História Por acaso, para sempre. - TaeKook - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Yolo Yolo Yolo Yo
Visualizações 89
Palavras 2.282
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


~YOLO YOLO YOLO YO

a capa ficou uma bosta mas isso é só um detalhe

oii suas lindas e lindos, como vão? (com os pés)

jkjj parei.

mais um capítulo pra oceis, espero que gostem

escrevi ontem de madrugada (não perguntem pq) eu revisei mas se tiver erros é pq eu tava noiada de sono.

é que eu tenho problemas de insônia então escrevi de madrugada mesmo

em fim,

VAMOS LER ESSA BAGAÇA

nos vemos nas notas finais

~giih- tia da depressão.

Capítulo 14 - Yoongi Crusha Jimin?


No capítulo anterior:

Narração Jeon

- É melhor entrarmos, não acha?  Sugiro. Ele então faz que sim com a cabeça. Rapidamente escolho uma mesa para que não houvesse o perigo dele escolher a maldita mesa de mentiras e falsas promessas.

                            ~


- Vamos.... ah se sentar aqui. Por favor.

        - Está bem.

Sorrio fraco.

- É assunto pessoal?

- O que?

- O motivo de você estar chorando?

- Tae eu...

- Por favor Jeon, não negue. Eu vi as lágrimas em seu rosto branquinho. - Ele passa o dedo indicador em meu nariz. Dou um sorriso de canto.

- Sim. Eu estava mesmo...

- E eu tenho a leve intuição de que era por causa daquele homem....

- Baekhyun. - O interrompo. - Seu nome era Baekhyun.

Ele abaixa a cabeça.

- Desculpe, é que eu preciso superar isso então vou começar tentando falar seu nome sem chorar.

- Entendo. Mas eu já estou ficando preocupado. Esse... Baek não sei o que, mexeu em seu psicológico de uma forma tão fatal a ponto de te fazer chorar sempre?

- É ele.... ele atormenta meu subconsciente. As lembranças vem e... bom, lembranças são lembranças né. A gente é atingido. Mas ele em si, ele é... é um ser desprezível. - Outro trovão é atirado do céu.

Narração Tae 
Me aproximo do restaurante e lá estava ele. De costas, sentado na fonte em frente ao estabelecimento. Ele olhava atentamente lá pra dentro. Chego de mansinho e aperto sua cintura. Ele se vira e estava com algumas lágrimas no rosto. Meu coração aperta. E a primeira coisa que me veio a mente foi Baekhyun. Mais uma lembrança dolorosa atingiu a mente de Jeon.
Antes que a gente resolvesse sair, um  trovão assustador brilha no céu.

- Acho que vai começar a chover. - Digo olhando para o céu. Outro trovão estremece.

- É melhor entrarmos, não acha? - Ele diz. Eu apenas faço que sim com a cabeça.
Iamos entrando quando rapidamente ele escolhe uma mesa.

- Vamos.... ah se sentar aqui. Por favor.

- Está bem. - Respondo sem ter escolha. Me sento a sua frente. A chuva começa a cair.

- É assunto pessoal?

- O que?

- O motivo de você estar chorando?

- Tae eu...

- Por favor Jeon, não negue. Eu vi as lágrimas em seu rosto branquinho. - Passo meu indicador delicadamente em seu nariz. Ele sorri de canto.

- Sim. Eu estava mesmo...

- E eu tenho a leve intuição de que era por causa daquele homem....

- Baekhyun. - Ele me interrompe. - Seu nome era Baekhyun.

Abaixo a cabeça sem saber o que dizer.

- Desculpe, é que eu preciso superar isso então vou começar tentando falar seu nome sem chorar.

- Entendo. Mas eu já estou ficando preocupado. Esse... Baek não sei o que - Reviro os olhos- mexeu em seu psicológico de uma forma tão fatal a ponto de te fazer chorar sempre?

- É ele.... ele atormenta meu subconsciente. As lembranças vem e... bom, lembranças são lembranças né. A gente é atingido. Mas ele em si, ele é... é um ser desprezível. - Outro trovão é atirado do céu. Me arrepio.

Um silêncio domina a mesa. Percebi que Jeon estava ficando amuado então decidi romper o assunto.

- Olha me desculpe, eu vou parar de perguntar sobre ele e o que aconteceu. Não quero te ver triste.

- Obrigada Tae. Mas a culpa não é sua e desabafar as vezes é bom....

- Quando estamos confortáveis pra falar. Eu te entendo. - Digo olhando em seus olhinhos inundados. - Quer pedir algo? Já que vamos ter que ficar aqui por causa dessa bendita chuva...- Digo espiando pela cortina.

- É. Acho que é melhor pedirmos.

Havia apenas um cardápio na mesa. Jeon então me chama para sentar ao seu lado para que possamos escolher juntos.

- Sabe, esse é meu restaurante favorito.- Falou ele olhando o cardápio.

- É bem bonito.

- Você precisa experimentar a comida. Tudo é incrivelmente bom.- Completou agora olhando para mim.

- Nossa (riso) você falando assim até me deu vontade agora.

- (Riso). Garanto que você não vai se arrepender.

- E o que você mais gosta de comer?

- Olha, sou suspeito para falar das massas por que eu sou simplesmente apaixonado por massas.

Rimos juntos.

- Mas o que é realmente ótimo, é por coincidência o Tucupi*.

- Bom, então vou pedir o querido tucupi.

- Ótimo. Vamos pedir dois.

Jeon faz sinal para um garçom que imediatamente se coloca em nossa mesa.
- Boa noite senhores.... Sr. Jungkook! Que honra vê-lo aqui após...

- Três anos. A honra é minha. 

- Senti saudades daqui.


- Imagino, o senhor era o nosso cliente mais fiel.

- É houve uns.... problemas.

- Ah sim. Esse deve ser o sr. Baekhyun, certo?

Nós nos olhamos. Vejo o olhar desesperado de Jeon perante a mim. Dou uma risada para que ele se acalmasse.

- Tudo bem, mal entendidos acontecem.- Falo pegando o cardápio.  

- Ah....a-ah es-esse não é o Ba-Baekhyun, Jhung. - Ele diz aflito.- É um amigo meu.

O garçom faz uma cara apavorada.

- Oh minha nossa, perdoem-me. Que gafe.

- (Riso). Fiquem calmos, isso acontece.

- Me desculpe senhor....

- Kim Taehyung. - Estendo minha mão e o tal garçom Jhung a aperta.

- Mil desculpas.

- Fique tranqüilo.

- O-o que vão querer? - Ele pergunta todo sem graça.

- Queremos dois tucupis ao molho.

- Sim e para beber, vão querer algo?

Ele estava encolhido em seu canto.

- Pode ser um coquetel?

- Po-pode ser sim.

- Ótimo, então será dois tucupis ao molho e dois coquetéis.

- Pedido anotado. Fiquem a vontade.

- Obrigada.

- Com licença. - Ele se retira parecendo um pimentão. Começo a rir. Olho para o lado e lá estava o meu principezinho todo muxinho.

- Oh Jeon, não fique assim, a culpa não foi sua.

- Você não deveria passar por essa humilhação. Você nem se compara aquele traste. Você é uma pessoa maravilhosa, já ele, um fingido dissimulado, irritante e...e.... - Sua voz começou a falhar. Percebi sua expressão mudar e um choro se iniciou.

- Jeon, se acalme...

- Com licença.

Ele vai em direção ao W.C. Resolvo segui-lo.

Narração Jeon 
Ao chamar o garçom, que era um velho amigo de quando o infeliz e eu vinhamos aqui, acabo passando por apuro danado.

- Ah sim. Esse deve ser o sr. Baekhyun, certo? - Pergunta ele se referindo a Tae. Tentei explicar a ele que era um mal entendido da maneira mais compreensiva possível.
Fiquei desesperado. Achei que Tae ficaria uma fera, mas pelo contrário, ele riu da situação e disse cautelosamente que mal entendidos aconteciam. Sua gentileza era tão encantadora S2.

Mas não consigo me conter pois ele havia sido comparado com um monstro sem coração. Sinto uma dor insuportável no peito e decido correr para o banheiro para que Tae não me visse chorar. Ele corre atrás de mim.
Eu ia entrando em um das portas quando ele segura meu braço.

- Ei ei ei. - Ele diz me puxando com delicadeza.

- Por favor Tae (sninf) me de-deixe chorar um pouco.

- Chore, mas chore aqui em meus braços.

Eu já não podia mais conter as lágrimas então me rendo aos braços de Tae. Ele vai me levando até o canto do banheiro se sentando no chão comigo encostado a seu peito. Eu chorava muito, o ambiente fazia eco, mas eu estava pouco me importando. Acho que Tae também.

- Chore o quanto quiser. - Ele me diz passando a mão em meus cabelos.

Narração Jimin 
Okay, de tanto eu mexer com Yoongi ele acaba assumindo um negócio um tanto estanho.
- EU TINHA CIÚMES DELE COM VOCÊ CARAIO! PRONTO AGORA QUER PARAR DE ME CUTUCAR, FILHO DE UM TUMOR!?

Com os olhos arregalados fico em choque. Ciúmes?

- Ci- ciúmes?

- É. - Ele responde áspero.

- Mas por que...

- Ora porque? Por quê eu tinha ciúmes Jimin? Pare de se fazer de sonso.

- Eu não tô me fazendo de nada. Realmente não tô....

- Não entendeu? Eu vou explicar com todas as letras e é bom você decorar porque eu não vou repetir.

Engulo seco.

- Na época, apesar de todo aquele meu título de o "Foda do Colégio", eu havia descoberto um outro lado meu. O lado que se apaixona de verdade. E eu havia me apaixonado por.... por você. E Jeon era seu amiguinho. Eu tinha inveja dele, pois ele tinha toda a sua atenção, todo seu cuidado. Eu sentia enjoo de vê-lo tão próximo de você. Eu queria arrebentar a cara dele mas precisava de um motivo, então inventei o lance do acordo dos deveres, que se ele fizesse meus deveres eu não o batia mais.

Fico boquiaberto.

- Yoongi....

- Pense o que quiser de mim, eu não me importo.

Ele se levanta da cama e segue para o banheiro. Eu seguro seu braço. Nos olhamos por um tempo e o som da chuva ajudava a criar um clima.

- Yoongi espera. Tá tudo bem cara?

- Você me fez contar um segredo meu. E eu não costumo contar meus segredos a ninguém, então já aviso que se isso sair daqui, você pode sumir do mundo.

- Fica calmo. Só me esclarece uma última coisa.

- O quê?

- Você ainda é gay?

Narração Tae 

- Chore o quanto quiser. - Falei passando a mão em seus macios cabelos. E ele soluçava em meu peito, e eu podia sentir sua confiança em mim. Eu ainda vou descobrir o que esse canalha fez, ah se vou.

Após chorar muito, Jeon levanta sua cabeça de meu peito, e seu rosto estava inchado e enxarcado. Ele me olha e sorri.

- Você é um anjo.

- Posso ser o que você quiser, Jeon.

Ele dá outro sorriso.

- Vá lavar o rosto para voltarmos a mesa.

- Sim.

Ele se levanta e vai até a pia.

O observo jogando água no rosto. Ele ajeitava o cabelo e a roupa. Suspira e olha pra mim.

- Vamos? - Pergunto.

- Vamos.

Seguimos para a porta e antes de sairmos do banheiro, ele segura meu pulso e diz:
- Obrigada.

Lhe dou um sorriso e uma piscada. Seguimos para nossa mesa.

- Ah olha o nosso pedido já está aqui, esperando por nós.

- Será que ja está frio?

- Acho que não, mas se estiver a gente pede outro. - Digo me sentado.

Jeon também se senta e logo diz:
- Ah, Tae... Pode... pode se sentar aqui... ao meu lado de novo?

Sinto uma felicidade invadir meu coração. Sorrio.
- Claro. - Pego meu prato e me sento ao lado de Jeon. Nos olhamos e logo abaixamos a cabeça por timidez, talvez.

Narração Jeon 
Tae foi super cuidadoso comigo. Não que eu fosse do tipo que fica pensando coisa dos outros mas esperava que ele fosse surtar e me chamar de dramático e tals mas não. Tae era diferente. Era um cavalheiro.
Quando voltamos para a mesa, pedi que se sentasse ao meu lado. Ele sorri e faz o que peço. Nos olhamos e logo abaixamos a cabeça.

Começamos a comer em silêncio. Ele então da algumas garfadas e logo em seguida pega o celular e fotografa o prato.

- O que está fazendo Tae?

- Eu vi na tv que em um país, as pessoas tiram fotos do que estão comendo e postam nas redes sociais ~ referências? não sei~.

- Mas por que eles fazem isso?

- Não sei também, mas achei legal.

Eu o observei fotografando a comida bem centrado. Já falei que ele era sexy demais quando focava em algo?

- Pronto. Postada com sucesso.

- Deixa eu ver?

Ele me mostra. Dou um sorriso.
- Você é bem social.

- Só virtualmente.

Rimos. Ele torna a comer.

- Hum, você tem razão, a comida daqui é muito boa.

- Eu não disse!?

E enquanto comíamos, a conversa ia fluindo e eu já estava mais feliz. Tae era muito engraçado, e eu adoro pessoas assim.

Narração Yoongi 
Após o surto filho da puta que eu tive dizendo que tinha ciúmes de Jimin, fui obrigado a explicar tudo. Mas fui bem curto e grosso.

- Não entendeu? Eu vou explicar com todas as letras e é bom você decorar porque eu não vou repetir.

Então contei tudo que guardei durante todos esses anos. Ele me olhava com cara de "que viajem...." e estava boquiaberto.   

- Yoongi....

- Pense o que quiser de mim, eu não me importo.

Ia me levantando para o banheiro até que ele segura meu pulso. Virei para ele e ficamos nos olhando por um instante. O som da chuva só engrandecia o clima. O maldito clima.

- Yoongi espera. Tá tudo bem cara?

- Você me fez contar um segredo meu. E eu não costumo contar meus segredos a ninguém, então já aviso que se isso sair daqui, você pode sumir do mundo.

 - Fica calmo. Só me esclarece uma última coisa.

- O quê?

- Você ainda é gay?

Meu sangue sobe. Sinto meu estômago embrulhar.

- O que isso importa?

- Não foi essa a minha pergunta.

- Mas foi essa a minha resposta.

- Yoongi, Jeon também é gay e se abriu comigo. Com você não será diferente se....

- Eu não.... não sei mais o que eu sinto, okay? Já se passou muito tempo e PELO AMOR DE AUGUST D PÕE UMA ROUPA DESCENTE! - Surto. Sigo para o banheiro e bato a porta.

Ouço Jimin rir. Otário gostoso da porra...

           

eita....



Tucupi*= Carne de pato.


Notas Finais


VRAAAAU

gostaraun?

Espero que sim!

perguntinha: QUEM É O UTT DE VOCÊS? (curiosa que dá medo)
o meu é o Deus grego do Kim Taehyung♡

se bem que todos são um Deus grego

eu sentava e engasgava na rola dos sete

pera que....

sorry

comentem prfvr
bjocas da tia da depressão

~giih


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...