, — e este outro aqui, um que foi recentemente achado no Monte Lanakila.

— Diretor, você já analisou os ovos para descobrir quais são os Pokémon que estão dentro?

— Realmente, a paleta de cores não ajuda muito a desvendar esse mistério.

— Essa era a ideia inicial, Chris, mas eu optei por não fazer-bstrika! — ele imitou o Pokémon Relâmpago. — Eu acho divertido esperar que choquem, então resolvi esperar. E isso nos leva ao tema de nossa aula. Que tal vocês cuidarem dos ovos?

— Espera aí, você quer que a gente cuide deles? — perguntou Mallow.

— Vocês aprenderão bastante com essa experiência — falou Ikaika. — É gratificante criar um Pokémon desde quando está no ovo.

— Então quer dizer que nós todos vamos cuidar deles juntos, professor? — inqueriu Kiawe.

— Exatamente! — respondeu. — A tarefa de vocês é observar os ovos e escrever um relatório sobre suas preferências. Mais simples que isso só com um Feixe Simplificador, não acham?

— Eu tenho uma dúvida — Lillie ergueu seu braço. — Por que criação de ovos justamente agora?

— Tudo o que sabemos sobre os Pokémon que nascerão dos ovos é que são formas de Alola, e como o tema as aulas do Professor Kukui é variação interespécie, vi uma oportunidade e resolvi unir o útil ao agradável.

— Oh! Quem serão os alolanos que sairão dos ovos? — murmurou Lana. — Seriam eles fofos…?

— Espero só que sejam fortes — desejou Kiawe.

Hakase, koutyou, será que poderíamos levar os ovos para conhecer os arredores da Academia?

— Hmm… — o diretor parou para pensar. — Não tenho objeção alguma-gikarp! Ditto e feito, será uma ótima oportunidade para se acostumarem com os ovos.

— Se o diretor concordou, quem sou eu para negar? — falou o professor. — Agora vão! Criem um Vínculo do Destino com os futuros Pokémon!

________________________________________

— Será que nós vamos encontrar outro Pokémon selvagem? — pergunta Satoshi, lutando para segurar a incubadora contendo o ovo cinza com a mão esquerda e tirar o restante de seda do seu cabelo com a mão direita.

— É bem provável, as selvas de Alola são bastante exuberantes — fala Mallow.

— Mas esse outro Pokémon selvagem deve fugir que nem o Grubbin, novato — brinca Lana.

— Você estava mentindo, não é? Só queria uma desculpa para capturar Pokémon! — acusa Chris, apontando um indicador para o kantonês.

— Eu queria tentar capturar Pokémon, mas eu definitivamente não menti quando disse aquilo na diretoria.

— Satoshi está certo — inicia Lillie, segurando a incubadora contendo o ovo branco. — Estudos do Professor Elm de Johto apontam que Pokémon têm, sim, consciência mesmo quando ainda estão no ovo e conseguem até formar seu caráter e um certo nível de opinião.

— Chris, tem que tomar mais cuidado quando for apontar o dedo pros outros — fala Kiawe, dando uma pancada fraca na nuca do alaranjado.

— A-ah. Foi mal por isso, Satoshi.

— Nah! Não tem com que se preocupar, Chris! Eu admito que é uma coisa meio difícil de se acreditar.

— E como você sabia disso? — inquere Lana. — Você com certeza não é do tipo estudioso, novato.

— Eu já cuidei de alguns Ovos Pokémon até chocarem antes — responde. — Durante minha jornada por Johto, me confiaram um ovo de Larvitar. Quando ele nasceu, ele era bastante introvertido comigo e com os meus amigos por causa de umas experiências traumáticas que teve quando ainda estava dentro do ovo.

— Oh, então você já viajou para outras regiões fora de Kanto e Kalos? — questiona Mallow.

Satoshi coça sua nuca, e, antes mesmo que pudesse pronunciar uma sílaba, uma Bola Sombria é disparada contra Pikachu, quem, felizmente, consegue desvia-la de sua trajetória original com um Cauda de Ferro no ângulo exato.

— O-O que foi isso? — pergunta Chris, sentindo um calafrio repentino percorrer seu corpo.

— Olhem ali! — aponta Mallow para o pseudo-Pikachu.

— Um Pikachu…? — supõe Satoshi.

— Não, é Mimikyu!

— Mimikyu? Por que ele parece um Pikachu?

— Bem, a teoria mais aceita é que Mimikyu se fantasiou de Pikachu para se aproveitar de sua popularidade crescente — explica Lillie. — Até hoje, não se sabe muita coisa do Pokémon que se esconde por trás da fantasia, só que um estudioso já morreu ao olhar sua verdadeira identidade.

— “Morreu?” — na moita, espanta-se Meowth. — Eu estou feliz por ainda estar aqui firme e forte!

Nesse momento, os verdadeiros olhos de Mimikyu se acendem em um brilho estelar e uma Garra Sombria se estende de debaixo de seu pano.

Cauda de Ferro! / Chuuu-pikaaa! — a cauda revestida em energia metálica de Pikachu se choca contra a garra de energia fantasma de Mimikyu, e os dois Pokémon começam a trocar golpes.

— Por que Mimikyu está atacando? — pergunta a loira.

— Talvez ele verdadeiramente despreze Pikachu…! — fala a azulada, seu rosto assumindo uma tonalidade mais sombria, fazendo o alaranjado tremer ainda mais.

Mimikyu retrai a Garra Sombria para debaixo de seu pano, mas não dá descanso para Pikachu, pois imediatamente ziguezagueia em direção a ele e o imerge em uma nuvem branca e densa antes de espanca-lo com sua cauda em um Jogo Duro. O ovo cinza se mexe visivelmente em reação ao ataque, mas não mostra sinais de que vai chocar nesse momento.

Incessantemente atacando, a cauda falsa de Mimikyu é revestida por uma energia sombria e é usada como taco para atirar Pikachu para cima.

— Que Martelo de Madeira forte — comenta James.

— O pseu–, não, Mimikyu está dando uma trabalheira para Pikachu — fala Jessie.

— Pikachu, use Cauda de Ferro!

Chuuu-piikaaa! — aproveitando-se da aceleração da gravidade, Pikachu mergulha com sua cauda férrea apontada contra Mimikyu e desfere um golpe potente em sua cabeça, mas ela apenas tomba para o lado.

— É a habilidade especial de Mimikyu, Disfarce! — aponta Lillie. — O primeiro golpe nunca vai causar dano, pois vai ser absorvido pelo disfarce!

— Eu me decidi! — exclama Satoshi. — Vamos capturar esse Mimikyu, Pikachu! / Pikachuu!

— Nós não vamos permitir isso! — a voz da arroxeada soa, e o grupo todo salta para fora da moita.

— Quem são vocês? — questiona Kiawe.

— Se a verdade quer saber, estamos aqui para responder!

— Respostas nobres são a nossa especialidade!

— A beleza radiante das flores e da Lua se esconde na rua! Uma única flor do mal neste mundo temperamental, Jessie!

— Um homem heroico e fenomenal! O mestre da escuridão lutando contra tudo o que há de mal, James!

— Eu sou um Pokémon muito forte! Vencemos batalhas no leste, oeste, sul e norte, porque temos uma estrela que sempre brilha forte!

— A Equipe Rocket decolando na velocidade da luz!

— Meowth, é isso aí! / Wobbuffet!

— Oh! Um Meowth de Kanto! — os alolanos exclamam.

— Todos os Meowth de Kanto falam assim? — pergunta Kiawe.

— Mas é claro que não! Eu sou um Meowth único!

— Musashi! Kojirou! Vocês finalmente chegaram! Achei estranho que estavam demorando. / Pika-Pikachu.

— Quantas vezes nós dissemos antes, pirralho! Quando nós estivermos no Ocidente, nós nos chamamos Jessie e James! — exclama a arroxeada.

— Vocês, hm, se conhecem?

— Eles são ladrões de Pokémon que me seguem desde o primeiro dia da minha jornada. — à menção de “ladrões”, os alolanos dão um passo para trás.

— Então você é amigo de um grupo de ladrões? — pergunta Lana, com um olhar confuso em seu rosto.

— Não! — exclamam Jessie, James e Meowth.

— Eu não sei direito — Satoshi dá de ombros.

— Então… se eles te seguem desde o dia um, eles estão a sete anos na sua cola? — inquere Lillie.

— Yep! Tudo por causa do Pikachu! — ele diz, e o roedor sorri constrangido.

— E que papo é esse de dois nomes? — pergunta Chris.

— Ah, olha lá, o pirralho não contou pros amiguinhos dele que ele tem dois nomes — zomba James.

— Chega dessa falação! — grita Jessie. — Vamos pegar esse seu Pikachu e esses dois Ovos Pokémon também! Tenho certeza de que o chefe vai adorar!

— Eu quero ver tentarem — desafia Satoshi.

— Vai lá, Meowth!

— Contra o Pikachu!? — sobressalta-se Meowth, quando, de repente, ele sente alguma força lhe desafiando vindo de dentro do ovo cinza. — Argh! Tome uma amostra grátis dos meus Golpes de Fúria!

Relâmpago!

Piikaachuuu~! — o roedor dispara o raio contra o gato, quem, incapaz de desviar, cruza seus braços à sua frente para tentar reduzir o dano. Felizmente, antes de ser atingido pelo ataque elétrico, Meowth vê um Bola Sombria passar pelo seu lado e explodir contra o Relâmpago. Ele não precisa nem olhar para trás para saber que foi Mimikyu.

— Mimikyu, você se comportou como um verdadeiro campeão! Muito obrigado!

— Não sei se estou doida, mas parece que esse Mimikyu está querendo nos ajudar.

Kyukyu! — o fantasiado “range seus dentes”, e logo uma aura sombria toma conta de seu corpo.

— Mimikyu está dizendo que quer ajudar a gente, e não aqueles manés!

— Ei! — exclama Satoshi.

— Eu não tô doida ainda!

— Estamos muito agradecidos por sua ajuda, Mimikyu! — fala James. — Explica isso aí melhor, Meowth.

— Parece que Mimikyu realmente odeia Pikachu.

— Odeia?

— Aparentemente Mimikyu se fantasiam de Pikachu para serem mais amados, mas este Mimikyu em específico não escolheu ser assim e, por isso, guarda muitas mágoas — traduz Meowth. — Agora me faz um favor e para de falar essas coisas tenebrosas, Mimikyu!

— Hm, parece que há muitos sentimentos complicados em jogo.

— Mimikyu dado não se olha os dentes! — fala Jessie. — Agora ataque, Mimikyu! / Kyykyu! — uma Bola Sombria começa a se formar à sua frente.

— Prepare-se, Pikachu!

— Isso! Isso! Acabe com o Pikachu! Vai! Vai! — torcem os adultos, até que algo os agarra bruscamente.

— O que tá acontecendo? — pergunta James.

— Me solta, eu tenho liberdade! — exclama Jessie.

— Aí, grandão, pra onde você está levando os meus amigos? / Wobbu?!

— Quem é aquele Pokémon…? — pergunta Satoshi.

— É um Bewear — responde Lillie, vendo como os dois adultos são facilmente levados pelo urso.

— Mimikyu, salve o James e a Jessie! Vai!

Wobbuffet!

Kykyu? — questiona, ainda encarando Pikachu com olhos sanguinários.

— Você disse que nos ajudaria quando estivéssemos em perigo! Esqueça o Pikachu! Você precisa ajudar quem está do seu lado, entendeu? — discursa Meowth, e Mimikyu parece entender, visto que desfez a Bola Sombria.

— Estamos… decolando de novo…? — exclamam Jessie e James, sendo carregados por Bewear, enquanto os três Pokémon seguem em sua cola.

— Eles sempre foram desse jeito? — pergunta Kiawe.

— Aham, e eu sei que voltaremos a vê-los de novo — fala Satoshi, suspirando um pouco.

________________________________________

A Equipe Rocket foi levada por Bewear à sua toca, construída em uma grande e velha árvore musgada. Depois de terem esperneado e tentado fugir — e, consequentemente, terem descoberto que Bewear não os deixaria ir embora —, eles decidiram jogar seu jogo. Exceto, é claro, a cabeça-quente que é a Jessie.

Poké Bola atrás de Poké Bola era atirada em Mimikyu para tentar captura-lo e, então, usa-lo para enfrentar o urso, mas ele sempre as desviava com uma caudada.

— Olha aqui, Mimikyu! — exclama a arroxeada. — Foi você quem quis ajudar a gente naquela hora, então me deixe te capturar!

E ela atira mais uma Poké Bola, apenas para Mimikyu exagerar e esmigalha-la em pedacinhos com seu Martelo de Madeira.

— É claro que vai ser difícil captura-lo. Ele não tá nem um pouco cansado. / Wobbuffet!

— Vocês dois entendem que eu estou tentando capturar Mimikyu porque vocês não conseguem derrotar aquele Bewear!

— “Aquela”, Jessie — fala o azulado, lustrando uma Bola Luxo.

— Ah, isso não importa, pois se não sairmos daqui o mais rápido possível, nós todos vamos ficar no seu caminho de destruição!

— Destruição!? — os outros se exaltam, e o azulado deixa a Poké Bola especial cair de sua mão.

— Uma Bola Luxo? Deve dar pro gasto — comenta Jessie, pegando a bola.

— Não! Essa Bola Luxo faz parte da minha preciosa coleção! — desespera-se James.

— Que mané coleção! Ela só é valiosa quando alguém a usa!

— Não faça isso, por favor! Qualquer coisa menos isso! — o azulado se agarra no braço da arroxeada, mas é afastado bruscamente.

Jessie, então, arremessa a Bola Luxo em Mimikyu, quem é atingido em cheio e se transforma em energia, para a alegria de Jessie e os Pokémon, mas o pânico de James. Ao cair no chão, a esfera de contenção fica com seu botão piscando em vermelho e começa a chacoalhar uma… duas… três vezes antes de emitir um clique familiar.

— Eu capturei!

— É isso aí! Mimikyu agora faz parte da família!

Wobbu-Wobbuffet! — o Pokémon Paciência se une à alegria.

— A minha preciosa coleção…! — choraminga James.

Jessie corre para pegar a Bola Luxo, mas é impedida por Bewear, que a carrega para perto dos outros.

— Bewear disse que é hora do rango!

— Bewear, a Jessie não é comida!

— Você tem que salvar a gente, Mimikyu! Mimikyu! Mim– — a arroxeada se interrompe ao sentir um líquido doce sendo derramado na sua boca e, logo, sente-se vívida. — O que é isso? Essa benção divina? Gostosa! Deliciosa! É maravilhosa!

— É um néctar fantástico! — fala Meowth, abrindo sua boca para sentir o líquido. — Doces para os doces!

— Que sabor maravilhoso! — exclama James, tendo provado o néctar.

Wobbuffet! — o Pokémon Paciência não fica para trás.

— Eu acho que essa é a melhor decolada que a Equipe Rocket já teve…!

 

 


Notas Finais


Kantoneses, hein.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...