1. Spirit Fanfics >
  2. Por Lugares Incríveis - 2yeon version >
  3. Cap. 13

História Por Lugares Incríveis - 2yeon version - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Lembrando pessoal, >>>na fanfic<<< a Jeong possui transtorno de personalidade

Capítulo 13 - Cap. 13


NAYEON 

151 DIAS PARA A FORMATURA

Segunda de manhã. Primeira aula

 Todos estão comendo a última postagem da Boatos de Bartlett, a revistinha de fofoca do colégio que não só tem o próprio site, como parece tomar conta da internet inteira

"Heroína do último ano salva colega louca de pular da torre do sino"

Não citaram nomes, mas tem uma foto do meu rosto, olhos assustados atrás do óculos da Jihyo, franja torta. Pareço o "antes" de uma transformação. Também tem uma foto da Yoo Jeongyeon

A editora do jornal da escola, lê o artigo para suas amigas em voz baixa e enojada. De vez em quando, elas olham na minha direção e balançam a cabeça, não pra mim, mas para o perfeito exemplo do pior jornalismo

São garotas inteligentes que falam o que pensam, Eu devia ser amiga delas, não de Lisa. Nessa mesma época no ano passado, eu teria conversado e concordado com elas e escrito um texto crítico sobre fofoca no ambiente escolar. Em vez disso, pego minha mochila e digo ao professor que estou com cólica. Passo pela enfermeira e subo a escada até o último andar. Arrombo a fechadura da porta que leva à torre do sino. Vou apenas até a escada, onde sento e, com a luz do celular , leio dois capítulos de O morro de ventos viventes

"Se tudo o mais perecesse e ele continuasse, eu ainda deveria continuar a existir; e se tudo o mais continuasse e ele fosse aniquilado, o universo tornaria-se completamente estranho..."

-Uma vastidão desconhecida - repito pra ninguém - É isso.

 

 

JEONGYEON

DIA 9

Segunda de manhã, fica claro que meu lado anos 80 já era. Primeiro, a foto dela na Boatos de Bartlett não é boa. Parece irritantemente saudável - suspeito que seja toda certinha, com essa coisa de não fumar e o vegetarianismo e as golas viradas pra cima. Segundo, simplesmente não parece certo. É o tipo de garota que se deve dar bem com as professoras e provas surpresa e que na verdade não se importa de dirigir o SUV compacto da mãe, mas desconfio que ela se dê mal com as garotas. Mais especificamente, não acho que consiga chegar a algum lugar com Im Nayeon 

Encontro Sana na Goodwill durante a terceira aula. Tem uma filial perto da estação de trem, em uma área que antes não era nada mais que fábricas abandonadas e grafitadas. Agora foi revitalizada, recebeu uma pintura nova de alguém decidiu prestar atenção nela

Sana traz Dahyun pra ajudar a escolher as roupas, ainda que nada do que ela usa combine, o que jura ser proposital. Enquanto Sana dá em cima de umas das vendedoras, Dahyun vem atrás de mim, bocejando. Ela passa devagar por cabides de jaquetas de couro

-O que exatamente estamos procurando?

-Precioso renovar - Ela boceja de novo 

-Não dormiu?

Ela sorri, os  lábios cor-de-rosa brilhantes bem abertos

-Lisa deu uma festa sábado a noite. Fiquei com o Momo[

Por algum motivo, Dah tem uma quedinha por ela desde o primeiro an

-Ela se lembra disso?

O sorriso dela murcha um pouco

-Ela estava bem bebada, mas deixei uma dessas no bolso dela - Ela levanta a mão e mexe os dedos. Está faltando uma das unhas postiças azuis - E, só pra garantir, meus brincos

-Bem que percebi que voce estava diferente hoje

-É só meu brilho natural - Está mais desperta agora. Esfrega as mãos como uma cientista maluca

- Então,o que estamos procurando?

-Não sei. Alguma coisa menos certinha, talvez um pouco mais atraente. Cansei dos anos 80

Ela franze a testa

-É por causa da Não sei o Nome? A magrela?

-Im Nayeon. E ela não é magrela. Ela tem quadril

-E uma bundinha Linda - Neste momento, Sana se junta a nós

-Não - Dah balança a cabeça 

-Voce não tem que se vestir pra agradar uma garota, principalmente uma garota como ela. Voce se veste pra agradar a si mesma. Se ela não gostar de como voce é, então voce não precisa dela - Tudo isso seria ótimo se eu soubesse exatamente quem sou eu. Ela continua: - Ela é a do blog? Que salvou a colega louca de pular? Bom, que se danem ela e a bundinha magrela

Enquanto ela continuava falando sobre Nayeon e os Boatos de Bartlett, fico calada. De repente não quero que Dah e Sana falem sobre Nayeon, porque quero que ela seja só minha, como no Natal em que eu tinha oito anos - nessa época o Natal ainda era bom - E ganhei minha primeira guitarra, que batizei de intocável, porque ninguém além de mim podia encostar nela

No entanto, não tenho escolha a não ser interromper

-Ela estava com a irmã naquele acidente em abril do ano passado, aquele do carro que caiu na ponte da rua A

-Meu Deus! Era ela?

-A irmã dela estava no último ano

-Que merda! - Dah põe a mão no queixo - Sabe, talvez seja melhor escolher algo mais garantido - Sua voz está mais suave - Pense em Jackson Wang. Voce sabe como ele se veste. A gente deveria em outras lojas

Sana diz a Dahyun

-Nunca vai cair na dela. Não importa o que vista. Sem ofensa linda

-Tudo bem. E que Jackson se foda - Uso a expressão inteira pela primeira vez na vida. É tão libertador que tenho vontade de correr pela loja - Que se foda - Decido que a nova Jeongyeon fala palavrão quando e quando quiser. É o tipo de garota que subira em um telhado e pensaria em pular só porque não tem medo de nada

-Nesse caso... - Sana arranca uma jaqueta do cabide e estende pra mim. É muito bonita. Com couro gasto, como algo que Keith Richards usaria nos primórdios da banda

É a jaqueta mais legal que já vi. Enquanto visto, Dah suspira, se afasta da gente e volta contente com uma bota preta gigante

*****

Na hora do almoço, passo a curtir a nova versão. Pra começar, as garotas parecem aprovar. Uma aluna mais nova, bonita, me para no corredor e pergunta se estou perdida e preciso de ajuda. Ela deve ser do primeiro ano, porque é obvio que não faz ideia de quem eu sou. Quando pergunta se sou de Busan, começo a falar com um sotaque bem convincente. Ela alternas risadinhas e jogadas de cabelo enquanto me acompanha té a cantina 

Como no Bartlett tem uns dois mil alunos, somos divididos em três horários diferentes de almoço. Dahyun está matando aula pra comer comigo e com Sana, e eu os cumprimento com meu sotaque de Busan. Dahyun só pisca pra nós duas

-Por favor, me diga que ela não resolveu ser de Busan - Ela dá de ombros e continua comendo

Passo o resto do almoço conversando com elas sobre meus lugares favoritos de Busan

-Vamos?

Sinto saudade desse Busan que deixei pra trás

Sim, senhora.

[...........]



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...