1. Spirit Fanfics >
  2. Por fora frio, Por dentro quente >
  3. O egoismo e a frustração do não reciproco

História Por fora frio, Por dentro quente - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Mais um capitulo reflexivo do tio Eren, mas a partir do próximo as coisas vão apertar, principalmente com Erwin, enfim obg pelos favs e aos que estão acompanhando ^^

Capítulo 6 - O egoismo e a frustração do não reciproco


Eren

 

Pensando bem essa tinha sido mais uma de suas atitudes novas. Quando o cabo frio e tão sem sentimentos ia suplicar para que eu permanecesse do seu lado. Seriam tempos de crise? Ou Levi estava de alguma forma amadurecendo seus sentimentos e começando a ver as coisas como são? Preferia não me dar ao luxo de criar esses tipos de expectativas. No final eu sempre me feria esperando que fosse recíproco. Naquele momento eu o observava ressonar, vislumbrando o semblante calmo. Não parecia o homem arredio que sempre trata todos com grosseria, ele estava sereno como uma criança ao dormir, os olhos fechados com os cílios grandes que caiam na pálpebra inferior de forma lenta.

A respiração era controlada e calma, e seu peito descia e subia como se fossem ondas quebrando em meio ao oceano. Gostava de ficar olhando por um tempo, e quando se mexia desviava a atenção achando que poderia acordar e perceber o quanto sou idiota por achar seus gestos tão bonitos. Mas quando se era um idiota apaixonado pelo próprio superior, eu sabia bem como agir.

Não demorou a que eu levantasse. Abri as cortinas e o sol rachava ao horizonte, pensei que poderia ter Erwin atrás de mim logo pela manhã, mas Hanji disse que ele controlava sua parte exigente quando o cabo estava por perto, talvez uma maneira de surpreendê-lo em nome da amizade que ambos tem. Isso me revira o estômago de um jeito louco, a relação dos dois me causava ânsia. Eu provavelmente não confiava naquele loiro maquiavélico, de algum modo sentia que controlava cada passo de Levi como se fosse um peão num tabuleiro de xadrez. Seria soberba? Ou ele também nutria sentimentos pelo seu braço direito. Pensei nisso de um modo profundo, o que me fez morder o lábio tentando conter minha própria fúria ao pensar. Doía o estômago ao imaginar tal cenário, eu sei que isso é tolo de pensar, porque Levi nem ao menos se importaria se eu estivesse com ciúmes de ambos estando juntos de alguma forma. Bem, tratei de larga estes devaneios quando vi que o sol brilhava lá fora, era hora de começar as minha obrigações, o maior estava de repouso por conta da torção na perna então teria de respeitar  seu tempo de descanso.

Sai do quarto disparado e dei de cara com Armin  andando como um cão sem dono, em seus olhos vi um pouco de medo, algo ele sabia para estar tão demasiado espantado, bom, aquilo me parecia uma péssima premonição, se assim poderia dizer, e tinha quase certeza que isso fazia parte da missão do Ackerman, algo que não queriam me contar, esconder os titãs tinha se tornado um trabalho árdua de cada um, pelo fato do meu ódio contra as criaturas que dizimaram minha família.

A pior parte é saber que eles queriam me ver longe das missões ou se quer saber de algo, mas odiava ser excluído, afinal faço parte da tropa como todos era injusto não estar a par dos passos. Finalmente pude tocar no ombro do loiro e apertar numa forma de conforto, sabia que estava muito preocupado, só não exatamente com o que. Não iria interroga-ló pelo simples fato de que Armin é meu amigo, e jamais iria querer causar algum mal a ele lhe assustando ou pressionando.

- Desculpe Eren, estou viajando com a possibilidade dessas criaturas voltarem ao nos atormentar não quero ter que lutar novamente e perder meus companheiros, muito menos ver você sofrer  novamente por ser um deles, isso é tão injusto. Foram dias e noite lutando contra aquelas coisas, teremos mesmo de passar por tudo novamente. – Falou empático dos seus sentimentos. A parte que mais gostava em si, era sua empatia e preocupação por todos, ele fazia sempre questão de que seus amigos estivessem o bem  preservados.

- Armin, precisa manter a calma, não temos essa  certeza ainda. – Afirmei sentindo minhas veias tencionarem com o nervosismo. – Ao menos o Levi não quis dizer se existe essa possibilidade, então é melhor mantermos a calma enquanto nada é realmente comprovado.

O loiro assentiu com a cabeça, então o abracei e o apertei contra os meus braços. Lembrei do começo quando entramos na tropa, éramos os mais próximos e logo depois chegou Mikasa com aquele seu jeito de turrona, até que nos afastamos, ela agora seguia os passos de Erwin o tempo todo, acho que o único amigo que me restou fora o tão inteligente Armin. De certa forma isso era previsto, ela sabia da minha relação com o maior, e isso nos afastou num determinado ponto. Tinha me cansado de suas atitudes controladoras contra mim, o que eu podia fazer se não conseguia ser recíproco com seus sentimentos?

Depois de ter ficado um tempo com Armin, resolvi sair e dar uma volta por fora do batalhão, precisava respirar algo que não fosse aquele ar pesado de pânico.

Isso me assombrava, não queria ter que me transformar naquelas coisas de novo para salva o lar onde nasci e vivi sempre. Sentei na grama e me estiquei ficando deitado e observando as nuvens passarem numa ritmo lento. Queria tudo fosse assim, nada de confusão, de luta, pessoas morrendo. Uma vila destruída, e termos que reconstruir.  Nossos começos nunca eram fáceis, recomeçar sempre fez parte de todos nós. Seria esse nosso destino de algum modo? Preferia afastas esse pessimismo, e pensar que já tínhamos vencido, perdemos e ganhamos tantas vezes.

A brisa leve tomou conta do meu rosto, e então fechei os olhos aproveitando aquele momento de calmaria, em minha cabeça veio Levi novamente, tentei imaginar se ele tinha passado por algo traumático na sua missão, ele  parecia diferente do homem de antes, não estava tão agressivo, falava com calma, e seus olhos eram mais piedosos do que antes. Fiquei mexido, senti que algo crescia em mim, quando o que eu mais queria era que meus sentimentos se apagassem de uma vez para que não tivesse mais que sofrer com as expectativas que ele me fazia criar. O egoísmo às vezes nos leva a querer demais do outro, quando não se pode ter é realmente frustrante. Sabia que jamais teria isso, mas preferia acreditar num amanhã diferente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...