História Just Mine - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Ambre, Armin, Iris, Letícia, Personagens Originais
Tags Amizade Virtual, Amor, Amor Doce, Armin, Beemoov, Ciumes, Loucura, Obsessão, Romance, Yandere
Visualizações 84
Palavras 3.279
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey. Notaram que eu refiz a capa e a Sinopse?. A capa ficou linda, né!?
Aqui está mais um capítulo da fic.
Espero que gostem!
Boa leitura 💕

Capítulo 6 - Segunda opção


Fanfic / Fanfiction Just Mine - Capítulo 6 - Segunda opção

Ellen — Casa

Depois da conversa que tive com Alexy, as aulas do dia prosseguiram normalmente, e no final da tarde, fui para a casa com a cabeça longe do mundo. Lá no fundo da minha mente, algo me incomodava como uma pedra dentro do sapato, e em nenhum momento consegui parar de pensar na situação do Armin. Durante todo o trajeto de casa, fiquei imaginando coisas que eu poderia fazer para melhorar esse caso do meu amigo, só que, eu não faço a mínima idéia do que fazer. Pedi ajuda para o Alexy ainda naquela hora da aula de educação física, e ele me deu algumas informações sobre seu irmão, como: O que ele gosta, desgostos, passatempo entre outras coisas. Mas mesmo assim, tudo aquilo que ele me disse, eu já sabia de cor. Então praticamente, não me ajudou em nada.

Entrando no condomínio onde moro, subi as escadas até o terceiro andar e entrei no apartamento número vinte e dois, ou seja, minha casa. Como de costume, tranquei a porta e debrucei em cima do sofá, soltando um suspiro pesado entre meus lábios. Não me caiu bem saber que Armin ainda gosta da Íris.. Tipo.. Não que eu seja sou contra.. Quer dizer, é apenas intimidador e estranho. Bem que ela me disse mesmo que estava ficando com um garoto chamado Tim, mas eu não imaginava que afetava tanto o Armin.

Fiquei alguns minutos ali, deitada, pensando em várias questões para resolver. No final das contas, levantei cheia de preguiça e tomei um banho bem demorado. Após me secar e vestir um pijama, ligo a televisão, pondo alguma coisa no YouTube para passar o tempo, pois meu celular está sem bateria o suficiente para eu utiliza-lo. O vídeo que escolhi ainda carregava, então como estava meio impaciente, aproveitei o tempo de loading para poder fuçar algo dentro da geladeira para petiscar. Ontem fiz compras num mercado aqui perto, e agora me orgulho de ver o quão farta está minha cozinha. Do outro lado do balcão que dividia a cozinha da sala, consegui visualizar o vídeo já carregado e sendo exibido, assim como pude ouvir a voz do youtuber que gravou esse vídeo. Dei uma olhada breve na televisão e voltei a examinar a geladeira.

— "Eu só como comida integral", ava dá teu cu rapa. -Escutei o Youtuber pronunciar e soltei um riso curto.- Eu sei que de madrugada você ataca até o pote de feijão do congelador, e de manhã você dá uma de fitness. Sabe, eu gosto de falar sobre comida, me lembra da minha avó, até hoje, nunca saboreei comida tão apetitosa como a dela, meu Deus do céu, era ‘Baum’ de mais. Posso comer o que eu quiser, mas nada se compara a comida dela.

Escutando isso, uma luz ascendeu em minha cabeça, e no mesmo instante, lembrei do que Alexy me disse mais cedo. “As comidas não tem mais gosto”, foi o que ele afirmou sobre seu irmão. Será que é mesmo isso?. Elevei minha mão ao queixo, pensativa. Bem.. Acho que não é para tanto, ele só deve estar enjoado de comer a mesma coisa todo dia. Será que se eu preparar algo para ele comer, ele irá gostar?. Não sou tão boa cozinheira, mas o que não custa tentar?. Conclui comigo mesma que o primeiro passo que eu daria para poder reverter a situação de Armin, era preparar um lanche, afinal, segundo ao Alexy, ele não está comendo direito, então é bom que ele se alimente com algo saudável e bom. Até que não é uma má idéia.

Enfiei minha cara para dentro da geladeira, pensando o que e com o que faria esse lanche. Entre várias coisas para cozinhar, decidi fazer uma torta salgada. Separei os ingredientes, e coloquei um avental que era da minha mãe, logo em seguida lavei as mãos com cautela. Espero que nada dê errado.

Preparei tudo com o maior carinho e dedicação, e já eram oito horas quando botei a forma com a torta no forno. Fiz até mais do que pretendia, pois quero dar um pouco para o Castiel comer, e talvez um pouco para a Kim, mas não é certeza. Orgulhosa do meu trabalho, preparei um suco para eu beber, e marquei o tempo que a torta precisaria para ficar pronta no relógio. Com o passar dos minutos, minha casa ia se infestando com o cheiro delicioso do alimento sendo assado dentro do forno, e aquilo me fazia sentir uma imensa fome. Deve estar muito boa.

[. . .]

Já era outro dia, e eu ajeitava meus cabelos no banheiro, cheia de cautela e vaidade. Só faltava isso para eu poder ir para a escola. Ontem, antes de dormir, retirei a torta ao ponto do forno, e a fatiei em diversos pedaços quadrados, pondo-os em um recipiente de plástico, e embalando com um pano xadrez rosa. Agora, junto com o material, o lanche repousava dentro de minha mochila. Espero que no caminho da escola, ela não se desfaça em pedaços e farelos com os movimentos que darei até o estabelecimento.

Dei uma última olhada em mim no espelho, e sai do banheiro, despreocupada. Peguei o celular e minha bolsa, preparada para sair. Assim, meti o pé para fora de casa, partindo para a rua. Me encontrava um pouco receosa, indagando-me se Armin gostaria do lanche, porém, orgulhosa, garanti a mim mesma que ele com certeza iria gostar de provar. Chutei um montinho de folhas secas enquanto caminhava. O dia estava ensolarado, e poucas nuvens pintavam o céu de branco, tornado o fato de eu estar indo para a escola sozinha, tedioso. Letty ainda está na casa de sua avó, e até agora não me deu notícias de como está. Não estou muito preocupada com isso, mas devo admitir que sinto sua falta no percurso da escola, e até nas aulas. Me pergunto quando ela irá voltar.

Após alguns minutos, já me encontrava em frente da escola, e não hesitei em entrar. O pátio estava sem muita gente, como de costume. Mas já os corredores dos armários, era o oposto. Atravessei a multidão de pessoas, sentindo estar sendo afogada pelo tanto de vezes que me esbarrei em alguém, contudo, cheguei frente a frente do meu armário, e lá guardei o recipiente que a torta estava. Acho que darei para o Armin na hora do intervalo, será mais fácil.

Olhei para os lados, procurando algum amigo meu para passar um tempo antes do sinal das aulas bater, e por coincidência, vejo Rosalya sair em direção ao pátio. Eu e Rosa não somos tão amigas, nem melhores amigas, digamos que somos.. Apenas colegas de classe. Ela não é chata, porém não é tão legal para eu considerar uma amiga como Letty, Kim e.. Íris. Sem escolha, decido ir atrás dela.

[. . .]

Assim que o sinal do intervalo ecoou por toda a escola, anunciando os vinte minutos livres que tínhamos, sai disparada para fora, ansiosa para entregar o lanche que preparei para Armin. Quero ser a primeira garota a falar com ele no intervalo, afinal, não consegui falar com ele na hora da entrada, nem durante essas três aulas que tive. Então estou muita animada para falar com o Armin hoje. Sem enrolar, fui até meu armário e peguei o pote com a torta, e sai em busca do moreno para entregar a comida. Quando entrei no pátio, a primeira coisa que meus olhos encontraram, foi a cabeleira azulada de Alexy ao lado de Armin, e o bom era que não tinha ninguém próximo aos mesmos. Talvez eles estejam sozinhos por terem acabado de chegar aqui. Engoli seco. Vamos Ellen!, falei comigo mesma, criando coragem para movimentar meus pés até eles. Foi mais complicado do que eu pensava. Cada passo que eu dava decidida, parecia que meu peito apertava ainda mais, e um calor gostoso começava a circular em meu corpo, do mesmo jeito que minha barriga gelava. É apenas um lanche!, não preciso ficar nervosa. Não demorou muito que os gêmeos percebessem a minha presença, então aguardaram eu traçar o ambiente para alcança-los.

— Ellen, eai. -Alexy foi o primeiro a dizer algo no momento que parei de andar e me juntei a eles. Com uma expressão amigável, o azulado acenou para mim, e eu fiz a mesma coisa.

— Hey, tudo bom contigo? -Armin indaga para mim. Ele parecia normal, diferente daquele dia que eu o seguinte até o banheiro.

— Tudo sim, Obrigada. -Respondi, esfregando minhas coxas discretamente uma na outra, começando a me sentir envergonhada.

— O que te trás aqui, minha amiga? -O de cabelos azuis fala num tom brincalhão. Gelei com isso. Céus.. Será que eles interpretarão errado?, eu só fiz uma torta para deixa-lo mais feliz, não tive o-outras intenções!. Engoli a saliva que criava em minha boca e desviei o olhar.

— O-oh. Bem.. eu preparei uma torta salgada, então trouxe um pouco para vocês comerem.. -Digo, botando o pote com o alimento dentro, na frente deles. Não queria dizer isso, pois eu só fiz na intenção de dar apenas para o Armin, mas fazer o que, acho que pegaria errado se eu dissesse que fiz só para ele. Além do mais, espero que restem no mínimo duas fatias para eu entregar ao Castiel.

— Torta?, não precisava. -Armin põe as mais na frente de seu corpo, parecendo estar rejeitando minha oferta.

Não acredito que ele está pensando em negar o que eu fiz com o maior carinho e dedicação.. Não quero que tudo seja em vão.

— Eu insisto!. Não tenha vergonha, não coloquei veneno ou algo assim, pode comer sem medo. Não sou a melhor cozinheira do mundo, mas te garanto que ela está ótima!

— Eu quero -O irmão do mesmo pega o objeto que estava comigo, e sem esperar, desamarrou o pano que embalei o pote, e abriu-o. Acho que ele está com fome.

O azulado escolheu um dos pedaços, e eu cruzei os dedos para que ele gostasse. Armin o olhou de relance, assim como seu irmão. Eles parecem estar se comunicando apenas com o olhar. O que será que eles estão tentando fazer?. Após alguns segundos que Alexy mastigava o alimento, subiu sua mão com o dedão levantado em sinal de aprovação. Na hora, suspirei aliviada. Pelo menos ele gostou.

— Bem, já que insiste para eu pegar um pedaço, eu provo sua torta. -O moreno diz, olhando fixamente para o pote.

Com certeza, ele está com fome, e só rejeitou na primeira vez em forma de educação.

— Fique a vontade, coma o quanto quiser. -Falo apertando a barra de minha blusa.

Observei o garoto aproximar-se e pegar o que disse. Já com a torta em mãos, ele me olha como se fosse um jurado de um reality show de comida, e isso me fez rir, porque eu sabia que ele estava brincando. Armin direcionou o alimento até sua boca, e recebeu com uma grande mordida, cheia de vontade. Foi impossível, até minha boca começou a salivar ao vê-lo cometer o ato. No instante que ele começou a mastigar, arqueou a sobrancelha, encarando-me. Levei um arrepio. Será que e-ele não gostou?.

— O-o que foi? -Questiono apreensiva.

— Foi você mesma que fez? -Consenti.- Sério? -Fiz um sim com a cabeça novamente. Aah!, chega de suspense!.- Nossa -Ele engoliu, soltando um sorriso com dificuldade entre os lábios.- Hmm!, está muito boa!, de verdade.

Ouvindo-o dizer isso, meu coração disparou. Ele está me elogiando?!, que ótimo!, meu objetivo foi concluído.

— Sério? -Digo sorrindo, enrolando a ponta de meu dedo numa mecha de cabelo, com certeza, vermelha de vergonha.

— Uhum. -O garoto mordeu um pedaço novamente, mastigando com gosto.- Você tem talento pra isso.

— O-obrigado…

Sabe.. vendo-o me elogiar desta forma, me faz querer alegra-lo ainda mais. Eu não me importaria em cozinhar para ele todos os dias. Inclinei um pouco minha cabeça para o lado, admirando-o pegar mais um pouco da torta e continuando o ato de comer. Ele é realmente tão lindo..

— Sou obrigado a concordar, Ellen. Você deve ser boa na cozinha. -Alexy argumenta, também pegando mais do alimento.- Falando em comida, aconteceu uma coisa na janta de ontem.

— O que? -Pergunto, saindo do meu transe mental. Desinteressada. Por algum motivo, eu só queria olhar seu irmão, não ele. Apenas.. olha-lo.

— Nós estávamos conversando com nossos pais ontem, e você não sabe no que eles deixaram o Armin fazer. -Alexy fala animado, e eu fiz um sinal para que ele pudesse prosseguir e matar minha curiosidade. Lancei um olhar para Armin que ainda mastigava outro pedaço da torta com gosto, e sorri distraída. O mesmo, ao ver minha reação ao encara-lo comendo, engoliu, limpando os lábios logo em seguida, tirando as migalhas, preparando-se para dizer algo.

— Eles deixaram eu adotar algum animal de estimação. -O moreno afirma, aparentando estar feliz com isso.

— Uau, que massa!. O que pretende adotar? -Pergunto.

— Um cachorro. Ou uma chinchila. Ah!, pode ser até um passarinho!. Não sei ainda, estou indeciso. -Armin fala meio distraído, olhando dentro do pequeno recipiente em que eu trouxe o lanche, escolhendo um dos pedaços para comer novamente. Realmente, foi uma boa ter feito essa torta.- O que você acha? -Ele disse se voltando a mim.

— Oh, bem, é uma pergunta difícil. Eu sempre quis ter um coelho, mas temos que ter muita responsabilidade para cuidar de um roedor como esse. Então você precisa escolher algo que não te de muito trabalho. -Afirmo pensativa.

— É verdade. Eu estava pensando em pegar um furão, mas preciso procurar mais informações sobre esse bicho. Meu pai disse que é preciso pesquisar as coisas antes. -O moreno justifica.

— Realmente, é uma boa você fazer isso. Aí fica mais fácil de.. -Falo, porém em meio de minha frase, sou interrompida. Entrando no meio do grupo, Íris se aproximou de nós com seu típico sorriso de sempre. Estava ótimo para ser verdade. Disfarcei meu olhar de desgosto ao vê-la chegar e roubar toda a atenção para si. Depois daquilo que Alexy me disse ontem, não tô conseguindo mais olhar na cara dela sem sorrir falsamente, ou conversar de forma normal. Essa garota destruiu o coração do meu amigo, e sabe que está machucando-o. Não quero que todo o esforço que eu estou dando seja em vão!. Me pergunto sobre o motivo dela sempre entrar no meio do grupo do nada.

— Pessoal!, hey!. -A ruiva diz acenando, e todos repetem o ato alegremente, esquecendo que eu estava dizendo algo antes disso.

— Oi, Íris. -Ambos os gêmeos dizem ao mesmo tempo. Eu amo essa mania deles dizerem frases juntos.

— Olá. -Digo, forçando um sorriso.

— Vi vocês conversando tão animados!. Sobre o que estavam dialogando? -Ela pergunta. Desde quando ela é tão curiosa?.

— Estavamos falando sobre o bichinho que o Armin irá adotar. -O azulado disse, pondo a mão na cintura. Bem, nós estávamos conversando sobre isso antes dela chegar, sem contar que ela me interrompeu.

— Um bichinho?, que legal!. O que vai adotar?. -A mesma pergunta, voltando-se a Armin, e eu pude ver o quão feliz ele estava com a presença dela.

— Não faço a mínima idéia, haha. Quer vir comigo nesse final de semana para me ajudar a escolher um?. O meu irmão vai estar indisponível para me acompanhar. -Armin indaga e quase me engasguei.

Arregalei os olhos, dando um passo desgovernado para trás. Por que ele está convidando-a para sair?. Quem estava ajudando-o nesse quesito primeiro era eu!, e não ela!. Eu.. Eu preparei uma torta pensando nele.. Por que ele está sugerindo a outra pessoa para sair com ele, sendo que poderia estar me convidando em forma de agradecimento ao lanche?. Tudo bem, é só uma ida ao Pet Shop.. Eu acho; e também ele nem sabe que eu fiz especialmente para o mesmo.. porém, ele poderia me levar em consideração!. Dessa vez, meu rosto ferveu, não de vergonha, mas sim de raiva. Por algum motivo, eu senti meu mundo cair. Não acredito que fiquei tão abatida apenas por isso. Na verdade, estou inconformada. Enquanto pensava nisso, mudava a direção do meu olhar freneticamente, indo do Alexy ao Armin, do Armin para a Íris, e por aí continuava num lupim.

— Obrigada, bem que eu gostaria de ir, mas preciso cuidar do meu irmão nesse final de semana. -Íris responde, sorrindo meia boca, e um peso enorme saiu de minha costas.

— Ah, okay.. -O moreno fala, meio sem graça, e abaixa a cabeça discretamente, enquanto Íris começou um diálogo com Alexy. Droga.. Acho que ele não esperava por isso- Você está livre no sábado, Ellen? -O mesmo pergunta para mim, levantando a cabeça depois de alguns segundos de silêncio entre nós. Engoli seco. Dessa vez, era eu quem não esperava por isso.

Ele está me convidando para sair!?.

— E-eu?.. É, claro que sim, estou!. -Digo, ainda processando o que acabei de escutar.

— Então vem comigo até a cidade para me ajudar a escolher um. Você mora sozinha, certo? -O de olhos azuis disse, pegando mais de pedaço da torta.

— Eu vou contigo, s-sem problemas. E sim, eu moro sozinha, sou emancipada.. -Justifico, começando a me animar com isso.

— Beleza, então!. -O garoto faz um joia com as mãos- Vai que se você for comigo, acabe pegando um bichinho também. Afinal, deve ser bom para você não se sentir sozinha em casa, um animal doméstico te faria companhia!.

— Quem sabe, haha. -Ri, pensando nessa hipótese. Até que não é uma má idéia.

— O que você está comendo, Alexy? -A voz de Íris se realça no ambiente.

— Torta. Foi a Ellen que fez. Está muito boa!. -O de olhos rosados justifica de boca cheia.

— Oba, eu quero um pedaço!. -A ruiva puxa o recipiente de plástico para retirar o que restava de lanche dentro.

— Desculpe. Mas esses últimos pedaços são para o Castiel. -Na hora que pronuncio essa frase, pego de volta o pote com o alimento das mãos dela, e ela me olha surpresa.- Da próxima vez eu faço mais.

— Ah.. entendo.. Tudo bem. Eu aguardo o próximo lanche!.

Até parece que eu vou deixar ela pegar alguma coisa que EU preparei para o Armin, apenas para ele. Tudo bem que o Alexy também comeu, mas é o de menos. Eu ia dar uns pedaços para o Castiel mesmo. Confesso que eu odeio essa nova expressão que as pessoas estão utilizando ultimamente, mas eu estou começando a ficar com "ranço" da Íris. Desde as últimas semanas, não estou conseguindo atura-la principalmente agora que soube o que ela está fazendo com Armin.

Sorri forçadamente para ela, e em seguida, fechei com a tampa o pote que guardava apenas três pedaços de torta. Parece que não, mas os gêmeos comeram bastante.

— Eu vou ali entregar para ele. -Dou as costas, procurando Castiel pelo pátio. Obviamente, ele nem deve estar aqui, então é provável que o mesmo esteja no porão.- Não vou demorar. -Foi a última coisa que disse antes de partir para dentro da escola, um pouco zonza.

Assim que adentrei no corredor, instantaneamente me apoiei numa parede, soltando um grande e longo suspiro, cheio de tensão e talvez de alegria. Com a mão livre, alisei a face, tentando ver se me caia a ficha de que recebi um convite para sair com o Armin. Eu não acredito. Ele me chamou para sair!. Isso é praticamente um encontro!, estou tão feliz!. Bem, pode ser que eu esteja exagerando, até porque é só uma ida ao Pet Shop, nada de mais. Mas mesmo assim, não estou conseguindo esconder meu sorriso bobo. Tudo bem que aparentemente, eu fui a segunda opção, depois de Íris, e que isso me deixe um pouco chateada, porém isso não supera a felicidade que estou tendo agora. Não vejo a hora do final de semana chegar!.. Até lá, não vou perder nenhuma chance de manter contato com Armin. Nenhuma.


Notas Finais


Ent pessoas, a fic pode estar se tornando algo meio chato, mas ESPERA!!!, tá chegando o primeiro clímax que história. Só aguardem poucos capítulos para o tão esperado.. Sem spoilers!
Mano, na moral, vocês não vão comentar nada mesmo?. Tá difícil de continuar a fic sem saber a opinião dos meus leitores, ou ao menos o apoio de vocês. Isso é desanimador de verdade.
Mas pelo menos a fic está crescendo...
Bem, até o próximo capítulo.

Ah, e tem uma coisa. A fic foi inspirada nessas músicas:-
- https://youtu.be/UlmtKmI3TaE
- https://youtu.be/3Yuf0oLRnaU

Aos interessados, vejam a legenda em português BR.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...