1. Spirit Fanfics >
  2. Por entre as esquinas >
  3. 33 - Um Susto

História Por entre as esquinas - Capítulo 33


Escrita por:


Capítulo 33 - 33 - Um Susto


Fanfic / Fanfiction Por entre as esquinas - Capítulo 33 - 33 - Um Susto

Chegamos no apartamento da Dinah e me admirei bela arrumação, já que ela é uma bagunceira.

Eu não estava nem um pouco afim de falar nada sobre o ocorrido,pelo menos por agora. Ela percebeu isso então, foi até a cozinha fez pipoca e trouxe pra gente comer.



Fomos até seu quarto e assistimos nossa série favorita, ela disse que hoje Liam iria dormir na sala. Óbvio que eu não queria deixar né, mais Dinah é Dinah. Quando ela coloca uma coisa na cabeça ninguém tira então, ele foi pra sala.

Algum tempo depois em meio a série acabamos adormecendo. No dia seguinte na parte da tarde decidi contar a Dinah tudo que aconteceu desde que ela saiu da cidade. Cada detalhes, até da minha crise de ciúmes no jantar de negócios do Shawn.

-Sério Mila, eu não acredito que tia Sinu fez isso. - sinto ela tensa - Como ela pode?

-Pois é Dinah, nem eu acreditei. Mais agora eu tô bem melhor sabe. Como dizem "já me acostumei". - me sentei ao lado dela no sofá.

-Não Mila. Nada de se acostumar, você não pode se acostumar com isso poxa, ela é sua mãe.

-Eu cansei de sofrer por isso.

-Ela não se ligou que você fez tudo isso por elas, pra ajudar sua irmã. - ela se levantou - E o dinheiro que você ganhava, você deixava de comprar coisas pra você e ela teve a audácia de falar que não queria. Eu tô muito puta com isso. A tô. - ela andava de um lado pra outro.

-Deixa Dinah. Já passou.

-Mais Mila...

-Não. Chega. Eu não quero mais pensar nesse assunto. Eu só te falei porque você tinha que saber.

-Claro que eu tinha que saber afinal sou ou não sua melhor amiga?

-Claro que é! - ela volta a sentar ao meu lado e nos abraçamos - Agora tem uma coisa que não paro de pensar.



-O que?

-Sobre o que o Shawn falou. Ele me traiu Dinah. - falo e já sinto vontade de chorar.

-Mila vocês precisam conversar antes de decidir alguma coisa.

-Decidir o que? Não tem o que conversar ele me traiu e ponto. - meus olhos começam a embaçar - Porque ele foi fazer isso comigo Dinah? Porque?

-Ei não chora Mila. - ela me abraça - O que você acha da gente esfriar a cabeça e ir pra praia amanhã hein? Vai ser bom pra você.

-Você sabe que não gosto de praias!

-Qual é Mila ? Por causa do seu corpo de novo? - eu afirmo com a cabeça - Seu corpo é lindo quem dera eu tivesse o seu.

-Para Dinah!

-E sério Mila. Olha se prepara que amanhã vamos comprar biquínis e vamos até a praia curtir.

-Quem falou praia - Liam entra na sala.

-Eu convidei a Mila pra ir a praia amanhã. O que você acha?

-Acho uma bela ideia. - ele senta atrás dela abraça sua cintura e beija seu ombro.

-Olha aí, dois conta um. Ganhamos. - ela ergue a mão e ele bate em um highfive com ele.

-Aiii... Tabom, tabom vamos a praia. - acabo me rendendo.

-Yesss - eles falaram juntos e todos rimos.

É... Vamos a praia.

[...]

-Vamos entrar nessa? - Dinah pergunta já mandando, e eu tipo sem opção pra falar não - Olha esse é bonito, vai lá experimentar!

-Dinah na outra loja você fez eu experimentar 5 biquínis! - falo segurando o biquíni que ela encontrou.

-Só 5. Não reclama senão vai ser mais 5 nessa.

-Ta. Tá. Tô indo. - revirei os olhos e entrei no provador.

Essa era a terceira loja que estamos entrando e Deus queira que ela goste de algum biquíni pra mim. Vê se pode?

Se eu gosto ela não gosta, se ela gosta eu não gosto. Um saco isso, não decidimos e não entramos em acordo. Por mim a gente nem teria vindo primeiro de tudo.

Liam já desistiu de acompanhar a gente na primeira loja, ele disse que iria arrumar as coisas na praia pra gente ficar. Então ele foi e deixou a gente comprando as coisas que faltavam.

-Então Dinah? - disse saindo a segunda vez do provador.

-Da uma voltinha.

-Não Dinah.

-Vai Mila, preciso ver se ficou bom, vai - fala fazendo voltinhas com o dedo pra eu rodar.

-Quando você quer ser chata você é sabia?

-Não, mais obrigado por falar. Agora da uma voltinha aí.

Fiz o que ela pediu e por milagre ela gostou, e eu também, então ela comprou o meu e mais um pra ela. Mais claro disse que iria dar a ela a minha parte.





Fomos caminhando pela orla da praia e pelo localizador do celular encontramos Liam. Na verdade só a barraca porque ele não tava.

-Olha onde o beleza tá! - Dinah aponta com a cabeça para o mar e eu olho no momento que liam tá saindo da água e Dinah tem muita sorte Liam é um gato, mais eu já tenho o meu ou tinha. Não sei mais.

-Oi meninas. Demoraram.

-Culpa da sua namorada mega indecisa.

-Sei bem como é! - ele sorri.

-Ei eu tô aqui sabia? - fala abrindo os braços.

-Claro que eu sei meu amor! - Liam agarra ela pela cintura e roda ela no ar, depois se beijam.

-Sem melação tá. Não quero ficar de vela aqui. - me sento na toalha.

-Querem sorvete meninas vou buscar pra gente?

-Eu quero o meu daquele azul que eu nunca sei o nome. - fala Dinah.

-Pra mim pode ser chocolate ou leite condensado tanto faz - depois de anotar nossos pedidos ele vai comprar e ficamos ali tomando sol.

Depois de Liam ter trazido o sorvete, e nós nos deliciado, Dinah ficou me atormentando pra ir para a água.

-Vamos pra água Mila?

-Não Dinah eu não sei nadar.

-Não se preocupa vamos somente onde dá pé, vem. - ela pegou na minha mão e fomos pra água.

Ficamos ali por um tempo curtindo, a água estava uma delicia. Sempre que vinha uma onda um pouco maior ela pegava em minha mão e pulava comigo.

Quando estávamos saindo da água eu olhei em um certo ponto da praia e achei ter visto ele. Mais acho que foi só impressão mesmo, afinal ele não fazia ideia que a gente estaria ali.

Fomos pra debaixo do guarda sol, estava sem condição de ficar direto no sol, tava muito quente.

Um moço com carrinho passou pela gente vendendo coco e compramos 3, um pra cada.

Depois de beber e o que trouxemos para a praia, ficamos descansando. Dinah e Liam começaram a se pegar ali e eu segurando vela.

-Nao sou obrigada a ver isso. Vou pra água tá?

-Uhum - eles resmungaram ainda se beijando.

Sai dali e fui em direção a água mais me deu uma vontade de ir até o banheiro, então mudei de caminho e segui até algumas lanchonetes.

Eu estava com uma sensação estranha, como se tivesse sendo seguida. Olhei pra trás e nada de estranho então segui para o banheiro.

Voltei para a praia, ela não tava muito cheia então encontro fácil os dois. Fui para água, fiquei na mesma direção que eles estavam.

Como não sabia nadar fiquei somente onde a água batia em minha cintura. Eu estava de costas para o mar e não vi uma onda batendo em minhas costas, nisso que ela bateu eu caí, mais logo levantei tossindo e limpando o rosto.

Olhei em direção a praia e novamente parecia ter visto ele. Não consegui ver direito porque a mesma onda que me derrubou estava voltando, ela me levou um pouco pra trás e nisso dei um passo para o lado pra poder me equilibrar, só que eu acabei pisando em falso em um buraco. Nisso eu afundei e acabei engolindo um pouco de água.

Tentava alcançar meu pé no chão mais não conseguia, o desespero começou a tomar conta de mim. Eu iria gritar mas na hora que eu abri a boca a água mais água entrou e comecei a tossir novamente.

Eu afundei e segurei a respiração e quando subir a superfície olhei para a praia ela estava muito longe de mim.

Eu tava perdida.

-SOCORRO... SOCORRO... - eu grito mas duvido muito alguém escutar eu tô muito longe - ALGUÉM ME AJUDA! SOCORRO.

Ergo um dos meus braços e tento fazer algum sinal ou qualquer coisa que alguém possa ver. Vem outra onda e afundo novamente, só que dessa vez não consigo subir. Prendo o ar para não engolir água mas tá difícil, tá difícil segurar. Tá difícil sem respirar.

Bato os braços e pernas tentando subir, mais não consigo eu estou desesperada. A falta de ar é nítida, meu corpo tá pedindo mais se eu abrir a boca vou me afogar.

Meus olhos estão abertos, consigo ver os raios do sol entrando pela água. A cada segundo eu estou indo mais fundo e os raios de sol que estavam nítidos estão começando a sumir.

Agora é sem chance, em um momento se desespero acabei abrindo a boca em busca de ar e a água invadiu os meus pulmões.

Minha visão fica turva, se possível vejo alguém se aproximando, nadando em minha direção. Pisco lentamente a tempo de ver ele, sinto um toque no braço e tudo fica escuro.

[...]

Sinto meu corpo todo dolorido, uma canseira fora do normal. Tento abrir os meus olhos, mas a claridade está muito forte, então fecho novamente.

Tento abrir mais um pouco, dessa vez acostumo com a claridade e abro totalmente os olhos, pisco algumas vezes até minha visão ficar nítida. Vejo que estou em um quarto totalmente branco janela está aberta e os raios de sol atravessam batendo na minha cama.

Puxo a respiração e sinto uma dor no peito, levanto minha mão para passar até o local dolorido, mas vejo alguns fios presos em meu corpo.

Olho melhor vejo que tem uma agulha em minha veia, percebo que estou em um hospital. Flashes do que aconteceu antes passa na minha cabeça. Eu entrando na água, eu pisando em falso, ele vindo em minha direção.

Será que foi alguma visão? Ou realmente ele estava lá?

Sai dos meus pensamentos quando sinto uma movimentação um lado da minha cama. Viro um pouco a cabeça e me deparo com o shawn, ali parado me olhando, com o olhar demostrando preocupação, tento falar mas minha voz está meio rouca por eu ter acabado de acordar.

-O q-que você tá fazendo aqui? - ele levanta da cadeira e vem até a cama.

-Ei calma não se esforça, você precisa descansar. - ele fala todo preocupado.

-Eu não quero descansar, eu quero que você vai embora daqui. - eu não queria ficar próximo a ele, porque sei que não aguentaria.

-Não vou te deixar sozinha Camila, não vou mesmo. E até quando você estiver nessa cama, eu não vou sair daqui não importa que você fale ou o que você diga. Eu não vou te deixar.

-Não importa? Por acaso você se importou comigo quando me traiu? - minha vontade de chorar já estava presente - Eu só quero que você vai embora, eu não quero mais olhar na tua cara. SAIA DAQUI!

-Ei. Ei. O que foi? - fala Dinah assim que entra no quarto - Que gritaria é essa?

-Tira ele daqui Dinah. Por favor.

-Camila pelo amor de Deus me escuta?

-NÃO. Me deixa em paz! - diminui a voz e Dinah sentou do meu lado me abraçando.

-Shawn vamos lá fora um pouco? - Liam chamou o amigo.

-Mais eu quero ficar com ela!

-Depois vocês conversam, agora vamos.

Estou ali agarrada em Dinah e quando escuto a porta se fechando caio no choro.

-Ei... Não fica assim.

-Como não Dinah? Tá doendo.

-Isso vai passar tá. Só dêem um tempo pra vocês esfriarem a cabeça tudo bem?

Naquele dia Dinah ficou comigo até a noite. Ela até tentou passar a noite ali comigo mais eu insisti que ela fosse pra casa, afinal é bem melhor passar a noite em uma cama do que naquela poltrona que não parece nada confortável.

Olhei no relógio da parede e era 21:30 da noite. Eu estava sem sono e não tinha nem uma tv pra me distrair ali, então fiquei olhando os ponteiros do relógio fazendo seu trabalho.

Meus olhos começaram a pesar, e o sono chegou. Mais quando fechei os olhos escutei duas batidas na porta, e ele entrou.

-Você de novo aqui? - perguntei a ele, será que ele não entende eu quero ficar sozinha.

-Camila por favor me escuta?

-Eu já falei que não quero falar com você. Vai embora!

-Por favor me perdoa? Eu te juro que eu não causei uma situação para ela me beij....

-Eu não quero escutar. Sai daqui Shawn me deixa em paz.

-NÃO, VOCÊ NÃO QUER ESCUTAR MAIS VOCÊ VAI!. - ele grita comigo e acabo me assustando, ele respira fundo - Desculpa, deixa eu continuar? - eu não falo nada então ele continua - Camila ela me chamou na sala dela porque disse que tinha algum papel para eu assinar.

-E você caiu no Papinho né? - interrompo ele.

-Cai. Confesso. Eu não pensava que ela fosse fazer isso. Quando cheguei lá ela nem esperou eu entrar direito na sala e já foi me beijando.

-Sei. E você não gostou né?

-Claro que não. No momento que percebi a besteira que estava fazendo eu me afastei. Você precisa acreditem mim Camila. Por favor!

-Eu não quero mais saber desse assunto, você já me magoou demais nesses últimos dias. Não tá satisfeito?

-Eu nunca quis isso. Tanto esse incidente, quanto o jantar, eu não tinha a intensão de machucar você. Desculpa.

-Mais machucou e muito Shawn. - as lágrimas estavam escorrendo por minhas bochechas - Por isso se você quiser voltar pra Miami pode voltar, mais sem mim.

-Que?

-Isso que você ouviu. Eu vou arranjar um jeito de ir pra casa sozinha e depois disso você não precisa mais aparecer.

-Não. Claro que eu não, eu nao vou fazer isso nunca. Eu não vou te deixar.

-Shawn vai ser melhor assim. Tá doendo demais já! Não complica.

-Não decida isso de cabeça quente. Por favor, amanhã uma pessoa vai vir aqui falar com você. Aí depois disso você decide tudo bem?

-Quem vai vir?

-Isso você vai saber amanhã.

-Shawn...

-Por favor. Só até amanhã!

-Tudo bem. Agora que me convenceu você já pode ir. - disse pra ele ir embora mais não querendo.

-Eu vou ficar com você! - eu comemorei internamente não ia dar esse gosto a ele de ver, mais apesar de tudo eu estava feliz e estava sentindo a falta dele.

Eu virei para o lado e fechei os olhos. Desde o dia que brigamos no jantar eu não conseguia dormir direito sempre virava de um lado a outro e demorava séculos até que pegava no sono.

Hoje não tava diferente, mais ainda pelo fato dele também estar se mexendo um monte. Não que eu estava vendo mais eu deduzia pelo barulho.

Eu me virei na cama e fiquei de frente pra ele. Ele estava sentado, de repente ele colocou uma perna no braço da poltrona, depois colocou a outra. Ele cansou dessa posição e sentou novamente, agora ele deitou todo sem jeito.

-Não consegue dormir? - ele abre os olhos e se arruma na poltrona.

-Nao!

-Nem eu.

-Desculpa o barulho, eu te acordei?

-Não. Não foi por isso.

-Não?

-Não é que desde o dia que brigamos eu não durmo direito, eu sinto sua falta do meu lado. - falo sem jeito.

Ficamos em silêncio, sem nada a dizer. Os dois estavam errados e eu estava bem mais eu sei disso, então resolvi ceder.

-Você quer vir aqui?

-Aí? - eu apenas afirmei com a cabeça.

Eu fui um pouco para o lado e puxei a coberta para ele se deitar. No momento que ele fez isso aquele cheiro me invadiu e eu já me sentia em casa novamente.

Eu ergui um pouco a cabeça e ele passou o braço e me puxou para deitar em seu peito. Senti ele depositar um beijo em minha testa e sentindo aquele calor eu finalmente adormeci.

No dia seguinte acordo com minha cabeça apoiada no peito dele, abri meus olhos, olhei pra cima e vi aqueles castanhos me observando e senti minhas bochechas esquentarem.

-Você nunca vai parar de fazer isso né? - ele fala com um riso no rosto e passa o polegar por minha bochecha.

-E você nunca vai parar de causar isso. Né? - falo e encaro ele.

-Não mesmo. Eu amo isso. Eu amo você!

Ele aproxima o rosto do meu e por reflexo passo a língua por meus lábios. Estamos muito próximos que consigo sentir nossas respirações se encontrando, mas no momento que nossos lábios iriam se encostar escutamos batidas na porta.

Ele preciona seus lábios em minha testa e levanta da cama e vai até a porta, coloca a cabeça para o lado de fora e fala com alguém.

-Sim ela tá aqui. Vem entra! - ele fala e dá espaço pra alguém entrar e logo vejo quem é.

-Vou deixar vocês sozinhos. - Shawn fala e sai do quarto deixando boa dois ali.

-Camila?

-Sim. - fiz uma cara de confusa.

-Sou eu Jace. Da reunião, filho do Theodore lembra?

-Há claro - pisquei algumas vezes - Lembro, como vai Jace?

-Não muito bem Camila. Vou ficar melhor se você acreditar no seu namorado.

-Não tem o que acreditar Jace. Ele me traiu, e ponto.

-Não Camila. Ele não te traiu a Bella fez a mesma coisa comigo.

-O que? - não estava entendendo mais nada.

-Isso mesmo. Eu era casado tinha uma vida ótima no lado da minha esposa, a Clary. Mais aí Bella chegou e estragou tudo.

-Como assim? - que filha da puta não é o primeiro relacionamento que ela estraga. Ai se eu encontro ela na minha frente.

-Ela era nova na empresa, e dava em cima de todos os homens, ela é linda isso eu não posso negar, mais eu não estava interessado por ela. Eu estava casado e super feliz com minha esposa, a gente age estava planejando bebê para o próximo ano, mais aí Bella chegou e acabou com minha vida.

-Eu sinto muito por isso. - falei de coração mesmo.

-Obrigado. Eu contei isso para minha ex esposa e pedi a ela uma nova chance da gente recomeçar e - ele sorriu - ela topou.

-Não brinca?

-Sério. Isso faz uns 6 meses mais ou menos e estamos começando tudo de novo, e claro antes dela me aceitar de volta ela foi até a empresa e deu uma surra na Bella que deu gosto de ver.

-Ela fez por merecer né?.

-Fez sim. Por isso eu te peço m uma coisa, não acredita nela. Ela só quer ver ela feliz o resto que se foda. Escuta o shawn! Eu conheço ele a muito tempo e nunca vi meu amigo tão feliz com alguém e não quero que ela estrague como ela fez comigo. -  silêncio permaneceu no quarto até que ele volta a falar - Bom, já fiz o que eu devia fazer, e se mesmo assim você não acreditar, tem o vídeo da sala dela Camila, eu mandei no celular do Shawn.

-Obrigada.

-Perdoa ele Camila, a Bella é um monstro que só pensa em dinheiro e nela mesma - ele caminhou até a porta e antes de sair se despediu - Tchau.

Ele acenou com a mão e saiu do quarto, eu fiquei sem saber o que fazer, em seguida Shawn entrou e sentou na cama. O silêncio prevaleceu naquele quarto. Ele logo mexeu no celular e estendeu pra mim, eu prontamente peguei e apertei o play.

Não acreditei no que vi, o vídeo não tinha uma boa qualidade mais consegui ver que aquela mulherzinha é uma desgraçada. No vídeo tinha também áudio e pude escutar toda a conversa deles. Logo começou outro vídeo esse era do Sérgio, e no momento que a esposa entrou na sala ela beijou ele. Até parecia ser planejado. Que vagabunda!

Eu que deveria confiar na palavra dele mais o ciúmes falou bem mais alto. Só que com esse vídeo pude ver quem estava errada era eu.

-E agora? - ele deu uma pausa e logo continuou - Acredita em mim? - ele disse com os olhos suplicando perdão.

-Me desculpa - falei e meus olhos começaram a arder - Me desculpa não acreditar em você?

-Ei. Não se preocupa, tá bom. O que importa é que você acredita agora. Agora esquece isso deixa ela pra lá. Só saiba que eu nunca trairia você meu amor.

-Mais ela vai ter o que ela merece. A se vai. - pela primeira vez quero vingar e ela vai ser minha vítima.

-O que você tá pensando em fazer?

-Não precisa se preocupar, é só uma coisa que preciso fazer para me sentir mais aliviada.

-Tudo bem então. - ele se aproximou mais e se inclinou.

Seu rosto estava próximo ao meu novamente e quando nossas bocas iriam tocar a porta é aberta com tudo.

Olho para a mesma e vejo uma Dinah toda eufórica e um Liam todo a jeito atrás. Ele olha pra gente com um olhar de desculpas pelo jeito da Dinah. Mais como conheço minha melhor amiga esse é o jeito normal dela.

Ficamos conversando por um bom tempo, Shawn estava ao meu lado com o braço em volta da minha cintura e Dinah estava no colo do Liam na poltrona.

Escutamos uma batida na porta e o doutor logo entra para me dar alta.

Shawn queria que eu fosse para o hotel com ele, já Dinah queria que eu fosse com ela. Mais eu tinha um assunto pra resolver e teria que ser agora, afinal não sabia quanto tempo mais eu ficaria aqui e nem sabia quando iria voltar.

-Dinah vamos comigo em um lugar ?

-Claro. - isso é uma das coisas que eu gosto nela se você chamar ela está sempre pronta para você, isso que é uma amiga de verdade.

-Espera meninas onde vocês vão? - pergunta Liam.

-Assuntos femininos garotos. - falo e vou em direção ao Shawn.

-O que você vai aprontar heim? - fala ele fazendo carinho em minha bochecha.

-Com certeza uma coisa que eu não vou me arrepender depois.

-Nossa que determinada. - ele aproxima seu rosto do meu e quando vai me beijar eu afasto.

-Sempre. - sorrio.

-Mais antes de ir mata minha vontade, mata?

-Posso saber do que?

-Claro. Dos seus lábios - ele passa o dedo em meus lábios.

-Aí gente se beijem logo! - Dinah disse sem paciência.

E ele não esperou mais nada e grudou nossos lábios em um beijo lento e cheio de saudade. Nossas línguas sentiam o sabor uma da outra. Como esse homem beija bem Jesus. Finalizamos o beijo em dois selinhos.

-Preciso ir.

-Tudo bem. Te espero na casa do Liam então?

-Uhum - dou mais um selinho nele.

Olha para trás e vejo Dinah se agarrando com Liam. Ela estava quase deitada sobre ele em cima da cama no hospital, eu não quis nem saber fui lá e puxei ela daquele quarto para fora.

-Pra onde vamos? - Ela perguntou assim que chegamos dentro do seu carro.

-Empresas Sagav. - entro no lado do carona.

-Tá legal bora. - ela liga o carro e saímos.

A  empresa não era longe, era perto daqui a cerca de 10 minutos de carro, ao chegar lá passei pela recepção informei que queria falar com o senhor Theodore.

-Oitavo andar. - a moça me fala me entregando um cartão pra mim e um pra Dinah .

Fomos até o elevador e depositamos o cartão e subimos. Quando chegamos ao oitavo andar, fomos até a mesa da secretária do Senhor Theodore.

-Boa tarde, o senhor Theodore?

-Por favor me acompanhem.

-Claro! - olhei para Dinah e seguimos a moça.

Ela entrou na sala e alguns segundos depois saiu nos dando a passagem.

-Camila! - Theodore nos recebe alegre.

-Senhor Theodore! - vou até ele e aperto sua mão.

-Sem o senhor por favor, ele tá no céu - ele diz brincalhão.

-Tudo bem, me desculpe.

-Ao que devo a honra. - ele apontou para cadeira - sentem se por favor. Você é? - disse referindo a Dinah.

-Ah que cabeça a minha. Essa é minha melhor amiga Dinah.

-Prazer Dinah!

-O prazer é todo meu, ouvi falar muito bem do senhor.

-Que bom fico feliz. Mais o que te trazem aqui?

-Eu gostaria de me desculpar com o senh-você - me corrigi rapidamente - Pelo ocorrido no jantar, eu sinto muito.

-Não se preocupa, Bella as vezes passa dos limites.

-Pois é, confesso que fiquei muito mal com o que eu vi.

-Tenho certeza que Shawn nunca trairia você, principalmente com ela né. Bella se não mudar rapidamente nunca vai conseguir nada na vida.

-Bom. Eu só vim aqui pra isso mesmo, vamos voltar a Miami logo e queria me desculpar.

-Não. Sério ?

-Sim. Mais tenho certeza que irei voltar mais vezes, agora que encontrei minha melhor amiga de novo não quero nunca mais perder o contato. - falo apertando a mão da Dinah.

-Então uma ótima viagem e te vejo novamente?

-Claro que sim. - Theodore nos abraçou e saímos da sua sala.

Ao passar pela recepção Dinah já estava no elevador, fiz um sinal pra ela me esperar e voltei a mesa da secretária.

-Oi, por gentileza onde fica a sala da Bella?

-Desculpa eu não tenho autorização pra falar.

-A por favor eu tô indo embora hoje e gostaria de me despedir. - fiz uma cara triste, ela ficou pensativa se deveria ou não falar.

-Tudo bem, fica no quinto andar.

-Muito obrigada - Dou um sorriso gentil a ela e volto ao elevador.

-Quinto andar Dinah. - me aguarde "Bell"

-Sim senhora. - Dinah apertou e começamos a descer.

Ao chegar lá não tinha nenhuma secretária e somente uma porta de entrada, deduzi ser a dela.

-Me espera aqui que vou resolver uma coisinha.

-Vai la, e arrasa. - bati um highfive com ela e sem pensar duas vezes entrei naquela sala.

Ela se assustou com a minha entrada mas logo o seu olhar suavisou ao ver quem era.

-Olha quem tá aqui? Camilinha, como vai querida.

-Não muito bem sabe, mais logo vou ficar mais... leve.

-É? O que aconteceu.

-Descobri que tem uma vagabunda sem vergonha aqui nessa cidade você acredita?

-Nossa sério? Que horror.

-Pois é, e ainda tem mais.

-Mais?

-Sim. Ela adora destruir o relacionamento dos outros.

-Nossa que horror! - ela fala levando a mão no peito.

-Pois é. Acho que alguém deveria ensinar uma lição a ela.

-Também acho. - vou me aproximando.

-O que você acha disso?

-Disso? O que?

-Isso... - acerto minha mão em cheio no rosto rebocado dela.

-TA MALUCA? PORQUE FEZ ISSO? - ela leva a mão até omde eu bati e começou alisar o rosto.

-PORQUE? PRA VOCÊ APRENDER A NÃO TENTAR DESTRUIR O RELACIONAMENTO DOS OUTROS SUA BRUACA. - sorri e me aproximei dela e agarrei seus cabelos da nuca com força - E claro pra você não se esquecer de mim. - deixei minha mão acertar o outro lado do rosto dela, nisso que bati ela se desequilibra e cai - A desculpa por isso. - dou uma risada sem graça - É que é pra ficar igual sabe? - apontei com o dedo os dois lados da minha bochecha - Os dois lados.

Antes de fechar a porta joguei um beijo no ar pra ela e saímos daquele prédio, Dinah ficou de boca aberta com minha reação e fomos rindo do ocorrido até chegar em seu apartamento.

Ao chegar lá vimos Liam e Shawn tomando uma cerveja e assistindo futebol. Cumprimentamos nossos namorados e seguimos até a cozinha. Dinah queria preparar um bolo para comermos antes da gente ir embora. E claro que queria curtir mais minha melhor amiga. Até a hora de ir.

-Vamos ? O jatinho está esperando a gente. - Shawn fala depois de sair do celular, deveria estar falando com o piloto.

-Sério? - faço um bico nos lábios.

-Sim hoje era nosso último dia aqui. Mais podemos voltar outras vezes.

-E se eu não quisesse te perdoar e não fosse? - faço sinal sugestivo a ele.

-Eu te levaria na marra. - ele fala e ri.

-A é? Bom saber. - ele passa os braços por minha cintura e me levanta até eu ficar na altura dele. Eu passo meus braços por seu pescoço e beijo seus lábios.

-Bom. Então acho que temos que nos despedir? - ele me dá um selinho.

-Pois é. Mais o bom agora é eu tenho um namorado que pode me trazer aqui não é? - falo enquanto fico de costas pra ele e ele apoia o queixo em minha cabeça e me abraça.

-Pode apostar que vamos vim mais vezes.

-Agora vem cá e me dá um abraço. - Dinah fala e abre os braços.

Depois da gente se despedir, chamamos um táxi e fomos para o aeroporto de volta à nossa vida.

See you later *-*

##



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...