História Por Nossos Filhos... - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Chen, Jeon Jeongguk (Jungkook), Lu Han, Park Jimin (Jimin), Xiumin
Tags Jikook Xiuchen hunhan
Visualizações 9
Palavras 2.146
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa Leitura:D

Capítulo 6 - Meu Filhote...


P.O.V JIMIN

Acordei, assim que eu forcei minha vista percebi que estou em meu quarto, estava um pouco escuro então estiquei meu braço e liguei o abajur, não me lembro muito bem do que houve, forcei minha mente e foi quando me lembrei...

FLASHBACK ON...

 - Tudo começou no dia em que eu fui ao quarto do meu Appa o chamar e não o encontrei, e por ventura encontrei um livro em baixo de sua cama, o peguei assim que li o titulo, fiquei espantado com o mesmo, então o peguei e sai correndo, fui até o ultimo quarto do castelo e comecei a ler, ele descrevia a história de vocês majestade, eu teria terminado de ler mas se não fosse por uma peste mais conhecido como Luhan me incomodando ent... – interrompi a história imediatamente assim que ouvi o nome de meu filho ser pronunciado, logo percebi que Jongdae também interrompeu.

                - O QUE?! – Gritamos

                -c-como é o n-nome? – Perguntei quase num sussurro

                - Luhan? –sim é ele, mesmo! BOM EU ACHO... Ele me estendeu um convite, quando abri eu percebi que era para sua festa de aniversário, seria uma ótima ocasião para eu ver se este Luhan é mesmo meu filho

                -Você quer que eu vá ao seu aniversário? – concordou – Tudo bem eu vou – O mesmo sorriu e abraçou Dae, ele parecia muito comigo quando eu era adolescente

                -Muito obrigado Majestade

                -por nada...  Mas me fala um pouco sobre esse Luhan? – Me olhou espantado

- Luhan é o meu mordomo/irmão

                - Como assim? – Perguntei confuso

                -É que meu Appa o encontrou em Linfa quando bebê e o trouxe para casa, mas a mulher que cuidava dele o adotou, quando ele descobriu ficou maluco, pois meu Appa havia criado um vinculo muito forte com o mesmo então ofereceu um emprego para a mulher no castelo para ele poder cuidar do bebê de perto, Meu Omma que Não havia engravidado de mim ainda se apaixonou pelo Luh e também não queria largar ele. Então o tempo foi passando, meu Omma faleceu e o Luh que o chamava de Omma também ficou arrasado, assim como eu... Mas o tempo passou mais um pouco e a mulher que o adotou faleceu também, como ele já morava no castelo ele suplicou ao meu Appa para poder trabalhar no castelo, ele afirmou que meu Appa estava lhe dando um quarto e comida, ele não podia ficar sem fazer nada então depois de muito suplicar ele aceitou, e hoje o Luhan é meu Mordomo, e um irmão, pois, meu Appa o considera um filhote dele. O que é engraçado é que um dia nós dois fomos até o vilarejo e os aldeões estavam o chamando de Príncipe, ele corou muito de vergonha – Ri com sua história, ele parecia ser uma menino encantador, olhei para Minseok e seus olhos estavam como o céu a noite, enquanto o mesmo sorria, achei aquilo maravilhoso, mas ainda tenho uma dúvida...

-C-como é a aparência dele? – Perguntei e o mesmo me olhou estranho

                - Ele é um pouquinho mais alto que eu, tem o rosto delicado com alguns traços femininos, um corpo bonito e bem branquinho, ele tem olhos arroxeados assim como seus cabelos que são sua marca no reino, embora pareça delicado ele é bem Forte e bruto, mas manhoso também, e ah ele é um ômega com cheiro de uvas.- Depois de seu relato tudo escureceu não vi mais nada...

FLASHBACK OFF...

Eu precisava ir naquele aniversário, interrompo meus pensamentos com a porta se abrindo, quando olhei era minha Omma entrando, ela veio correndo até mim e me abraçou me dando um beijo na testa, ela parecia preocupada.

- Filhote ta tudo bem? – Me perguntou olhando em meus olhos

- Tá sim Omma, fica tranqüila... – Eu precisava contar a ela do aniversário – Eu recebi um convite de aniversário

- Sério? De que reino? – Gelei, se Luhan for mesmo meu filhote quer dizer que ele não morreu o que quer dizer que minha mãe está mentindo para mim, ela me disse que fez o funeral do mesmo mais o enterrou logo em seguida, toda vez que eu a pergunto sobre o mesmo ela muda de assunto.

- Aglauros... - me olhou espantada

- O que?! Você não vai de jeito nenhum! – Gritou e se levantou logo em seguida

- Quem você pensa que é para me dizer onde devo ir ou não? Eu sou o rei e devo representar isso indo ao aniversário do príncipe Jeon Minseok!

- Você não vai encontrar aquele desgraçado de novo! – Ai já é de mais, ela não pode me controlar para sempre

- GUARDAS! TIRE ELA DAQUI! –Os mesmos entraram correndo e a levaram, em me levantei correndo da cama e fui até a janela, logo avistei Jongdae voltando para a casa, eu precisava esfriar minha cabeça então eu sai pelos fudos e fui em direção á linfa.

Quando cheguei na entrada eu paralisei fazia muito tempo que eu não fazia aquele caminho Entrei na mesmo e segui a velha trilha que ali estava como sempre esteve, quando cheguei avistei a nossa velha cachoeira, sorri para a mesma, eu me sentei na beira do rei depois de retirar meus sapatos, quando meus pequenos pés encostaram na água senti um arrepio subir minha espinha e um vento bater contra meus fios loiros, eu estava com tanta saudade desse lugar que nem percebi que não estava sozinho ali, o vento voltou e eu pude sentir um aroma de Pêssego amadeirado, eu conhecia aquele cheiro, eu sabia quem estava atrás de mim, só não estava com coragem de olhar faziam tantos anos que não nos víamos que eu não tenho coragem para olhor sua face serena novamente.

- Mochi? – Me chamou quase que num sussurro, ele estava bem atrás de mim – Olha pra mim – Não olhei, senti a primeira gota de lágrima escorrer por minha bochecha e cair no meu colo, logo  senti estar sendo abraçado por trás, não consegui segurar e chorei, ele se afastou e eu levantei me virando,e nossa ele estava lindo, nem parecia ter envelhecido, o mesmo também estava com olhos vermelhos.

- Kookie – Falei em um bom tom e fuui correndo para seus braços, abracei o mesmo e ele me apertou contra seu peito, afundei meu rosto em seu pescoço e pude sentir o melhor cheiro que já senti, era maravilhoso.

- Meu bebê... – Se afastou e pude olhar em seus olhos – Como você está lindo – colocou uma de suas mãos na minha bochecha e as acariciou, fichei meus olhos apreciando seu carinho, o mesmo depositou um beijo na minha bochecha e na minha testa – Senti tanto sua falta meu amor...

- eu também Kookie, todos os dias – nos afastamos e sentamos no gramado – Como foi desde que nos separamos – ele me olhou

- Depois que eu voltei para o nosso reino minha família começou a preparam meu casamento com o Tae, ficamos cerca de um ano preparando a festa, e em uma noite antes do casamento eu sai e vim para Linfa, eu precisava vir aki uma ultima vez, e fui, encontrei um bebê deitado no gramado, o peguei e o levei para nosso reino, minha familia toda se encantou por ele, principalmente eu e o Tae, nos casamos e quando voltei da lua de mel eu comecei meu reinado, em um belo dia o Tae Veio até mim e me falou que ele sabia que eu amava só você, e que ele também amava outra pessoa mais ele precisava de ajuda no cio, como o Tae sempre foi nosso amigo eu o ajudei – Isso é verdade, o Tae nos ajudava a nos encontrar, ele também não queria se casar com o Jungkook por isso nos ajudou, sinto falta dele... – E foi onde meu filho Minseok nasceu, nós já tínhamos o Luh como filhote e quando Minseok veio ao mundo alegrou a vida de todos, Mas o dia trágico chegou, eu entreguei uma carta para o Tae ir ao seu reino te entregar, mas no meio do caminho ouve um acidente e o Tae se faleceu, foi o pior diia da minha vida, as crianças ficaram arrasadas assim como todo o reino – Quando percebi já estava chorando novamente, não podia acreditar que meu melhor amigo tenha falecido- O tempo foi passando e a moça que adotou o Luh faleceu também e o mesmo insistia para poder trabalhar no castelo, eu recusava mas ele conseguiu amolecer meu coração mas hoje em dia ele e Seu irmão/Minnie, estão mais ocupados e não tem tempo de ser um empregado do castelo.

- Você parece amar muito seus filhos – Percebi que o mesmo falava bastante sobre os mesmos.

 – Sim eu os amo muito, Minseok é conhecido como Príncipe da noite por conta de seus olhos e o Luhan como Príncipe de Linfa...

- Como assim príncipe de Linfa? – Perguntei intrigado

- É que existe uma lenda que diz que aqui em Linfa existe um guardião e que ele está ficando sem forças, então como rei ele tem seu herdeiro, mas ninguém sabe quem é, e acreditam que seja o Luh, pois ele tem cabelos e olhos cor arroxeado.

 – Agora eu entendi, é porque o RM também tem cabelos e olhos arroxeados não é? – ele concordou

- Mas e você mochi, como foi sua vida até agora?

- Depois que voltei para meu reino eu continuei minha vida como era antes, mas tinha um porem, eu estava grávido Kookie... – ele me olhou espantado

 – C-como a-assim? – gaguejou

- depois que eu passei o cio com você eu engravidei – o mesmo arregalou os olhos- Minha gravidez foi de risco, o bebê quase não mexia e na hora do parto foi tudo bem mas em uma noite eu estava com o mesmo no seu quartinho o fazendo dormir, quando eu sai e amanheceu eu não o encontrei no seu berço e fui correndo perguntar o que havia acontecido, ela me disse que no meio a noite o bebê teve uma falta de ar e faleceu... – ao me lembrar do caso chorei muito quando olhei para o lado o Jungkook estava com lágrimas nos olhos – Eu não tive coragem de vê-lo em um caixão, o tempo foi passando e quando eu estava perto do cio pedi ajuda para um amigo, o Yoongi, e acabei engravidando do Jongdae, que hoje é meu apoio e meu tudo.

- Como você pode ter certeza que sua mão enterrou nosso filho? – Perguntou me olhando com olhos vermelhos por conta do choro

- Eu não tenho – Ele franziu o cenho - Seu filho foi me levar um convite de aniversário e me falou sobre o bebê que você encontrou

- E você acha que esse bebê pode ser nosso filho?

- Sim, Pois veja bem kookie, ela odeia te odeia, com certeza ela odiava nosso bebê também, Claro que ela iria dar um sumiço nele, e depois que o Minseok me falou sobre a aparecia do Luh, eu despertei uma vontade enorme de vê-lo e ter certeza se é ele mesmo

- Se você quiser te levo lá agora- me olhou sorridente

- Você faria isso por mim? – Pergunte e ele acenou positivamente, eu pulei em seu colo e o abracei que logo retribuiu – então vamos – levantei o puxando

Fomos o caminho todo conversando e quando chegamos ao castelo subimos as escadarias que davam nos quartos reais, paramos de frente com uma porta dourada escrita Luhan, exatamente como era a porta do quarto do meu filhote. Ele a abriu e podemos ver que a janela da sacada estava aberta deixando um ar entrar e balanças as cortinas brancas, a luz do luar iluminava a cama que ficava a lado da sacada, caminhamos até lá e pude enxergar um pequeno garotinho dormindo de barriga para cima com a coberta cobrindo da cintura para baixo, o mesmo estava com sua mãozinha delicada descansada em seu abdômen, em seu pulso havia uma pulseira de ouro puro com uma plaquinha, não pude enxergar o que estava escrito por conta do escuro, levantei meu olhar e percebi que ele é bem branquinho, quando cheguei no seu rosto eu senti meus olhos marejarem, seu rosto delicado e lindo, com uma expressão serena, seus cabelos estavam bem penteados e partidos no meio, com um tom roxo claro, ali estava meu bebê, meu filhote, eu precisava tocá-lo.

- Posso tocá-lo? – Perguntei sussurrando e ele sorriu acenando positivamente, devolvi o sorriso e me sentei na cama.

Depositei minha mão direita em sua bochecha e a acariciei com o dedão como sempre fazia quando o mesmo era bebê, me inclinei em sua direção e lhe dei um beijo na sua testa, logo senti o mesmo se mexer, ele encostou sua mão direita que até então estava em sua barriga em minha mão e que estava acariciando seu rosto e começou a sussurrar palavras desconexas, sorriu ainda dormindo e falou.

- Omma...


Notas Finais


até a próxima:D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...