História Por quê eu não te amo mais, Jaebum ? - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, Got7
Personagens Do Kyung-soo (D.O), Jackson, JB, Mark, Youngjae
Tags 2jae, Kaisoo, Markson
Visualizações 60
Palavras 4.488
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 11 - Capítulo 11 - Eu não sou bom o suficiente para você, Jb ?


20 de Novembro


- Me solta, Yugyeom, meu Deus ! - tento empurrar seu peito para tentar afasta-lo de mim, mas ele segura nos meus pulsos, me empurrando com mais força na porta, agora realmente me prensando contra seu corpo.


Por um descuido eu não vi que ele também tinha saído da sua sala quando fui buscar o apagador para o professor, trouxe dois por não saber qual era o seu, tendo que voltar para devolver, mas quando estava descendo as escadas ele me pegou pelo braço, sem me deixar ver quem era, me empurrou até a sala debaixo das escadas, a sala de descanso das faxineiras, fechando a porta, me apertando contra ele.


Desde aquele dia que ele me disse que descobriria com quem eu estou saindo ele não sai do meu pé, não posso nem sair para beber água sem D.O ou Mark se não ele aparece do nada, tentando me abraçar ou beijar, eu já perdi as contas de quantas brigas já tive com Jaebum quando ele viu ele me agarrando em todo canto na frente de todo mundo, e o boato começando quando Jinyoung fez uma matéria no jornal sobre nós dois.


"Youngjae e Yugyeom outra vez juntos ?" nossa foto embaixo, exatamente quando olhei para o flash do seu celular, os cochichos começaram e várias meninas vieram me perguntar se era verdade, eu sempre desmentia, mas Yugyeom sempre aparecia tentando me abraçar, deixando-as irem embora com raiva e outras tristes.


Jaebum me proibiu de ser encostado por Yugyeom, de dar um basta nisso, mas estamos falando de Yugyeom, o cara que nunca desisti.


- Quieto, Youngjae, vão nos ouvir, e eu tenho certeza que o diretor não vai querer ver nossas caras de novo juntos. - sussurra, chegando mais perto, sinto seus lábios roçarem nos meus, virando a cabeça para o lado para não o deixar me beijar.


- Que de novo, Yugyeom ? Isso já faz 3 anos ! Pare de lembrar do passado e me solte ! - me debato contra ele, mas isso não adianta de nada, em menos de quarenta segundos eu desisto, cansado.


Tento puxar meu pulso, com isso ele se esfrega mais em mim, tentando me impulsionar, esfrego minhas pernas nas suas, gemendo em irritação, entortando a cabeça mais quando seus lábios tocam outra vez meu pescoço, me trazendo um arrepio nada prazeroso.


- Você ainda gosta que eu ti beije aqui ? - mordo meu lábio inferior, fechando os olhos, balançando a cabeça desesperadamente.


- N-não, não gosto. - sussurro, mas não adianta, ele continua a beijar meu pescoço, seu membro roçando no meu, seu corpo fazendo de tudo para eu me entregar de uma vez. Mas eu não posso, eu não posso, eu não posso, mas puta que pariu, isso é muito bom.


- Sim, você gosta, se não gostasse... - ele solta um dos meus pulsos, abro meus olhos, olhando um pouco de lado para os seus dedos descendo pela minha barriga, parando no meu membro, quando sua mão aperta e seu olhar sobe para o meu eu não consigo segurar, arfando em necessidade - não faria isso. - mordo com mais força meus lábios, quase sinto-os rasgando.


- Y-yugyeom, não faça isso... - peço, quase suplico, segurando sua mão no meu membro, mas invés dele soltar, ele aperta, e eu não consigo me segurar, agarrando seus ombros antes que eu caia no chão quando minhas pernas ficaram moles.


Ele se aproveita disso e agarra minha cintura, roçando seu queixo na minha bochecha, quando vou levantar minha cabeça para ter controle para firmar minhas pernas seus lábios avançam para os meus, arregalo os olhos, tento o empurrar de novo, mas eu apenas o seguro, pois todas as minhas forças foram embora.


Seus lábios são ferozes, seu beijo é rápido e necessitado, ele ainda tem aquele hálito de hortelã por causa do chá que ele toma para melhorar sua digestão, suas mãos me apertam um pouco mais, seu perfume ainda é o mesmo e ao piscar meus olhos me vejo como antes.


Estávamos na sala de ciências, várias mesas espalhadas para as aulas fora da sala de aula, ele me chamou pelo celular para ir ao banheiro, apressado fui quase correndo, como quase todas as vezes quando ele estalava os dedos, ao chegar na sala e fechar a porta, ele já estava dentro, sentado encima de uma delas.


Mastigava um chiclete de menta, suas calças rasgadas o deixava parecer o garoto mais sexy da escola, quando seu olhar virou para mim eu lembrei de andar, parando na sua frente, no meio das suas pernas.


Fazia quase uma semana que não nos víamos, ele simplesmente não queria vir para escola e resolveu viajar com alguns dos seus amigos para um casa no campo, chegou a me convidar, mas eu não podia ir por causa das provas e pelo não autoritário do meu pai sempre ao estranhar minha relação com Yugyeom, ele desceu da mesa e sem mais nem menos me beijou.


Eu tentava acompanhar seu ritmo rápido, mas eu nunca conseguia alcança-lo, segurava seus ombros enquanto ele apertava minha cintura, lentamente ele foi me levando até uma parede, me prensando nela, me beijava como se não houvesse amanhã, suas mãos passavam por tudo em mim, minha barriga sempre estava quente com ele por perto e meu coração a mil.


Agora voltando para o presente, meu coração ainda está a mil, eu não quero acompanhar mais o seu ritmo, porque ele não me agrada mais.


Minhas forças parecem voltar depois de quase dois minutos de devaneio pelo passado, minha perna já estava na sua cintura e sua mão embaixo da minha blusa, explorando minha barriga, seus lábios já tinham descido mais um pouco, quase alçando meu pescoço, o empurro agora com forças para longe, podendo voltar a respirar.


Passo a palma da minha mão pela minha boca que deve estar vermelha por ter sido sugada tantas vezes por ele, me desencostando da parede, olhando sério para o seu sorriso de lado, lambendo os lábios.


- Você ficou louco. - falo, finalmente quebrando esse silêncio, essa tensão indecifrável no ar.


- Louco por que ? - pergunta com deboche.


- Me beijar sem que eu queira ? Realmente, Yugyeom, você não faz mais o meu tipo. - cuspo minhas palavras no seu ego gigantesco, como esperado, ele fecha seu sorriso, voltando a se aproximar.


Para em minha frente, seus olhar agora negro passa em mim de cima à baixo, como se pensasse no que iria dizer, ou procurando algum trocadilho para me deixar irritado.


- Agora eu volto a me perguntar, quem é que você esconde tão bem ? - reviro os olhos.


- Alguém que não ti interessa, Yugyeom ! Pare de se meter ainda não é chamado e me deixe em paz de uma vez ! - peço pela incontável vez.


- Depois desse beijo ? Seus gemidos ? Suspiros ? Não mesmo, Youngjae... - cerra seu olhar, chegando ainda mais perto, encostando seu peito no meu - Quer saber um jeito de me afastar de você ?


- Qual ? - toco seu peito, tentando definir um limite de espaço entre ele e eu.


- Eu vou para sua casa, transaremos muito, e assim eu ti deixo em paz. - diz cínico.


- Você ainda é um tremendo babaca, huh ? Apesar de tudo que me fez, fica correndo atrás de mim para me comer pela última vez ? Quer ser um novo Jackson, é isso - provoco.


- Não mesmo, sou bem melhor que ele, sei onde me meto, e meu pau quer meter muito nessa bunda gostosa que você tem agora. - responde no seu tom de sempre, não fico surpreso, negando com a cabeça, empurrando-o, que por uma bença de Deus, se afasta cuidadosamente pelos meus passos.


- Eu não vou transar com você, Yugyeom, nem nos seus sonhos mais molhados. - toco a maçaneta, olhando para o seu rosto antes de abrir a porta.


- Eu já ti como nos meus sonhos, agora falta de comer na vida real, e sim, Youngjae, eu vou conseguir ti comer, cedo ou tarde. - fala sério, e eu quase me deixo ser levado para isso, me lembrando de Jaebum, do que ele já me fez, girando a maçaneta, passando pela porta.


Tento arrumar meu estado enquanto subo as escadas, apertando minha calça, enfiando de volta minha camisa na calça, limpando mais minha boca, e tentando alinhar a bagunça do meu cabelo, chegando na minha sala, por sorte com a porta aberta, entrando e me sentando no meu lugar.


Agora mais calmo, com o coração normalizado eu consigo respirar melhor, puxando de volta o ar para os meus pulmões, encostando minha bochecha na parede fria, fechando os olhos.


Meu Deus, eu me deixei ser beijado por Yugyeom...


Antes de começar a bater minha cabeça contra a parede meu celular apita embaixo da minha mesa, o pego, primeiro desbloqueando e clicando no aplicativo com duas mensagens.


(Santorosoo)
Jaebum ?
14:42 p.m


(Eu)

Yugyeom 

14:42 p.m


(Santorosoo)
De novo ? Meu Deus ele realmente não ti deixa em paz, o que ele fez dessa vez ?
14:42 p.m


Penso antes de responder, digitando e apagando, mordendo mais meu lábio, respirando fundo.

(Eu)

Yugyeom me beijou

14:44 p.m


- O QUE ?! - D.O grita de repente, assustando e atraindo a atenção de todos para ele, o olho em discriminação, negando com a cabeça - Me desculpe, professor, achei que tinha visto uma barata aqui do meu lado da parede. - pede, fazendo sua reverência, o professor assente, voltando a ler o livro encima da sua mesa.


(Santorosoo)
Como ?! Ele ti beijou ?!
14:45 p.m


(Santorosoo)
Meu Deus...como assim, Youngjae ?!
14:45 p.m


(Eu)

Eu não sei também !

14:45 p.m


(Eu)

Como sempre ele apareceu do nada, me levou para aquele quarto escuro embaixo da escada do segundo andar, começou a chegar muito perto, eu tentava afasta-lo, mas claro, nunca adianta de nada ! 

14:45 p.m


(Eu)

Ele começou a se esfregar, Yugyeom é Yugyeom, você sabe ! Ele é mais irresistível que Jongin e Jackson junto ! Quando fui levantar minha cabeça ele começou, eu tentei relutar, mas fiquei estático, lembrei do passado, esqueci do presente, esqueci de Jaebum ! Consegui empurra-lo depois de um tempo, mas aí já era tarde demais !

14:47 p.m


(Eu)

Eu vou enlouquecer com esse menino aqui, D.O ! Ele não me deixa em paz nenhum segundo ! Quantas vezes ele já apareceu lá em casa ? Por sorte só atendi as duas primeiras vezes ! Agora eu não sei o que faço, eu deixei ele me beijar, e se Jaebum descobrir ? Ainda mais agora que Yugyeom está tão próximo dele ?!

14:48 p.m


(Santorosoo)
Calma, vamos pensar com calma agora
14:50 p.m


(Santorosoo)
Você não está nem perto de algum oficial com Jaebum, não foi traição, não se culpe por isso
14:51 p.m


(Santorosoo)
Yugyeom é irresistível, fato, eu não o culpo, quantas vezes já voltei para Sehun por causa disso ?
14:52 p.m


(Santorosoo)
Mas puta que pariu, Youngjae ! Se ele contar para Jaebum você tá realmente fudido !
14:52 p.m


(Eu)

Eu sei, eu sei...

14:53 p.m


(Eu)

☹️☹️☹️☹️

14:53 p.m


(Eu)

Mais uma briga por causa de Yugyeom...agora com beijo...

14:54 p.m


(Santorosoo)
Eu não quero estar no mesmo cômodo que você quando ele souber
14:54 p.m


(Santorosoo)
Nesses últimos meses Jaebum está muito estranho, muito encima, possessivo demais, extremista demais com você
14:55 p.m


(Santorosoo)
E se ele soltar tudo quando souber ?
14:55 p.m


(Eu)

Não, Jaebum sabe como se controlar, nunca conheci alguém tão firme como ele

14:55 p.m


(Eu)

Mas...eu não sei o que ele fará se souber...

14:55 p.m


(Eu)

Yugyeom pode comentar com qualquer um deles, qualquer um deles dirá para Jaebum

14:55 p.m


(Santorosoo)
O que Yugyeom falou para você ? Eu sei que ele não ti beijaria apenas
14:56 p.m


(Eu)

Ele me disse que se eu dormisse com ele, ele pararia de me procurar 

14:56 p.m


(Santorosoo)
Então dorme com ele, convenhamos Youngjae, não será sacrifício nenhum pra você
14:56 p.m


(Eu)

Você enlouqueceu ?! Estamos falando de Yugyeom ! E Jaebum ? E eu ? Não !

14:56 p.m


(Santorosoo)
Faça tudo em segredo, diga para ele ficar em silêncio, e apenas o faça
14:57 p.m


(Santorosoo)
Vai que ele decida ser """"bom"""" uma vez na vida dele e cumprir com isso
14:57 p.m


(Santorosoo)
Que eu saiba, ele nunca quebrou nenhuma promessa que fez
14:57 p.m


(Eu)

Primeiro que eu não tenho certeza nenhuma com ele, ele não me leva a sério

14:58 p.m


(Eu)

Segundo, estamos falando de Yugyeom, Kyungsoo, Yugyeom !

14:58 p.m


(Santorosoo)
Vai me dizer que não sente saudade ?
14:58 p.m


(Santorosoo)
Você nem pôde se despedir da última vez
14:58 p.m


(Eu)

Por Deus, Kyungsoo, não !

14:58 p.m


(Eu)

Não é questão de saudade ou despedida, o ponto é Jaebum ! Jaebum ! 

14:58 p.m


(Santorosoo)
Você não tem nada definitivo com ele...
14:58 p.m


(Eu)

Nos amamos, Kyungsoo

14:58 p.m


(Eu)

Eu não posso fazer isso com ele

14:58 p.m


(Santorosoo)
Mas...
14:58 p.m


(Santorosoo)
Apenas o sentimento não sustenta nada... Você sabe...
14:59 p.m


- Kyungsoo e Yugyeom ! O que tanto digitam, querem compartilhar com o resto da sala ? - o professor grita quando começo a digitar, desligo meu celular, enfiando-o no bolso, olhando para todos que nos secam - Huh ? O que tanto conversam ? Aposto que não conseguem me dar um exemplo do que estava sendo explicado agora ! - bate com o livro dobrado na parede, parecendo realmente estar nervoso.


- Sua aula já acabou, professor. - digo antes que ele grite mais, não tendo mais paciência por esses surtos infantis que professores escolhem dar.


Puta que pariu, estamos no final do ano, falta apenas um mês e onze dias para o Ano Novo, eu não preciso ficar escutando professores gritarem comigo o tempo todo, eu ainda me pergunto o que tem no meu rosto para todos se alterarem só de bater o olhar em mim.


- Já ? - pergunta, deixando o livro encima da mesa, quando ele puxa a manga longa da sua camisa o sino toca, avisando-nos para finalmente irmos embora desse lugar.


Todos riem baixinho, começando a guardar seus materiais, o professor me fuzila com o olhar, pegando seu livro e pasta, saindo da sala, resolvo fazer o mesmo, guardando tudo na minha mochila, olhando para D.O.


- Agora eu posso ti bater. - espero ele me olhar para ameaça-lo.


Ele solta um riso surpreso, cruzando os braços, mesmo sendo baixinho D.O dá muito medo, com isso dou dois passos para trás, reconsiderando minhas palavras.


- Eu que vou ti bater, você deixou ele ti beijar ! - tento desviar da sua mão, mas não sou rápido o bastante, estralando minhas costas com suas digitais.


- Yah ! - tento passar a mão, não alcançando, olhando com raiva para ele - Isso dói, caramba !


- É para doer mais para você aprender a parar de ser burro ! Meu Deus, o que faremos agora ?! - olho para ele sem saber o que fazer, esfregando meu rosto com as minhas mãos, bufando de ódio.


- Eu não sei...


- Ei, vocês dois, vão ficar aí mesmo ? - ouço a voz de Shinwoo na porta, virando-me para ele, que aponta para o seu relógio - Vamos, todos tem que sair para que eu possa ir embora. - pede, dando um passo para fora da sala, D.O e eu assentimos juntos, saindo da sala - Obrigado. - fala quando saímos, fechando a porta, passando por nós com seus passos rápidos.


- Depois falamos sobre isso, agora eu preciso correr para o meu trabalho. - olho para ele, desabotoando os primeiros botões da sua camisa.


- Você vai lá para casa hoje ? - passamos pelo portão, sinto o encarar do porteiro nas minhas costas, olhando para ele que disfarça, voltando a ler o jornal.


- Não, Jongin chega hoje da sua viagem de Paris, ele me disse que vai me levar para sua casa para vermos um filme. - sorri envergonhado, olhando para baixo, seus olhos chegam brilham só de falar o nome do seu amante.


- Você diz que é apenas sexo sem compromisso, mas para mim isso parece ser compromissado demais, todos os dias que ele fica aqui ou vocês se vêem ou ele ti acompanha do seu trabalho até a sua casa, e olha que você ainda conta nos dedos suas transas. - arqueio uma sombracelha, esperando que ele admita de uma vez que está apaixonado pelo Kim, mas como todas as vezes, ele revira os olhos, me olhando com sua cara de bunda.


- Pare de falar besteiras, Youngjae, isso é normal, contanto que nem eu e nem ele queremos algum mais que sexo. - tira seu blazer, enfiando na mochila, ficando apenas com o uniforme da escola - Conversar é normal, Jongin é uma das pessoas mais abertas com a vida dele que eu já conheci, eu gosto de conversar com ele, tanto ele como eu sabemos separar sexo de um sentimento amoroso, pare de querer pensar demais nisso, você e o Mark !


- Tá, tá, se você diz... Quem sou eu para dizer o contrário ? - levanto minhas mãos em forma de rendição, dando dois passos para o lado, para a rua que eu sigo para chegar em casa.


- Que seja ! Tchau, Youngjae ! Preciso ir antes de enlouquecer com você ! - aponta para o meu rosto, gritando enquanto sobe a rua reto, atraindo olhares de alguns alunos que ainda saem da escola.


Balanço minha cabeça, envergonhado por ele, começando a subir a rua quando pego meu celular, percebendo o quão tarde já é, e não adianta eu esperar que Jaebum já foi embora com seus amigos para algum lugar.


Mas agora que falta tão pouco, um mês praticamente, para ele oficialmente ser um adulto, ele anda ocupado demais, se não é comigo é com sua noiva, nessa semana apenas duas vezes pude sentar e conversar com ele um pouco, ouvir suas frustrações sobre o peso que está carregando nas costas pelas expectativas da sua família.


Jaebum é aquela pessoa que cresceu junto com primos, tios e avos, assim sempre tendo um laço muito grande com eles, se importando com todos eles, mesmo que a maioria nem fazem tanta questão assim, por isso, o que ele irá cursar, qual empresa ele se encaixará está fazendo ele até perder o sono, assim ficando a madrugada inteira conversando com ele.


Jaebum é movido por opiniões, se seus amigos não gostam de uma calça, ele taca fogo, se sua mãe não quer que ele assista um programa, ele bloqueia o canal, isso também se refere á questão de nós dois, a mãe de Jaebum é uma pessoalmente extremamente intolerante, ela não pode nem imaginar da existência de um homossexual na escola, o que ela faria com isso ?


Por isso, eu não o culpo tanto por esperar sair de casa para contar sobre sua sexualidade e sobre mim, eu entendo seu medo, já me coloquei no seu lugar e imagino o quão terrível é ter que agradar mais de 40 pessoas com sua vida, tentando ser o melhor, nunca perfeito, Jaebum bebe e fuma na frente de todos, mas ainda assim continua sendo aquele garoto de 7 anos amoroso com todos.


Ao levantar meu olhar percebo que cheguei em casa, destrancando o portão, entrando para dentro de casa depois de rodar a chave também, jogando minha mochila no chão, me deitando de bruços no sofá, fechando meus olhos.


O cheiro da vela aromatizante de rosas ainda está pelo ar, a faxina que tive que fazer depois de ter feito outra vez festa aqui, a quarta já, cada vez que faço uma nova parece piorar o estado depois, fiquei horas esfregando esse sofá, D.O xingava limpando o banheiro, e Mark bufava de frustração a ter que limpar novamente o muro pichado.


Toda festa aumenta mais 50 pessoas, você não consegue nem andar mais, dessa última vez até a polícia me ligou, tive que abaixar o som com todo o custo, mas mesmo assim ninguém foi embora, pelo contrário, mantiveram firmes aqui até domingo de noite, eu não sabia mais o que fazer para tira-los da minha casa, meus olhos nem abriram mais de cansaço, porque outra vez fiquei quase a festa toda no banheiro, dessa vez sozinho, Mark se agarrava com Jackson no fundos da casa, enquanto isso Jongin e D.O se comiam no meu quarto, e eu no banheiro, esperando por Jaebum, que chegou depois das dez, pedindo mil desculpas, estava na casa da sua noiva, jantando com os pais dela.


Eu já estava muito louco naquela altura, não me importei muito e apenas o beijei, ficamos dentro daquele banheiro até dar quatro horas, então sua noiva o ligou, perguntando onde estava, depois de uma pequena discussão ele mau se despediu e se foi.


"Você está na casa do Choi ? Saia daí agora, Jaebum, olhe sua classe, não se envolva com pessoas desse tipo" ela disse no celular, Jaebum não contrariou, murmurou e desligou, fingiu que não tinha ouvido, talvez nem percebeu minha cara depois, pegou seu moletom e se foi junto com Jackson.


Outra vez a madrugada se foi com lamentações, Mark inseguro com seu futuro e minha dor no meu peito de novo voltava, saímos às sete, quando Yugyeom gritava por mim, Mark se estressou e abriu, me expulsando do banheiro, então passei duas horas correndo dos seus braços, Namjoon parecia nos seguir com o seu boneco de porcelana nos braços, gritando para Yugyeom ir com calma.


Consegui fugir dele depois de sair de casa, com sono, sujo, fedendo, bêbado e com a cabeça rodando, fiquei três horas subindo e descendo rua, desistindo depois do sol arder nas minhas costas, me jogando no sofá depois de expulsar um casal de garotas que se esfregavam quase nuas, conseguindo finalmente dormir.


Por que ainda fazemos essas festas ? Sinceramente não sei, sempre é a mesma coisa, é sempre ruim, sempre acaba do mesmo jeito, mas eu quero outra e mais outra, agora todos me conhecem, conhecem a festa de arromba na casa do Youngjae, o que muda agora é que todos levam suas coisas, resultando em uma propriedade sem lei por muitas horas.


Calcinhas, camisinhas, drogas, mais drogas, vidros quebrados, mijo de alguém é sempre o que achamos depois da festa, passo até três dias lavando essa casa, limpando e jogando tudo que tenha de cheiro nas coisas, conseguindo sumir depois de tanto sacrifício, mas se passa mais uma semana e pessoas já me vem perguntar quando será outra vez, que horas, o que pode usar, então eu não consigo e anúncio no Facebook três dias depois.


Inspiro fundo, aproveitando o sol quente no meu rosto, o barulho do vento na janela, o vazio dessa casa triste.


Desço meu olhar para o chão, uma vaga lembrança se vem com uma música do natal de quatro anos atrás, sorrisos e piadas de fim de ano, por um momento meus olhos se encherem, mas por sorte meu celular apitou.


Limpo meus olhos, pegando meu celular do bolso, desbloqueando e encontrando de novo as duas pessoas que mais me chamam nesse aplicativo.


(Meu amor ❤️)
Youngjae ?
13:47 p.m


(Meu amor ❤️)
Como você está, meu amor ?
14:10 p.m


(Meu amor ❤️)
Estou tão cheio das coisas que nem pude ti dar atenção direito esse mês
14:12 p.m


(Meu amor ❤️)
Me perdoa ?
14:30 p.m


(Eu)

Você só tem me pedido desculpas ultimamente, eu estou tão cansado, Jaebum, eu só queria voltar para quando você me dava flores e me surpreendia com cartas. Agora, Jaebum, por que parece que você está frio ? Por que Yugyeom de repente virou uma tentação tão grande na minha vida nesses últimos dois meses ? Eu li a sua declaração para ela ontem, Jaebum, meu amor, por que tudo parece mentira ? Por que nosso amor parece ser uma mentira da sua parte ? Jaebum... Por que...


- O que há com você, Youngjae ? Pare com isso. - digo para mim mesmo, apagando toda a mensagem.


(Eu)

Estou bem, meu amor, como você está ? 

14:32 p.m


(Meu amor ❤️)
Ah, o de sempre
14:32 p.m

(Meu amor ❤️)
Hoje tive muitas provas, estou tendo que terminar três trabalhos manuscritos ENORMES e ainda tenho que terminar de preencher meu currículo para mandar para as empresas que meu pai selecionou
14:33 p.m

(Meu amor ❤️)
Tenho que aguentar a Yoona no meu pé toda hora, me enchendo o saco...
14:33 p.m

(Meu amor ❤️)
Tirando minha mãe e suas insuportável cobranças sobre nosso casamento e que eu deveria pedi-la para me colocar na empresa do seu pai
14:34 p.m

(Eu)

A empresa dele é boa, ela poderia ti ajudar com isso, não ?

14:35 p.m

(Meu amor ❤️)
Não, Youngjae, nunca pediria uma coisa dessas para ela
14:35 p.m

Youngjae...

(Meu amor ❤️)
E quando eu terminar tudo com ela, eu só quero paz, se eu pedir esse favor para ela, não posso nem pensar no que ela fará...
14:36 p.m

(Eu)

Ah...

14:36 p.m

(Eu)

Entendo

14:36 p.m

(Meu amor ❤️)
Eu nem ti vi na saída, o que você fez hoje ?
14:36 p.m

(Eu)

Nada

14:36 p.m

(Eu)

Estava conversando com D.O

14:36 p.m

(Meu amor ❤️)
Ah, tá
14:36 p.m

(Meu amor ❤️)
Meu bem, tenho que ir agora, ainda tenho três trabalhos para começar
14:36 p.m

(Eu)

Mas já ?

14:36 p.m

(Meu amor ❤️)
Desculpa, meu amor
14:36 p.m

(Meu amor ❤️)
Eu tenho que terminar tudo isso ainda hoje
14:36 p.m

(Eu)

Tudo bem

14:37 p.m

(Meu amor ❤️)
Quando eu terminar, e se tiver tempo, eu ti mando mensagem, tá bom ?
14:37 p.m

(Eu)

Sim

14:38 p.m

(Meu amor ❤️)
Não vai ficar bravo comigo, né, Youngjae ?
14:38 p.m

Youngjae...

(Meu amor ❤️)
Você sabe que não é culpa minha
14:38 p.m

(Eu)

Eu sei, meu amor

14:38 p.m

(Eu)

Está tudo bem

14:38 p.m

(Eu)

Bons estudos ❤️

14:38 p.m

- Está tudo bem... - sussurro, saindo da conversa quando ele visualiza, clicando na do Yugyeom.

Eu não quero pensar muito, eu não posso pensar muito, está tudo bem, Jaebum me ama e na formatura tudo finalmente vai ficar bem, ele vai oficializar tudo comigo de uma vez.

(Insuportável)
Oi, Youngjae
14:33 p.m

(Insuportável)
Eu disse que descobriria, não foi ?
14:33 p.m

(Insuportável)
Jaebum ? Sério ?
14:33 p.m

(Insuportável)
Vou adorar isso
14:34 p.m



Notas Finais


Demorei um pouco, né ? Perdoem kk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...