História Polares Opostos - Província Alfa - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Hot, Shifters, Sobrenatural, Ursos
Visualizações 3
Palavras 3.401
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Hentai, Magia, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 5 - Capitulo 4


Jett mal conseguia entender o que Emmy acabara de revelar. Raiva e medo guerrearam dentro de seu coração e alma, mas ele tentou esconder suas emoções dela. Ela já estava muito tensa e não precisava dele reagindo mal e aumentando sua tensão.

Ela estremeceu e inalou tremulamente antes de liberar a respiração de seus pulmões. Ela tomou um gole de café e se acomodou na almofada, mas não relaxou. Jett olhou para Brooks e Declan para ver que eles estavam tão irritados quanto ele. Declan tinha enrolado as mãos em punhos e os nós dos dedos estavam brancos. Os músculos da mandíbula de Brooks flexionavam quando ele abaixou os dentes e ele segurou as pernas um pouco acima dos joelhos com tanta força que provavelmente deixaria hematomas para trás.

“Eu costumava ser faxineira no St. Regis Hotel em Houston, Texas. Houve uma convenção política de três dias planejada. A equipe estava trabalhando duro a semana inteira para conseguir tudo do jeito que o gerente queria. Era o dia antes dos politicos chegarem e eu tinha um quarto para limpar.” Emmy fez uma pausa para respirar. “Eu estava quase no quarto com meu carrinho de limpeza, mas parei a alguns metros de distância quando ouvi gritos. A sala deveria estar vazia, por isso, mesmo que eu ficasse fora de vista, eu fiquei por perto para tentar descobrir o que estava acontecendo. Uma das vozes dos homens era familiar, mas eu não conseguia lembrar onde eu tinha ouvido.”

Quando ela começou a tremer, Jett não conseguiu mais ficar onde estava. Ele se levantou, pegou Emmy em seus braços e sentou-se onde ela estava sentada. Ele podia senti-la tremendo e seu coração se agitou em seu peito. Ele passou os braços ao redor dela, esperando compartilhar seu calor. Seu urso polar estava empurrando seu abdômen, tentando sair, mas ele empurrou seu animal para baixo até que ele estava sentado em suas coxas. Agora não era a hora de deixar sua besta assumir o controle. Ele precisava ouvir o resto da história do Emmy, e isso não aconteceria se o urso ficasse muito ansioso. Não havia nenhuma maneira no inferno que ele iria assustar sua companheira.

"Eu ouvi um som de estalo e não tinha certeza do que era até que um dos homens disse: 'Você acabou de matar nosso especialista em comunicação'. Eu estava com tanto medo e meu primeiro instinto foi correr, mas não consegui me mexer. Um deles perguntou se as bombas estavam no lugar e o outro respondeu que sim. Ele também disse que eles iriam se instalar no telhado do outro lado da rua e pegar quaisquer políticos sobreviventes com suas armas quando eles saíssem correndo do prédio.”

"Porra, bebê, você deve ter ficado aterrorizada." Declan apertou a mão dela na sua e depois cobriu o topo com a mão livre, tentando aquecê-la.

"Eu estava." Emmy assentiu e lambeu os lábios. "Mas eu não podia deixar esses homens explodirem o hotel e matar muitas pessoas inocentes."

Brooks enfiou os dedos nos dela e então começou a esfregar o topo da mão dela com a outra. "O que você fez, querida?"

“Peguei meu carrinho e comecei a correr em direção ao elevador. Eu tive que sair antes que eles me vissem.” O tremor de Emmy ficou pior e o instinto de Jett disse a ele que a história dela também iria. “Eu acabei de entrar no elevador e apertei o botão para baixo quando olhei para trás ao longo do corredor. Os dois homens saíram da sala e estavam olhando diretamente para mim. Os dois tiraram as armas quando começaram a correr em minha direção. Nunca esquecerei os sons que essas balas fizeram quando atingiram as portas de metal do elevador.”

"Foda-se!" Declan soltou sua mão, levantou-se e começou a andar de um lado para o outro. “Eles acertaram em você, bebê? Você se machucou?"

Ela balançou a cabeça. "Não, eu tive sorte."

Jett cutucou seu olhar para o dele. "Você chegou ao andar térreo?"

Mais uma vez, ela balançou a cabeça.

"Merda! Como você escapou, querida?” perguntou Brooks.

"Eu sabia que eles estariam esperando por mim se eu descesse no elevador todo o caminho, então eu empurrei a parada de emergência, subi em cima do meu carrinho de limpeza e saí para o poço do elevador."

“Eles vieram atrás de você, amor?” perguntou Jett.

"Acho que sim. Eu podia ouvir batidas e sussurros, mas não me movi do meu esconderijo.

"Onde você se escondeu, bebê?" Declan perguntou quando ele se sentou novamente.

“Eu escalei o poço, e enquanto eu tentava abrir uma das portas, eu não conseguia controlar. Então, eu subi até o topo e fiquei em uma pequena plataforma por um tempo. Quando ouvi o movimento lá embaixo, percebi que eles estavam procurando por mim e olhei freneticamente para algum lugar para me esconder. Havia uma abertura para o sistema de ventilação ao lado da plataforma e consegui contorcer-me.

"Graças a Deus você viu, querida." Brooks levou a mão à boca e beijou as costas dela.

"Sim" ela concordou.

“O que você fez então, amor?”

“Eu tinha meu celular comigo e liguei para o 9-1-1 e expliquei o que tinha acontecido. O despachante ficou na linha comigo, dizendo-me para ficar quieta e não me mexer. A polícia e uma equipe da SWAT foram enviadas e, cinco horas depois, eles tinham os culpados”.

"Eles foram enviados para a cadeia?" Jett perguntou.

"Sim. Eu fui a principal testemunha no julgamento seis meses depois. Os dois homens foram sentenciados com intenções preconcebidas de terrorismo e assassinato, e não vão sair da prisão por muito tempo. Se alguma vez sairem."

"Então por que você ainda está correndo?" Perguntou Brooks.

Declan amaldiçoou em voz baixa. "Eles enviaram alguém atrás de você, não é?"

"Sim."

"Filhos da puta" Jett rosnou.

"Você sabe quem é?" Brooks se mexeu em seu assento. “Você tem nome? Você ligou para os policiais?”

"Não. Por sorte, passei seis meses no programa de proteção a testemunhas. O detetive Brocard tinha policiais uniformizados empacotando minhas coisas e levando-as para a casa segura. Ele também tinha câmeras especializadas em segurança em todo o meu apartamento, mas não ajudou. A menos que o cara atrás de mim faça um movimento, não há nada que a polícia possa fazer.”

"Por que não?" Perguntou Jett.

"Porque o cara usava uma máscara de esqui e luvas."

"Merda!" Brooks esfregou a parte de trás do seu pescoço.

"Eu odeio a lei às vezes" disse Declan. “Não nossos aplicadores da lei, mas nossas leis reais. Por que alguém não pode ser preso mesmo se não receber sua presa? Deve haver um adendo que permita que os policiais prendam alguém apenas com a intenção. A única vez que a lei se aplica é com atos de terrorismo ”.

"Eu concordo contanto que a evidência seja forte e não circunstancial." Emmy assentiu.

"Você tem um nome, amor?" Jett acariciou uma mão para cima e para baixo em seu braço.

"Não. Sem isso eu não posso conseguir uma ordem de restrição, mas mesmo se eu fizesse, não acho que faria qualquer diferença. Enquanto o líder estava sendo conduzido do tribunal, ele estava me encarando com tanto ódio e vingança em seus olhos. Ele olhou para o fundo da sala e acenou para alguém sentado no último assento. Eu tentei ver quem era, mas nenhum dos homens lá atrás estava olhando em minha direção e eu não consegui ver todos eles. As pessoas na frente deles bloquearam minha visão, mas eu sei que Dwayne estava dando uma ordem para alguém. Eu podia sentir isso no meu intestino.”

"Esse é o nome do terrorista?" Perguntou Brooks. "Você o conhecia?"

“Eu costumava vê-lo todos os dias. Ele era funcionário do hotel.”

"Maldito bastardo." Declan esfregou na parte de trás do seu pescoço, e um rosnado baixo emergiu de sua boca. "Os policiais tentaram encontrar as pessoas com quem esse idiota estava associado?"

"Eu tenho certeza que eles fizeram, mas eu nunca pensei em perguntar." Ela suspirou. O detetive Ryan Brocard foi muito meticuloso. Ele teria rasgado a vida de Dwayne tentando encontrar seus associados.

Brooks assentiu. "Havia apenas dois presos, acusados ​​e sentenciados?"

"Sim."

"Eu aposto que esse filho da puta tinha mais pessoas trabalhando para ele."

"Talvez, mas a polícia teria prendido eles se tivessem sido encontrados."

Brooks assentiu e apertou a ponta do nariz como se tentasse aliviar uma dor de cabeça.

Emmy ficou tensa e franziu a testa em direção a Declan.

Jett olhou para o amigo enquanto se levantava e depois andava pela sala inquieto. Quando ele viu a pele brotar nos braços de Declan, Jett percebeu que ele estava perdendo o controle, e enquanto isso o preocupava, ter Emmy vendo Declan desse jeito assustou a merda absoluta dele.

"Quanto tempo, amor?" Jett chamou sua atenção para longe de Declan para que seu amigo pudesse pegar seu urso raivoso.

"Quanto tempo o quê?" Ela franziu a testa para Jett.

"Há quanto tempo vocês estavam trabalhando juntos?"

"Uns anos."

"Por que ele estava planejando explodir o lugar?" Declan perguntou depois que ele não estava mais lutando com sua besta interior.

"Dwayne era um veterano do Exército e, apesar de ter saído ileso fisicamente, ele sofria de TEPT".

Brooks assentiu. “Nós sabemos o que é isso, mas isso não é motivo para planejar machucar pessoas inocentes. Tem que haver outro motivo.”

"Existe."

Jett apertou os braços ao redor de Emmy quando ela estremeceu. Quando ele encontrou seu olhar, doía seu coração ver lágrimas se acumulando em seus olhos.

"Seu irmão também serviu." Ela fez uma pausa quando sua respiração engatou. “Ele acabou tendo um braço e uma perna amputados. Aparentemente, ele não lidou bem com a perda de seus membros, e seis meses depois de receber alta médica, ele cometeu suicídio.”

Emmy balançou a cabeça. "Eu sinto por Dwayne e seu irmão e pelo que eles tiveram que suportar, mas eu não posso tolerar o que o guarda de segurança e seus capangas estavam planejando. Eu entendo porque Dwayne estava zangado com os líderes militares e poderes governamentais, mas não havia necessidade de atacar os inocentes. A forma como nosso pessoal militar aposentado é abandonado é atroz, especialmente depois do que sacrificaram para manter nosso país e as pessoas seguras.”

Jett passou os polegares sob os olhos dela quando as lágrimas que estava segurando se espalharam por suas pálpebras e escorreram pelo rosto.

"Você está vivendo no inferno, não é amor?"

Emmy balançou a cabeça antes de encolher os ombros e depois assentir. "Estou tão cansada" ela choramingou. "Eu não parei de me mover ou olhar por cima do meu ombro por doze meses, mas estou com medo de que, se eu parar, ele me encontre e me mate."

Jett começou a balançar quando Emmy começou a chorar forte. Seus ombros tremiam com cada soluço, e ela pressionou o rosto em seu pescoço. Seu urso polar se divertia alegremente por ter sua companheira em seus braços e, enquanto saboreava ter seu corpo esguio e flexível também, odiava que ela sentisse tanta dor. Odiava que ela tinha passado os últimos doze meses correndo.

Isso tinha que parar.

Se ele, Declan e Brooks pudessem convencê-la de que poderiam mantê-la segura, ela poderia concordar em ficar com eles e eles poderiam começar a cortejá-la.

*********

 

Declan não podia acreditar que ele estava fodido tão regiamente. Se não fosse por Jett, ele não tinha dúvida de que Emmy estaria gritando histericamente agora. Felizmente, ele foi capaz de lutar com seu urso polar de volta, e quando ele pôde respirar novamente, ele se juntou à conversa mais uma vez. No entanto, ele não tinha certeza de que Emmy não começaria a fazer perguntas. Agora, ela estava mais assustada por sua própria vida, mas ele tinha a sensação de que uma vez que ela tivesse suas emoções de volta sob controle, as perguntas começariam.

E isso o aterrorizou.

Ela riria de seus rostos ou gritaria? Ela pensaria que eles estavam alimentando-a com uma linha de insanidade? Declan tentou se colocar no lugar dela, mas era difícil desde que ele sabia sobre o seu urso até onde ele conseguia se lembrar.

Finalmente, seus soluços diminuíram até que ela estava soluçando. Ela virou o colo de Jett até que ela estivesse sentada nele com os braços em volta do pescoço do amigo. Brooks estava acariciando suas costas e Jett a estava balançando.

Ela ergueu os olhos vermelhos para Jett. “Eu deveria sair. Se ele me encontrar, vocês podem estar em perigo.”

"Você não precisa se preocupar com a gente, bebê" disse Declan. "Nós podemos cuidar de nós mesmos."

“Isso pode ser, mas e quanto a todo mundo na cidade? E se esse cara souber atirar em um rifle de longo alcance? Eu não poderia viver com a minha consciência se um de vocês, ou qualquer um dos outros, se machucasse por minha causa.”

"Você quer parar de correr e se esconder, querida?" Brooks perguntou em uma voz suave.

"Sim" Emmy soluçou.

"Então fique aqui conosco" Jett sussurrou contra seu ouvido, mas Brooks e Declan não tiveram problemas para ouvi-lo.

"Mas como?"

Declan olhou primeiro para Jett e depois para Brooks com uma sobrancelha levantada, fazendo a importantíssima pergunta sem realmente verbalizá-la. Quando seus amigos concordaram com a cabeça, Declan respirou fundo e esperou que o que ele diria para Emmy saísse bem, mas primeiro ele precisava segurá-la, sentir aquele corpo feminino lindo e sexy contra o dele.

Ele empurrou a mesa de café para fora do caminho e, em seguida, levantou-a em seus braços. Ela ofegou de surpresa, mas não o repreendeu ou pediu que ele a colocasse no chão. Declan levou-a para a grande poltrona e sentou-se com Emmy em seu colo.

“Todos nesta cidade são especiais, Emmy. Você não precisa se preocupar com a gente ou com qualquer outro homem porque somos muito difíceis de matar."

Emmy franziu o cenho para ele antes de baixar o olhar para o peito dele. Ela levantou a mão e começou a acariciar seu músculo peitoral esquerdo, mas Declan não achava que ela estava ciente do que estava fazendo. Ela estava pensando muito, e ele praticamente podia ouvir as engrenagens em sua mente girando.

Ela lambeu os lábios e ergueu o olhar para ele novamente. "Isso tem alguma coisa a ver com você crescer pêlo branco em seus braços?"

O urso de Declan suspirou e começou a esfregar-se contra a sua frente, como se estivesse tentando sentir o cheiro dele em Emmy.

"Como você fez isso? Você faz parte de um experimento do governo e da equipe de operações negras? É por isso que todos vocês vivem longe do resto da sociedade?”

Declan balançou a cabeça e mordeu o lábio para esconder seu sorriso. Sua companheira era esperta e, embora estivesse longe de sua hipótese, não era tão improvável quanto parecia. Como poderia ser quando existiam shifters? Por tudo o que ele sabia vampiros não eram o material de lendas também.

"Não bebê. Vivemos aqui porque não queremos que humanos nos vejam em nossas outras formas.”

"Outras formas? Do que você está falando? Você não é alienígena, não é?”

"Não, nós não somos alienígenas, amor" respondeu Jett.

"O que Declan está tentando te dizer... é que somos todos shifters" afirmou Brooks.

"O que?" Sua voz saiu um grasnido estrangulado. "Como em lobisomens?"

Declan odiava o jeito que seu coração batia contra o peito e depois batia forte e rápido contra as costelas. Ela estava ofegante como se estivesse correndo e estava tão tensa quanto uma corda de arco. Ele apertou os olhos e esperou que ela saltasse do seu colo e começasse a gritar, mas quando ela permaneceu congelada, ele os abriu novamente.

Emmy estava olhando para ele com surpresa ou horror chocado e de olhos arregalados. Ele não tinha certeza qual.

"Há alguns shifters lobos na cidade, sim" ele finalmente respondeu.

"Há também três leões, três panteras e três shifters urso polar e Kodiak, bem como alguns outros" disse Jett.

"Você é... o que é... onde..." Emmy balançou a cabeça. “Isso não pode ser. Por que você mentiria para mim?”

O coração de Declan tremeu de dor. Por alguma razão, ele achava que Emmy acreditaria nele e, embora soubesse que estava pedindo demais dela, doía que ela estivesse questionando sua sinceridade.

Quando ela saiu do colo dele, ele não a impediu, mas quando ela começou a se afastar deles, ele saiu em sua cadeira. Desânimo invadiu através dele, e seu urso polar começou a rosnar e arranhar suas entranhas enquanto tentava chegar a sua companheira. Declan não tinha certeza se ele queria se mudar novamente.

Brooks levantou-se e ergueu as mãos quando Emmy olhou para ele com olhos cautelosos e cheios de medo. “Você realmente acha que algum de nós iria te machucar, Emmy? Se quiséssemos, poderíamos ter feito isso enquanto você dormia no nosso quarto de hóspedes ontem à noite.”

Jett se inclinou para frente, apoiando os cotovelos nos joelhos. "Nós damos nossas vidas para proteger você, amor."

"Por quê? Por que você diria isso, você só me conheceu ontem. Por tudo que você sabe, eu poderia ter lhe dito um monte de mentiras.”

"Você não fez" disse Declan.

"E você sabe disso como?" Ela jogou os braços para o ar antes de largá-los de volta para os lados. Ela mudou de pé para pé e depois começou a torcer os dedos.

“Nossos sentidos são muito mais avançados que os de um homem normal. Aumentamos as habilidades de olfato e a visão, a audição excepcional e somos realmente fortes e rápidos” explicou Brooks.

"Você sabe que soa louco, certo?"

Declan assentiu e então se levantou. Ele segurou a parte de trás de sua camiseta e puxou-a sobre a cabeça, antes de largá-la na cadeira atrás dele.

"O que você está fazendo?" Emmy lambeu os lábios enquanto ela olhava para o peito dele. Quando a viu estremecer, ele respirou profundamente e quase gemeu quando sentiu o início da excitação feminina. Ela cheirava doce e almiscarada e incrivelmente sexy. A boca de Declan aguçou um gosto, e quando ele sentiu seu pau meio duro se contrair em suas calças, ele empurrou seus pensamentos lascivos para o lado. No entanto, não havia como impedir que o corpo respondesse ao desejo de sua companheira, e ele esperava que ela não surtasse quando visse o pau duro dele.

"Eu vou provar para você que não estamos mentindo."

“E como você vai fazer isso? Mudar para um animal?” perguntou ela, de maneira brincalhona.

"Sim. Um urso polar para ser exato.” Declan puxou o jeans aberto enquanto tirava as botas. Ele se abaixou e tirou as meias antes de enganchar os polegares no cós da calça jeans e boxers e empurrá-las para baixo.

Emmy engasgou e cobriu a boca, mas pelo menos desta vez ela não tentou se afastar dele. Seu olhar percorreu seu corpo e, quando chegou à virilha dele, seus olhos se arregalaram. Ela descobriu sua boca e seus lábios se separaram enquanto ela olhava para seu pênis ereto.

Eles eram todos homens proporcionalmente grandes e Declan esperava que ela vendo seu pau duro não a intimidasse, mas quando ele inalou pelo nariz novamente, o doce aroma almiscarado de seu creme ficou mais forte e ele percebeu que ela estava longe de se sentir intimidada. Na verdade, ela estava ficando mais excitada. Suas pupilas estavam dilatadas e seus olhos estavam cobertos de desejo.

Quando ele deu um passo em direção a ela, ele percebeu que estava a segundos de encantá-la, mas não conseguiu.

Ele ainda precisava provar para Emmy que ele e seus amigos eram o que eles diziam que eram. Além disso, eles não disseram a ela que ela era sua companheira. Eles teriam que colocar todas as cartas na mesa e depois dar tempo a ela para processar. Talvez depois de tudo ter sido dito e feito, ela concordaria em estar com eles, concordaria em ficar e morar em Ambrose, em seu apartamento, e ter um relacionamento duradouro e amoroso com eles. No entanto, Declan estava com muito medo de segurar a respiração, com muito medo de esperar.

Seria devastador se ela decidisse sair, mas ainda mais se ele tivesse suas esperanças.

 

CONTINUA...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...