1. Spirit Fanfics >
  2. Por entre as esquinas >
  3. 34 - Mãe

História Por entre as esquinas - Capítulo 34


Escrita por:


Capítulo 34 - 34 - Mãe


Fanfic / Fanfiction Por entre as esquinas - Capítulo 34 - 34 - Mãe

Voltamos de viagem e fomos direto pra casa dele eu não queria ficar porque teria que ir cedo pra ajudar Ally. Ja fiquei tempo demais fora e deixei ela na mão.


-Vai amor fica comigo hoje! - ele pede abrindo a porta do carro pra mim.


-Meu bem eu tenho que trabalhar cedo amanhã. - faço bico.


-Mais eu tô com saudades e depois da nossa reconciliação e gente não fez uma coisa.

-O que a gente não fez? - estreito os olhos.

-Sexo de reconciliação! - ele fala simplismente.

-SHAWN!! - dou um tapa em seu braço.

Olho para o lado e vejo que Jordan está rindo, droga ele escutou e meu rosto logo começa a esquentar.

-O que foi? Nunca ouviu falar disso não?

-Não. - falei e passe rapidamente por Jordan sem olha-lo e comecei a subir as escadas.

-Pois eu vou te falar. - ele com vá a subir atrás de mim - Não que eu saiba disso, mais eu escuto falar que esses são os melhores.

-Humm sei.

-O que você acha da gente testar? - ele fala assim que chegamos na porta do seu quarto, paro e viro de frente pra ele.

-Testar é? - ergo as sombrancelhas.

-Uhum - ele coloca as mãos em minha cintura e eu passo os braços por seus ombros e fomos caminhando para dentro.

-Acho melhor não. Eu tô cansada e amanhã o dia vai ser cheio.

-Camila... - fala ele frustado.

-Ou a gente deita e dorme ou eu vou embora? Você escolhe.

-É que ele tá com saudades - ele fala e aponta para baixo no meio das suas pernas onde sua ereção já dá sinal. Eu me seguro para não rir do desespero dele.

-Outra hora eu mato essa saudade que ele está de mim e eu a dele. - dou um selinho nele e ele me segura intensificando o beijo.

Eu mesmo querendo não sair dos seus braço me esquivei e fui até o banheiro tomar um banho rápido, volto de lá apenas de lingerie e um hobby ele me olha e leva as mãos ao rosto e eu sorrio. Vou até a cama e me deito, me viro de lado e ele deita de conchinha comigo.

Confesso que estava tentador a ereção dele cutucando e roçando na minha bunda, mais tentei não pensar nisso e acabei adormecendo.

Acho que nunca dormi tão bem na minha vida. Na verdade dormir e acordar ao lado dele é simplismente incrível e claro em uma cama decente melhor ainda do que aquela minúscula do hospital, mais como eu só tirei um cochilo nas poltronas do jatinho, eu estava muito cansada e o sexo poderia esperar.

Acordei mais fico com os olhos fechados por uns minutos até que não consigo mais, e abro, na hora que faço isso me deparo com o ser mais lindo desse planeta dormindo serenamente em minha frente. Fico ali observando ele dormir, com a respiração tranquila.

Mais eu preciso ir. Tento me mexer mais não consigo, os braços de Shawn me rodeiam, como se fosse para eu não fugir.

Tento retirar os braços dele de minha cintura mais é em vão. Ele aperta mais, sorrio internamente.

Levo minhas mãos em seu rosto contornando cada traço, começo a fazer carinho, ele sorrir e respira fundo.

-Ei? - dou um beijo na ponta do seu nariz - O coisinha fofa? - beijo sua bochecha - Vamos acordar vamos, eu preciso trabalhar. - beijo sua boca.

O beijo que eu dei nele era um simples selinho, só que quando eu fui me afastar, ele me puxou de volta e pediu passagem com a língua e eu aceitei.

Quando o ar nos faltou ele finalizou o beijo com selinho. Ele me girou na cama e ficou por cima de mim e me deu um sorriso lindo.

-Bom dia, linda.

-Bom dia, lindo.

-Fica aqui mais um pouquinho, a Ally não vai se importar. - ele faz um bico nós lábios e eu logo selo com os meus

-Não vai né? - estreito meus olhos.

-Ela é boazinha.

-Ela é boazinha mais é minha chefe e se eu faltar mais um dia ela me mata.

-Vamos namorar um pouquinho. Vamos. - ela fala beijando meu pescoço - Estou com saudades.

-Nem pensar. - levo a mão até seu rosto o afastando.

-Amor - ele faz um bico nos lábios que eu não resisto e beijo.

-Vamos saia de cima de mim. Tenho que levantar.

-Tudo bem. tudo bem.

Ele sai de cima de mim e deixa eu levantar. Pego o lençol e coloco sobre meu corpo e vou em direção ao banheiro para tomar um banho.

Antes de fechar a porta eu dou uma olhada para trás e deixo o lençol cair deixando meu corpo a mostra, vejo ele vindo correndo em minha direção eu tento ser rápida e consigo. Entro no banheiro fecho e tranco a porta antes dele chegar.

Consigo escutar ele reclamar por trás da porta e dou um sorriso travesso. Em seguida ligo o chuveiro e tomo um banho rápido.

-Meu pai acabou de me ligar e me avisou de uma festa na próxima semana. A festa do Branco. - ele diz logo após eu sair do banho.

-Você e essas festas. - estreito meus olhos - Só tô de olho.

-Vem comigo? É uma tradição na empresa e esse ano eu que vou comandar aqui nessa filial.

-Shawn eu não tenho roupa pra isso não!

-Mais nem uma roupinha branca? Pode ser qualquer uma.

-Eu vi um vestido em uma vitrine perto do abrigo, vou ver se Ally me adianta algum dinheiro pra eu poder comprar, aí eu vou. Se não sinto muito mais não vou toda desleixada pra uma festa desse porte. - falo passando a toalha em meus cabelos.

-Não precisa disso tudo não. - ele vai até a carteira - Mais eu posso te ajud...

-Não. Nem vem Shawn! - falo indo até o banheiro pra deixar a toalha pendurada.

-Camila?

-Não. - vou saindo do quarto.

Estou descendo a escada da casa do Shawn, e ele vem atrás de mim insistindo para eu pegar o dinheiro. Quando chego na sala principal ele me para e oferece novamente.

-Vai Camila pega esse dinheiro e compre o vestido que você viu.

-Não precisa shawn. Eu vou arranjar um jeito.

-Se você não pegar eu mesmo vou falar com a Ally para comprar o vestido pra você.

-Você não faria isso?

-Pode apostar que sim. Vai pega! - ele estica a mão com algumas notas e eu mesmo não querendo acabo pegando.

Quando eu abro a boca para responder escuta uma voz muito conhecida, e travo no lugar.

-O que essa ladra faz aqui? - conheço muito bem essa voz e meu corpo gela.

-Mãe? - arregalo meu olhos e fico em choque, eu nem sei como consegui falar algo.

-Não me chama de mãe. Porque isso nunca mais eu vou ser pra você. - consigo ver a raiva em seus olhos.

-Mãe por favor. - tento me aproximar e ela se afasta.

-Não Camila. Não. - ela da uma risada sarcástica - Além de ladra agora é uma puta. Ou o que? Ele tá te pagando pela noite que tiveram é? - eu não consigo falar nada - Era assim que você ganhava aquela porcaria de dinheiro?

-Eu não sou isso, não fala assim. - falo com a voz trêmula e abaixo a cabeça.

Shawn fica ali olhando de um lado para o outro sem saber o que fazer e sem saber o que estava acontecendo.

-Espera. O que tá acontecendo aqui? - ele pergunta. Nós duas continuamos em silêncio. E ele insiste. - Não vão falar nada agora? Alguém pode me explicar o que tá acontecendo? - ele aumenta um pouco a voz.

-Ela é minha mãe. - falo entre as lágrimas depois de um tempo.

-O que? - ele me olha desacreditado.

-Eu ERA a mãe dela.

-Como assim Sinu, você é mãe dela? Então foi você que expulsou ela de casa? Como você pode? Eu não acredito nisso - diz Shawn levando as mãos á cabeça - Como não percebi isso a Sofia sua cara. Meu Deus.

-Foi. Foi eu sim que expulsou essa ladra de dentro da minha casa. E vejo que ela arranjou um emprego se puta!.

-Você tá me chamando de puta? - eu não acreditei no que ela disse acabei perdendo os rumos e gritando com ela - VOCÊ ACHA QUE SOU PUTA É ISSO? - caminho e me aproximo dela.

-ACHO! - ela ergue a mão e acerta em meu rosto - E não aumenta a voz pra mim.

-POIS VOCÊ TA MUITO ENGANADA. EU NÃO SOU ISSO, E NUNCA VOU SER. NUNCA. - levo a mão ao meu rosto e sinto ele arder - E outra eu ergo a voz com quem eu quiser, ainda mais pra você que não é mais minha mãe.

Falo e ela me olha cheia de raiva e dessa vez eu não me arrependo de nada que disse. Nosso olhar está travando uma batalha e nenhuma de nós desvia, até que ela fala.

-Vou voltar pra cozinha, eu não tenho mais nada pra falar com essa vagabunda aí.

-CHEGA EU NÃO VOU ADMITIR QUE VOCÊ FALE ASSIM DENTRO DA MINHA CASA! - Shawn grita e eu me assusto com o tom de voz dele - Isso é jeito de mãe e filha se tratarem? - ele olha de um lado para outro - Ela errou sim, mais foi por uma boa causa, pra ajudar vocês. Me fala quem nunca errou? - ele olha pra ela - Heim? Eu já errei muito Sinu, eu era um galinha, pegava uma mulher por dia. Mais eu mudei, mudei por ela que me mostrou o que realmente importa, que é o amor que eu pensei que nunca sentiria.

-Mais ela não teve amor na família del... - ela tenta falar mais ele corta.

-Teve sim. Não é atoa que ela se arriscou tanto a ponto de roubar pra isso. Ela se arriscou por vocês, pela irmã que ela tanto sente a falta, por você. - apontou pra ela e foi se aproximando - Você sabe o que ela sofreu?

-Não. Mais eu...

-Você também, é eu sei. Mais ela eu vi, ela morou na rua convivendo com os perigos dia por dias, e semanas por semanas, ela buscou nas drogas um meio de sumir com a dor que ela sentia. ela se envolveu com as drogas você tá entendendo? Ela quase morreu tendo uma overdose no dia que você humilhou ela na frente da sua casa. - as lágrimas não paravam de sair dos meus olhos.

-Que? - ela desvia o olhar do Shawn e me olha.

-É isso mesmo. Ela também passou o Natal sozinha sem a presença da família dela e só não passou a virada de ano porque eu estava lá pra ela. Então não venha dizer que você sofreu mais que ela não, porque você tinha sua casa, sua cama, a Sofia e as ligações do seu marido. E ela? - ele aponta pra mim - Sabe o que ela teve? - ela balança a cabeça negando - Ela teve que dormir no chão bruto,  no frio, na chuva em meio de tanta gente má, mais ela também conheceu pessoas boas como a Ally que é uma irmã mais velha dela.

-E-eu não sabia d-disso! - consigo ver algumas lágrimas escorrendo por seu rosto.

-Claro que não, você não tinha ideia disso. Mais ela passou por isso e outras coisas também. Então Sinu não julgue sem conhecer a história por trás das coisas. - ele me olha e sorri - Mais sabe de uma coisa? Eu agradeço você por isso!

-Agradece? - nos duas olhamos pra ele.

-Sim agradeço Sinu. Porque graças a isso, graças a você ter expulsado ela de casa eu conheci a pessoa mais incrível desse mundo, uma pessoa que se importa com o próximo, uma pessoa que me mostrou o que realmente felicidade e amor. Ela me ensinou a amar, e eu aprendi. E eu tenho orgulho de mostrar isso a ela todos os dias. Essa é a minha namorada. Essa é a sua filha e essa é a Camila.

Minha mãe não desvia o olhar se mim, consigo ver ela com a mão na boca se controlando para não chorar e eu já desisti disso desde a hora que o Shawn começou a falar.

Ela pisca algumas vezes deixando umas últimas lágrimas caírem. Até que ela se vira e praticamente corre até a cozinha, eu a acompanho com o olhar até sumir das minhas vistas.

-Ei - ele se vira e estica os braços pra mim e eu corro me acolher - Não fica assim meu amor.

-Como não vou ficar? Você viu como ela falou comigo?

-Calma tá. Espero que com o que eu disse, consiga mudar um pouco a cabeça dela.

-Tomara que sim.

Ele se senta no sofá e me puxa pra ficar no colo dele. Eu deixo minha cabeça afundada em seu pescoço sentindo aquele cheiro que me acalma.

Fecho os olho lá e fico ali recebendo, o carinho que ele me dá. Depois de um bom tempo ali, agarrados, nós levantamos e vamos em direção ao carro.

-Tomara que trabalhando eu consiga esfriar a cabeça.

-Vai sim meu amor. Mais antes da gente ir, eu queria te mostrar uma coisa.

-Que coisa ?

-Você vai gostar. É o meu mais novo projeto, meu sonho se tornando realidade.

-Estou ansiosa.

Entramos no carro e seguimos até o tal lugar, era no centro da cidade á alguns quarteirões do edifício da Mendes Enterprise.

No caminho fui cantarolando músicas que tinha feito e escrevendo alguma canções tambem, em meu inseparável caderno de anotações que comprei.

Colocava ali todas as minhas ideias, pra um dia colocar tudo em prática. Como Ash sabia tocar, iria chamar ela pra gravar comigo alguma canção para o canal. Espero que ela aceite.

-Chegamos! - ele fala e eu me assusto.

-Nossa que susto. - falo e rio.

-Tá no mundo da lua é? - ele desliga o carro e olha para mim.

-Tava aqui pensando em chamar a Ash para gravar comigo alguma música para o canal.

-Acho uma boa ideia, mas por enquanto. - eu fico sem entender o que ele disse.

-Por enquanto? - fico com um ponto de interrogação na cara.

-Sim, Por que mais para frente você vai usar esse lugar aqui ó! - ele aponta para o meu lado e vejo um lugar em reforma.

-O que vai ser aqui? - pergunto vendo alguns homens trabalhando.

-Meu sonho se realizando... Meu estúdio!.

-Não brinca! - me viro pra ele.

-Não estou. Está no começo ainda dá reforma mais logo irá ficar pronto. - consigo ver os olhinhos dele brilhando ao falar.

-Uau - puxo para um beijo - Parabéns por essa realização, estou muito feliz por você.

-Obrigado meu amor, é muito importante seu apoio. - ele sorri e estrita os olhinhos.

-Mais claro que irei apoiar sempre - dou um selinho estralado - Posso ver ?

-Claro, por isso estamos aqui. Vamos.

Saímos do carro e entramos no lugar, estava muito barulho devido aos pedreiros estarem construindo, mas logo que entramos em uma das salas o barulho cessou, percebi já estar com isolamento acústico.

-Chefe como vai?

-Oi Pedro tudo ótimo e você?

-Melhor impossível chefe, e as obras estão evoluindo rapidamente.

-Pois é. Eu estou vendo, logo ficará pronto.

Eu fui dar uma volta pelo local, e deixei eles ali resolvendo as coisas sobre o estúdio. Estava no terceiro andar olhando a vista de lá se cima, até que sinto braços rodeando minha cintura.

-Te achei.

-Desculpa sumir, não queria atrapalhar vocês.

-Você não atrapalha - ele beija meu pescoço e eu me arrepio. - O que você acha de tomarmos um café? - ele fala me virando de frente pra ele.

-Acho uma boa ideia. - jogo meus braços por seu pescoço e puxo ele para encostar nossos narizes.

-Vou lá do outro lado da rua comprar.

-Não. Fica com seus funcionários ai, vocês tem muito o que tratar eu vou comprar.

-Sério? Não vai ser em incômodo?

-Claro que não - dou um selinho nele e descemos até o primeiro andar novamente - já volto.

-Ei espera. - ele pega sua carteira e me entrega seu cartão.

-Qual a senha ?

-Você sabe.

-Não sei não.

-Uma dica então. Nosso primeiro beijo. - ele fala e eu fico se boca aberta, não posso acreditar nisso.

-Não acredito que você de isso? Você colocou a data do nosso primeiro beijo de senha?

-Pois acredite. Eu fiz!- vou até ele e lhe dou um selinho.

-Que namorado mais bobo eu arranjei!

-Totalmente bobo por você. - ele me dá mais um beijo e vou até o outro lado da rua.

Vou até a cafeteria do outro lado da rua e compro dois cafés e dois bolinhos. Quando viro as costas para o balcão no sentido de sair da cafeteira, vejo um par de olhos me encarando.

Pensei que nunca mais fosse ver ele.

-Camilinha? - ele fala com um sorriso no rosto se aproximando de mim.

-Austin?



-E aí como vai? Quanto tempo a gente não se vê.

-Pois é verdade. - falo e vou caminhando para fora e ele me acompanha.

-Tá afim de tomar um café? Ou sei lá sair qualquer dia desse. A gente podia repetir nosso último encontro no colégio né?

-Eu acho melhor não Austin.

-Porque não? Você não gostou do nosso beijo?

-Não. Não é isso. - na verdade era sim.

-Então? O que acha da gente repetir? - ele dá mais um passo em minha direção.

-Não Austin. - ele tenta se aproximar mais e eu levo a mão a minha frente impedindo ele.

-Camila? Algum problema?

-Não meu bem, só encontrei um colega de colégio. - apontei para Austin - Shawn esse é Austin, e Austin esse é Shawn meu namorado.

-E aí beleza? Sou Shawn Mendes. - Shawn levanta a mão para cumprimentar ele.

-Mendes? Das empresas Mendes Enterprise? - Austin estreita os olhos.

-Isso mesmo. E você é Austin do que mesmo?

-Isso não vem muito ao caso. - ele disse meio sem graça. E o silêncio prevaleceu naquela rua.

-Bom. Vamos? - falei quando já estava ficando constrangedor.

-Claro meu amor. - ele me dá um beijo em minha testa quando olho pra ele.

-Legal te ver Austin. Tchau. - me despedi rapidamente nem saímos.

Shawn passou o braço por cima do meu ombro e saímos daquele lugar. Senti uma coisa estranha no olhar que ele nos deu, mais não deve ser nada. Deve ser coisa da minha cabeça. Entreguei o café dele e voltamos até a gravadora.

Aquele lugar estava ficando maravilhoso, só de pensar que quando ficar tudo pronto eu vou poder gravar ali. E meu sonho vai estar em uma grande parte realizado.

Não vejo a hora.

See you later *-*

##



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...