História Police Operation: Imagine Park Jimin - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Operações Especiais, Park Ji-min (Jamie Park)
Personagens Canhoto, Jimin, Jungkook, Park Ji-min (Jamie Park), Paulo Froes, Personagens Originais, Toscano, V
Tags Chimchim, Jeon Jungkook, Jimin, Jiminie, Jungkook, Kim Taehyung, Kook, Park Jimin, Tae, Taehyung
Visualizações 855
Palavras 1.087
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Policial, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 10 - Vai ter que me engolir.


Fanfic / Fanfiction Police Operation: Imagine Park Jimin - Capítulo 10 - Vai ter que me engolir.

Encontrei Dr. Fróes na sacada daquele lugar, ele estava sozinho e fumando.

Me aproximei dele, queria falar sobre o Toscano

 Dr. Fróes — O chamei — Você nã... — Interrompida

 Delegado Fróes! — O prefeito o chamou sorrindo

 Oi, prefeito. — Dr. Fróes disse sem muita vontade.

 Vim queimar seu filminho aqui fora né — O prefeito falou divertido. — Deixa eu te apresentar o vereador Pacheco.

 Tancredo Silva Pacheco ao seu dispor. — Apertou as mãos de Fróes.

 Figura ilustríssima aqui na cidade de São Judas — O prefeito disse

 Delegado Fróes, por acaso o senhor não teria interesses imobiliários em nossa região? — Perguntou o vereador.

 Eu nunca pensei nisso, vereador. Mas por que exatamente? — Perguntou.

 Bom, na verdade a nossa comunidade, tem alguns empreendimentos imobiliários, inclusive agora estamos em vias de construir dois condomínios, sendo que o primeiro condomínio totalmente para amigos, correligionarios, e totalmente na faixa. — O prefeito respondeu.

— Na faixa? — O delegado Fróes perguntou confuso.

— Na faixa, de graça — O vereador disse. Ou seja nesse momento eu entendi que ele está envolvido em corrupção.

 É porque a venda dos lotes do segundo condomínio vai cobrir totalmente o custo da construção dos dois. — O prefeito disse.

 Olha prefeito, eu não sou dono de terreno, não paguei por essa construção, eu nem nasci aqui nessa cidade. Então eu não estou entendendo — O Delegado disse seriamente.

— Mas não precisa de nada disso. — O prefeito retrucou. — O senhor é uma autoridade.

 E precisa o que exatamente? — O delegado perguntou o encarando e arqueando uma sobrancelha.

 Precisa de quê? Não precisa de nada... — O vereador disse.

 Na verdade cada um faz o que pode pelo empreendimento. — O prefeito disse. — Já temos um juiz, temos os vereadores...

 Empresários... — O vereador sorriu.

 Olha prefeito, lamentavelmente eu vou ter que recusar o seu convite, porque eu sou bicho de apartamento, prefeito. Eu moro em Copacabana, eu compro pão a pé, eu passeio três vezes por dia com a minha poodle pelo calçadão, portanto eu não tenho o menor talento para administrar casas de campo, casas de praia, aliás eu não tenho talento nem pra administrar a minha própria casa. — Ele disse seriamente e eu me controlei pra não rir. 

 Bom, vou te dar um tempo ai pro senhor refletir melhor. — O prefeito disse.

 Prefeito, eu creio que a reflexão não será necessária. — O delegado disse sem a menor paciência. E eu fiquei com vontade de rir mas me controlei.

❌❤❌

Voltamos pro hotel, era a noite e o pessoal estava reunido em uma mesa no bar do hotel bebendo.

Fróes se aproximou deles e sentou na mesa e eu fiquei parada no mesmo lugar insegura de ir lá ou ir pro meu quarto, eu sabia que eu não era bem-vinda por algumas pessoas alí mas ao mesmo tempo eu via eles rindo, sei lá me deu uma vontade de me juntar à eles.

 Vem cá (S/n), senta aqui com a gente — Taehyung sorriu

 Tudo bem... — Sorri e me sentei junto com eles, e comecei a beber junto com eles e Fróes começou a contar como foi o evento sem graça.

❌❌❤❤❌❌

Depois de alguns copos, eu já estava mais soltinha e com mais liberdade pra conversar e rir junto com eles.

 Não tenho paciência pra esse tipo de evento, nem pra político. — Fróes disse de saco cheio enquanto bebia cerveja — Esse evento pra mim foi... — O interrompi

 Uma merda né doutor? — Eu disse rindo embriagada e todos riram comigo. — Pior mesmo foi o cara te oferecendo uma casa de graça — Dei risadas — E você dando um monte de fora no cara "Prefeito eu creio que a reflexão não será necessária" — Imitei a voz do Fróes e todos riram inclusive ele. — Ele falou tipo sem a menor paciência — Gargalhei.

 Eu adoraria ver a cara dele — Jimin riu — Eu quero brindar! A nossa missão cumprida! — Jimin pegou seu copo e todos nós brindamos.

 Estamos voltando pro Rio quando, delegado? — Jungkook perguntou contente.

 Como assim voltando pro Rio? Tem o Toscano ainda. — Franzi o cenho.

 A autorização de regresso deve estar chegando por aí. — O Delegado respondeu.

 Como assim autorização de regresso? A gente vai embora? — Perguntei séria.

— Principalmente agora que ele sabe que não vamos entrar no esquema deles de corrupção. — O delegado Disse.

 Não vamos entrar no esquema deles mais ou menos né? — Dei uma risada sarcástica sem humor algum. — Porque a gente está fazendo tudo exatamente do jeito que eles querem. A gente tá limpando a cidade deles, dos bandidos de fora, pra eles ficarem ai deitando e rolando! — Reclamei.

 É, se a gente caísse encima dos negócios do Toscano, a corja toda caía junto — Jungkook falou.

 E tem essa coisa do condomínio agora, que deve tá todo mundo junto aí. — Falei.

 Pode contar comigo, hein? — Jimin falou. — Até porque — Deu risadas — Eu to comendo a gostosa da cidade. — Riu, fazendo todos rirem menos eu

 Ah, Jimin, menos né porra? Mais respeito com as mulheres... — Reclamei, pois já estava de saco de ouvir esse tipo de coisas, já estourei meu limite já

 Ih! Tá com ciúmes? Sou casado, me respeita. — Respondeu sarcástico.

 Que ciúmes Coitado? Se enxerga meu filho! — Retruquei

 Casado com quem Jimin? — Jungkook perguntou rindo

 Sou casado com a minha golden — Pegou o revólver da cintura que era de ouro e a beijou. — Ela é o amor da minha vida. — Deu risadas e colocou a arma na mesa

 Eu acho que se a gente apertar o pessoal local, a gente consegue fazer o estrago na raia graúda desse pacato e aprazível município. Eu me arrisco. — O delegado afirmou.

 Eu me arrisco. — Jungkook afirmou em seguida.

 Eu também me arrisco. — Jimin disse. — Aí, vamos beber isso aqui de cerveja — Falou segurando um pote cheio de dinheiro — Esse dinheiro é o da aposta que eu perdi. Porque a gatinha aqui não vai embora não.

 Ainda bem que tu sabe. — Retruquei 

 É, tomou coragem — Jimin riu sarcástico.

 É, pois é, vai ter que me engolir

Continua


Notas Finais


Comentem o que acharam


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...