História Pokémon Superation: O Despertar do Mestre - Capítulo 24


Escrita por: e TheGabriel1994

Postado
Categorias Pokémon
Tags Anime, Aventura, Fantasia, Mangá, Pokémon, Saga, Universo Alternativo
Visualizações 7
Palavras 1.465
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Saga, Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 24 - Tensão no Monte. A Fria Cidade de Saint Joseph


Ander segue sua jornada com seus amigos, graças a mochila criada pelo professor Drummond que lhe permite ficar em pé. Agora ele segue com Gabriel e Afiya em busca da primeira das oito flores necessárias para preparar a vacina de cura para sua enfermidade.

 

— Caramba! Está ficando frio por aqui! E eu odeio frio! — Comenta Ander, tremendo.


— Ainda bem que colocamos todos os pokémon dentro das pokebolas. — Diz Afiya.


— Estamos chegando em Saint Joseph. É muito frio aqui, mas é o local de crescimento da primeira flor. — Explica Gabriel.


— Vamos direto... ao Centro Pokémon... Sinto meus dedos... atrofiando... — Diz Ander.

 

Os campos estão cobertos de finas camadas de gelo e os lagos estão congelados na cidade e arredores. Já no Centro pokémon, sentados à mesa e bebendo um chocolate quente, eles aproveitam para se aquecer e reunir mais informações sobre como chegar à flor. 

 

— Aqui diz que há um morro onde nasce esta flor, chamada de Flor Glacial, devido às temperaturas baixas que ela necessita para nascer. — Explica Gabriel, lendo o guia.

 

— É um tanto estranho nascer flores no gelo. — Comenta Afiya.

 

— Se é realmente necessário ir até lá, então eu vou! — Diz Ander.

 

— Não acha muito frio para você, Ander? — Pergunta Afiya.

 

— A mochila esta programada para movê-lo em qualquer ambiente, ajustando a intensidade dos passos conforme a necessidade. Mas... — Diz Gabriel.

 

— Mas, embora eu tenha sentido os efeitos da mudança climática, ainda é dia e o sol que esta surgindo pode nos aquecer. É a minha única chance! — Diz Ander.

 

— Desculpem... Ouvi vocês comentando sobre ir ao pico do morro. Existe um caminho até lá. Se vocês irem durante o dia e bem agasalhados, poderão ir e vir tranquilamente, desde que permaneçam no caminho. — Diz Joy, a enfermeira.

 

— Legal! Obrigado senhorita! — Agradece Ander.

 

— Gabriel!! Pare de viajar na maionese olhando a enfermeira Joy! — Diz Afiya.

 

— Ah! Eu? Não! Eu estava olhando o mapa... Hehe! — Diz Gabriel, com um sorriso tenso.

 

— Desculpem. Eu não deveria, mas sendo por uma questão assim, posso levá-los até o local. — Diz a oficial Jenny, da mesa de trás.

 

— Demais! Aceito sim! Mas e sua perna? — Diz Ander.

 

— Meu colega pode dirigir! Não se preocupem. — Explica Jenny.

 

— Não ofereço ajuda por não poder sair do centro. Ainda mais hoje que estou sozinha. — Comenta Joy.

 

— Bem... Sou enfermeira! Se quiser, posso ficar e ajudar até os meninos voltarem. — Sorri Afiya.

 

— Será muito bem-vinda a sua ajuda! — Diz Joy.

 

— Vamos, então?! — Diz Jenny.

 

— Sim! Vamos, Gabri... Aff! Você fica vermelho e totalmente perdido com moças bonitas... — Comenta Ander.

 

Ao saírem do Centro Pokémon, eles são observados de longe por Jessie, James e Meowth.

 

— Olhem! Eles estão indo para algum lugar! — Diz Meowth.

 

— Provavelmente atrás de algo importante. — Diz Jessie.

 

— Pessoal... — Diz James, voltando do Centro disfarçado — Eles estão indo ao Pico buscar uma flor rara. Só não entendi como a oficial Jenny conseguiu quebrar uma perna caindo do segundo andar. — Questiona James.

 

— Calados. Vamos esperar eles voltarem e pegamos a flor e as pedras. — Diz Jessie.

 

— Miau! Que tal um chocolate quente?! — Diz Meowth.

 

Alguns minutos depois, Ander e Gabriel chegam no local, aos pés do morro, de carona com Jenny.

 

— Lembrem-se de ir apenas pelo caminho! E se ficar tarde, desçam! Eu vou lhes emprestar esses rádios para se comunicarem comigo. Não vou junto somente por estar com a perna engessada. — Explica Jenny.

 

— Eu também não posso ir por ter uma grave labirintite. Mas estarei aqui para qualquer problema. — Comenta o oficial.

 

— Na verdade você tem medo de altura e odeia frio, não é? — Diz Jenny, deixando o oficial tenso.

 

Os meninos saem da viatura e se dirigem ao caminho. Apesar do sol tímido, o ar frio e seco vai aumentando. No Centro Pokémon, as meninas torcem por seus amigos.

 

— O que houve, Afiya? Não para de olhar por essa janela! — Diz Joy.

 

— Estou preocupada com os meninos. Será que estarão bem? — Explica Afiya.

 

Os meninos começam a andar em direção ao pico, conhecido pelo nome de Black Montain, bastante arborizada e cercada por grandes e altas crateras. 

 

— Olhe que vista! Cânions rodeiam esse lugar. Há muitas araucárias também. — Comenta Gabriel.

 

— Espero que consigamos chegar antes do anoitecer. — Comenta Ander.

 

— Eu trouxe todo equipamento necessário, para eventuais problemas... Mas não se preocupe! — Diz Gabriel.

 

Algum tempo mais tarde eles se comunicam com Jenny.

 

— Estamos indo bem, senhorita. Câmbio. — Diz Gabriel, ao rádio.

 

— Certo. Mas tomem muito cuidado! A Flor Glacial só nasce nesse pico. Se tiverem sorte, ela pode aparecer logo no início. Não vão muito alto! — Diz Jenny pelo rádio.

 

De repente, o clima muda completamente. A névoa começa a cobrir o monte.

 

— Essa não! Vamos levar um tempão se começar a neblina. — Diz Ander.

 

— Vamos voltar. Esperamos passar e viemos depois. Já esta tarde e não há flores aqui. — Diz Gabriel.

 

Os meninos não sabem mais onde é o caminho. O que eles não percebem é que, ao invés de descer, estão subindo, cada um por um lado diferente. A neblina fica mais densa e o ar fica mais frio.

 

— Essa não... To sentindo meus dedos congelarem novamente... Gabriel? — Diz Ander, quando percebe estar só.

 

— Tive uma ideia. Tangela! Charmeleon! — Diz Gabriel, invocando os pokémon — Muito bem! O clima não é o melhor, mas preciso da ajuda de vocês! Ander, pegue o cipó de Tangela e seguiremos a luz da cauda de Charmeleon e... Aaaa! Essa não! Cadê você Ander!! — Diz ele, tenso ao perceber que não está com Ander.

 

O caminho vai estreitando cada vez mais, e fica difícil andar. Os pokémon estão também exaustos devido ao frio.

 

— Aff... Nos perdemos. O rádio não liga. Melhor voltarem para as pokebolas, pois está muito frio para vocês aqui. — Diz Gabriel aos seus pokémon. Estes, porém, se recusam deixá-lo.

 

Ander fica exausto e se assenta um pouco. Pequenos flocos de gelo começam a cair sobre o lugar. A temperatura fica mais baixa e o ar mais seco. Os rádios não mais funcionam.

 

— Não consigo sentir meus membros... O caminho a beira do monte é estreito demais. — Diz Ander, muito cansado — Já sei... Jolteon! — Jolteon sai da pokebola — Jolteon, preciso de ajuda! Lance raios pra longe, pra chamar a atenção.

 

Jolteon lança raios na tentativa de iluminar o ambiente e chamar a atenção do amigo. Gabriel tem apenas a luz e calor de Charmeleon, mas sua cauda começa a ofuscar.

 

Algum tempo se passa...

 

— Charmeleon! Entre já nessa pokebola! — Diz Gabriel, tentando puxá-lo com os cipós de Tangela.

 

Gabriel percebe a neve se acumulando, e já faz uma hora que se perdeu de Ander. Ao puxar o pokémon, escorrega na beira do penhasco. Ficando preso em um galho.

 

— Aaaaa! — Grita Gabriel, quando Tangela tenta puxá-lo de volta com seus cipós.

 

Ander está já sem forças, quando percebe um brilho diferente vindo em sua direção. 

 

— O que é aquilo? — Pensa ele — Fique ...atento Jolteon... — Diz ele ao pokémon, que se prepara para o ataque.

 

Ander está ficando sem fôlego, e desmaia. Um pokémon surge. Ele se aproxima mas, quando  seria atacado por Jolteon, este percebe que ele carrega uma pedra em seu pescoço.

Ander acorda sendo aquecido por seu pokémon, quando percebe um pokémon estranho próximo a ele.

 

— Quem é você? — Pergunta-se ele, puxando a pokedex.

 

POKEDEX: Glaceon. Pokémon Neve Fresca do tipo Gelo. Ele consegue formar pequenos cristais de gelo ao seu redor que baixa a temperatura da atmosfera que o rodeia. Como forma de proteção, ele congela a sua pele para deixar os seus pelos espetados.


— Glaceon! Ele tem uma pedra igual a de Jolteon e Vaporeon! — Observa Ander —  Ei! Onde vai?! — Grita ele, ao ver Glaceon sumir na neblina.
Jenny e seu colega já estão aflitos, e pensam buscar ajuda. No Centro Pokémon, Afiya e Joy ficam preocupadas com a neve que cai lá fora.
Glaceon reaparece com uma Flor Glacial na boca, entregando-a para Ander.


— Não pode ser... A Flor Glacial... Você é um deles. — Diz Ander, olhando para o pokémon, que se aproxima de Ander e, com Jolteon, deita sobre o jovem, aquecendo-o — Ei! Vocês precisam entrar nas pokebolas! Está frio! — Diz Ander, quando ouve um grito.


Gabriel começa a escorregar do galho quando o cipó de Tangela se rompe. O frio faz o cipó não suportar e o peso é demais para Tangela. Charmeleon e Tangela observam aflitos, com medo que seu treinador caia.


— Vocês precisam ir... — Diz Gabriel, jogando todas suas pokebolas para cima — Entrem nas pokebolas como os outros... Ander virá salvá-los... Amo vocês... — Diz Gabriel, ao perceber que vai cair.


Gabriel não suporta mais os tendões doendo de frio e com o seu peso, e se solta com lágrimas. Tangela fica aflito e tenta segurá-lo e Charmeleon lança chamas para cima, como um grito de dragão afligido.

 

O silêncio toma conta do lugar. Gabriel caiu do monte? Como Ander sairá dessa?

CONTINUA...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...