História Pôr-do-Sol - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Tags Amor, Romance
Visualizações 8
Palavras 1.529
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


O primeiro capítulo trouxe a visão da menina sobre a história, e esse segundo capítulo, irá trazer a visão do garoto.. Espero que gostem ;3

Capítulo 2 - Nosso amor jamais se acabará (Bônus)



     Sempre fui do tipo de pessoa que não recusa um convite, e meus amigos acabavam se aproveitando disso pra nunca saírem sozinhos pra onde quer que fosse. Naquele tarde ensolarada de domingo fomos a um clube, que já era bem conhecido por mim, um amigo meu era sócio de lá, e já era automático a gente se juntar com o resto da galera e ir curtir um pouco. Já estava se tornando monótono sentar em uma das grandes espreguiçadeiras espalhadas pelo local e apenas observar as pessoas se divertindo como se não houvesse amanhã, e pegar as mesmas garotas fáceis de sempre, coisa que eu já estava habituado a fazer. Não encontrando novidade nenhuma resolvi passear um pouco, até que depositei meu olhar sobre uma pessoa que era desconhecida  por mim até então, ela era linda, num impulso fui até ela, e a cumprimentei, não sei por qual razão, mas assim que nossos olhares se encontraram, meu corpo tremeu em pura adrenalina, o  olhar dela era calmo, suas orbes claras e bem desenhadas, que combinavam perfeitamente bem com sua boca rosada e cheinha, percebi que também havia ficado bem nervosa com tal atitude inesperada de minha parte, sua testa franziu e ela deu um meio sorriso, fiquei sem reação e acabei bagunçando os cabelos como de costume, soltando um sorriso envergonhado ao sentir minhas bochechas corarem violentamente. Continuamos mantendo contato visual por mais alguns segundos, até um amigo meu me puxar do nada e me levar pra perto da galera, alegando que estavam sentindo minha falta. O resto do dia não consegui manter meu olhar em outro lugar, sempre estava sobre ela, e ela também me olhava vez ou outra, o que me fazia ficar corado e sorrir feito um bobo. Depois de algumas horas a vi ir pra casa, e nos despedimos apenas com um sorriso de lado. Pareceu ser coisa do destino, quando entrei em minhas redes sociais, encontrei o perfil dela nas sugestões de amizade, vi que tínhamos vários amigos em comum, e não hesitei em mandar solicitação. Pouco tempo depois ela havia aceitado, e eu já não tirei mais ela da cabeça, passei a noite em claro me perguntando porque havia sentido tantas borboletas no estômago ao apenas me aproximar dela, e porque senti necessidade de cumprimentá-la mesmo sem conhecê-la. Começamos a conversar no dia seguinte, e isso foi se estendendo por semanas, até que conversávamos diariamente, e em pouco tempo já tínhamos uma sintonia maravilhosa, o que só me fazia querer ela por perto cada vez mais, então não pensei duas vezes em pedir pra nos encontrarmos de novo, eu precisava vê-la novamente. 
     

 Depois de quase duas horas de puro nervosismo, chegou a hora em que tínhamos marcado, e ela estava linda, seus olhos brilhavam e seu sorriso era encantador, meu coração acelerou assim que nossos olhares se encontraram, assim como na primeira vez. Em pouco tempo tive a certeza de que ela não era como as outras, ela me transmitia um sentimento muito bom, e apesar do passar das horas, o clima entre nós parecia não ter fim, e se tinha uma coisa que não mudava nunca, era a troca de olhares intensa, o que me deixava cada vez mais encantado. Resolvi deixá-la em casa, e depois de algum tempo pensando se deveria, pousei meu olhar sobre sua boca bem desenhada, que parecia me chamar, e num movimento único a puxei pra mais perto e depositei um selar em seus lábios, que logo se tornou um beijo intenso, mas puro, nossas bocas se encaixavam de forma surreal.. E, se eu já estava pensando muito nela, depois disso, só piorou. Ela sempre estava tomando meus pensamentos, e me fazendo sorrir sem motivos só de pensar na imagem dela sorrindo visivelmente envergonhada, totalmente ruborizada depois do nosso beijo.. Num choque de coragem, por impulso a pedi em namoro, e ela aceitou no mesmo instante, tinha a certeza de que ela já me amava. Passei a me dedicar completamente a ela, e em fazê-la feliz, eu já não era mais o mesmo.. Não saía mais com meus amigos, não ficava mais com as garotas de antes, e isso me fez refletir.. Com o passar dos meses fui ficando cada vez mais confuso, era como se as coisas não tivessem em seu devido lugar, como se ela tivesse bagunçado tudo.. Não sei se estava sentindo falta de como minha vida era antes, mas algo estava errado. Sem explicação e nem aviso prévio, passei a tratá-la com frieza, e sempre me esquivar de seus carinhos, que antes, era o que eu mais amava no mundo, o que me trazia paz e ofuscava os problemas que insistiam em me perturbar.. Voltei a frequentar as festas de antes, mas tudo continuava parecer vazio, as coisas literalmente tinham mudado sem eu me dar conta, então decidi terminar com ela, e a culpei por todos os sentimentos ruins que me atormentavam, descontei nela todas as minhas frustrações, e não me comovi com suas lágrimas, apenas fui embora sem olhar para trás.
     

 Os dias demoravam a passar, e tentei de todas as formas tirá-la da minha cabeça, mas depois de tanto tentar inutilmente esquecê-la apenas confirmei o que eu já sabia.. Nesse período em que ficamos afastados eu voltei a pegar as garotas de antes, mas elas pareciam ser vazias, procuravam somente um corpo para lhes dar prazer por uma noite, nenhuma me transmitia o que eu procurava, nenhuma se igualava a ela. Até pensei em voltar atrás, mas sempre fui orgulhoso demais, e me sentia mal por tudo que eu tinha feito com ela, não queria nem pensar em como ela deveria me odiar depois de todo o sofrimento que eu com certeza havia lhe causado. Eu via nos olhos dela o quanto ela me amava, via que se esforçava para me dar todo o carinho e atenção que eu jamais imaginei receber, e via também como ela ficava triste quando eu a rejeitava sem motivos aparentes. Precisava vê-la, mas não tinha coragem o suficiente, então resolvi ir no parque em que a gente sempre se encontrava, ali tinha lembranças nossas em todo lugar, principalmente mais perto da floresta, onde havia uma árvore com nossas iniciais. Me sentei no último banco, onde costumávamos sentar pra apreciar o pôr-do-sol, e me senti imensamente vazio por não ter ela ali comigo naquele momento. Depois de alguns minutos em silêncio, apenas observando a bela vista que já se formava em minha frente, senti meu coração acelerar, até que ao virar-me minimamente a vi chegando perto do banco onde eu estava. Não fiz muita questão de forçar um sorriso no rosto, porque ela simplesmente me conhecia melhor do que eu mesmo. Quando nossos olhares se encontraram, paralisei, senti minha pele empalidecer, e por impulso fui até ela, assim como no dia em que nos conhecemos, como eu já esperava, as palavras não saíam, então só cheguei mais perto e a tomei em meus braços, depois de alguns segundos meu abraço foi retribuído, e senti os braços dela rodearem minha cintura como de costume.. Sentir seu corpo junto ao meu parecia um sonho, do qual eu não queria acordar nunca, apenas um simples contato já me fazia um bem extraordinário e único. Depois de poucos minutos a soltei, nossos olhares se cruzaram quase que imediatamente, e ela mordeu o lábio inferior, enquanto eu prestava atenção em cada movimento seu, a puxei novamente e iniciei um novo abraço, a chamei para apreciar a vista comigo, a fim de reviver os velhos tempos, os tempos mais felizes da minha vida, por mais que eu não soubesse. Conversamos sobre coisas aleatórias, e eu tive pela milésima vez a certeza de que precisava dela, logo anoiteceu e tivemos que nos despedir, ela me deu um abraço apertado, o que fez meu coração se aquecer, senti o corpo dela fremir, e logo ouvi um soluço abafado, lhe dei um beijo na testa e a assisti ir embora em passos curtos e desajeitados. Depois de alguns segundos a vi desaparecer na escuridão da noite, apenas a lua e alguns postes de luz iluminavam o lugar, me senti imensamente feliz por tê-la visto, por poder senti-la em meus braços novamente, me maltratava muito ver o outro lado da minha cama vazio, e doía ainda mais acordar sem vê-la adormecendo ao meu lado, serena como sempre. Ser acordado por ela, e vê-la usando minhas roupas com o cabelo bagunçado, era a melhor coisa do mundo, mas eu não dava o devido valor. Agora eu seria diferente, já tinha certeza do que queria pra mim, e era dela que eu precisava.
       

Não voltamos a nos ver depois daquele dia, e as coisas pareciam estarem se repetindo, só pensava nela, e as melhores horas do dia, eram as que passávamos conversando, mesmo que fosse sobre coisas sem importância.. Dessa vez eu estava disposto a fazê-la feliz de verdade se ela assim quisesse, por mais que separados, ainda costumamos assistir o pôr-do-sol, e é como se nessa hora do dia, nossos corações se conectassem mesmo que a distância entre nós fosse grande, e eu tinha a certeza de que a amava, e que isso ia ser pra sempre. 
 


Notas Finais


Obrigada pela atenção ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...