História Poliamor - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 1
Palavras 1.130
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: LGBT, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 11 - O que pode e o que não pode no poliamor.


Ciúme, traição, bissexualidade? O que pode e o que não pode no poliamor.

É mesmo evoluído? Não rola ciúme? É igual relacionamento aberto? Todo mundo se pega? Quando o assunto é poliamor, o que não falta é dúvida. Por isso, quem opta por essa configuração tem usado cada vez mais a internet para esclarecer.

Nomes por trás do canal Sensualise Moi, que trata do assunto, Tuy Potassio, 24, e Biel Vaz, 27, são casados há cinco anos. Para eles, a premissa absoluta de um poliamor é o consentimento.

Aqui, eles dão dicas fundamentais para quem deseja incluir, no mínimo, um terceiro elemento na relação.

Poliamor não salva relacionamento em crise

Tuy e Biel costumam dizer que é preciso, primeiro, "arrumar a casa para só depois chamar a visita". Buscar um terceiro elemento quando a situação não vai bem, quando a sensação é de insegurança, pode ser uma medida desesperada, que só prejudica mais.

Tem regras

Ainda que flexíveis e negociáveis elas precisam existir para que todas as partes se sintam confortáveis. As regras funcionam para garantir que o limite e a autonomia de cada um sejam respeitados. Por isso, todo poliamor se constrói à base de muita conversa, cartas na mesa e nenhum privilégio na hora das decisões – todas as vozes têm que ter o mesmo peso.

É diferente de relacionamento aberto

O pressuposto de uma relação aberta é a de que cada um pode ficar com quem quiser. Já o poliamor é um compromisso de viver um relacionamento afetivo e sexual entre três ou mais pessoas. Mas também é possível viver um poliamor aberto? Sim! Nesse caso, o trisal abre mão só da exclusividade sexual e decide se os encontros casuais serão individualizados ou também coletivos.

O ciúme existe, mas tem que ser contornado

A valorização do ciúme como prova de amor é equivocada. Em um poliamor, ele até aparece, mas não é encarado de maneira positiva. Por isso, é preciso refletir sempre se ele faz sentido. 

Quando racionalizado, esse sentimento perde a força. Caso o desconforto perdure, a solução é discutir a relação.

O conceito de traição não muda

Quando algum acordo é quebrado entre as partes, é traição. Para além da fidelidade, o que está em jogo é a lealdade.

Existe mais de uma configuração possível

Além de não ter uma limitação de parceiros, não dá para falar de modelo único. O poliamor pode ser em grupo – todos se relacionam entre si – ou paralelo – namoros em duplas. Biel usa como referência as letras do alfabeto. A configuração em "V" é quando um homem tem duas mulheres e elas não namoram entre si ou quando uma mulher tem dois namorados e eles não se pegam. Em "N" é quando existe um casal central e cada um ainda mantém relacionamentos à parte. Além delas, existem os formatos "quadrado" e "triangular", onde não há exclusividade.

Não é necessário ser bissexual

Apesar de ser comum, a orientação sexual dos membros de um poliamor é variável. É possível que todos sejam héteros se a intenção é manter relacionamentos paralelos, por exemplo.

Não é mais evoluído

É só mais uma possibilidade de união entre pessoas, que não funciona para todo mundo, assim como a monogamia. Tuy faz questão ainda de dizer que se trata de um processo longo e difícil de desconstrução e empatia.

Nem sempre cabe mais um

Namorar mais de um não é sinônimo de namorar sempre mais um. Quem vive um poliamor acha desrespeitoso receber investidas do tipo.

Não pode ser forçado

 

Um homem não pode forçar sua namorada hetera aceitar mais uma mulher e mesmo se ela for bi, tem que ter o consentimento dos dois, assim como uma mulher também não pode foçar um homem hétero aceitar mais um homem mesmo ele sendo bi.

Forma fácil de ter consentimento se os dois, mas primeiro os dois tem que ser a favor poliamor pra rolar o consentimento de mais um, se o homem é hétero e a parceira Bi única forma de ter consentimento e a aceitação dos dois é sendo um homem e duas mulheres assim formando o MFF, agora se o homem for bi e a mulher hetera única forma do consentimento seria dois homens e uma mulher assim formando o MMF, e não se enganem que os dois sendo bi eles vão aceitar os dois lados, muitos casais bissexuais adapta escolher para o grupo apenas mulher ou apenas homem ou os dois, mas o casal sempre conversa pra adaptar as regras das conversas com o consentimento e o que vai deixar eles mais confortável até se adaptar o novo parceiro.

Também um bissexual não devera forçar o seu parceiro homossexual aceita uma mulher e uma bissexual não devera forçar a sua parceira lésbica-(homossexual) aceitar um homem.

Se algum boco falar por ai que um hétero tem que aceitar outro homem por ser a favor do poliamor e uma moça hetera outra mulher essa pessoa é retardado e não compreende que no poliamor não pode rolar desconforto entre as partes, e tem que ter as ligações de consentimento de todas as partes, nunca poderá ser forçado, se não isso não é poliamor é libertinagem forçando a ter uma regra não consentida por manipulação que isso tem que ser aceito pra ser poliamor (um falso poliamor feito por achismo).

É valido para relacionamento que exigi regras, consentimentos, concordância entre as partes (aceitação) serve para:

Não-monogamia: Possibilidade de estabelecer mais de uma relação amorosa ou sexual ao mesmo tempo, com a concordância dos envolvidos.

Poliamor: Permite ter relacionamentos emocionais com duas ou mais pessoas simultaneamente com o consentimento de todas. Existe regras e apelo a igualdade (de sentimentos) entre os envolvidos.

Menage a trois: Sexo praticado por três pessoas, normalmente é um casal +1.

Grupo (fechado ou conhecido como polifidelidade): Casamento ou Relação em grupo em que todos os membros possuem conexão e relação amorosa entre si.

Polifidelidade: os membros devem permanecer fiéis entre si, sem se relacionar com pessoas de fora do grupo.

Triângulo: O envolvimento acontece em 3, mas de forma igual, todos se relacionam e namoram entre si.

Formato em V: uma pessoa tem relacionamento entre outras duas (pivô), mas essas outras duas não mantém relação entre si (braços).

Formato em T: Três pessoas namoram, mas duas tem um relacionamento mais forte. É comum quando um casal agrega a terceira pessoa.

Quarteto: Quatro membros, pode existir relação entre duas ou mais pessoas do grupo.

Quadrado: Quando todos se relacionam diretamente, homens ou mulheres e normalmente são bissexuais.

Quadra em N: Envolvem dois homens e duas mulheres, mas apenas elas (ou eles) possuem relacionamento entre si.

Pra ter uma compreensão mais a fundo recomendo comprar o livro: Poliamor e Relacionamento Aberto de Alexandre Venâncio

Também um canal muito bom que fala sobre o assunto

Canal: Sensualise Moi

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...