1. Spirit Fanfics >
  2. Polaroid Effect >
  3. Aquele em que Jennie fica endemoniada

História Polaroid Effect - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Ei vocês!

Então, cheguei mais cedo essa semana porque não sei como vai ser meu dia amanhã...
Como também sou leitora... prefiro vim antes do que depois. é isto.
Sem mais,
Boa leitura. ♡

Capítulo 12 - Aquele em que Jennie fica endemoniada


Fanfic / Fanfiction Polaroid Effect - Capítulo 12 - Aquele em que Jennie fica endemoniada

 

Manoban descolou as costas e inclinou o corpo para frente, o movimento fez a cadeira comprida estralar. Ignorou o barulho, e passou os longos braços em volta da sua melhor amiga em um carinho amoroso, embora breve, mas emanado de empolgação, que contradizia seu leve mal estar. 

Só que era impossível não ficar extremamente feliz por sua amiga. Rosé praticamente existia em função daquele objetivo. 

"Por favor, vamos falar do grande acontecimento da vida da minha garota!" Disse Lisa voltando à posição inicial. 

"Aí, Rosinha, por favor... quero saber todos os detalhes, todoooos..." Sorn alongou a palavra, deixando claro que queria saber de tudo mesmo. "Não esconda nada!" 

"Ai, gente!" Park sentiu suas bochechas queimando e, involuntariamente, cobriu o rosto com as mãos. "Então, a gente ficou..."

"Não, não... você não pode resumir isso em algumas palavras! Quero saber como foi!" A mais velha interrompeu, depois acrescentou. "Peraí que eu preciso de outra cerveja... vocês querem?" Deu o último longo gole, inclinando a cabeça para trás e, se levantando, passou a língua nos dentes, eliminando qualquer gota restante. 

"Eu quero!" Park disparou.

Lisa contorceu o rosto em uma careta. 

"Ok, Lisinha, sem álcool para você, quer uma coca?"

Com suas bebidas devidamente nas mãos, Rosé viu Lisa e Sorn se aproximarem para mais perto dela, se aconchegando, ainda sentadas, nas espreguiçadeiras. Lisa ficou ao seu lado, e a mais velha, bem a sua frente, ambas irradiavam entusiasmo em seus amplos sorrisos. 

Sorn segurou a mão dela, apertou, e depois soltou. "Agora conta!"

Após Rosé dizer que a Jisoo tomou todas as iniciativas e que trocaram alguns beijos e amassos na cama de Lisa, Sorn parecia indignada. "Por que vocês não transaram?"

"Ah! Porque a gente quer se conhecer... e por mais que eu seja 'louca'" fez aspas com os dedos. "...por ela. Queria perder minha virgindade de outra forma, um jeito mais... especial." 

A tailandesa recuou e colocou as mãos sobre o peito, como se Chae tivesse dito o maior absurdo de todos. "Você ainda é virgem?"

A loira odonto balançou a cabeça em confirmação. "Sou... e ela respeitou isso."

"Acabei de ganhar uma missão!" Disse de forma súbita e demasiadamente empolgada.  Lisa deixou a cabeça pender para trás e deu uma gargalhada. 

O rosto sem expressão dela deve ter indicado que Rosé não estava entendendo o verdadeiro impacto do que tinha acabado de provocar. 

Sorn revirou os olhos de maneira dramática. 

"Vou arrumar um jeitinho de você perder logo isso. Pelo amor de Deus, Rosinha! Você está vivendo de maneira errada!" Disse ela com um enorme sorriso, mostrando todos seus lindos dentes antes de acrescentar. "Você nunca escutou aquela frase de uma autora aí que diz: 'virgindade é que nem estudar de véspera, depois que passa você ver quanto tempo perdeu'..."

Jennie, por sua vez, tinha suas pernas cruzadas dentro da água, sentava-se próxima da borda da piscina, o suficiente para que seu corpo pendesse um pouco para trás e se apoiasse nela. Dividia o rasinho com suas melhores amigas e companheiras de irmandade. 

Observava as costas da espreguiçadeira que a tailandesa estava deitada. Seus olhos se apertavam sentindo uma frustração crescente. Suas amigas conversavam, mas tudo que Jennie prestava atenção era o que acontecia debaixo daquele guarda-sol do outro lado.  

As vozes do grupinho formado por Lisa, Sorn e Rosé eram baixas, ora falavam mais alto, embora, ainda assim, era um tanto difícil entender o que diziam, mas as risadas... ah! essas ganhavam altura. 

Já ouviram falar que a curiosidade matou o gato? 

Jennie definitiva era curiosa, e não saber o que acontecia naquele lugar específico, contribuía ainda mais para seu desconforto. 

Seu dedo polegar estava dentro da sua boca e os dentes pequenos roíam o pedaço de unha quebrada. Ela quase não acreditava que Lalisa, depois do pequeno diálogo delas, não havia uma única vez, durante todo aquele tempo, olhado para ela, ao passo que Jennie só tinha olhos para a tailandesa. 

Não estava acostumada em não ser o centro da atenção da pessoa que estava interessada. Não mesmo!

Suas bochechas redondas ardiam de raiva, e, com um grunhido, cobriu o rosto com as mãos um tanto inquieta. 

Parecendo ignorar completamente o assunto em sua volta, que aliás não fazia ideia do que se tratava, interrompeu o diálogo delas. "Vocês conseguem acreditar nessa, idiota?"

"Ahhh!" O grito de Irene foi audível enquanto colocava a mão no peito e sentia sua respiração um tanto acelerada. Jisoo emitiu uma risada baixinha e levou a mão a boca, abafando. 

"Que susto! Do que você está falando?" Franziu o cenho e Jennie revirou os olhos. 

"Da Lisa, Baechu!" Esbravejou parecendo dizer o óbvio. "Ela se sentou do outro lado para me dar as costas... tenho certeza! Inacreditável!" 

Jennie não percebeu, pois estava concentrada demais em reparar o que estava acontecendo fora da piscina. Mas suas amigas se entreolharam e sorriram achando aquela cena inédita, mas um tanto divertida.  

"Jendeukie, você já parou para pensar que talvez ela realmente não esteja interessada em você?" Provocou com um sorriso puramente jocoso. Claro que aquilo era só para irritar a melhor amiga.  

Bae acabou estendendo o sorriso, entrando na pilha. "Devo dizer que estou um tanto admirada com tudo isso."

Irene encarou Jennie através da taça transparente enquanto degustava seu vinho, e a garota voltou a quase devorar a unha. 

"Nunca tinha visto você desse jeito, e... jogar tão baixo antes, com tanta... hm..." Pareceu refletir antes de acrescentar: "Determinação. Estou começando a ter pena dela." Seu sorriso, um tanto bonito demais, continuava esbanjando diversão. 

Jennie parou de roer a unha e emitiu uma gargalhada, mas o som saiu forçado. Achando ainda mais inacreditável aqueles comentários. 

"É óbvio que ela está caidinha por mim... vocês são cegas? Eu sinto de longe o cheiro da atração dela... De longe!" Os olhos de Jennie caíram sobre as amigas, e finalmente se deu conta que elas estavam se divertindo às suas custas. 

Fez uma cara feia, depois revirou os olhos, mas, ainda sim, sentiu a necessidade de complementar: "Ela está louca para ficar comigo..." Seu sorriso foi presunçoso e adicionou. "Tenho certeza que se eu forçar mais um pouco, ela cede..." 

"Então... por que você não faz isso, ao invés de ficar pegando o irmão dela?" Irene rebateu, mas seu tom ainda era animado. 

Jennie inclinou o pescoço para checar onde o dito cujo estava, ao encontrar os olhos dele, desviou rápido e soltou um suspiro. 

"Foi só um beijo, Baechu... foi apenas um beijo..." Falou na defensiva, embora deixou um vestígio de que havia se arrependido daquilo. 

Quero dizer, Jennie não perdia um desafio. Não se arrependeu de ter obtido sucesso nele, mostrando a Lisa que não brincava nesse sentido, mas havia detestado o beijo. Ok, ele até beijava bem, mas sabe quando não encaixa? 

Não houve desejo.

Na concepção dela, eles não tinham nada a ver.    

Sempre soube do penhasco que o menino tinha por ela desde que entrou na faculdade e o Jongin não fazia questão nenhuma de esconder. Sempre com algum convite educado, com algum elogio.

Pobre Jongin...

Mas ele não tinha culpa, até fazia o tipo de Jennie, mas apenas não rolou química, não houve aquela atração. Simplesmente o garoto não despertava o interesse dela. Embora... Isso mudava completamente de figura quando se trava da irmã dele.

Jennie refletia sobre aquilo, mas sua atenção foi completamente desviada quando viu Sehun se aproximar de Lisa e pegá-la no colo e começar uma brincadeira ridícula de ameaçá-la jogar na piscina. 

Revirou os olhos. "Que brincadeira Idiota!"

A tailandesa reclamava com a voz esganiçada. Mas estava rindo demais para conseguir se desvencilhar dos braços dele.  O que não adiantou muito, pois o garoto a jogou na parte funda.  

O corpo bateu na água com um barulho bem ruidoso, jogando água para todos os lados. E as meninas que estavam na piscina, precisaram cobrir os rostos.

A garota da Chanel viu a hora em que Lisa emergiu atrás das bolhas de espuma. Ela flutuava enquanto as roupas se encheram de água e ar e ficaram boiando ao seu redor.

Ela parecia ainda mais bonita do que o habitual. Mesmo com a falsa cara de mal humorada e o cabelo todo molhado para trás, revelando sua testa.  

Lisa xingou o garoto com alguns palavrões meio indecentes enquanto nadava até a borda.

"Vou matar você por isso, garoto!" A tailandesa gritou para ele depois adicionou: "Agora vou ter que lavar o cabelo de novo e..." 

Sehun se agachou quando ela chegou à borda da piscina e a interrompeu, dizendo: "Você fica muito atraente quando está brava". 

Lalisa fez uma careta olhando para ele por um longo momento antes de jogar água em seu rosto. Depois, fazendo força nos dois braços, saiu da piscina. 

Jennie perdeu o fôlego, suas sobrancelhas arquearam e junto com esse gesto, gemeu. 

A morena tinha a roupa completamente encharcada, modelando seu corpo fino. E então, Jennie agora parecia chocada, mas de um jeito bom e completamente hipnotizada por Lalisa Manoban se despindo bem diante dela. 

A camisa branca molhada foi tirada por cima da cabeça com os braços cruzados. Acompanhou quase em câmera lenta a tailandesa se inclinar para abaixar as calças no mesmo estado. E seu suspiro foi pesado, ao mesmo tempo que analisava cada pedaço de pele. 

Apesar da magreza, Lalisa possuía músculos trabalhados e avantajados que só ficavam ainda mais evidente pelo biquíni amarelo. 

"Uau..." Sussurrou.

Realmente, não havia outra palavra capaz de expressar o que Jennie sentia e via. 

Somente uau. 

Definitivamente Lalisa parecia uma modelo de capa da Vogue e não precisava de nenhum esforço, ou produção, só precisava ser fotografada. 

Kim sempre achou o corpo feminino muito mais bonito, charmoso e atrativo do que o masculino. Se encantou com a beleza da mulher, por mais que trabalhasse com isso, e estivesse acostumada com padrão alto de belezas de todos os tipos – mulheres montadas, esbanjando poder e elegância, nenhuma outra pessoa chamava mais sua atenção do que aquela tailandesa.

Talvez porque em parte era a única que resistia a todos seus encantos e não a teria tão fácil como as outras pessoas, ou, talvez, por ter se dado finalmente conta do que estava começando a nutrir por ela, além da atração física.  

Se Jennie desvendasse completamente seus pensamentos, poderia perceber que poderia se tratar dos dois.  

O fato era que tudo em Lalisa Manoban era mais chamativo e encantador. Seja as curvas e retas do seu corpo alto, magro e torneado, seja o formato do seu rosto, ou seus lábios cheios e convidativos, ou pela franja já arrumadinha que caía sobre seus olhos redondos, castanhos escuros e intensos. 

Ou toda ela! 

O conjunto inteirinho da obra. 

Bem, só Jennie sabia como ela queria aquele rosto exótico enfiado no meio das suas pernas. Aquelas mãos grandes lhe pegando, a sensação dos lábios nos seus... sentia uma vontade enorme de beijá-la de novo e poder fazer outras coisas mais, ainda inéditas para elas. 

Jisoo cutucou seu ombro, e quando Jennie tirou os olhos da tailandesa para olhar para ela, precisou piscar algumas vezes como se estivesse tentando voltar para a realidade. Em seguida disse: "Ahn? Você falou alguma coisa...?"

Percebeu que a idiota estava sorrindo, daqueles sorrisos atrevidos e reveladores que mostravam todos os seus dentes da frente e iluminava ainda mais seus olhos, e Kim Jisoo tinha aquele olhar... do tipo que, além de desvendar, revelava o que existia no âmago das pessoas, quando nem elas sabiam direito o que possuíam dentro de si.  

"Jennie, você está caidinha por ela..." Disse sua amiga, baixinho.

"Caidinha? Eu diria completamente apaixonada!" Murmurou Irene colocando a mão na boca, abafando uma risada. 

Jennie ficou em silêncio por um segundo antes de rir. "Vocês são tão chatas!"

"E você nos ama assim mesmo." Provocou Soo cutucando seu ombro outra vez.

"Pera... você não negou?!" A expressão da presidente da irmandade foi engraçada – a boca dela escancarou aos poucos e a linha dos seus olhos levantaram enquanto ela estancou a taça de vinho branco no meio do caminho para beber. "Isso é definitivamente uma novidade..."

Jennie abriu um sorriso que era metade malandro e metade orgulhoso, enquanto soltava uma respiração pesada. Depois mordeu os lábios muito atentada com aquela visão da tailandesa através das amigas. 

Ela pensava que ainda não estava apaixonada, digo, era cedo demais para admitir aquilo, mas sabia que poderia chegar lá, mesmo tomando cuidado. 

Pegou a taça de vinho ao lado, repousada na borda da piscina e bebericou, dando de ombros. Em seguida voltou a reparar no pedaço de carne que queria urgentemente devorar.  

Os cabelos escuros e longos molhados caíam sobre os ombros e braços de forma reta, embora bagunçada. Jennie sentiu uma vontade súbita de tocar a franjinha perfeita. Passeou pelo colo magro, os seios pequenos, a barriga com um leve tanquinho. 

Meu Deus, Lisa tinha uma barriga linda! 

Desceu a vista para as pernas compridas definidas, mostrando que a tailandesa fazia alguma atividade diariamente e de forma provavelmente exaustiva.

E, por um momento, criou um vinco entre as sobrancelhas com um sentimento novo que surgiu, não queria apenas levar Lisa para cama, gostaria de saber mais sobre ela, queria saber o que ela fazia para deixar aquele corpo daquele jeito.  

Se ela gostava disso. 

Parecendo perceber os olhos de gatinho sobre si, Lalisa sustentou por uns segundos, mas como estava fazendo durante a tarde inteira, ignorou pegando uma toalha e voltou a sentar, dando novamente as costas para a veterana. 

Seu suspiro foi audível.  

"Faz quase dois meses que você ainda está nessa... Supera Jendukie!  Infelizmente existem coisas que a gente não pode ter." Jisoo provocou. 

Jennie era a maior engolidora de corda da Ásia Oriental que ela conhecia e era tão irresistível provocá-la que não perdia nenhuma oportunidade. 

"Vocês vão ver... eu vou fazê-la implorar para ficar comigo, vou fazê-la engolir toda esses princípios de merda e moralidade. Essa garota vai ser minha, podem apostar!" 

"Aí Jennie, sério? Para que isso?"  Bae Joohyun negou com a cabeça. 

"Acho que você está indo no caminho bem errado... ficando com o irmão dela." Disse Jisoo. "Jen, a Lisa é louca pelo Jongin... ela ficou realmente chateada depois que vocês ficaram."

"Desde quando você passou a se importar com ela?" Jennie estreitou os olhos em direção a melhor amiga. "De que lado você está? Isso tem alguma coisa a ver com uma certa loira oxigenada, Kim Jisoo?" Acrescentou fazendo a garota gargalhar. 

"Não tem nada a ver, Jendeukie!" Se defendeu assim que se recompôs. 

Irene pareceu entender e foi mais categórica: "A gente ganhou uma simpatia por ela."

"Era só o que me faltava agora! Minhas melhores amigas estão do lado dela!" Jennie fez uma careta para incrementar ainda mais o drama e destacando suas bochechas redondas.

"Pelo amor de Deus, Jendeukie!" Jisoo prontamente apertou a região macia, sem se importar com o quanto aquilo iria despertar a fúria dela, e, ganhando um olhar mortal da amiga, apertou ainda mais antes de receber uma tapa na mão.  

"A gente só acha que seus métodos não são muito convencionais, estão afastando-a de você." Joohyun completou. 

"Vocês estão enganadas!" Seu rosto ganhou um ar arrogante e seus lábios se esticaram em um sorriso satisfeito depois acrescentou: "Meus métodos estão me criando oportunidades de me aproximar dela, já que a idiota não foi morar na irmandade!"

Os suspiros das suas amigas foram quase em sincronia, sabiam que Jennie era a própria teimosia vestida de gente. Além de autoritária, birrenta...

Quem poderia discutir com ela? 

 

*

 

 

O dia estava ameno, contribuindo para o mormaço suave de um dia agradável de primavera, mas aquela sala não parecia ter o conhecimento daquilo. Pelo contrário, Jennie sentia o ar-condicionado preencher o cômodo vazio e demonstrar que estava em dia com a manutenção. 

Era cedo demais quando ela atravessava o anfiteatro completamente vazio. Jogou o cabelo para trás e dirigiu em passos firmes e elegantes até o pequeno palco. 

Depositou, além da bolsa da Chanel, um envelope pardo sobre a elegante mesa de madeira escura, posta ali recentemente, e, depois que abriu o único botão do seu blazer preto, sentou cruzando os braços e as pernas. 

Levou a mão a boca enquanto tapava um bocejo e desejou um capuchino, pelo visto, o que havia bebido no café da manhã não havia sido suficiente para matar completamente seu sono, além de não ser suficiente para alimentar seu vicio. 

No entanto, o barulho da porta dupla chamou sua atenção. Quando levantou a vista, se deparou com sua nova companheira de fraternidade e integrante das líderes de torcida. A garota apressou os passos, descendo as escadas de carpete escuro até se aproximar da veterana. 

"Bom dia, Jennie..."

Estreitou seus olhos peculiares, destacando ainda mais o formato deles com um delineador de gatinho. "O que você tem pra mim?" 

As vezes ela mesma se assustava com o quanto parecia com sua mãe. Além do fato óbvio de ser filha de Miranda Kim, convivia demasiadamente com ela.

"Vou te dizer logo a parte..." Pendeu a cabeça para um lado, depois para o outro. "Meia ruim".

Jennie a encarou o rosto dela sem expressão.

"Ela é super afim da Lalisa, é uma paixão meio antiga. As duas estudaram juntas, frequentaram o mesmo colégio no ensino médio. Mas viraram amigas depois que passaram a frequentar o mesmo estúdio de dança. 

"Então quer dizer que a Lisa faz dança..." Não foi uma pergunta, estava mais para uma reflexão em voz alta. "Isso explica muita coisa..."

Olivia franziu o cenho. "Explica...?"

Jennie maneou a cabeça e gesticulou com a mão. "é outra coisa, nada importante. Continue..."

Mas ela havia pensando que aquilo explicava o fato de Lisa ser tão gostosa e se mexer tão bem. 

Parecendo entender os devaneios da veterana, ignorou o comentário dela e continuou com o relatório: "Por outro lado, elas nunca ficaram! E pelo que tudo indica, a sua garota não corresponde, pelo contrário, o sentimento é meio fraternal... Lalisa a vê como uma irmãzinha." 

"Hmm..." Seus lábios contorceram um no outro espalhando o batom vermelho. "Certo... mas como você descobriu tudo isso?" Jennie acrescentou, cerrando apenas um dos olhos enquanto encarava ela meio desconfiada.

"Da própria irmã dela, mas não se preocupe, ela é muito fofoqueira, eu nem precisei perguntar muito. O assunto 'Manoban' iniciou naturalmente e eu só precisei perguntar o que a irmã mais nova dela sentia sobre, já que eu tinha visto ambas naquele dia na festa. 

"Naturalmente...?"

"As líderes de torcida falam bastante sobre a Lalisa, Jennie. É meio que uma referência, uma lenda... conhecida com uma máquina de dança, ela é bem famosa no Instagram, você não sabia?" 

"Eu não sou boa com rede sociais..."

"Certo... bem, eu soube que elas vão fazer uma apresentação daqui a alguns dias, se você quiser ir conferir..." Acrescentou tirando um papelzinho dobrado em vários lados do bolso de trás da sua calça jeans, contendo a informações necessárias.  

Jennie pareceu analisar o papel entre os dedos, decorados em unhas grandes e quadradas, pintadas de vermelho, mordeu o lábio inferior enquanto guardava dentro da sua bolsa. "Obrigada, Olivia."

"H-Hyejoo, Jennie. Por favor..." A menina em pé disse hesitante, mas percebendo que não havia nenhuma resistência ou aborrecimento, acrescentou: "Não gosto de ser chamada de Olivia." Respirou fundo, um tanto aliviada. "Posso ajudar mais em alguma coisa?"

Jennie tinha um semblante apático, mas por dentro, admirou a ousadia dela. "Essa tal de Kiki Xu faz o quê, Hm, Hyejoo?"

"Ela ainda está terminando o colégio." Esticou os lábios em um semblante compassivo. 

Jennie arqueou uma sobrancelha não escondendo a surpresa, e seu maxilar deu uma leve contração demostrando o incômodo. "Ela é menor de idade?" 

"Não é como se ela tivesse 13 anos... mas ela tem 17..."

Parecendo esquecer as informações trazidas pela novata, inclusive a que Lisa não correspondia a tal garota. Jennie gemeu, sentindo-se completamente humilhada. 

Estava cética. 

Como assim Lisa preferia uma adolescente?  Isso não iria ficar assim, ela definitivamente não iria perder para uma criança! 

"Bem, quando eu planejar a execução dela, eu te chamo." A declaração fez os olhos dela se arregalarem em sua direção e não conseguiu conter o sorriso gamaso. "É brincadeira!" 

Com um suspiro audível, o peito da caloura expandiu e comprimiu rapidamente, depois desmanchou a cara de má vontade e acompanhou o seu sorriso. "Que susto, Jennie!"

"Você acha mesmo que eu seria capaz de algo assim?" Contorceu o rosto. 

"Não! Mas... sei lá..."

Jennie revirou os olhos. "Ok, isso é tudo." 

Havia perdido as contas de quantas vezes checou o relógio só para se certificar que estava quase na hora de começar a aula, consequentemente o horário que aplicaria a prova para sua mãe.

Naquela altura, a sala já estava completamente lotada, Jennie se levantou, voltou ao cruzar os braços sob o peito, enquanto seu rosto arrogante mirava a porta e se encostava na frente da mesa. 

E, então, finalmente, a garota que estava causando seu mau humor matinal, mais do que o normal, cruzou a porta. Suas duas amigas vinham logo atrás. 

Kim ergueu o queixo ao mesmo tempo que analisava a tailandesa se aproximar. Mas diferente do que normalmente fazia, não sorriu em nenhum momento para ela. Jennie estava puta e não fazia a menor questão que ela percebesse. 

Lisa inclinou a cabeça em um cumprimento mudo antes de sentar-se com suas amigas nas cadeiras da segunda fileira, e Jennie levantou uma das sobrancelhas. 

"O que você fez..." Rosé perguntou em um cochicho, inclinando o corpo e agarrando o braço de Lisa.

"Eu não fiz nada!" Disse na defensiva. 

"Lisinha, uma coisa você deve ter feito, porque ela está..." Sorn demorou a dizer a última palavra e junto com um sorrisinho baixo acrescentou: "Endemoniada!" 

Jennie ignorou as conversas que se instalavam na sala, e quando finalmente notou que havia dado a hora, se desencontrou da mesa e com um tom bem parecido com a mãe deu alguns avisos.

"Fiquei encarregada de aplicar a prova." Mas sua fala foi interrompida com uma garota que adentrava no ambiente. 

"Desculpa, Jennie... bom dia."

"Está desculpada, mas fique avisada que se fosse ela aqui no meu lugar, você perderia a prova. Sente-se logo!" 

Com algumas referências exageradas, a menina desapareceu da sua vista, sentando-se em algum lugar do fundo da sala, e, então, a monitora ganhou mais uma vez a atenção da turma. 

"Vocês têm até o fim dessa aula para me entregarem, com todas as questões respondidas em caneta. Questões rasuradas não serão consideradas, se tiverem alguma dúvida podem falar comigo... e fiquem sabendo que não sou nenhum pouco tolerante com filas, então evitem testar minha paciência". Disse por fim pegando o envelope amarelado, retirando quase uma resma de papel.  

            Com um sorriso malicioso estampado no rosto prepotente e com as provas agarradas rente ao peito, adicionou: "Manoban, sente-se aqui..."

Lisa franziu o cenho, olhou em volta sentindo todos olhos a fitarem. "O quê?"

"Eu quero que você se sente aqui..." Repetiu apontando para mesa ao seu lado. 

Lisa fechou os olhos com força, reuniu todo ar em volta e soltou de uma vez. Com muita má vontade, se levantou sobre os risinhos das suas amigas, vulgo traidoras. 

"Não pensei que você fosse levar para o lado pessoal..." Sussurrou sentando-se na cadeira indicada.

Como assim Kim tinha levado para o lado pessoal, quando ela que deveria ter levado?!

"Pode apostar que eu levei... e só para sua informação, sou eu que corrijo as provas." Ela disse aquilo fazendo Lisa imediatamente lhe encarar, mas percebeu que ela segurava o riso e seus olhos tinham um leve brilho de divertimento. 

"Você está brincando comigo, não está?" Sua voz saiu hesitante. 

A mais baixa, de forma sedutora, encarava por entre os cílios grandes e postiços, os olhos castanhos e redondos em um duelo, e então com um sorriso presunçoso e uma risada harmônica, Jennie disse: "Você vai descobrir..." 

Lisa sorriu sem humor. 

A garota que era a cara da Korea estava em cima da mesa, com suas pernas cruzadas sobre calças pretas em um coro sintético, seu blazer de alta costura marcava exatamente sua cintura fina. Parte do seu cabelo estava preso, em cima da cabeça, enquanto o resto estava solto, em ondas delicadas, caídas sobre seus ombros, braços e costas. 

Lisa quase, digo, definitivamente não conseguia se concentrar na sua prova. Sua atenção se dividia entre o papel ofício entre seus braços e Jennie na sua frente, quase na ponta da mesa. 

Podia sentir a fragrância cara e marcante do perfume dela. 

Como alguém em sã consciência poderia se concentrar em fazer uma prova daquele jeito?

Bem, Lisa acabou descobrindo da pior forma. 

 


Notas Finais


Jennie hahahaha sempre lascando a vida de Lisa.
Vejo vocês em breve! ;)

Ahh! Gente, sei que é meio cedo para falar sobre, mas depois dessa eu tava pensando em fazer uma fic jenlisa no universo Star Wars.
Queria saber o que vocês acham...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...