História População - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Battle Royale, Luta, Morte, População, Survival
Visualizações 1
Palavras 2.040
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Luta, Romance e Novela, Survival
Avisos: Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 5 - Quarto


Os ventos começaram a fluírem pela praia rapidamente. Os dois jovens ficaram um pouco reciosos com o comunicado que seus ouvidos acabaram de receber, mas resolveram manter suas posições de batalha.

- Será que conseguimos terminar essa batalha em apenas 10 minutos, Hase?

- 10 minutos? O que faz você pensar que a praia será o primeiro lugar que irá ser restrito? O comunicado não especificou isso. - Hase disse com sua personalidade calma de sempre.

- Normalmente…as áreas em que há a maior concentração de pessoas se torna restrita. - Ronald explanou seu conhecimento dos Battles Royales com dificuldade devido aos seus ferimentos extremamente graves.

- Entendi. Parece que temos apenas 10 minutos para lutar, certo? - Hase encolheu seus olhos e lançou um belo sorriso para a jovem loira.

- Certeza que quer começar uma luta de 10 minutos? Não é meio arriscado? - Lara soltou uma gargalhada fofa.

- Claro! Não temos nada a perder, correto? - O de olhos avermelhados correspondeu às risadas da russa com um sorriso simpatizante.

- Hum…eu acho que é praticamente uma tradição perguntar o desejo/prêmio do seu rival antes de uma luta, certo? Qual seria o seu, Hase?

- O meu? Você é a primeira que me pergunta isso, sabia? Eu diria que meu desejo é fazer o maior número de pessoas serem submetidas ao mesmo experimento ao qual eu fui uma frágil cobaia. - Hase terminou sua frase com um brilho incomum em seus olhos vermelhos.

- Experimento? O que você está dizendo?

- Nunca ouviu falar do experimento CAE? Ele foi testado em pessoas que possuíam uma tristeza ou raiva incomum em suas vidas. Todos os dias eu era posto em campo para concluir trabalhos relativamente cansativos e difíceis, sendo colocado logo em seguida em uma sala própria para usufruir o máximo de diversão e momentos felizes possíveis.

- Só isso? Como um procedimento tão simples mudou seu comportamento para algo anormal? - Lara disse surpresa.

- É óbvio que não foi apenas isto. Eu diria tudo se o governo que nos lidera permitisse. - Hase falou, empunhando sua espada com apenas uma de suas mãos.

- O governo? Foi ele que criou este experimento? - Lara perguntava.

- Sim, é meio normal o governo criar experimentos deste tipo, ainda mais com a superlotação em um estado tão crítico como este. - Hase respondeu inocentemente.

- Entendo, a coloração dos seus olhos também são resultado deste experimentos?

- Eu posso afirmar isso? Acho que sim, talvez. - Ele confundiu sua frase de propósito, para parecer o mais cínico possível.

- Impressionante, nunca pensei que o governo ao qual todo mundo defendia, poderia criar uma pessoa deste tipo como você.

- Sim, mas não acha melhor falarmos de você, Lara?

- Eu adoraria manter a conversa sobre o seu assunto, mas eu acho que é injusto, certo?

- Hum…você tem razão, poderia me dizer seu desejo? - Hase falou com um brilho cada vez mais anormal em seus olhos.

- Eu gostaria de dizer tudo, mas eu acho que não será possível. O máximo que poderei dizer que é algo bastante sério relacionado ao governo. - A garota fechou seus olhos e abriu os mesmos com um sorriso de orgulho estampado em seu rosto.

- O governo? Seria algo ruim? - Hase sorriu bastante curioso.

- Não… é até que bastante positiva na minha visão.

- Governo? - Ronald sussurrou para si mesmo ao escutar a conversa um tanto confusa e estranha dos dois jogadores a sua frente.

- Eles já estão dois minutos conversando sobre assuntos totalmente inúteis para minha pessoa, que irritante. Se eu permanecer aqui para ver essa batalha acontecer, provavelmente será eu que vou morrer na área restrita de tanto esperar, vou vazar daqui! - Urso resmungou, se deslocando da praia.

- Tudo bem, conversamos bastante, senhorita? - Hase inclinou sua cabeça, empunhando sua espada mais uma vez com suas duas mãos.

- Sim, perdemos um tempo precioso com isso, vamos repôr ele agora! - Lara retirou uma foice enorme de seu casaco, empunhando a mesma igualmente a Hase.

- Vamos ver se suas habilidades em batalha são equivalentes a de ocultar objetos. - Hase lançou um sorriso bobo, se referindo a arma de grande tamanho da russa.

- Pode ter certeza que não vai se decepcionar. - Ela sorriu de maneira fofa novamente.

Hase iniciou a árdua batalha de maneira bruta, o jovem correu com sua espada e tentou acertar um golpe no pescoço de Lara. Lara desviou facilmente, levantando sua foice para o alto com violência. Os dois trocaram golpes entre si com suas armas que faziam barulhos altos de lâminas afiadas se chocando a todo momento.

- Eles estão totalmente focados, talvez eu consiga sair daqui. - Ronald disse.

O garoto de cabelos verdes se levantou lentamente e saiu mancando pela praia em direção a saída, até ser alvejado por uma lâmina perfurando seu braço.

- Não pense que eu esqueci de você, nobre alma! - Hase fechou seus olhos em sentido de gratidão para assustar o garoto com sua atitude estranha.

Lara avançou na direção de Hase, golpeando o mesmo na região de sua coxa. O garoto observou seu machucado e retirou com toda rapidez a espada que se encontrava fincada no braço de Ronald.

- Não se esqueça, a sua batalha é comigo. - A garota disse enquanto olhava para o topo de sua foice preenchida com o sangue vermelho de Hase.

- Com certeza, foi apenas um descuido meu, prometo que não vai acontecer de novo.

As mãos frágeis e feridas de Ronald foram esmagadas em questão de segundos por Hase. O esverdeado agonizava de dor ultrapassando seu limite.

- Me desculpe. - A loira balançou suas mãos de forma tímida para chamar a atenção de Ronald.

- Tudo bem. - O garoto respondeu.

A luta retornou ao seu ritmo antigo, mais encontros de lâminas eram feitas no meio da praia praticamente deserta, enquanto o pobre Ronald analisava com maestria todo a batalha.

- Esse cara não é normal, pessoas normais gritariam de dor caso a lâmina de uma foice penetrasse na sua pele daquele jeito. Se a batalha continuar deste jeito, Lara não vai ter a mínima chance de vitória se for depender da capacidade física.

A garota sofreu um corte durante a intensa batalha, ela se recompôs e com sua foice empurrou o jovem de olhos vermelhos para longe.

- Já está cansada? - Hase falou.

- Não, eu nunca me cansaria tão rápido. - Ela se levantou, limpando todo o suor presente em seu corpo com suas delicadas mãos geladas.

- Que cena linda, faz tempo que eu não sinto cansaço. Parece ser interessante!

- Devido ao experimento? Parece que o governo realmente faz coisas incríveis, me pergunto quantas pessoas são iguais a você. - Lara aumentou seu tom de voz, demonstrando para seu oponente que ela estava pronta novamente.

- Nenhuma, o efeito é diferente em cada ser. Digamos que o meu foi um resultado perfeito. - Hase disse enquanto piscava seu olho esquerdo, retornando ao combate com uma tentativa rápida de um corte cego na direção de Lara que desviou sem nenhum esforço.

O reinício da batalha mais rápida do Battle Royale voltou ao seu ritmo rápido, era quase impossível um deles golpear ao outro devido a velocidade de reação dos mesmos. Lara girou sua foice duas vezes para tentar se afastar do garoto e se reposicionar mas a incrível velocidade e atenção de Hase não dava nenhuma brecha para a loira. O menino dos olhos vermelhos deu um fim breve a aquelas trocas infinitas com apenas um corte seco no ombro da Russa que acabou cedendo e jogando sua arma para o chão por descuido.

- Eu ganhei, nobre Lara? - Hase disse após apontar a sua espada na face da Russa.

- Será, eu suponho que não!

A garota em um rápido movimento, agarrou sua foice e desferiu um corte profundo na barriga do garoto desprevenido. Em poucos segundos, Hase retomou seus sentidos e partiu para cima de Lara, roubando a foice da garota.

- Como você não teve reação a esse corte? - Lara perguntou assustada.

- Está falando da dor? Não sinto nada faz bastante tempo, me desculpe. - O sorriso de Hase se esticou um pouco.

- Tem certeza que esse cara é um humano,governo!? - Ronald falou para si.

- Não tem mais motivo para continuar uma batalha quando o vencedor já está decidido. Durma em paz, nobre alma. - Hase aumentou seu tom de voz, enquanto brincava com a foice de sua oponente.

O rapaz de olhos vermelhos levou sua espada ao céus e desceu com a mesma em uma velocidade impressionante, para atingir a cabeça de Lara em cheio. A morte já estava certa para a russa que apenas aceitou ela e manteve sua cabeça baixa em sinal de vergonha. Misteriosamente, Ronald criou fôlego e se jogou na frente da loira apenas com seu antebraço que deu um fim a aquela miserável execução. O antebraço do rapaz praticamente foi arrancado, sendo segurada apenas por pedaços da pele e nervos que se manteram intactos.

- Por quê fez isso? - Lara perguntava com lágrimas em seus olhos.

- Pelo mesmo motivo de você ter me ajudado ou seja, eu não sei! - O rapaz soltou uma longa gargalhada, enquanto agonizava de dor por dentro.

- Eu apenas costumo ajudar os mais fracos, é uma mania feia que eu tenho. - Ela riu no meio de lágrimas.

- Relaxa, eu acho que todos nós temos manias estranhas às vezes. Aliás, eu não podia morrer sem fazer nada quando eu ouvi seu desejo relacionado ao governo.

- Meu desejo, por qual motivo você está interessado nele? - A russa perguntou curiosa.

- Eu descobri umas paradas bem estranhas neste jogo relacionadas ao governo, gostaria de compartilhar com você. - Ele sorriu, enquanto se jogava no chão para tentar esquecer a enorme dor que sentia.

- Você nem sabe sobre o que o meu desejo se trata, por que me ajudaria?

- Eu não ligo se é para um propósito ruim ou bom, mas a verdade é que a última coisa ao qual pretendo fazer é ajudar alguém.

- Ajudar alguém, o que quer dizer com isso? - Lara se demonstrava cada vez mais curiosa ao ouvir as sinceras palavras de Ronald.

- Eu passei minha vida toda fugindo dos meus problemas e dos problemas alheios, eu entrei no jogo para tentar consertar tudo de ruim que eu fiz na minha vida, mas vejo que falhei miseravelmente. O que me resta agora é fazer isso por você. - Lágrimas caíam pela primeira vez nos olhos do rapaz, ele nunca havia sentido esse sentimento revigoroso e gentil na sua vida.

- Será uma pena atrapalhar este momento, mas você já está prestes a morrer, correto? Foi uma honra batalhar com vocês dois de uma certa forma, até logo! - Hase jogou a foice de volta para a loira que pegou a mesma imediatamente. O garoto dos cabelos negros e de uniforme colegial, saiu andando em direção a uma cafeteria abandonada, se livrando da área restrita no mesmo instante.

- A área restrita! Julgando pelo tempo que ficamos aqui, deve faltar poucos segundos para isso se tornar uma área de execução. Se levante, rápido! - Lara estendeu a mão para Ronald, que na mesma hora teve a reação de pegá-la.

A garota se arrastou até a saída mais próxima da praia com dificuldade, devido ao enorme peso que Ronald exercia sobre ela.

- Não precisa me carregar, eu já estou quase morto mesmo. - Ronald disse.

- Eu não vou deixar você morrer aqui, cale-se! - A garota gritou para Ronald, que no mesmo momento aceitou seu destino de cabeça baixa.

A poucos metros de distância, Hase presenciava a saída dos dois jovens, felizmente.

- Em uma batalha sempre há um vencedor e um perdedor. É meio sem graça quando ninguém morre no campo de batalha, por isso, me desculpem. - Hase falava com calma e com clareza.

O jovem coletou uma pedra de proporção normal. Ele olhou atentamente para a mesma com seu sorriso sádico e cínico de sempre. Em pouco tempo, a pedra não se encontrava mais na mão de seu hospedeiro, mas sim pelos céus azuis do lugar. A pedra que fora arremessada por Hase, caía com uma grande velocidade na cabeça de Ronald que no último momento só pode ver um borrão preto e sua visão se esvaindo rapidamente.

- Agora está tudo acabado. - O garoto falou, olhando para o céu que se tornava cinza aos poucos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...