História Por Amor - SwanQueen - Capítulo 35


Escrita por:

Postado
Categorias Merlin, Once Upon a Time, Xena, a Princesa Guerreira
Personagens Daniel, Emma Swan, Gabrielle, Henry Mills, Morgana Pendragon, Personagens Originais, Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Xena, Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Ouat, Swanqueen, Swens
Visualizações 326
Palavras 2.756
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Heyyy uma mocinha me deu uma ideia pq não deixar Dark Swan e evil Regina tretarem logo ?


Então partiu Shoyo Bora ler
Boa leitura amores

Capítulo 35 - Capítulo 35 - The Darkness


Fanfic / Fanfiction Por Amor - SwanQueen - Capítulo 35 - Capítulo 35 - The Darkness

x






Regina






Quem Emma achava que era? aquela menina estava me testando dia após dias, era todo dia a mesma coisa, aquele chove e não molha insuportável, eu não aguentava mais olhar para cara dela, eu amava aquela mulher mas a tempos que ela já não era  mais a minha Emma, as trevas podiam não ter tomado ela totalmente, mais tomaram minha Emma de mim então eu não ia mais aturar aquela situação ridícula, eu ia acabar com aquilo hoje, me troquei e peguei minhas chaves.


-Mãe? - Henry chamou me olhando da beirada da porta.


-Oi querido.


-Onde você vai ?


-Até a casa da Swan.


-Porque está falando assim? - Ele me perguntou provavelmente pela raiva que eu devia estar até na voz.


-Eu só quero ir lá resolver uns problemas.


-Mãe ela está doente, por que não deixa ela quietinha?


-Porque ela precisa se afastar daqui querido.


-Não -  Ele falou irritado - Ela não pode se afastar, ela é minha mãe também.


-Querido ela não é mais sua mãe.


-Claro que é.


-Querido algo muito ruim tomou conta dela - Ela pegou a chave da minha mão e passou por mim nervoso.


-Mãe você já ficou doente assim, e eu não quis te mandar para longe. - Ele cruzou os braços. - Você está me decepcionando Regina. - era a primeira vez que ele me chamava pelo nome, e mostrava tanta decepção e então eu fiquei triste com aquilo.


-Querido


- Ela é minha mãe, não quero ela longe - Ele começou a ficar nervoso e vi suas mãos ficarem vermelhas. - Você não vai afastar ela de mim.


-Querido.


-Eu não quero - ele falava nervoso - NÃO QUERO - ele gritou e acertou uma bola de fogo no espelho ao meu lado e eu fiquei assustada, eu estava evitando usar meus poderes, então nem consegui me proteger daquilo, e fiquei confusa pois Henry não tinha poderes, ele tinha um dom mas nunca apresentou magia alguma desta forma. -  Você não vai afastar ela - Henry não negava ser filho da Swan mais eu precisava fazer o certo ela tinha que sumir, fiz um pequeno encanto e Henry caiu na cama dormindo, beijei  a testa do garoto, e sai de casa eu estava totalmente decidida a tirar aquela mulher de lá, hoje eu ia resolver isso, era eu ou ela, e ou Swan ia se afastar daquela cidade ou eu ia destruir ela hoje.












x










Emma








Eu estava um pouco alterada hoje, e eu nem queria ficar  perto de Ruby pois estava com medo de machucar ela, sai caminhando e  tudo estava tão estranho eu precisava pensar e pensar, e quando me dei conta eu estava na prefeitura, meu inconsciente me levou para lá, o que eu fazia ali, pensei enquanto eu andava pela sala de Regina, a morena ainda me deixava confusa, acho que ela era meu ponto de perdição ela não me deixava nem tombar para o mal e nem ser boa totalmente, hoje eu estava em uma confusão tremenda, ela me vinha na cabeça a todo momento, e  ódio só aumentava em meu coração, e eu ficava confusa.


Eu parecia uma adolescente, eu não sabia o que fazer, eu queria estar com ela mas também queria matar ela, aquelas injeções estavam complicadas, não pareciam funcionar como antes, o ódio parecia cada vez maior, a vontade de ver Regina Mills morta com seu sangue molhando meus pés era cada vez maior, até que ouvi um barulho atrás de mim e me virei, era ela me olhando seria.


-Perdeu algo aqui ? - Ela perguntou de forma rude.


-Provavelmente não,  o que eu perderia em um lugar assim ? - falei cuspindo as palavras.


-Para que está em meu escritório.


-Seu escritório, sua prefeitura, sua cidade , seu filho - falei rindo. -Acho que a autoridade não lhe cai tão bem assim Mills.


-Que bom que não ligo para o que você acha - Ela falou com uma petulância que me deixou um pouco irritada. - Mas até que foi bom encontrar você aqui.


- Olha estava me procurando Mills?


-Sim


-Ao que devo esse desprazer imenso ?


-Eu quero que saia da cidade - Dei risada e me aproximei dela.


-É serio isso ? O que te fazer pensar que o que você quer tem alguma importância para mim ?


-Eu não te quero aqui Swan, você não é mais bem vinda nesta cidade. - Ela falou de forma agressiva ficando bem próximo ao meu corpo.


-Eu não pretendo sair querida.


-Eu vou te tirar daqui então. - Me sentei em sua mesa, e cruzei as pernas.


-Isso vai ser interessante.


-Swan, o que você pensa afinal? para que quer ficar nesta cidade ? todos viviamos muito bem sem você, pode ir embora, sumir e todos continuaram sem sentir sua falta, seu pais não precisam de você, Henry não precisa de você, eu não preciso de você.


-Isso  é o melhor que pode fazer ?


-Swan, não preciso fazer nada, você nunca foi desejada, foi um erro para Mary e David, um erro não planejado, e a rainha tentou corrigir isso, e acabamos entendendo as coisas erradas. - Ela falava de uma forma que estava me machucando e me deixando um pouco irritada.


-Porque se esforça tanto para me odiar ?


- Eu não me esforço eu te odeio. 


-Sei que é mentira, você é fraca demais para me odiar Mills, você já foi ótima em ser má, mas hoje se tornou isso ai - apontei para ela - uma mulher fraca, cheia de defeitos e pontos fracos, eu posso falar que te odeio - me levantei e cheguei bem perto do ouvido dela - Eu tenho nojo do que você se tornou, toda a maldade e poder que foram dados a você foi um grande desperdício , para que gastar magia com quem nem sabe usar ela, você é uma vergonha Mills. - falei e dei as costas, e foi ai que algo me atingiu, uma bola de fogo talvez, aquilo fez o meu sangue ferver  - Escolha errada Mills. - Falei e todo meu corpo começou a queimar - Escolha muito errada Mills, você acabou de fazer a pior escolha de sua vida. - Deixei que o fogo me consumisse, que ele tomasse todo meu corpo, e quando me virei eu atingi Regina com uma enorme bola de fogo, a força não foi medida, e nem resguardada, eu só vi aquela mulher ser arremessada pela janela em uma enorme bola de fogo, corri para janela que estava em pedaços agora, vi o corpo dela no chão e logo ela se levantou com dificuldade, então pulei lá embaixo, todos nos olhavam na rua, me levantei de frente para aquela mulher. - Você quer brincar com fogo Regina Mills ? Ok, vou te ensinar em quantos graus você pode se queimar. - Falei e ela apagava o fogo em suas roupas quase que em desespero.

- Quem você pensa que é?

- Dark One - falei e com um gesto mais pesado lancei outra bola de fogo nela, desta ela desviou, e fez assim com as próximas três e aquilo estava me deixando nervosa, quando dei alguns passos a frente ela tirou uma arma de dentro da sua jaqueta preta, e apontou para mim, e eu não resisti dei risada. - você achou que uma arma iria me render? - Perguntei de forma petulante.

- Fique parada ou eu atiro. - ela falou e dava para ver a arma tremer.

- atire, eu quero ver - Continuei caminhando até ter a boca da arma colada ao meu peito, Regina arregalou os olhos e eu comecei a controlar a mão dela.

- O que você está fazendo ? - Ela perguntou em desespero, conforme seu dedo indicador precisava mais o gatilho.

- estou ajudando você a ter um pouco de coragem Mills - falei e fiz ela disparar em meu peito às seis balas que aquele revolver tinha, e me afastei, ela estava aparentemente assustada, e eu apenas peguei bala por bala do meu peito e joguei no chão. - Isso não é uma briguinha de rua senhorita Mills. - Ela me olhou com raiva. - você é tão fraca que me dá nojo - falei aquilo é pude ver o ódio nos olhos dela, e ela fez um movimento grande com as mãos e jogou uma enorme bola de energia em mim, juro que ouvi ela gritar quando atacou, eu não ia me proteger, não precisava, deixei a bola me atingir e fui jogada para trás, me levantei sentindo minhas mãos queimarem, as garras estavam ali, as trevas estavam comigo, fui caminhando mais apressada na direção de Regina e Ruby apareceu em minha frente, segurando em meus ombros.

- Emma mantenha a calma

- Calma ? Sério ? Me poupe - falei tirando ela da minha frente e ela me puxou pelo ombro e com um simples movimento de mãos a joguei para longe e continuei indo até Regina e então ouvi um rosnado atrás de mim, e parei, balancei a cabeça negativamente e dei risada - Achei que fosse mais esperta Luccas. - me virei para o lobo atrás de mim e olhava atentamente para ela, que estava em posição de ataque me mostrando os dentes. - Se atacar não vou ser boazinha Luccas, pense bem. - Falei e ela rosnou e veio para cima, eu nem usei magia, deixei que viesse e quando ela pulou a peguei no alto e com certa ignorância quebrei três costelas dela com minhas mãos e a joguei no chão, ela chorava de dor, e eu apenas formei uma bola de fogo em uma de minhas mãos. - vou te dar a vantagem, corra. - Falei e ela se levantou como pode e saiu correndo mancando e quando ela estava para entrar na floresta soltei a bola de fogo e dei as costas, apenas ouvi ela uivar de dor, voltei a olhar Regina. - voltamos a você, sempre ouvi você querer punir Henry por insubordinação, e você mesma não aprendeu o que é?

- Emma você se acha demais - ela falou com raiva.

- Emma Swan está morta, por isso se você fosse inteligente não estaria aqui teria fugido enquanto eu estava de costas, mas vamos lá querida, insubordinação, se rebelar contra uma autoridade não é ?

- onde quer chegar ?

- Quero chegar no ponto que sua petulância e desobediência perante a mim terá consequências e quem sabe essas consequências me livrei de respirar o mesmo ar que você - Falei com certo nojo e desdem.

- Sabe qual seu problema? Achar q olhos pretos e unhas cumpridas me assustam.

- Ah Mills você está me subestimando de mais. - segui atacando ela com uma bola de fogo atrás da outra e ela apenas tentava se proteger e ia indo para trás, fui aumentando a potência delas até q ela se ajoelhou na última, e Mary entrou na frente só podia ser brincadeira. - Sai da frente. - Ordenei com uma bola de fogo nas mãos.

- Não posso filha, você vai se arrepender se ferir ela assim. - apaguei a bola de fogo e peguei ela pelo pescoço.

- Sua filha está morta, ela não vai voltar, então não teste minha bondade pois ela não existe - eu fala com raiva, entre dentes, joguei Mary em uma parede e fiz raízes saírem do chão e prenderem ela ali. - Você tem amigos não é ? - Perguntei a Regina que estava de pé me olhando e vi David vindo correndo, e eu já estava sem paciência joguei ele longe, tornei a olhar para Regina que usava uma proteção contra magia e aquilo me deu uma ideia.

- Eu vou te destruir Emma, você tem que parar.

- Vai me destruir de tanto apanhar? Interessante, mas vamos tornar isso mais particular - falei e fiz um enorme escudo se formar em volta de nós duas impedindo que qualquer um entrasse. - agora vamos brincar Mills.

- Emma - joguei uma bola de fogo nela e fui para cima , e ela me olhou com raiva e deu um soco em meu rosto, eu não esperava por aquilo, ela revessava entre socos e chutes e eu ia caminhando para trás, eu tentava me controlar eu sabia que mataria ela se as trevas saíssem totalmente. - Não sou boazinha como pensa. - Eu tentava me defender e não conseguia e quando cai no chão ela enviou um raio dos céus e me atingiu em cheio e se abaixou próximo a mim. - Você tem o mesmo erro que todos Swan, você pensa que eu não posso mais ser má, mas não me conhece de fato, você vive dizendo que Emma morreu, fodasse, eu não ligo, pois a trouxa que a amava está morta - ela falava e eu enfiei a mão em seu peito mais não encontrei seu coração e ela riu. - Nunca se sai para uma briga com o coração no peito querida. - Ela falou e me deu um soco na cara. - Sabe você até que é boa de cama, mais nunca vai me foder da forma que Robin e muitos outros me foderão nesta cidade, você foi só mais uma que me comeu depois de muitos é só me comeu porque eu quis, você era um joguinho que eu queria avançar as fases. - Ela falava e aquilo estava me dando um ódio enorme. - Ah Querida a Regina que você pensa que te amava nunca existiu, se você diz estar morta, ela nunca nem esteve viva, e eu vou te mostrar como eu jogo, eu vou tirar Henry de você, ele vai te odiar, eu vou te tirar da minha cidade é vou te prender em um buraco fétido. - Regina não tinha noção alguma de onde ela estava se enfiando, eu estava no chão ferida, ouvindo tudo aquilo é minhas veias queimavam, o mal estava querendo me dominar e quando ela afirmou que tiraria Henry de mim, eu toquei o fodasse, e deixei, deixei que as trevas tomassem cada pedaço do meu ser e aquilo foi como uma enorme explosão, e eu gritei quando terminou, ela me olhava de longe.

- Chega Mills, você vai morrer hoje - falei e joguei contra ela a primeira coisa que vi, um carro, ela se protegeu e jogou ele longe mais vi seu nariz sangrar pelo esforço, caminhava lentamente enquanto jogava carros sobre ela, e assistia ela ficar mais e mais fraca então comecei a lançar bolas de fogo e de energia, e quando cheguei bem perto, eu queria sentir a pele dela contra meus punhos. - Espero que tenha uma frase pronta para sua lápide. - falei e deixei que a força viesse com tudo e acertei o rosto dela com três socos seguidos, fiz com que uma adaga aparece em minhas mãos.

- Você é fraca Swan - ela falou e me deu uma rasteira  e quando ela tentou se levantar e veio para cima eu lancei um poder sobre ela da forma mais forte que eu conseguia e ela voou longe e eu fui até ela em uma nuvem preta.

- Fraca? - falei com raiva e sem do enfiei a aragano peito dela e me ajoelhei ao seu lado ela se levantou com dor e eu a segurei em meus braços, fiquei próximo ao ouvido dela enquanto enfiava a adaga ali lentamente. - queria saber como deve ser a sensação de sentir está adaga lacerante você, seu coração não está aqui, aliás obrigada por me dizer isso, pois pude preparar a adaga certa para você, você deve estar sentindo seu coração lá longe sangrar a cada centímetro que ela desce em seu peito Mills, todo seu discurso não faz sentido agora não é? É uma pena te matar agora, pois eu ainda queria foder você, mas você é petulante e sexo eu posso arrumar com garotinhas mais comportadas- enquanto eu falava e enfiava a adaga, ouvi Henry.

- Não mãe, para mãe não faz isso - Ele falou e não sei como ele atravessou o escuto e veio para perto e segurou minha mão - não mata ela não mãe por favor. - ele falava e foi como se eu despertasse de um transe, Regina estava praticamente morta em meus braços, o que eu fiz ? Droga Emma o que você fez ? Falei incrédula do que estava em minha frente, eu olhava em volta e todos me olhavam com pavor boa olhos.

- Me perdoe Henry - falei e sumi dali em uma fumaça negra.
















Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...